Hipertensão - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Hipertensão (pressão arterial aumentada)

O que é pressão arterial?

O coração bombeia o sangue para o cérebro e para o resto do corpo. Este sangue atinge os músculos e órgãos através das artérias. Quando o sangue já foi usado por eles, volta novamente para o coração direito através das veias. De lá, é bombeado para os pulmões, onde o dióxido de carbono (CO2) é trocado por oxigênio. Mais uma vez, o sangue retorna para as câmaras esquerdas do coração para ser bombeado de volta para os tecidos imediatamente.

A pressão arterial depende da força com que o coração bombeia o sangue e o grau de relaxamento das artérias. A hipertensão ocorre quando o sangue é bombeado para as artérias com maior pressão.

Usamos dois números de pressão arterial. Um exemplo disso pode ser "a pressão arterial é 120/80, ou apenas 12/08". O primeiro número representa a pressão sistólica (a pressão do sangue dentro da artéria quando o coração bate e empurra o sangue). O segundo número é a pressão diastólica, ou seja, a pressão arterial dentro da artéria quando o coração está relaxado.

Risco cardiovascular?

Se você acha que pode estar em risco, verifique com o médico

O que é hipertensão?

Há uma tendência natural de aumento da pressão arterial devido à idade. Isto é causado por uma diminuição da elasticidade das artérias com o envelhecimento. A determinação da hipertensão depende, em parte, da idade do paciente.

Por exemplo, em uma paciente de 60 anos de idade, dizemos que é hipertenso quando a pressão arterial é mais 160/90 quando em repouso.

Alguns pacientes com hipertensão têm um limite inferior ao serem diagnosticados com hipertensão, particularmente doentes diabéticos, para quem uma elevação persistente da pressão arterial pode causar sérios problemas.

Qual é a causa da hipertensão?

Em mais de 90% dos casos a causa da hipertensão é desconhecida. Que chamamos de hipertensão primária ou essencial. Numa minoria de casos, não há uma causa conhecida, falamos então de hipertensão secundária.

Algumas das causas de hipertensão secundária são doenças renais crônicas, doenças das artérias que levam sangue para os rins, o abuso crônico de álcool, doenças hormonais e tumores que podem secretar hormônios que elevam a pressão arterial (tais como feocromocitoma).

Como é pressão arterial?

Uma mangueirinha inflável é colocada ao redor do braço. Ela é inflada com ar e o médico ouve os batimentos cardíacos da artéria. Você continua inflanda até parar de escutar o pulso. Neste momento o aparelho é esvaziado, e o médico observa o ponto onde a pressão está quando você retornar ao ouvir os batimentos cardíacos, esse ponto mede a pressão sistólica. O ponto em que o som desaparece novamente mede a pressão diastólica.

A pressão arterial também pode ser medida em casa usando dispositivos de medição automática.

Quando medimos a pressão arterial no consultório médico, por vezes está elevada, devido ao nosso estado de ansiedade. Esta situação é chamada de "hipertensão do avental branco". Nestes casos, o médico espera o paciente estar relaxado para medições.

A pressão arterial também pode ser medida ao longo do dia usando um medidor automático e realizado pelo paciente durante 24 horas por dia, chamado Holter.

Quais são os sintomas da hipertensão?

Pressão alta raramente provoca sintomas . No entanto, algumas manifestações raras, porém graves de hipertensão arterial podem incluir:

  • Dor de cabeça, sonolência, confusão ou coma
  • Dificuldade respiratória grave (dispnéia)
  • Sangramentos nasais

Quais os fatores que aumentam o risco de hipertensão?

  • Tendência familiar a ter pressão arterial alta
  • Obesidade
  • Fumantes
  • Diabetes tipo 2
  • Doença renal
  • Consumo de álcool
  • Aumento da ingestão de sal
  • Falta de exercício
  • Alguns medicamentos como esteróides e pílulas de dieta

O que eu posso fazer?

  • Medir a sua pressão arterial regularmente se você tiver uma história familiar de hipertensão. Inicia-se o tratamento antes das complicações.
  • Mudança de estilo de vida: parar de fumar, reduzir o peso e fazer exercícios regularmente. Menor consumo de álcool, uma dieta variada e tente evitar situações estressantes.
  • Se você tem hipertensão, a pressão arterial deve ser medida regularmente.
  • Se você precisa controlar sua pressão arterial com medicamentos, a sua decisão de parar nunca deve ser feita sem primeiro consultar o seu médico, mesmo que o paciente se sinta bem, pois pode sofrer sérios problemas.

O que pode o médico fazer?

  • Redução dos fatores de risco e mudança de estilo de vida.
  • Se necessário, prescrever medicamentos para baixar a pressão arterial.

Complicações possíveis

  • Arteriosclerose (endurecimento das artérias)
  • Acidente vascular cerebral (hemorragia cerebral ou trombose cerebral)
  • Aneurismas da aorta torácica (alargamento da artéria principal que sai do coração e distribui o sangue por todo o corpo)
  • Aneurismas da aorta abdominal (aorta torácica continuação)
  • Infarto agudo do miocárdio e angina
  • Insuficiência cardíaca (redução da capacidade para bombear o sangue do coração)
  • Renal
  • Lesões oculares (retinopatia hipertensiva)

Possíveis desenvolvimentos

Com o tratamento adequado da hipertensão, as complicações podem ser reduzidos e a expectativa de vida pode ser normal.

Sem tratamento, a expectativa de vida é reduzida, devido ao risco de desenvolvimento de uma das complicações discutidas acima.

