Ataque de pânico - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em ataque de pânico

Encontre um especialista em Ataque de pânico na sua cidade:
Erick Gustavo Almeida Alves

Erick Gustavo Almeida Alves

Psicólogo

Volta Redonda

Geane Aparecida Crozeta

Geane Aparecida Crozeta

Psicólogo

Lauro Müller

Renata Maria Sapucahy Cavalcante

Renata Maria Sapucahy Cavalcante

Psicanalista, Psicólogo

São José dos Campos

Simone Alencar

Simone Alencar

Psicólogo

Natal

Paula Gonçalves Guimarães

Paula Gonçalves Guimarães

Psicólogo

Brasília

Lindomara Gomes

Lindomara Gomes

Psicólogo

Florianópolis

Perguntas sobre Ataque de pânico

Nossos especialistas responderam a 70 perguntas sobre Ataque de pânico

O uso combinado na psicoterapia e psicofármacos tem mais chances de eficácia. Converse com seu psiquiatra e psicólogo sobre o assunto.
6 respostas

 Paulo Roberto Bravo
Paulo Roberto Bravo
Psicólogo
Brasília
Infelizmente o medicamento Frontal causa alguns efeitos colaterais. Mas com passar do tempo diminuí. É preciso de um tempo para reagir e adaptar no organismo. Cada pessoa reagem de uma maneira.…
5 respostas

Olá, exames específicos não tem. Se faz uma avaliação com um psicólogo e com um psiquiatra se estiverem muito agudos. Se vc relatar algo mais específico físico, pode se proceder a fazer alguma…
8 respostas

Especialistas falam sobre Ataque de pânico

O transtorno do pânico é caracterizado por ocorrência espontânea e inesperada de ataques de pânico.A crise atinge intensidade em 10 minutos e cursa com medo extremo e sensação de morte ou tragédia iminente, taquicardia, palpitações, dispneia, dor ou desconforto torácico, suores, calafrios ou ondas de calor, náuseas, parestesias. Entre os ataques, o paciente pode manifestar ansiedade antecipatória de ter um novo ataque de pânico. As crises inicialmente podem ser confundidas com ataque cardíaco ou infarto agudo do miocárdio.

Valdir Campos

Psiquiatra

Belo Horizonte


Períodos súbitos de pavor com uma sensação inexplicável de desgraça iminente , podem ocorre em qualquer local, contexto ou hora, inclusive durante o sono , são acompanhados de diversos sintomas físicos e cognitivos; taquicardia( batimentos cardíacos acelerados) , tremores, sensação de que o meio não mostra a realidade, medo de morrer e outros. Tais ataques possuem uma duração em geral de 20 a 40 minutos, e após uma sensação de fraqueza ,cansaço. Mas por que isso ocorre ? Uma distorção nos pensamentos , sem motivo real , desenvolve uma resposta ansiosa , uma interpretação catastrófica de certas sensações do ambiente que passam a ser entendidas como perigosas.

Um ataque de pânico é uma crise de ansiedade intensa, usualmente de curta duração, onde a pessoa sente uma série de sintomas emocionais e corporais que podem, inclusive, dar a sensação de morte iminente. O ataque de pânico, se acontece de forma frequente, pode representar um diagnóstico de "Síndrome do Pânico". Entretanto, eles podem acontecer em diversos contextos, inclusive sem nenhum diagnóstico associado. A maioria dos casos é facilmente tratável.

Ledo Daruy Filho

Psiquiatra

Caxias Do Sul


Atualmente uma das principais motivações para a procura por assistência psiquiátrica, é ainda muito mais frequente aqueles que sofrem ataques de pânico chegarem primeiramente aos cardiologistas, aos clínicos em geral, às emergências médicas, pois o mais alarmado é o intenso desconforto somático, aquele sentido no corpo mesmo, um tipo de avalanche, que toma conta da pessoa e, ainda que dure poucos minutos, parece ter persistido por uma eternidade. A experiência é tão intensa e desprazerosa que o temor de voltar a sofrê-la é um sintoma fundamental da síndrome de pânico. Frequentemente o pânico sintetiza um acúmulo de estresses que se tenta ignorar no dia a dia. Entender e tratar é o caminho.

Luiz Carlos Fortes Filho

Psiquiatra

Uberaba


No processo de Ataque de pânico é agendado sessões de no mínimo 50minutos semanais. O processo é de acolhimento e compreensão do quadro atual do paciente. Quando o paciente também se encontra em tratamento com psiquiatra, o trabalho é feito em parceria multidisciplinar. Com o processo de Focalização já verifiquei a utilização de técnicas que auxiliaram muitos pacientes a conseguirem compreenderem e lidar melhor com as sensações e os ataques. O processo é de auxiliar o paciente a compreender as sensações e conseguir encontrar uma nova forma de lidar com esse algo que pressiona e o deixa em muitos momentos desesperado.

Roberta Mellem Avante

Psicólogo

Belo Horizonte


A hipnose proporciona diversas técnicas para o alivio e a cura do ataque de pânico. São relaxamentos, conversas hipnóticas, técnicas que podem ser realizadas em qualquer lugar para alivio dos sintomas. Os principais sintomas relatados são: taquicardia, sudores, falta de ar, dificuldade para respirar, náusea, dor no estômago.

