Perda auditiva - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é?

Perda auditiva, surdez ou hipoacusia é a perda parcial ou total da capacidade de audição. Pode acompanhar o indivíduo desde seu nascimento ou desenvolver-se ao longo da vida. Praticamente todas as pessoas apresentam perda auditiva com o passar do tempo, especialmente após os 30 anos quando as células ciliadas localizadas no ouvido interno começam a morrer. Todavia, apenas uma em cada dez pessoas irá necessitar da ajuda de um aparelho devido a essa perda natural da audição por causa da idade. A perda de audição é classificada em quatro tipos: - Perda auditiva leve: incapacidade de ouvir sons abaixo de 30 decibéis, especialmente se a pessoa estiver em um ambiente com muitos ruídos. - Perda auditiva moderada: incapacidade de ouvir sons entre 30 e 50 decibéis. Nesse caso, pode ser necessário o uso de aparelho auditivo ou mesmo uma prótese. - Perda auditiva severa: incapacidade se ouvir sons entre 51 e 80 decibéis. Nesse caso, nem mesmo a prótese é capaz de auxiliar. - Perda auditiva profunda: ausência da capacidade de ouvir.

Qual é a causa?

São três as causas principais da perda da audição: - Perda auditiva condutiva: as ondas sonoras são bloqueadas na orelha externa ou média e não chegam à orelha interna. Normalmente há uma experiência de perda parcial da audição especialmente em relação aos sons fracos. Na maioria das vezes é temporária e provocada por doenças como otite e otoesclerose, por exemplo. - Perda auditiva neurossensorial: responsável por 90% dos casos de perda de audição em adultos. As células ciliadas do ouvido morrem e o som não consegue atingir o cérebro. O envelhecimento é o principal motivador, assim como a excessiva exposição aos ruídos. - Perda auditiva mista: combina os fatores das duas primeiras. No caso das pessoas que nascem com perda de audição, fatores hereditários são apontados como causadores ou mesmo por problemas durante a gravidez (rubéola, sífilis, toxoplasmose, herpes e outros). Também é possível desenvolver essa condição após acidentes e traumas.

Quais os sintomas?

A dificuldade em ouvir sons, especialmente os mais suaves e baixos, é o primeiro sintoma de alguma perda auditiva. A pessoa começa a pedir para que os outros repitam o que estão dizendo ou falem mais alto.

Como fazer o diagnóstico?

Uma entrevista com o médico é suficiente para identificar a perda da audição. Há exames que podem indicar o grau da perda da audição.

Qual o tratamento?

No caso da perda de audição total, seja ela percebida no nascimento ou desenvolvida ao longo da vida, não há tratamento. As perdas moderadas podem ser tratadas com próteses ou aparelhos auditivos que melhoram a qualidade de vida da pessoa ainda que não devolvam a audição perfeita. No caso das perdas temporárias causadas por doenças, elas serão resolvidas assim que essas condições forem tratadas.

Especialistas em perda auditiva

Encontre um especialista em Perda Auditiva na sua cidade:
Adriano Tomio Kitice

Adriano Tomio Kitice

Otorrino

Sorocaba

Cecilia Bruni

Cecilia Bruni

Otorrino

São José dos Campos

Leandro Morioka

Leandro Morioka

Otorrino

Jataí

Eliane Mauro Santiago

Eliane Mauro Santiago

Fonoaudiólogo

Rio de Janeiro

Claudia Eckley

Claudia Eckley

Otorrino

São Paulo

Perguntas sobre Perda auditiva

Nossos especialistas responderam a 43 perguntas sobre Perda auditiva

Não deixe de procurar um otoneurologista, geralmente o profissional mais bem preparado para investigação e tratamento de zumbido. Como seu zumbido começou recentemente, ainda há muito o que fazer…
3 respostas

Boa noite! O ideal é passar em consulta com o otorrino para avaliar melhor . Existem algumas outras alterações causadas por pressão no ouvido que nao sao tratadas com medicaçao topica. Sugiro…
4 respostas

Dr. Henrique Penatti
Dr. Henrique Penatti
Otorrino
Piracicaba
Prezado, nesse caso vc pode ter tido no passado uma infecção do nervo auditivo, que pode ter deixado como sequela a perda auditiva. Outra possibilidade são problemas genéticos relacionados às…
2 respostas

Especialistas falam sobre Perda Auditiva

A surdez é definida como a perda total da capacidade de audição de uma e/ou ambas as orelhas. Existem graus de deficiência auditiva, variando de leve, moderada, severa a grave, em uma e/ou ambas as orelhas. Cabe ao médico otorrinolaringologista, por meio de testes e exames, detectar a presença da dificuldade de audição e sua severidade.Qualquer perda auditiva em crianças deve ser diagnosticada e tratada o quanto antes, a fim de não prejudicar o seu desenvolvimento intelectual e comportamental.Com o processo natural de envelhecimento, ocorre também a degeneração gradual da audição, irreversível. Fatores hereditários e fatores ambientais (doenças, exposição a barulho) influenciam.

