como saber se realmente houve abuso?Minha afilhada disse que sofreu várias vezes,desde que tinha 07 anos, hoje ela tem 13 anos,qual profissional devo procurar?Porque demorou tanto tempo para dizer o que estava acontecendo?
Olá, a primeira coisa a compreender é que os casos de abuso são traumáticos.

A criança muitas vezes julga que a culpa do abuso é dela, que foi ela quem fez algo de errado.

Em geral ela se identifica com o agressor e fantasia que ela mesma obteve prazer daquela situação.

Se para piorar o agressor é alguém em quem a criança confia, se torna muito difícil significar aquele ato como agressão.

Essas, entre outras, são razões pelas quais é muito difícil para a criança denunciar o abuso.

Ela se encontra perdida entre a dificuldade de significar aquela experiência e a fantasia de culpa de sua parte.

O ideal é acolher a história da vítima sem fazer muitas perguntas e procurar um profissional de psicologia para uma avaliação.

Olá,
Seria de fundamental importância você procurar um psicólogo(a) que a adolescente se identifique, para que estabeleça um vínculo positivo.
A partir dai se inicia um trabalho com o objetivo de se aprofundar nas questões que estão gerando os conflitos.

Bom dia, em geral é muito difícil falar sobre abuso sofrido porque se junta o medo das reações alheias, se sente culpada, e por ser criança não tem a capacidade de entender o que está acontecendo com ela, as caricias abusivas podem parecer manifestações de afeto. Mas vamos lá, graças a Deus que está falando agora com treze anos, tem pessoas que nunca falam sobre isso e vivem com esse segredo a vida toda. Procure ajuda de uma psicologa que tenha um manejo maior com criança e adolescente, e depois leva ela para uma ginecóloga que saberá ajudar da melhor forma possível, não se surpreenda com o silencio dela isto faz parte da vergonha que ela sente ao se expor. Procure os profissionais adequados para enfrentar esse momento delicado de exposição da adolescente, alem do mais seu corpo esta mudando e ela precisa aceita-lo assim do jeito que é.

 Jaqueline Almeida
Jaqueline Almeida
Psicólogo, Psicanalista, Terapeuta complementar
Gurupi
No brasil segundo pesquisas recentes de cada 10 meninas 6 são abusadas e de cada 10 meninos cinco passam por isso. O índice é tao grave que o ministério da assistência social criou os CREAS, Centro de Referência Especializado de Assistência Social. O CREAS é uma unidade pública da política de Assistência Social onde são atendidas famílias e pessoas que estão em situação de risco social ou tiveram seus direitos violados. É importantíssimo, que você busque ajuda logo para ela, geralmente o abusador pede silencio as vitimas e faz ameaças o que impede a pessoa de falar e pedir socorro! Ao trabalhar no CREAS, nos atendemos centenas de vitimas, apos a psicoterapia A VITIMA DE ABUSO, vai encontrar apoio e alivio pra suas angustias evitando possíveis doenças no futuro, e dificuldades de relacionamentos!

 Eloá Almeida
Eloá Almeida
Psicólogo
Rio de Janeiro
O ideal seria um acompanhamento psicológico para ela. Muitas crianças que sofrem abuso demoram a contar ou nem contam pois entendem que a culpa seria dela mesma e quando muito novas não conseguem assimilar que aquilo é mal e perverso.

Oi, como meus colegas aqui indicaram, importante buscar profissional que venha trazer a esta criança um aporte emocional, que venha a promover uma nova construção e um crescimento psiquico de maneira a entender este trauma vivenciado por ela e que é possível ter outras saídas do que ficar em silencio, com medo, se culpando e ainda oferecer a este criança um aporte de aconchego, carinho, de poder contar com alguém, que você esta ali perto no que precisar. uma construção de confiança e ajuda, poder dizer a ela que não esta sozinha.
A disposição, para outras dúvidas.

 Shirlane Patrício Da Silva
Shirlane Patrício Da Silva
Psicólogo
Jaboatão Dos Guararapes
Infelizmente, violência e abuso sexual infantil é muito comum em nossa sociedade, e pelo menos 70% dos casos de violência sexual são praticadas dentro de casa por pessoas próximas da criança. Geralmente, pessoas de confiança da família e da própria vítima. Daí , a dificuldade da criança em relatar o ocorrido. Muitas vezes, por medo , pois o agressor intimida a vítima com ameaças, com sua presença e importância dentro do seio familiar ,por exemplo. Sabemos que pode haver outras razões para o silêncio e estado de submissão da criança que passa por esse tipo de situação, em casa, na escola e etc. O importante ao tomar consciência do fato é acolher essa criança, não fazer juízo de valor , e claro, buscar ajuda profissional do psicólogo.