Juliana Rezende Ferreira

Psicólogo

Belo Horizonte


Geralmente é descrito como uma sensação intensa e súbita de medo, o ataque de pânico é uma manifestação extrema da ansiedade caracterizada por uma grande descarga de hormônios e uma série de sintomas por todo o corpo. Na maioria dos casos, os ataques ocorrem durantes situações de estresse social mas eles também podem ocorrer durante o sono, em casa, no trabalho ou qualquer outro ambiente cotidiano. O mais importante, no entanto, é tentar manter o controle e encontrar a origem desse sentimento, afastando do indivíduo o medo e a ansiedade dessas situações. Para isso, é possível contar com a ajuda de medicamentos antidepressivos e psicoterapia.

Cladismari Zambon

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo

Agendar uma visita

Transtorno da categoria dos Transtornos de Ansiedade, característico por apresentar ataques recorrentes de ansiedade com diferentes reações fisiológicas e cognitivas (pensamentos relacionados a ficar louco, perder o controle, morrer). O tratamento envolve psicoeducação sobre o transtorno, introdução de técnicas comportamentais iniciais para administração da ansiedade e redução dos ataques de pânico, reestruturação cognitiva e prevenção de recaída. Quando o transtorno é pontual, o tratamento costuma ser breve.

O ataque de pânico é um período breve em que a pessoa sente angústia, ansiedade ou medo extremos, que têm início súbito e são acompanhados por sintomas físicos e/ou emocionais. A síndrome do pânico envolve ataques de pânico espontâneos que ocorrem de maneira repetida, preocupação com ataques futuros e alterações no comportamento para evitar situações que estão associadas com um ataque. Ataques de pânico podem causar sintomas como dor torácica, sensação de engasgo, tontura, náusea e falta de ar. O diagnóstico baseia-se na descrição dos ataques feitos pela pessoa e no medo que manifestam de futuros ataques. O tratamento pode incluir medicamentos antidepressivos e ansiolíticos, e terapia.

É uma das formas de ansiedade, onde o tratamento deverá ser realizado de forma rápida para aliviar o desconforto da crise e seu impacto na vida pessoal, laboral, acadêmica e social, através de medicações, psicoterapias e orientações, com melhora do pensamento distorcido e ensinamentos de enfrentamento das atitudes e comportamentos ansiosos.

Não há motivo aparente para o ataque de panico! Tem sido sempre o discurso recorrente do paciente com esse quadro.A psicanalise tem contribuído bastante identificando o que, o paciente traz no substrato de seu discurso.Eu falo do retorno do recalque que se manifesta como sintoma de ansiedade tendo como linha de padrão, palpitações e dor no peito, além de tonturas e sudoreses. Quando o paciente se submete à analise os sintomas tendem a desaparecer. Abraço

Sonia Maria Leite Quezada

Psicanalista, Psicólogo

Fortaleza

Agendar uma visita

TP- Transtorno ou Síndrome do Pânico- F. 41- De acordo com CID 10 (1992), a TP é constituída por “ataques recorrentes de ansiedade grave” (pânico), os quais não estão restritos a qualquer situação ou conjunto de circunstâncias em particular e que são, portanto, imprevisíveis.Provoca grande sofrimento pessoal e impacto na vida diária dos pacientes;É um curto-circuito: Corpo-Emoção- Pensamento. Tratamento Psicológico em Gestalt-terapia: O paciente muda literalmente a maneira de como ele funciona, e o meio em que está inserido.Busca de um equilíbrio; Ampliação do conhecimento que os pacientes têm de seu próprio corpo;Tomada de consciência de suas sensações para vivenciarem o seus medos.

O TP (Transtorno do Pânico) é um dos transtornos de ansiedade, caracterizado por ataques de pânico recorrentes acompanhados por uma persistente preocupação com ataques adicionais e alterações mal adaptativas do comportamento (Associação Americana de Psiquiatria - DSM-V). É muito frequente, também, o desenvolvimento de comportamentos de evitação fóbica,muitas vezes relacionada às situações nas quais os pacientes tiveram crises. Deve-se realizar uma avaliação clínica para o tratamento medicamentoso e acompanhamento psicológico. É muito importante a aliança terapêutica com o paciente de forma a que ele venha a ter uma participação ativa no tratamento e mantenha uma boa adesão ao tratamento.

Todos os sentimentos existem para serem sentidos. Nossa, que óbvio isso hein dona psicóloga! Será? Por que então muitas pessoas têm medo de sentir alguns (considerados negativos)? Porque eles existem para serem sentidos em situações reais, lógicas e quando isso não acontece sentimos medo da falta de controle, do desequilíbrio emocional, medo de passar mal, de morrer (por causa dos sintomas físicos). O pânico não surge "do nada", todos os sentimentos (e emoções) têm um gatilho, um motivo. O que ocorre, nessas situações, pode vir do acúmulo de medos, inseguranças, fragilidade emocional, reação a algum evento traumatizante, etc. É possível superá-lo com o atendimento psicológico profissional.

Bibiana Ribeiro Alves

Psicólogo

Florianópolis


Ataques de pânico geralmente vêm associado à quadros de ansiedade grave. As principais queixas são: mal estar, dor toraxica, toneira, falta de ar, dormências, taquicardia e alteração da pressão arterial. Não sendo incomum o paciente ser encaminhado para pronto socorro devido a semelhança dos sintomas de um infarto. O tratamento se baseia em 5 princípios, 1- Informar que as crises duram em media 15 min e não oferecem risco a suade física. 2- Utilizar um ansiolítico em caso de crise ( ex rivotril sl) 3- Uso de anti depressivo para controle da ansiedade e profilaxia de crises 4- Avaliação clinica para descartar causa orgânica 5- Acompanhamento psicológico.

