Respiração oral - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - respiração oral

Helaine Alves Ferreira de Almeida

Helaine Alves Ferreira de Almeida

Fonoaudiólogo

Itapecerica Da Serra

Renata Bindi

Renata Bindi

Fonoaudiólogo

São Paulo

Valdiléia Benício

Valdiléia Benício

Fonoaudiólogo

Belo Horizonte

Ramiro Passalini

Ramiro Passalini

Otorrino

São Paulo

Flávia Gonçalves da Silva Gomes

Flávia Gonçalves da Silva Gomes

Fonoaudiólogo

Nova Lima

Camila Rayllane Carvalho de Sousa

Camila Rayllane Carvalho de Sousa

Fonoaudiólogo

Teresina

Especialistas falam sobre Respiração oral

Situação que pode ocorrer em adultos e crianças, muitas vezes provocada por problemas na anatomia, como adenóides aumentadas ou desvios de septo nasal. Realizamos a correção utilizando moderna tecnologia nos principais hospitais do Rio de Janeiro.

A respiração oral é geralmente consequência da obstrução nasal crônica e pode trazer importantes alterações dento-faciais ao longo do tempo. Quando fechamos a boca, a língua pressiona o palato (céu da boca) e força sua expansão lateral, permitindo que a maxila acompanhe o crescimento da face e proporcionando a correta oclusão dos dentes. Então, quando a criança mantém muito a boca aberta para respirar durante seu crescimento, o palato se torna estreito e fundo, a oclusão dos tentes se faz de forma errada (mordidas abertas), o lábio superior se encurta e o inferior se vira para fora. Estas são as características da "Face Adenoideana" ou "Long face Syndrome", estigmas do respirador oral.

Édio Cavallaro

Otorrino

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Respirador oral é o indivíduo que substitui o padrão correto de respiração nasal por um padrão oral ou misto (boca-nasal). Esse padrão respiratório inadequado pode afetar a musculatura da face e das arcadas dentárias. Alterações:                    - Boca aberta na maior parte do tempo - Língua passa a ficar mais baixa junto aos dentes inferiores - Projeção da cabeça para frente, esticando o pescoço e alterando a postura da coluna - Problemas respiratórios (rinite, bronquite, otite, amigdalite) - Lábios entreabertos e ressecados com gengivas inflamadas - Ronco, sono agitado e pesadelo - Impaciente por conta de noites mal dormidas - Dificuldade de concentração e memorização na escola

Ocorre especialmente em crianças, nos primeiros anos de vida, e está associada principalmente a hipertrofia de adenoide e amídalas. Para o correto diagnóstico é necessária a avaliação pelo otorrinolaringologista, e realização de exame físico e complementares, como nasofibroscopia ou radiografia do cavum para o correto diagnóstico. Parte dos casos, que não melhoram com tratamento, necessitarão realizar cirurgia, para a remoção das amidalas e adenoide.

O aumento das amígdalas e das adenóide pode causar respiração bucal, malformação crânio-facial, déficit no crescimento, dificuldade na deglutição, roncos noturnos, distúrbios do sono, incluindo apnéia obstrutiva do sono e até complicações pulmonares graves. A criança pode apresentar a chamada fácies adenoidiana cujas características são boca permanentemente aberta, maxila pouco desenvolvida e conseqüente lábio inferior com musculatura enfraquecida, alterações no posicionamento dos dentes de graus bastante variados e céu-da-boca fundo, o chamado palato em ogiva.

Dra. Viviane Pandini

Otorrino

Jundiaí

Quais profissionais tratam Respiração oral?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.