Olá. Em relação a traumas, não importa o tempo em que foi relatado, são informações relevantes. Há atendimentos com psicólogos, tanto na rede pública quanto na rede privada para esses casos. Só dou a dica de não duvidar do relato. Tente escutar a menina e estar disponível para compreender a situação. E procure um profissional, que ele poderá ajudar mais. Espero que tudo se resolva.

Olá! Realmente é muito difícil para as crianças falarem sobre o abuso. Normalmente, o abuso é cometido por pessoa de confiança da criança e/ou da família, e elas se sentem muito confusas com os acontecimentos; inclusive, a tendência é que se culpem, como se elas fossem as responsáveis. Sugiro procurar uma Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). É importantíssimo que o responsável pelo crime seja punido, e em muitas Delegacias de Defesa da Mulher há preparo adequado para lidar com a criança ao fazer a denúncia - inclusive com psicólogos para uma escuta especializada. Após a denúncia, pode ser importante que a criança/ adolescente passe por um processo psicoterápico para dar-lhe condições de superar esse trauma. A própria DDM, em muitas situações, encaminha para o CREAS/ CRAS.
De qualquer forma, o mais importante nesse momento é efetuar a denúncia. Boa sorte!!

Dra. Valeria Abatemarco
Dra. Valeria Abatemarco
Psicólogo, Psicanalista
São Paulo
Olá! Muito traumático tudo isso, se foi se não foi. Procure urgente um psicólogo. Estes casos costumam ser muito traumáticos e se não tratado terá grandes sequelas no futuro de sua filha e no de vcs também!

Olá!
O profissional que deve procurar é o Psicólogo, para que sua sobrinha possa se sentir acolhida neste primeiro momento, procure especialistas no assunto, para que possam te auxiliar caso seja possível ainda denunciar o agressor, pois os depoimentos precisam ser tomados de forma cautelosa e com acompanhamento e, nao sei como é na sua cidade, mas sabemos que nem sempre a polícia está preparada para estes casos.

Um abuso é uma situação traumática, onde até mesmo vítimas adultas se sentem paralisadas, muitas vezes diante de ameaças e diante de uma sociedade que sempre nos disse que a “culpa” de ser abusada é dela, “porque alguma coisa você fez”..

Não é o momento de julgar os porquês dela nao ter procurado ajuda antes, é importante acolher e ajudar daqui pra frente, ela vai precisar de apoio profissional e familiar.

Espero ter ajudado

;)

Primeiramente, você deve ter em mente que essa é uma questão muito delicada. Não é à toa que sua sobrinha demorou a falar sobre isso. Como o abuso começou na infância, é muito provável que inicialmente ela nem entendesse o que acontecia e apenas sofresse em silêncio. Para não expor mais a menina, converse com ela sobre o que ela gostaria de fazer, pois é importante respeitar sua autonomia. Fale da importância dela conversar com um psicólogo ou psicóloga. Esse profissional poderá ajudar a entender melhor o caso e acionar outros agentes, se preciso, como o conselho tutelar. Se ainda existir situação de violência ou ela correr esse risco, é necessário buscar um CREAS próximo e informar sobre a situação. Não deixe de ajudar, pois você fala de algo que acontece há anos, tendendo a se repetir se nada for feito. Abraço!

Olá. Se trata de uma situação bastante delicada. Um abuso é sempre traumático para quem o vivencia. O fato da pessoa conseguir expor o ocorrido indica a possibilidade em receber ajuda. Muitas vezes a vítima se sente culpada. Um bom profissional de psicologia pode ajudar nesse momento difícil.
Abraços!

A demora em dizer o que aconteceu pode ter vários fatores: medo, ameças, não saber direito o que está ocorrendo...
Um psicólogo é indicado para este caso.
Aconselho buscar este acompanhamento, de preferência um psicólogo que tenha experiência com esse tipo de situação.

Olá, você iniciou perguntando como ter certeza se houve o abuso, este foi um ponto pouco explorado nas respostas e este é um ponto muito delicado.
Quando utilizado a técnica adequada pode ficar evidente e inquestionável, por exemplo, quando o profissional que irá investigar utiliza-se de gravação para colher o depoimento, bem como a técnica de investigação forense adequada será possível obter dados e provas contra o abusador.
A técnica NICHD penso ser a melhor, foi desenvolvida para auxiliar a polícia americana em suas investigações. No entanto é pouco difundida no Brasil apesar de ser utilizada por alguns profissionais.
Creio que suas demais preocupações foram amplamente respondidas pelos colegas.