Quando os níveis de ansiedade chegam ao máximo, o ataque de pânico pode surgir e com ele provocar uma série de sintomas como falta de ar, medo, palpitações e até sensação de morte . O sofrimento é devastador e quando esses episódios se tornam recorrentes a síndrome se instala e a pessoa começa a evitar os lugares em que vivenciou o pânico, por medo de ter essa sensação novamente.O mais importante, no entanto, é tentar encontrar a origem desse sentimento, afastando do indivíduo o medo e a ansiedade dessas situações. Para isso, é possível contar com a ajuda de medicamentos antidepressivos e é imprescindível passar por um acompanhamento psicológico.

Rejane Dos Santos Magalhães Sá

Psicólogo

Praia Grande


Sentir-se em pânico é algo que nos dias de hoje vem acontecendo com maior frequência do que imaginamos, os ataques de pânico muitas vezes podem trazer sensação de morte e profundos desconfortos no nosso corpo, os pensamentos ficam confusos, o coração pode disparar, a pessoa pode ter medos que nunca havia sentido, tremores, sudorese, sensação de morte, desconfiança dos lugares e das pessoas, irritabilidade, entre outros. É como se a pessoa fosse de alguma maneira impotente as coisas do mundo, como se o mundo se voltasse contra ela, a pessoa não acredita em suas capacidades e não pode contar com ela mesma, um verdadeiro desamparo. Recomenda-se procurar terapia com urgência para avaliação.

Daniel Rodrigues Da Silva

Psicanalista, Psicólogo

Araraquara

Agendar uma visita

O transtorno de pânico (TP) é uma condição crônica e recorrente que prejudica a qualidade de vida e o funcionamento psicossocial dos portadores. O transtorno do pânico caracteriza-se pela presença de ataques repentinos de ansiedade, seguidos de sintomas físicos e afetivos, medo de sofrer um novo ataque e evitação de eventos ou situações em que os ataques de pânico ocorreram: Medo de sensações corporais Medo do medo e da ansiedade Palpitações Suor, Náuseas Sensação de falta de ar Medo de morrer, perder o controle, desmaiar, tem um ataque cardíaco…. Desconforto no peito Formigamento Ondas de calor ou frio.

Katia Vendrame

Psicólogo

Porto Alegre

Agendar uma visita

O ataque de pânico ou crise de pânico é um Transtorno de Ansiedade muito comum atualmente e atinge pessoas de todas idades, gêneros e classes sociais. Os principais sintomas da crise de pânico são tremor, sudorese, formigamento, dor no peito, sensação de nó na garganta e sentimentos de angústia, medo e insegurança. O tratamento para casos como esse envolvem o acompanhamento psicológico e também psiquiátrico. A medicação irá controlar os sintomas e eu, enquanto psicóloga, te ajudarei a identificar: uma crise de pânico, o que faz você se sentir dessa maneira e as maneiras para enfrentar tais momentos de extrema vulnerabilidade.

Vanessa Santiago Ximenes

Psicólogo

Londrina


Um episódio súbito de intensa ansiedade, ou desconforto, associado a tremores, taquicardia, falta de ar, ou sufocação, dormências, enjôo, geralmente durando minutos. Pode ser desencadeado por algo específico, ou vir sem motivo claro. Podem ser confundidos com ataque cardíaco, ou doenças clínicas, levando pessoas a buscarem emergências médicas. Psicoterapia, medicamentos, atividade física e meditação "mindfulness" podem ajudar.

Luiz Márcio Alves De Ávila

Psiquiatra

Florianópolis


O transtorno de pânico tem relação com a ansiedade patológica. 1. O ataque de pânico é uma ansiedade súbita, com surgimento de sintomas de forma crescente e uma sensação de terror, com duração de 10 a 30 minutos e posterior retorno ao funcionamento normal. 2. A ansiedade antecipatória o paciente desenvolve uma preocupação de que um ataque de pânico ocorra novamente, surgindo um estado crônico de ansiedade. 3. A pessoa pode ficar tão amedrontada de sofrer novo ataque de pânico que evita estar em locais ou situações de onde seja difícil ou embaraçoso escapar ou obter ajuda, caso sejam acometida por um ataque de pânico. Então pode desenvolver um comportamento em que evita contatos sociais.

Danielle Vieira De Aragão Bevilaqua

Psicanalista, Psicólogo

São Bernardo do Campo

Agendar uma visita

Os "Ataques de Pânico" ou "Síndrome do Pânico" são na realidade uma Crise de Ansiedade Paroxística que implica no paciente ter medo repentino de morrer, de adoecer, com sintomas físicos como palpitações, taquicardia, agitações e que muitas vezes confunde-se até com problemas cardíacos - o paciente procura o serviço médico achando que está tendo um Ataque Cardíaco. Como todo Transtorno Psicológico deve ser encaminhado para um Psicólogo e Psiquiatra que farão o tratamento necessário para aliviar até suspender o sintoma.

Como pode ser uma comorbidade ou o sintoma pode se apresentar sem que se perceba fato desencadeante ou outra patologia associada, são feitas sessões e busca de informações junto ao paciente para identificar e aliviar os sintomas. O sigilo psicoterapeuta/paciente é respeitado em todos os atendimentos.

Marcia Kelen Moscatelli

Psicólogo, Psicopedagogo

Sorocaba


No pânico você está constantemente atento a tudo o que acontece em seu corpo. Você tem medo das suas próprias reações fisiológicas e psicológicas, caso um novo ataque aconteça. Para estar preparado, você busca constantemente identificar ameaças e perigos porque sente que assim vai conseguir evitar que aconteça novamente. Mas você não se convence com isso... O Pânico é uma ansiedade aguda que vem junto com uma angústia e prejudica gravemente a vida de quem o sente, podendo mesmo incapacitar. Com o tratamento, você poderá falar sobre como tudo isso é para você e encontrar novas maneiras de viver esses sentimentos para voltar a ter uma vida mais leve e livre do medo de ter um novo ataque.

