Bronquiolite - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - bronquiolite

Glória Bandeira

Glória Bandeira

Pediatra

São Luís

Nathalie Moura

Nathalie Moura

Pediatra

São Paulo

Victor Queiroz

Victor Queiroz

Pediatra

Sorocaba

Ally Alahmar Filho

Ally Alahmar Filho

Pediatra

Barretos

Carla Pacheco Lacerda Silva

Carla Pacheco Lacerda Silva

Pediatra

Goiânia

Bianca Caluf Negrão

Bianca Caluf Negrão

Pediatra

Belém do Pará

Perguntas sobre Bronquiolite

Nossos especialistas responderam a 38 perguntas sobre Bronquiolite

Boa tarde
A bronquiolite deve ser prontamente tratada para não deixar sequelas pulmonares.
É importante manter as vias aereas do bebe sempre livres e limpas de secreção. Uso de broncodilatador,…

Bom dia!
Provavelmente seu pediatra indicou o uso de predsim porque seu filho apresentava algum grau de dificuldade respiratória, portanto a agitação e o fato de não dormir esteja ligado…

Especialistas falam sobre Bronquiolite

A bronquiolite é uma inflamação de bronquíolos, geralmente por Vírus Sincicial Respiratório (VSR) que acomete crianças e adultos. Toda a bronquiolite Deve ser investigada porque acontece como primeiro sintoma de muitas doenças respiratórias. Não se contente com o diagnóstico de bronquiolite somente porque, por trás dela, há outras doenças! Os exames Os exames de sangue podem definir a inflamação e a radiografia de tórax, confirma as lesões!

Orlei Kantor Junior

Pneumologista, Pneumologista pediátrico, Médico clínico geral

Curitiba

Agendar uma visita

A bronquiolite é uma doença de causa infecciosa bastante frequente no bebês, principalmente no meses de outono e inverno. Ela pode cursar de forma grave e por isso precisa de exame físico bem detalhado e acompanhamento de perto pelo pediatra da criança. Poucas medicações têm se mostrado eficiente para seu tratamento, por isso o acompanhamento médico é fundamental.

Thalita Feitosa Costa

Pediatra

São Paulo


Bronquiolite aguda viral é a principal causa de chio no peito e de internação em crianças abaixo de dois anos. Tem apresentação clínica muito semelhante à asma, podendo muitas vezes ser confundida com esta. Na grande maioria das vezes sua apresentação não é grave, provocando tosse, chio no peito e coriza. Na presença dos seguintes sinais, a criança deverá ser levada para avaliação em prontos atendimentos: gemência, dificuldade para respirar, incapacidade para mamar, coloração roxinha das mãos, pés ou em volta da boca. Em consulta médica teremos totais condições de explicar o quadro e dar tranquilidade aos familiares, explicando que ao contrário da asma, a bronquiolite é autolimitada.

É uma infecção causada por virus respiratorios transmitidos por goticulas de tosse e espirro, contato direto ou indireto com secreções de pessoas resfriadas.Em bebes menores de 2 anos um simples virus de resfriado pode causar uma inflamação intensa nos pulmões, levando ao chiado no peito, cansaço e queda da saturação.A criança costuma piorar entro 3ºe 5º dia de sintomas,mesmo com tratamento iniciado.Caso houver sintomas de gravidade o bebe pode necessitar de internação, necessitando de uma avaliação medica.O tratamento existem estudos que mostram que nao ha medicações que funcionem igualmente para todos os casos,fundamental é adequar qual medicação melhor para cç e atentar a sinais de piora.

Ana Paula Cruz Gonçales

Pediatra

São Paulo


A bronquiolite viral, é uma doença muito frequente nas crianças menores de 1 ano de idade. É causada principalmente pelo vírus sincicial respiratório, um vírus que pode provocar resfriado em crianças maiores e adultos. Na criança pequena e principalmente nos menores de 2 meses a doença pode ser grave, causando cansaço respiratório e chiado no peito até com necessidade de internação em UTI. Para evitá-la, evite ficar saindo em lugares com muittas pessoas, principalmente no outono e inverno, meses de maior circulação dos vírus respiratórios. Lave muito bem as mãos que é o principal transportador do vírus. O tratamento é feito com inalação e oxigênio nos pacientes mais cansadinhos.

A Bronquiolite é uma doença viral, mais comumente causada pelo Vírus Sincicial Respiratório e mais frequente na sazonalidade (outono- inverno). A história clássica da doença é o início de um “resfriado” com obstrução nasal, coriza, tosse e febre, podendo evoluir aproximadamente em 5 dias para esforço respiratório, prostração e chiado no peito. O tratamento é de suporte, constituindo-se de hidratação, lavagem nasal, broncodilatadores (quando estes apresentam melhora após seu uso) e oxigenoterapia nos casos mais graves. Nao são indicados o uso de corticóides orais, venosos ou antibióticos!

Fernanda Sholl

Pneumologista pediátrico

Rio de Janeiro


A bronquiolite é uma doença viral, que acomete crianças pequenas, principalmente até os 2 anos de idade. Os quadros podem ser tanto leves, quanto graves, e em alguns casos necessitar de internação hospitalar. O seguimento com pneumologista pediátrico depende da gravidade da condição inicial, e da persistência de sintomas após o quadro.

Juliana Miguita

Pediatra, Pneumologista pediátrico

Embu-Guaçu


Bronquiolite é definida como doença viral aguda, autolimitada, que acomete crianças menores de 2 anos, caracterizada por sintomas e sinais prévios de infecção respiratória alta, seguido de infecção respiratória baixa com desconforto respiratório. Os pediatras devem diagnosticar bronquiolite aguda e avaliar a gravidade da doença com base na história e exame físico. É uma doença que não há tratamento específico,sendo oferecido apenas tratamento de suporte se necessário(lavagem nasal, oxigenoterapia, hidratação venosa, alimentação por sonda gástrica, etc).

Raphael Américo De Almeida

Pneumologista pediátrico

Brasília

Quais profissionais tratam Bronquiolite?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.