Vivian Wiikmann

Otorrino

São José do Rio Preto

Agendar uma visita

Não existe perda auditiva normal para a idade. Existe sim uma predisposição maior. No entanto, qualquer perda auditiva deve ser investigada e tratada, devido à dificuldade de interação que pode ocorrer com seus familiares e amigos, além das possíveis outras alterações da via auditiva central como o próprio zumbido.

A perda auditiva é um sintoma muito comum, podendo atingir tanto idosos quanto crianças. Existem múltiplas causas de perda auditiva, e todas elas devem ser investigadas, uma vez que essa perda pode ser um sintoma inicial de uma doença mais séria. O que pode ser feito nos casos de perda auditiva? Nas pessoas da “maior idade”, a perda auditiva pode levar ao isolamento social, o que prejudica muito a qualidade de vida. A simples adaptação de um aparelho auditivo pode melhorar o convívio com seus amigos e parentes. Com as novas tecnologias existentes no mercado, existem aparelhos auditivos cada vez menores, os quais praticamente não são notados.

Uma criança muito distraída, que não responde quando é chamada, demora para começar a falar ou que tem dificuldades na escola sempre merece uma avaliação otorrinolaringológica para descartar perda auditiva. Há diversos tipos de perda auditiva, desde temporárias secundárias a uma otite ou rolha de cera, até perdas mais severas de causas genéticas. Nos adultos, a perda auditiva acarreta isolamento social e, quando não tratada, é um fator predisponente para desenvolver quadros de declínio cognitivo (demência).

Milene Massucci Bissoli

Otorrino

São Paulo


Avaliação do conduto auditivo com eventual remoção de cerume ou corpos estranhos de ouvido. Investigação de possíveis causas de perda auditiva.

Diversas são as causas de redução ou perda da audição. Presbiacusia (perda com a idade), perda induzida pelo ruído, doenças virais, ototoxicidade (perda causada por drogas), doenças genéticas, traumas (fraturas da base do crânio), otosclerose, problemas perinatais, otites, colesteatoma, tumores, e até acúmulo de cerume podem ser os responsáveis. Uma boa avaliação de cada caso deve ser sempre feita e alguns exames complementares (como Audiometria, PEATE/BERA, Exames de sangue,Tomografia Computadorizada e mesmo Ressonância Nuclear Magnética) podem ser indicados. Os tratamentos podem ser: Limpeza do ouvidos, Medicamentos, Aparelhos auditivos, Cirurgias, Implante Coclear e Próteses Implantáveis.

Édio Cavallaro

Otorrino

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

A perda de audição, ou hipoacusia ou disacusia pode ter uma causa aguda que pode ser decorrente a acumulo de cerume(cera)o qual posso realizar o procedimento no mesmo dia da consulta, pode ser causa infecciosa e assim necessidade de medicamentos ou por trauma. E a perda auditiva crônica, deve ser avaliada com exames mais específicos que tenho a possibilidade de solicitar no Hospital IPO, o qual trabalho e ver se é necessário um tratamento medicamentoso, cirúrgico, acompanhamento ou indicação de aparelho ou prótese auditivo.

A Perda auditiva é uma condição cada vez mais comum em nossa população, já que a expectativa de vida está aumentando. A perda auditiva por conta do envelhecimento chama-se Presbiacusia. Muitos idosos com perda auditiva se isolam em seus ambientes. Alguns evoluem até com depressao. Os primeiros sinais de que a audição está diminuindo são: 1) Paciente escuta, mas não entende. Assim ele pede para a pessoa repetir; 2) Assistir à televisão em volumes altos; 3) Isolamento Social. Nesses casos é muito importante realizar o exame de Audiometria. Esse exame diagnostica o tipo e o grau de perda da audição.

"Não é normal não escutar ou não entender o que lhe é dito"... Nem mesmo nos idosos. Pegue seu avó pela mão e o leve em um otorrino, muitas vezes trata-se de uma simples limpeza nos ouvidos... outras vezes se torna necessário realizar um exame da audição (audiometria). A falta de audição é um problema que frequentemente isola o idoso e dificulta sua interação social. Atualmente existem aparelhos auditivos que auxiliam no processo de envelhecimento da audição.