Rogério Cogo

Psicanalista, Psicólogo

Campinas

Agendar uma visita

Os ataques de pânico são muitas vezes, incapacitantes. São utilizadas técnicas da Terapia Cognitivo-Comportamental com a finalidade de auxiliar no automonitoramento que propiciem a identificação e alteração dos pensamentos disfuncionais e crenças desadaptativas que alimentam o transtorno.

Edith Vieira Carneiro Andrade

Psicólogo

Nova Iguaçu


O Ataque de Pânico é um ataque de ansiedade em que a pessoa sente como se tivesse tendo um ataque do coração. Ela pode sentir sudorese (suor excessivo), dor no peito, sensação de que vai morrer, taquicardia, sensação de desmaio, sensação de perda de controle e outros sintomas que são parecidos com o de ataque cardíaco. É importante eliminar a possibilidade de realmente estar tendo algo no coração ou outro problema físico. Sendo assim é algo que deve ser tratado com apoio psicológico e eventualmente psiquiátrico (medicação para ansiedade). A pessoa começa a evitar situações em que possa desencadear um ataque, seja por medo da situação ou porque o ataque ocorreu em situação parecida.

Christiana Koch

Psicanalista

Rio de Janeiro


Um ataque de pânico é um episódio de medo intenso quando não há perigo real ou causa aparente. Chamamos Ataque de pânico quando acontece pontualmente, até pela pessoa estar sob grande estresse ou pressão. Mas a ocorrência repetida de ataques de pânico caracteriza a Síndrome do pânico. A Síndrome do pânico é muito debilitante, pois chega ao ponto de a pessoa não sair de casa sozinha de forma alguma e com o avanço da gravidade a pessoa passa não conseguir ficar em casa sozinha. A sensação de ameaça, de perda sanidade mental ou morte iminente é aterrorizante e as reações a isso, principalmente a sensação de que não se consegue respirar forma um círculo vicioso terrível.

Solange Ribeiro

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Um ataque de pânico é um período muito angustiante e inconfundível, de imenso medo ou temor, que atinge o ápice em 10 minutos, podendo se estender até 50 minutos; seus sintomas mais comuns são: vertigem, sensação de desmaio, medo de morrer ou enlouquecer, despersonalização, desrealização, falta de ar, sufocamento, desconforto no tórax, palpitações, coração acelerado, dor no peito, enjôo, dor na barriga, suor frio, anestesia, formigamentos, tremores, ondas de calor, frio e fraqueza.

Alexandre Proença

Psiquiatra

Niterói


Taquicardia, palpitações, falta de ar, náuseas, cefaléia, vômitos, dor no peito, sensação de que irá morrer... Já passou diversas vezes no pronto socorro, todos exames normais. Foi ao cardiologista, ao neurologista, ao endocrinologista, e todos encaminharam para o psiquiatra. E agora? Muitos pacientes percorrem todo esse caminho, e chegam angustiados para uma consulta, pois nunca pensaram que passariam por isso. Mas com a rotina estressante, os transtorno ansiosos estão cada vez mais comuns, e os ataques de pânico é um deles. Sim, você pode estar com Síndrome do Pânico. Após as doenças clínica serem descartadas, iniciamos o tratamento. E as crises não ocorrerão mais.

O pânico é uma sensação que a pessoa possui de que o lugar e as pessoas ao redor estão a sufocando de alguma forma. Parece algo real para quem sente e uma questão "sem sentido" para quem ouve. Esse tipo de sofrimento pode ser tratado por meio da psicanálise, para isso as sessões de psicoterapia (análise) ajudam o paciente a lidar e superar esse sofrimento.

Nadir Lara Junior

Psicanalista, Psicólogo

Curitiba

Agendar uma visita

Atualmente, é notável o aumento da demanda de pacientes com sintomas ansiosos nos consultórios de psicologia e psiquiatria. Estes sintomas podem se manifestar de forma somática, comportamental ou cognitiva. Segundo o Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), um ataque de pânico é um surto abrupto de medo intenso ou desconforto intenso que alcança um pico em minutos e durante o qual ocorrem sintomas como: taquicardia, sudorese, tremores, sensação de falta de ar ou sufocamento, dor ou desconforto torácico e ou abdominal, sensação de tontura, calafrios, medo de perder o controle ou morrer.

Transtorno do pânico se refere a ataques de pânico que surgem do nada e se repetem. Um ataque de pânico é um surto abrupto de medo ou de desconforto intenso que alcança um pico em minutos e durante o qual ocorrem quatro ou mais dos seguintes sintomas: coração acelerado , sudorese , tremores, sensação de falta de ar ,sensação de asfixia ,dor ou desconforto no peito , enjoo ou desconforto na barriga , sensação de tontura, instabilidade , vertigem, ou desmaio ,calafrios ou ondas de calor,sensação de formigamento, sensação de irrealidade ou sensação de estar distanciado de si mesmo ,medo de "perder o controle" ou "enlouquecer",medo de morrer.

Livia Carmo

Psiquiatra

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

No atendimento, pautado na ciência comportamental, inicialmente procura-se determinar quais contingências atuariam no estado clínico do cliente, esta é a fase de avaliação. Após a confirmação de um diagnóstico compatível com o quadro de pânico, é apresentado ao cliente o plano de intervenção terapêutica. Com a anuência deste, iniciam-se as intervenções, a partir das necessidades e possibilidades clínicas do cliente, partindo-se do princípio de que cada caso é um caso e, requer por este motivo, um olhar especial e cuidadoso na condução do tratamento.

