Otosclerose - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em otosclerose

Encontre um especialista em Otosclerose na sua cidade:
Rodrigo Kopp Rezende

Rodrigo Kopp Rezende

Otorrino

Curitiba

Lucas Rodrigues Carenzi

Lucas Rodrigues Carenzi

Otorrino

Ribeirão Preto

Mauricio Kurc

Mauricio Kurc

Otorrino

São Paulo

Gil Junqueira Marçal

Gil Junqueira Marçal

Otorrino

São Paulo

Vanessa Ribeiro Orlando

Vanessa Ribeiro Orlando

Otorrino

Belo Horizonte

Perguntas sobre Otosclerose

Nossos especialistas responderam a 51 perguntas sobre Otosclerose

Ola Boa tarde!
Otosclerose não costuma causar dor, é importante agendar uma consulta com otorrino para entender porque apresentou dor de ouvido ao voar. Existem alterações da tuba auditiva…
1 respostas

Recomendo aos meus pacientes operados de estapedotomia que evitem atividades com esforço físico exagerado, como levantamento de pesos, esportes de forte contato físico com "pancadas"…
2 respostas

Dr. Gustavo Guagliardi Pacheco
Dr. Gustavo Guagliardi Pacheco
Medico do sono, Otorrino
Rio de Janeiro
Prezada paciente-internauta,

Em geral, passadas 3 semanas da Estapedotomia, tendo a mesma cirurgia transcorrido sem intercorrências, o retalho tímpano-meatal já se encontra satisfatoriamente…
1 respostas

Especialistas falam sobre Otosclerose

A otosclerose é resultado do crescimento ósseo anormal ao redor de um ossículo da audição chamado estribo, o que causa redução na sua mobilidade e consequentemente diminuição da transmissão sonora. Mais raramente, essa desordem óssea pode se estender para o ouvido interno. Tem predisposição genética e inicia geralmente na idade adulta. Acomete 10% da população branca e 2x mais mulheres que homens. O diagnóstico provável é realizado pelo exame de audiometria. Algumas vezes exames de imagem como uma tomografia computadorizada pode ser solicitada. Sintomas: Perda auditiva uni ou bilateral. Em alguns casos zumbidos e tontura.

A otosclerose (ou otospongiose) fenestral é uma doença caracterizada pelo desenvolvimento de um foco de osso anormal junto à platina do estribo (ossículo da audição; menor osso do corpo humano), tornando-o imóvel. Como o movimento deste osso é fundamental para transferir a energia sonora para a cóclea, quando isso acontece o indivíduo evolui com uma perda condutiva da audição. A substituição de parte do estribo por uma prótese, cirurgia chamada Estapedotomia, pode restabelecer este mecanismo de condução, melhorando a audição. Alguns tratamentos clínicos (com Alendronato e Fluoreto de Sódio) são descrito com eficácia em alguns casos específicos. Aparelhos auditivos também podem ser úteis.

Édio Cavallaro

Otorrino

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

A otosclerose ou otospongiose é uma doença que possui caráter genético/hereditário, porém, de causa indeterminada. Originada através da remodelação e neoformação óssea, dentro do ouvido médio, principalmente na região do estribo, impedindo a vibração normal da cadeia ossicular, levando à perda auditiva progressiva que pode ser unilateral ou bilateral, ou seja, em um ou nos dois ouvidos. A perda auditiva causada pela doença pode ser tratada com uma microcirurgia para retirada do estribo calcificado e colocação de uma pequena prótese dentro do ouvido, fazendo com que o paciente volte a ouvir novamente. Procure um otorrino especializado em cirurgia otológica para mais informações.

Luiz Patrial Netto

Otorrino

Curitiba

Quais profissionais tratam Otosclerose?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.