Amanda Lucas Da Costa

Otorrino

Chapecó


A audição é o sentido que permite a interação entre os serem humanos através da linguagem falada, tão marcante em nossa espécie. Além disso permite a interação do sujeito com o meio para sua proteção e integração. As perdas auditivas podem ocorrer em diferentes fases da vida e nas mais variadas intensidades. Na infância uma perda auditiva profunda leva a criança a impossibilidade de desenvolvimento de fala com consequências para toda sua vida. Uma criança audição em um só ouvido pode ter grandes repercussões no seu desenvolvimento e nem sempre é fácil de diagnosticar prontamente. Na terceira idade a perda auditiva pode gerar isolamento social e familiar, um atalho para a depressão.

Eduardo Bogaz

Medico do sono, Otorrino

São Paulo

Agendar uma visita

Deficiência Auditiva é a diminuição na capacidade de escutar os sons. Ela pode ser consequência de muitos fatores ou doenças. Desde doenças hereditárias, infecções, utilização de agentes tóxicos, doenças auto-imunes, avançar da idade, uma simples obstrução do conduto auditivo por cerume, dentre outras. A causa mais comum de perda progressiva de audição é a presbiacusia, ligada principalmente ao envelhecimento. Deve se entender o quanto a perda de audição pode prejudicar no seu convívio social pela simples dificuldade de comunicação. Sempre que suspeitada deve se realizar consultas e exames auditivos. Existem diversas formas de tratamento e reabilitação auditiva, a depender da causa.

A Independência Auditiva nos guia em tudo o que fazemos. Mas isso não é somente o que nos esforçamos para oferecer a cada pessoa que nos procura, é o que nos diferencia das demais assistências médicas auditivas. Veja, possuímos instalações próprias operantes. Somos inspirados pelo caminho certo, não pelo dinheiro. Construímos nosso negócio do modo americano. Arriscamos conscientes de que o sucesso não vem facilmente, mas tem que ser conquistado: Um paciente satisfeito por vez.

Raquelina Marinho

Fonoaudiólogo

Brasília


"Eu ouço, mas não entendo". Essa é uma das principais queixas de pessoas idosas. Sabemos que a perda auditiva atinge milhões de brasileiros e muitos não sabem como tratar. Um dos tratamentos para a perda de audição e zumbido na orelha é o uso de aparelhos auditivos. A diferença na qualidade de vida dos meus pacientes que optam por usar os aparelhos auditivos é enorme. A perda auditiva pode afetar as relações sociais em casa e na rua e abrir espaço para o desenvolvimento de doenças neurológicas e depressão devido a falta de estimulação das vias da audição. É muito importante fazer um teste de aparelhos auditivos assim que perceber a perda auditiva.

Hugo Amilton Santos De Carvalho

Fonoaudiólogo

Aracaju


A perda auditiva pode ter dezenas de causas. Cada faixa etária está sujeita a um grupo mais frequente de doenças. Assim, para o diagnóstico de perda auditiva é muito importante uma consulta com o Otorrinolaringologista e a realização de um exame para ver os níveis auditivos ( Audiometria). A partir dessa avaliação pode-se verificar o "tamanho" ( ou grau) da perda auditiva e já se esclarecer algumas causas. A partir dessa avaliação inicial ( consulta + Audio) pode-se verificar a necessidade de outros exames tais como exames de imagem, o BERA, as Otoemissões, etc. A maioria das causas de perda auditiva têm tratamento e quanto antes ele for realizado, melhor.

Cerca de 15% dos americanos adultos têm algum distúrbio de audição , com consequências sobre a vida cotidiana. As pessoas esperam em média seis anos depois dos sinais iniciais de perda de audição para tomar alguma providência. Um estudo francês mostrou que pessoas que afirmaram ter deficiência auditiva e não faziam reabilitação auditiva tem um risco significante maior de desenvolver demência do que pessoas que tinham audição normal, ou que tinham deficiência auditiva e faziam reabilitação auditiva. Entre homens que relataram ter surdez, e sem reabilitação auditivas, o estudo revelou que havia um um maior risco, ou seja 43% de desenvolver sintomas depressivos do que pessoas sem deficiência.

É a diminuição da capacidade de ouvir sons em geral. Ela pode acontecer devido a problemas genéticos/hereditários, exposição a altos níveis de ruído/som, patologias que podem afetar a parte externa, média ou interna do ouvido, uso prolongado de medicamentos tóxicos para o ouvido (como por exemplo os que tratam problemas renais, câncer ), traumas (acidentes que acometem regiões próximas do sistema auditivo e doenças metabólicas (diabete). Os sintomas podem aparecer lentamente ou não, dependendo da causa, e geralmente interferem na vida social do indivíduo (conversas são mais difíceis de serem entendidas, volume da TV é mais alto que o normal etc) prejudicando a qualidade de vida.

Quais profissionais tratam Perda auditiva?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.