Períodos de sensação de morte iminente, sintomas físicos como aumento da frequência cardíaca, pressão arterial, suor frio, vertigens, "gelo na barriga", sensação de que vai perder o controle ou mesmo enlouquecer a qualquer momento podem ser sintomas de um Ataque de Panico Este tem várias causas e tratamentos. Logo deve-se investir em avaliação para o diagnóstico preciso.

O Ataque de Pânico está atingindo boa parte da nossa sociedade atual. É comum identificar sintomas como: Taquicardia, dor de estômago,suor excessivo, dentre outros sintomas em pessoas que passam por um ataque. Diante desse mal, o que a pessoa precisa fazer para evitar o desconforto gerado pelo medo excessivo? Exercitar o contato com a realidade; e questionar ás fantasias que ocorrem durante o ataque é um bom aliado para se desvincular da sensação de descontrole do corpo e principalmente da mente. O medo é uma emoção que pode ser tornar um monstro grandioso, mas quando se questiona sua grandiosidade, tudo cai por terra, e a pessoa passa a centrar-se no contato do aqui e agora.

Ataque de pânico e caracterizado por uma descarga de adrenalina, que gera uma sensação de morte iminente,taquicardia,sudorese ela geralmente cria uma sensação de medo que perpetua o sintoma. O uso de antidepressivos e ansiolíticos ameniza e a médio e longo prazo leva a cura da doença.

Antonio Christovao

Neurologista, Psiquiatra

Rio de Janeiro


Este é reconhecidamente o último nível da ansiedade. Uma experiência frequentemente descrita como aterrorizante cujos sintomas são: taquicardia extrema (aumento frenético das batidas do coração); aumento intenso do ritmo respiratório; falta de ar; dor no peito; tremores; pensamentos negativos ou catastróficos; sensação de desespero; e desmaio (em alguns casos). A ocorrência de muitos desses sintomas, ou todos, em um mesmo episódio configuram a experiência traumática do Ataque de Pânico. Embora esse problema não mate e, de maneira geral, não cause danos ao organismo, ele torna a vida e rotina da pessoa insuportáveis. Pois, a medida que não é tratado, sua intensidade e ocorrência se elevam.

Eduardo Santos

Psicólogo

Ribeirão Preto

Agendar uma visita

A síndrome do pânico pode ser um transtorno debilitante, quem sofre de pânico pode acreditar que está sofrendo com algo muito pior do que um simples transtorno de ansiedade. De fato, a síndrome do pânico imita vários problemas de saúde sérios, incluindo: Ataques cardíacos Tumores cerebrais Esclerose múltipla Milhares de pessoas vão parar no hospital todos os anos depois do seu primeiro ou do seu pior ataque de pânico, acreditando que algo muito sério está acontecendo. Às vezes o ataque de pânico é tão forte que a pessoa pensa que vai morrer. Mas é tudo um comando incons e consciente para o seu cérebro de que você está próximo da morte, porém não está.

Leticia Sanches De Castilho

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo


Um estado de Pânico é um fenômeno resultante do processo de estrema ansiedade, sem causas aparentes, que podem provocar um distúrbio na gestão emocional e no físico, pois a ansiedade é tão forte que traumatiza quem a vive. Este trauma gera um distúrbio mental conhecido como Distúrbio Cíclico da Ansiedade ou o Síndrome do Pânico. Todos os Ataques de Pânico são réplicas do primeiro ataque, em que a dor sentida foi tão grande que se começa a ter medo de a voltar a sentir. Um dos recursos mais eficientes que já encontrei para a eliminação destes sintomas é a Terapia da Linha do Tempo associada à hipnose, através da busca e neutralização da causa-raíz, e a consequente eliminação dos sintomas.

Deroni Sabbi

Psicólogo, Terapeuta complementar

Porto Alegre

Agendar uma visita

O pânico é uma ansiedade máxima em situações inexplicáveis.A ansiedade é um fenomeno físico de reação a "emoção medo" ,provocado pela libertação de vários hormonios no sangue pelas glandulas supra-renais nomeadamente adrenalina. Em momentos de ansiedade é liberada adrenalina em quantidades abundantes preparando o organismo para grandes esforços físicos. Alguns sintomas :dificuldade respiratória ,vertigens,instabilidade ,desmaio ,palpitações, tremuras,falta de ar,náuseas,sensação de irrealidade, medo de morrer e de perder o controle.

Celi Piernikarz

Psicólogo

São Paulo


A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade no qual ocorrem crises repentinas de desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivo aparente para isso ou sinais de perigo iminente. As crises são seguidas de preocupação persistente com a possibilidade de ter novos ataques, dificultando a rotina do dia a dia, medo de perder o controle, enlouquecer ou ter um ataque no coração. As crises de síndrome do pânico geralmente começam entre a adolescência e o início da idade adulta. Podendo ocorrer também depois dos 30 anos e durante a infância. A crise de pânico dura cerca de 10 a 20 minutos, variando de acordo com a intensidade.

Rúbia De Matos

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo

Agendar uma visita

O síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade no qual ocorrem crises inesperadas de desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivo algum para isso ou sinais de perigo iminente . Quem sofre do Transtorno de Pânico sofre crises de medo agudo de modo recorrente e inesperado. Além disso, as crises são seguidas de preocupações persistente com a possibilidade de ter novos ataques e com as consequências desses ataques, seja dificultando a rotina do dia a dia, seja por medo de perder o controle. enlouquecer ou ter um ataque no coração.