A pessoa mais indicada para tirar a dúvida é o psicólogo. Na dúvida leve a. É interessante você observar os comportamentos dela,ou melhor, a diferença dos comportamentos. Uma criança saudável e alegre começa a ter Medo de ficar sozinha com alguém específico,ansiedade ,isolamento, enfim....vários comportamentos que podem ser observados e assim que percebidos,levar ao profissional...
Lembre se de nunca julga lá. Normalmente a criança não fala mesmo,ou por ameaça ou porque não entende muito bem o que está acontecendo além da vergonha. Se a criança tem uma relação de confiança nos pais( caso não seja responsável pelo abuso)...ao desconfiar este deve transmitir segurança a ela e mostrar que está lá do lado dela e . A educação sexual tb ajuda na prevenção...ensina lá o que é normal ou não alguém fazer com o corpo dela e que se ela tiver dúvida ou não gostar é pra falar com alguém que ela confia. Já atendi casos que a boa educação da mãe em relação a sexualidade salvou sua filha de algo pior...pois quando o agressor tomou uma única atitude ela imediatamente correu e falou pra mãe....
Espero ter ajudado com essas dicas!!!

 Renato Rocha
Renato Rocha
Psicólogo
Florianópolis
Tenha em mente que você não deve colocar em dúvida o que ela te disse. Pense que ela confiou em você, então acolha o que ela está dizendo sem questionamentos. Ofereça ajuda e apoio. Procure uma psicóloga, uma mulher, pois nessa idade ela ainda pode ter dificuldade com profissionais do sexo do agressor.
Mas é importante saber que no Brasil o prazo de prescrição do crime de estupro começa a correr apenas depois que a vítima completa 18 anos, ou seja, o indivíduo ainda pode e deve responder pela atrocidade que cometeu.
Psicóloga é a profissional que você deve procurar e quando ela estiver preparada vocês devem ir a delegacia de proteção a mulher, para prestarem queixa.
Agora é importante afastá-la do seu agressor.

Olá...
O profissional indicado é o psicólogo, é indispensável que a demanda seja acolhida.
Sobre o questionamento, se aconteceu o abuso ou não, penso que é o menos relevante neste momento, pois essa é a verdade da criança que está em sofrimento e precisa de acolhimento.
Em relação a demora da menor relatar, é muito comum, eu entendo a sua dúvida e angústia diante da situação, mas se trata de um evento traumático, e que por muitas vezes se coloca a prova a credibilidade da criança.
Estamos tratando de um acontecimento que possibilita culpa, dúvida, medo. Um evento que o violentador tem mais crédito e em muitos casos dentro da própria família e que nem sempre o menor sabe que está sendo violentado.
Um espaço de escuta é fundamental neste momento.
Abraços!
Convidamo-lo para uma consulta: - R$ 140
Pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão Reservar uma consulta.

Prof. Ana Carolina Lynch
Prof. Ana Carolina Lynch
Psicanalista, Psicólogo
Rio de Janeiro
Olá! Essa situação é muito difícil para uma criança lidar. Num primeiro momento, normalmente ela não entende que tem algo errado e, se confia no agressor, falar ainda fica mais difícil. Leve sua afilhada em uma psicóloga que ela possa confiar para ser acolhida e escuta. É muito importante que ela possa tratar disso.

 Paulo Renato Oliveira
Paulo Renato Oliveira
Psicanalista, Psicólogo
Rio de Janeiro
Procure um Psicólogo Clínico com experiência em atendimento de crianças e adolescentes. Através de jogos e outras atividades lúdicas o Psicólogo irá apurar com cuidado a veracidade das queixas dela. A demora no aviso por parte da pequena vítima é causada pelo medo: geralmente o abusador faz graves ameaças à integridade física e à vida da criança e de seus familiares, diz que ninguém vai acreditar na palavra da criança, diz que as pessoas vão acreditar que foi a própria criança que desejou e provocou o abuso e outras tantas violências físicas e verbais que tal tipo de monstro é capaz de criar e perpetrar.

Muitas pessoas que sofreram abuso sentem dificuldade de falar sobre o assunto. Ache um psicologo competente especializado em Psicoterapia para ter ajuda profissional.

Olá, vejo que o relato de sua afilhada causou dúvidas em você. Não sei o motivo delas, mas sei que não é fácil lidar com essa questão. Para que você possa conduzir e lidar com essa situação tão complexa, sugiro que procure apoio e possa entender a razão de suas dúvidas e seus limites.
Se essa criança lhe confidenciou uma questão tão importante e pessoal deve contar com seu compreensão e proteção. Sendo um relato de um acontecimento real ou fantasia, não faz diferença, pois ela precisa de ajuda para entender e lidar com essas questão.

Especialistas em Violência sexual

Maria de Fátima Novaes Marinho

Maria de Fátima Novaes Marinho

Psicólogo

São Paulo

Jamile Karin

Jamile Karin

Psicanalista

São Paulo

Fernanda Mallmann

Fernanda Mallmann

Psicólogo

Curitiba

Bárbara Caetano

Bárbara Caetano

Psicólogo

Fortaleza

Rafael Oliveira Gomes da Silva

Rafael Oliveira Gomes da Silva

Psicólogo

Rio de Janeiro

SOLANGE SOUZA

SOLANGE SOUZA

Psicanalista

Santo Antônio de Jesus

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 8 perguntas sobre Violência sexual

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.