Polineuropatias - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em polineuropatias

Encontre um especialista em Polineuropatias na sua cidade:
Carlos Roberto de Faria

Carlos Roberto de Faria

Neurofisiologista

Goiânia

Karine Andrade Oliveira

Karine Andrade Oliveira

Neurologista

São Bernardo do Campo

Breno Barbosa

Breno Barbosa

Neurologista

Recife

Eloy Cassa Jr

Eloy Cassa Jr

Médico acupunturista, Neurologista

Maringá

Emanuel Malaguez Webber

Emanuel Malaguez Webber

Neurologista

São Miguel do Oeste

Amelba Cynthia Mota

Amelba Cynthia Mota

Neurologista

Itapipoca

Perguntas sobre Polineuropatias

Nossos especialistas responderam a 74 perguntas sobre Polineuropatias

Boa tarde.
É importante avaliar se não houveram fatores que agravaram o quadro inicial. Além disso, a realização de fisioterapia é fundamental para manutenção do equilíbrio e da propriocepção,…
2 respostas

Dr. Paulo Amaral
Dr. Paulo Amaral
Ginecologista
Rio de Janeiro
Boa tarde.Seria melhor vir em uma consulta para te esclarecer melhor.
1 respostas

Não, são medicações de classes diferentes e indicações diferentes. O milgamma é um pró farmaco da vitamina B1, com alguma eficácia em tratamento de neuropatia principalmente diabética e por álcool.
1 respostas

Especialistas falam sobre Polineuropatias

Polineuropatias são um conjunto de doenças de diferentes causas que afetam os nervos periféricos, levando a perda da sensibilidade, sensações dolorosas e fraqueza, que geralmente predominam nos pés. Os reflexos ficam fracos ou mesmo desaparecem, com o tempo, pode acontecer atrofia das pernas e dos braços. Uma causa muito comum no Brasil é a diabetes. Recentemente os casos de Polineuropatia por vírus também aumentaram devido infecções por Zica. A Polineuropatia chamada Guillain Barré causa perda de força nas pernas que vai piorando ao longo dos dias, se não tratada pode até levar a morte. Alteração na sensibilidade e/ou força dos pés e mãos, deve ser sempre investigada.

Denise Leal

Neurologista

Florianópolis


Neuropatia periférica refere-se a um dano no sistema nervoso periférico, ou seja, uma vasta rede de nervos que transmite informações do cérebro e medula (sistema nervoso central) para o resto do corpo. Uma das causas mais comuns de neuropatia periférica é o diabetes, mas ela também pode resultar de lesões traumáticas, infecções e exposição a toxinas, por exemplo. Os sintomas podem incluir dor, formigamentos, dormências e fraqueza. A avaliação complementar deve ser adaptada às hipóteses diagnósticas aventadas após a anamnese e exame neurológico cuidadoso, bem como do estudo eletroneuromiográfico, que é a avaliação complementar mais valiosa na caracterização das neuropatias periféricas.

As polineuropatias são patologias dos nervos periféricos, ou seja, dos nervos situados nos membros superiores e inferiores. Podem ocasionar sintomas muito desagradáveis, tais como, dor, dormência, formigamentos, queimação, perda da força muscular e dificuldades para andar. Estas lesões nos nervos podem ser devido a várias causas, que devem ser identificadas e tratadas o mais precoce possível, seja para a melhora dos sintomas, seja para evitar quadros mais graves e difíceis de recuperação. Causas comuns são: polineuropatias causadas pelo diabetes, pelo uso crônico de álcool, pela hanseníase, como consequência de várias doenças e outras causas.

Polineuropatia significa uma doença dos nervos periféricos, ou seja, uma doença que acomete o sistema nervoso periférico. Seus principais sintomas são perda de sensibilidade ou formigamentos em mãos e pés. Também pode haver perda de força associada. Sua evolução pode ser rápida ou lenta (crônica). Normalmente é causada por doenças sistêmicas como diabetes ou hipotireoidismo, porém pode ter causas genéticas ou inflamatórias. O neurologista é o especialista responsável pela avaliação diagnóstica das polineuropatias e avaliação de possíveis tratamentos.

Polineuropatia é a doença de vários nervos juntos. Tipicamente os nervos mais distais como os dos pé e/ou das mãos. E quando vários nervos não funcionam corretamente numa mesma região, aquela região toda tem prejuízo em dor, perda de sensibilidade, dor ao toque e muito mais. As causas mais comuns de polineuropatia são Diabetes, deficiência de vitaminas, quimioterapia, doenças autoimunes, hipotireoidismo e várias outras. O tratamento depende de cada característica de cada dor e da causa de cada dor. Alem do exame neurológico que já suficiente para detectar a polineuropatia, existe a eletroneuromiografia que pode ajudar no diagnóstico.

As polineuropatias são doenças caracterizadas pelo comprometimento dos nervos periféricos, cujos principais sintomas são dor tipo queimação ou "agulhada", sensação de formigamento ou diminuição de sensibilidade nas mãos e nos pés, podendo em casos mais avançados cursarem com diminuição de força muscular e desequilíbrio. As causas são diversas, como diabete melito, uso de bebida alcoólica, deficiência de vitamina, doenças autoimunes, neoplasia e alguns medicamentos. O manejo adequado da Polineuropatia baseia-se no tratamento da causa e dos sintomas, permitindo estabilização ou mesmo reversão do quadro, além de melhora importante da qualidade de vida.

Quais profissionais tratam Polineuropatias?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.