Marcos Piovan

Psiquiatra

Belo Horizonte


É um sintoma de âmbitos psíquico e físico, de dimensão insuportável e aguda. É esperado que após o primeiro ataque, o indivíduo busque ajuda profissional devido ao medo de que a crise reapareça. A psicanálise oferece um tratamento à pessoa que apresenta este sintoma no qual a presença e a escuta do psicanalista se mostram fundamentais para a modulação e o apaziguamento da angústia que origina os ataques.

Beatriz Chnaiderman

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo


A síndrome do pânico é uma alteração da bioquímica cerebral em que o paciente é acometido por uma sensação súbita de desespero, chegando a aumentar a produção de suor, falta de ar, dor ou desconforto no peito, dor de barriga, formigamento nas mãos, tem a impressão de que ficará louco e pode vir a ter a certeza de que vai morrer naquele instante. Pode ser associada ao medo de doenças, locais públicos cheios ou lugares fechados (claustrofobia). O tratamento consiste em psicofármacos e psicoterapia (principalmente terapia cognitivo comportamental), com bons resultados e controle.

Ataques de pânico são períodos súbitos de medo intenso associados a sintomas como palpitações, suores, tremores, falta de ar, dormência ou sensação de que está prestes a acontecer qualquer coisa má.O pico de sintomas ocorre em poucos minutos. A maioria dos ataques de pânico dura cerca de 30 minutos, embora possa durar de alguns segundos a algumas horas. Em alguns casos a pessoa pode sentir medo de perder o controlo sobre si ou sentir dor no peito. No entanto, os ataques de pânico não são perigosos em termos físicos.

Melissa Costa

Psicólogo

Chapecó


Acolher, dar suporte e entender os por quês do medo, a fim de que o cliente perceba o que é reale o que é fruto dos temores vivenciados.

Flávia Persequino

Psicólogo

Rio de Janeiro


O ataque de pânico, na maioria das vezes é a ansiedade exacerbada. Controlando a Ansiedade, ou os fatores que desencadeiam o "ataque " conseguimos ótimos resultados.

Suellen Oliveira Steffens

Psicólogo

Curitiba


Quando a ansiedade atinge seu nível extremo, pode gerar diversos sintomas, entre eles: os Ataques de Pânico. Grande parte das pessoas relatam que em seus Ataques de Pânico sentem palpitações, a frequência cardíaca aumentada, dores na região do peito, medo ter um novo ataque e/ou de morrer. Além disso, a pessoa ao vivenciar este momento, pode sentir: falta de ar, e uma sensação de sufocamento; ondas de suor intenso, calafrios, sensação de desmaio e enjoos. A avaliação psicológica é essencial para a compreensão e o tratamento dos Ataques de Pânico. Procure um psicólogo e agende uma sessão.

Os ataques de pânico são crises de ansiedade que ocorrem de maneira inesperadas, podendo apresentar medo de perder o controle/enlouquecer; tremores, sudorese, taquicardia, palpitação, tontura, dor no peito, medo de morrer. Os sintomas, muitas vezes, levam o paciente a procurar serviços clínicos, por serem confundidas com outras condições, tais como ataques cardíacos, o hipertireoidismo, a hipoglicemia, dentre outras. O tratamento o inclui uso de medicamentos antidepressivos e psicoterapia. Procure o psiqiuatra, pois o transtorno do pânico é uma doença como tantas outras. Quanto antes for diagnosticada, melhor será a resposta ao tratamento.

Maíra Della Monica Machado

Psiquiatra

São José dos Campos


Pânico é um medo irreal e insistente, sem causa aparente, comumente acompanhada de sensação de morte iminente, estresse elevado e reações pelo corpo. Suas causas podem ser encontradas na medida em que o paciente fala de suas angústias, temores, desajustes emocionais, rupturas de laços e relacionamentos.

Eliezer Zulianeli Andrade

Psicanalista

Natal


“Amo o Carnaval, não brinco mais, tenho medo!” “Haverá show do meu ídolo, não consigo ir, tenho pânico, isso me entristece!” O medo é necessário à sobrevivência mas, há medos que nos deixam infelizes, tensos, ansiosos, impedem de passear, brincar, viver... É preciso resgatar a alegria, esse medo precisa ser trabalhado!

Maria Do Carmo Prado

Psicólogo

Recife


A psicoterapia é um dos tratamentos mais indicados para o ataque de pânico. O ataque de pânico tem cura. A duração do tratamento depende de cada pessoa. Em alguns casos quando a pessoa tem dificuldades de aceitar que está diante de uma crise de ataque de pânico começam a beber bebida alcoolica como forma de facilitar o convívio social e aliviar os sintomas. É importante a conscientização do seu estado atual e da necessidade de ajuda psicológica. Quanto antes a pessoa iniciar o tratamento psicológico, mais rápido conseguirá obter s cura.

Sylbene Bento

Psicólogo, Terapeuta complementar

Goiânia

Agendar uma visita

A síndrome ou transtorno do pânico (ansiedade paroxística episódica) é uma doença que se caracteriza pela ocorrência repentina, inesperada e de certa forma inexplicável de crises de ansiedade aguda marcadas por muito medo e desespero, associadas a sintomas físicos e emocionais aterrorizantes, que atingem sua intensidade máxima em até dez minutos. Durante o ataque de pânico, em geral de curta duração, a pessoa experimenta a nítida sensação de que vai morrer, ou de que perdeu o controle sobre si mesma e vai enlouquecer. A primeira crise pode ocorrer em qualquer idade, mas costuma manifestar-se na adolescência ou no início da idade adulta, sem motivo aparente.

