Trastorno do espectro autista - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em trastorno do espectro autista

Encontre um especialista em Trastorno do Espectro Autista na sua cidade:
Tatiana Proença Isleb

Tatiana Proença Isleb

Psicólogo

Curitiba

Marília Bruhn

Marília Bruhn

Psicólogo

Porto Alegre

Karla Cristina Colagrande Sogari

Karla Cristina Colagrande Sogari

Fonoaudiólogo, Psicopedagogo

Belo Horizonte

Ramony Paiva Moreira

Ramony Paiva Moreira

Psicólogo

Fortaleza

Adriana Ferreira

Adriana Ferreira

Psicólogo

Cosmópolis

Perguntas sobre Trastorno do espectro autista

Nossos especialistas responderam a 34 perguntas sobre Trastorno do espectro autista

Olá, crianças estão tendo cada vez mais oportunidade de receber o diagnóstico precocemente devido a uma tendencia atual de maior informação a respeito do transtorno. O diagnóstico antes dos 3…
1 respostas

Bem, um psicólogo seria bem indicado porque vejo que você procurou já um psiquiatra e foi bastante medicado. A medicação alivia sintomas mentais somente, não vá à origem causas e motivos do questiona…
8 respostas

 Adriano Pordeus de Lima
Adriano Pordeus de Lima
Psicólogo
Fortaleza
É importante que você observe como ele está reagindo a nova medicação, para poder discutir com o médico possibilidades de mudança no esquema medicamentoso. Normalmente, montar um esquema medicamentoso…
3 respostas

Especialistas falam sobre Trastorno do Espectro Autista

Atendimento especializado em crianças com diagnóstico de TEA. Avaliação, Orientação e Apoio familiar. Atendimento psicoterápico Comportamental para a criança com dificuldades comportamentais. Atendimento de apoio psicopedagógico para as dificuldades na alfabetização e escrita. Atendimento e supervisão de equipe de apoio para o atendimento da criança.

Leidiane Rosa Da Silva

Psicólogo, Psicopedagogo

Goiânia

Agendar uma visita

A partir do último Manual de Saúde Mental – DSM-5, que é um guia de classificação diagnóstica, o Autismo e todos os distúrbios, incluindo o transtorno autista, transtorno desintegrativo da infância, transtorno generalizado do desenvolvimento não-especificado (PDD-NOS) e Síndrome de Asperger, fundiram-se em um único diagnóstico chamado Transtornos do Espectro Autista – TEA. O TEA é uma condição geral para um grupo de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro, antes, durante ou logo após o nascimento. Esses distúrbios se caracterizam pela dificuldade na comunicação social e comportamentos repetitivos. Embora todas as pessoas com TEA partilhem essas dificuldades, o seu estado irá afetá.

Carine Cruz Ferreira

Fonoaudiólogo


Em geral a pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA) apresenta déficits em habilidades sociais; comunicacionais; em imaginação; atenção a mudanças e a detalhes. Não existe cura para autismo, no entanto, é possível tratar seus sintomas através do uso de medicamentos; psicoterapia, fisioterapia, terapia ocupacional, terapia da linguagem e dietas que controlam o uso de glúten ou a cafeína. A psicoterapia da pessoa com TEA é focada em potencializar as habilidades sociais e comunicativas do paciente.

O Transtorno do Espectro Autista envolve, necessariamente, uma limitação na interação social e comportamentos repetitivos. Manifestações que podem demonstrar um déficit na interação social incluem: dificuldade na demonstração de afeto; dificuldade no estabelecimento de vínculos de amizades; brincadeiras solitárias; falta de empatia; limitação na comunicação verbal e não verbal, como evitar contato visual, por exemplo. Manifestações que demonstram comportamento repetitivo incluem: estabelecimento de rotina, podendo haver agressividade ou irritabilidade se houver mudança abrupta; esteriotipia motora (movimentos repetitivos); interesses restritos; reatividade anormal a estímulos sensoriais.

Demétrius De Luna Lopes Benevides

Psiquiatra

São João del Rei


De acordo com o DSM-5 o TEA está classificado dentro dos Transtornos do Neurodesenvolvimento, mais frequentes entre individuos do sexo masculino. No TEA, ocorrem problemas no desenvolvimento da linguagem, na interação social, nos processos de comunicação e comportamento. É comum que os pacientes apresentem fala ou movimentos esteriotipados e repetitivos, apego ou preocupações com objetos incomuns e dificuldades em aceitar mudanças. O tratamento deve ser feito preferencialmente com equipe multidisciplinar, visto que o TEA apresenta níveis de gravidade diferentes. O diagnóstico precoce auxilia para um bom prognóstico. Consulte um psicólogo.

Magaly Sarah

Psicólogo

Boa Vista


Trata-se de transtorno do desenvolvimento com espectro amplo cuja identificação precoce é de suma importância. Muitos sintomas clássicos não se manifestam ou são difíceis de serem detectados nos estágios iniciais, assim, vários profissionais em equipe multidisciplinar devem fazer parte do seguimento dessas crianças. Atualmente, tem surgido "fórmulas milagrosas" para o tratamento, o que deve ser bem discutido com os profissionais que realmente estão envolvidos nos estudos sobre TEA e suas manifestações individuais. É de suma importância o adequado acolhimento dos portadores e de suas famílias para treino de habilidades sociais, entendimento de suas demandas e melhora da qualidade de vida.

Quais profissionais tratam Trastorno do espectro autista?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.