Isaíra Bernardelli

Psicanalista, Psicólogo

Londrina


Do que eu sofro numa crise de pânico? Sofre-se de um contato com algo que não há representação. "É meu corpo que paralisa e sinto que vou morrer". "Meu coração acelera, me sinto sufocado, o ar não é o suficiente". É algo dessa ordem que o corpo apresenta. No entanto, o que ele - meu corpo - quer dizer? O sintoma (ataque de pânico) é apenas o efeito e não a causa. O que está por trás desse efeito? Uma história Singular que precisa ser escutada e a partir daí trabalhada. O corpo se defende, dessa coisa que não está representada em palavras. Através da escuta deste inconsciente que podemos dar um Sentido para esse encontro com o horror, o encontro de pânico que dá pane.

Amauri Pereira

Psicanalista, Psicólogo

Londrina

Agendar uma visita

O ataque de pânico faz parte dos transtornos ansiosos. A pessoa sente sintomas fisiológicos, como tremores, sensação de desmaio, falta de ar, coração acelerado, suores, e a "sensação de que vai perder o controle". Os pensamentos são acelerados, que vem acompanhado de medo e angustia. No tratamento vamos identificar a causa do pânico e trata-lo com a terapia cognitivo comportamental, que consiste numa terapia que identifica os pensamentos disfuncionais que o paciente tem durante os ataques.. E tb controlamos as reações fisiológicas com exercicios terapeuticos para que o paciente sinta que tem novamente o controle da sua vida.

Maria Farias

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

As pessoas que sofrem de pânico passam por uma experiência aterrorizadora, pois após o primeiro ataque a pessoa passa a desenvolver ansiedade e medo de novas crises, o que chamamos de medo do medo. Esses pacientes acabam fazendo uma verdadeira peregrinação de médico em médico na tentativa de obter um diagnóstico. Até chegar no consultório psiquiátrico e psicológico e receber a informação que possui um transtorno de pânico. Os principais sintomas são suor excessivo, taquicardia, sensação de desmaio e perda de controle, falta de ar, sensação de estar enlouquecendo e até idéias de que irá morrer. Sua vida é totalmente afetada e por isso o tratamento psicoterápico e medicamento é fundamental.

Os ataques de pânico são caracterizados por crises de ansiedade. Podem ocorrer sintomas como: batedeira ou taquicardia, suor frio, tremores, desconforto respiratório ou sensação de asfixia, náuseas, formigamentos em membros e/ou lábios. Frequentemente pode ocorrer também um considerável medo de ter um ataque do coração, um infarto, de morrer e /ou enlouquecer. As crises são de início abrupto (chegam ao pico em 5 a 10 minutos) e de curta duração (duram geralmente não mais que uma hora). Muitas vezes, são desencadeadas por determinadas condições, como: aglomerados humanos, ficar “preso” em congestionamentos no trânsito, supermercados com muita gente, shopping centers, situações de ameaça, etc.

O transtorno do pânico ou Síndrome do Pânico é uma condição mental que faz com que o indivíduo tenha ataques de pânico esporádicos, intensos e muitas vezes recorrentes. o transtorno do pânico é uma condição que afeta a qualidade de vida e pode impedir a pessoa de ter uma vida plena e feliz. Uma vez que ela pode ser desencadeada por eventos traumáticos ou estressantes, assim como pela ansiedade, a hipnoterapia é uma importante ferramenta terapêutica que pode contribuir para o controle da doença. Por meio das técnicas da hipnoterapia, é possível estabelecer as razões para os problemas e dar sugestões para o subconsciente resolvê-los. O tratamento com hipnoterapia é 100% seguro e sem medicação.

Ataques de pânico são episódios súbitos e inesperados de medo, ansiedade e desconforto intensos que alcançam um nível máximo em poucos minutos. Costumam estar acompanhados de suor excessivo, sensação do coração batendo forte, falta de ar ou sensação de sufocamento, dor no peito, sensação de tontura, vontade de vomitar, calafrios ou ondas de calor, sensações de formigamentos ou dormência, sensações de que o ambiente está estranho ou que a pessoa não é ela mesma, medo de perder o controle ou de enlouquecer, sensação de que está prestes a morrer. São episódios muito desconfortáveis e que, normalmente, fazem os pacientes buscarem as urgências médicas muito assustados.

Geraldo Moreira

Psiquiatra

Recife


Ataques de Pânico, o que são? “O Pânico é Ansiedade máxima em situações inexplicáveis.” Um estado de Pânico é um fenômeno físico resultante do processo de Ansiedade. Falamos em Pânico quando se sente um nível extremo de Ansiedade. Causas: Por vezes, como efeito secundário de medicação, drogas ou de debilidades físicas diversas, existe uma libertação de adrenalina em excesso, o que causa um colapso físico que se manifesta através de um estado semelhante a um Ataque de Pânico. Não sendo um ataque de Pânico, é tão traumático como os Ataques de Pânico. As pessoas podem sentir o primeiro episódio de Pânico em qualquer circunstância, como, por exemplo, a dormir, a conduzir, num centro comercial.

Vivian Peratelli

Psicólogo

Jundiaí


Dentro das doenças de Ansiedade tem transtornos do pânico - Acredito que um tratamento multidisciplinar seja o mais indicado, além da medicação a psicoterapia, é importante o comprometimento do cliente em executar o que os profissionais de saúde recomendam. Nesses tratamentos, costumo indicar tarefas para que a pessoa execute ao longo das semanas, junto com um suporte as situações de crise que ela possa estar experimentando e a leitura de materiais para compreender e auxiliar no seu processo de melhora dos sintomas.

Quando os níveis de ansiedade chegam ao extremo, o ataque de pânico pode surgir e provocar um desconforto extremo. Palpitação, náusea, falta de ar; sudorese, medo de perder o controle, medo de morrer; tremores; ondas de calor ou calafrios; tontura e desconforto torácico e/ou abdominal podem ser alguns dos sintomas apresentados por quem está no meio de uma crise de pânico.

Patricia Leal Silva

Psicólogo

São Bernardo do Campo

Agendar uma visita

Pânico era uma personagem da antiga mitologia que causava verdadeiro pavor em em cruzasse seu caminho. A psiquiatria pegou seu nome emprestado para explicar o que ataques de Pânico. Acontecem na maioria das vezes sem motivos aparentes, repentinamente e com uma grande intensidade de medo.Pode ser o maior medo de sua vida. Costumam melhorar sem a necessidade de remédios, porém podem se tornar frequentes e interferir na qualidade de vida.

Ataques de pânico são ocorrências intermitentes de medo ou desconforto intenso de início súbito que são acompanhados pelo surgimento de hiperexcitação fisiológica. Ideação verbal ou imaginário errônea de catástrofe física ou mental. Ansiedade incontrolável. Forte premência de fugir. Evitação de situações consideradas ativadoras do pânico. Tipos de ataque de pânico: - Pânico espontâneo - "vem do nada" - Pânico ligado a situação - Pânico noturno - sonhos, pesadelos - Pânico de sintomas limitados - Pânico não clínico - ocasionais, situações de estresse. Para tratamento, depende muito da pessoa, geralmente realizo uma avaliação, questionário de sensações corporais, registro semanal de pânico etc.

Quem teve um ataque de pânico na vida sabe exatamente como ele é: A respiração foge do controle, o corpo não responde e o coração bate dentro do ouvido. Seus pensamentos, muitas vezes, se viram contra você. É importante desenvolver a capacidade de entrar em contato consigo, no sentido de observar e aprender com seu corpo e suas idéias. Só o autoconhecimento diz qual é a expectativa, cobrança ou frustração por trás destes ataques e, não dá pra lidar com estes sem lidar com essas. Caso você tenha ataques de pânico mas não possa procurar ajuda, observe seu corpo. Não leve suas mãos ao rosto quando quiser chorar e, respíre fundo. Lembre-se: você ainda vai descobrir que vai ficar tudo bem.

Caracterizado por um surto abrupto de medo e intenso desconforto que podem (ou não) ter fator desencadeante. É comum que algumas pessoas passem a evitar locais ou situações que possam desencadear a crise. A frequência e intensidade dos ataques variam, podendo aparecer uma vez por mês ou até mesmo diariamente. Geralmente há uma preocupação em "elouquecer" ou que a crise possa ser um "infarto", "arritmia" ou "convulsão". Muitos acabam não procurando ajuda de um especialista. Em alguns países a doença atinge cerca de 3% da população, a maoria mulheres. Sintomas como: palpitações, sudorese, tremores, falta de ar, dor no peito, náusea, tontura, calafrios e dormência fazem parte do diagnóstico.

Guilherme Figueira

Psiquiatra

Niterói


O Transtorno do Pânico é classificado como um Transtorno de Ansiedade. Esta síndrome consiste de inexplicáveis crises de grande ansiedade, estresse, medo e pânico que podem acometer muitas pessoas, a qualquer hora e em qualquer lugar. É também chamada de Síndrome do Pânico ou Transtorno de Ansiedade Paroxística, ou ainda, Ansiedade Paroxística Episódica. Os tratamentos bem conduzidos costumam apresentar excelentes resultados. O diagnóstico correto e o tratamento precoce e adequado são armas poderosas a fim de lidarmos com esta doença que a tantos tem atormentado. Em nosso Consultório, oferecemos Tratamento para a Síndrome do Pânico.

Eduardo Adnet

Nutrólogo, Psiquiatra

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

As crises de pânico são picos de intensa ansiedade, podem ocorrer sintomas como taquicardia, suor frio,tremores, aperto no peito, sensação de asfixia, náuseas, formigamento, medo de ter um ataque do coração e morrer ou enlouquecer (Dalgalarrondo 2008). O tratamento do transtorno do pânico envolve descobrir o fator que está causando ansiedade na vida do paciente, entender como isso se estabeleceu na história de vida, desenvolver estratégias de controle dos estados de tensão corporal, estabelecer mudanças comportamentais que melhorem a relação da pessoa com a própria ansiedade. O paciente pode associar o tratamento psiquiátrico, com o uso de medicamentos que diminuem a ansiedade.

Sensação de perda da capacidade de auto controle o Pânico vêm como uma reação da ansiedade elevada. Em meu trabalho realizo o acompanhamento terapêutico para que você paciente aprenda a conhecer o seu funcionamento, a identificar os gatilhos que podem estar desencadeando os sintomas de pânico e a lidar com eles de forma a evitar as crises.

Marcus Bertola

Psicólogo

São Paulo


Ataque de Pânico é decorrente de um Transtorno relacionado a Fobias, sejam específicas ou social. Ocorre que em função de medos. Psicologicamente o indivíduo se torna vulnerável às situações externas.É sentir medo do medo de passar mal. Daí a busca de um lugar, que em sua mente é mais seguro, evitando assim o convívio social, prejudicando a realização de seus objetivos, chegando à paralização de sua vida. Com o trabalho terapêutico identificar esses medos e aprender técnicas para controle do estado físico, desencadeado pelo emocional.

Quais profissionais tratam Ataque de pânico?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.