Que medicamentos são usados?

Diuréticos:

Eles ajudam os rins a excretar água e sal e, por vezes relaxam as artérias e, assim, reduzem a pressão. Diuréticos podem atuar em diferentes partes do rim. Diurese, eliminando potássio, você deve consultar com seu médico para saber se você toma suplementos dietéticos.

Beta-bloqueadores:

Bloqueiam o efeito da adrenalina  do sistema nervoso simpático. O coração relaxa e bate lentamente, o que causa a pressão arterial baixa.

Alfa-bloqueadores e combinação de alfa e beta-bloqueadores.

Bloqueadores, dos canais de cálcio:

Reduz a tensão da camada muscular da artéria, aumentando o volume de água, e reduz a pressão arterial.

Inibidores da enzima conversora da angiotensina (ECA):

Funciona interrompendo a formação de um hormônio (angiotensina II), que provoca constrição dos vasos sanguíneos. Como resultado, a pressão arterial diminui. Eles são medicamentos muito úteis para controlar a pressão arterial.

Antagonistas dos receptores de angiotensina II:

Prevenir atos em seu receptor de angiotensina, e mantém os vasos sanguíneos em um estado de relaxamento.

Os seguintes medicamentos são usados ??com menor freqüência:

  • Indapamida: uma propriedade diurética fraca para relaxar as artérias.
  • Hidralazina: relaxa as paredes da artéria.
  • Metildopa: estimula o cérebro alpha para alcançar um relaxamento das artérias.

Especialistas em hipertensão

Encontre um especialista em Hipertensão na sua cidade:
Luciano Jannuzzi Carneiro

Luciano Jannuzzi Carneiro

Cardiologista, Cirurgião cardiovascular

Santos

Rychard Arruda de Souza

Rychard Arruda de Souza

Geriatra

Rio Verde

Roberta Fernandes Marcelino

Roberta Fernandes Marcelino

Cardiologista

Lages

Talita Pires Oliveira

Talita Pires Oliveira

Médico clínico geral

Márcio Hideki Kodani

Márcio Hideki Kodani

Cardiologista

Americana

Rafael Murizine Inhan

Rafael Murizine Inhan

Cardiologista, Médico clínico geral

Juiz de Fora

Perguntas sobre Hipertensão

Nossos especialistas responderam a 269 perguntas sobre Hipertensão

Olá. O ideal é não tomar a medicação próximo à ingesta de bebida alcoólica devido a interferência na absorção da medicação. Seria interessante conversar com seu médico sobre a possibilidade…
1 respostas

Bom dia
O Atenolol tem efeito hipotensor muito discreto, não sendo mais utilizado como tratamento anti-hipertensivo. A troca do Losartan por Valsartan pode até ajudar, mas sugiro o uso…
1 respostas

Bom dia
O efeito hipotensor do Losartan dura cerca de 16 a 18 horas, daí a necessidade de se tomar 2x ao dia
Já o Atenolol tem efeito 24 horas, porém não tem efeito hipotensor significativo.…
1 respostas

Especialistas falam sobre Hipertensão

Avaliação de fatores de risco cardiovasculares associados, modificação dos fatores de risco como obesidade, colesterol alto, diabetes, avaliação medicamentosa e orientações sobre o comprometimento de órgãos alvos.

Rodrigo Caetano Pimentel

Cardiologista, Médico clínico geral

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

A hipertensão arterial é uma doença muito frequente, atingindo um em cada quatro indivíduos adultos, chegando a maior ocorrência entre os idosos, onde a metade ou mesmo ¾ desses são hipertensos. É uma condição silenciosa, talvez, uma forte dor de cabeça na região posterior possa ser atribuída a ela, contudo, não espere sintomas para procurar ajuda e usar corretamente os medicamentos. Sendo silenciosa muitos pacientes rejeitam o uso das drogas antihipertensivas, o que é um erro crucial. Tratada, as complicações praticamente desaparecem ou ficam num patamar semelhante ao das pessoas normotensas. Se não tratada, a doença evolui silenciosamente. Mesmo se for beber, não deixe os comprimidos.

Joel Alves Pinho Filho

Cardiologista, Médico clínico geral

Salvador

Agendar uma visita

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é uma doença multifatorial que tem como causadores fatores genéticos, constitucionais e de hábito de vida. Ela é uma dos fatores de risco para doenças cardiovasculares. Assim, a HAS quando não tratada ou mal controlada aumenta a chance de infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, insuficiências renal e cardíaca. O seu tratamento incluiu uma dieta saudável com pouco sal, atividade física regular, perda de peso e muita saúde vezes o uso regular de medicações. O acompanhamento com o cardiologista para certificar o adequado controle da pressão arterial, o aparecimento de outras doenças e de algum sintoma também é muito importante.

Leonardo Fernando Ferrari Nogueira

Cardiologista, Médico clínico geral

São Paulo

Agendar uma visita

A hipertensão é uma doença que atinge um grande número de pessoas em todo o mundo. No Brasil, por exemplo, estima-se que 15% a 20% da população adulta possa ter pressão alta. Embora o problema ocorra predominantemente na fase adulta, o número de crianças e adolescentes hipertensos vem aumentando a cada dia.

Gerson Luiz Cretella

Homeopata

Curitiba


A hipertensão é uma doença que é silenciosa. Dieta com pouco sal, perder peso e praticar exercícios físicos podem diminuir ou evitar a prescrição de medicamentos.

Doenças que acometem o coração e o sistema circulatório como Hipertensão Arterial tem consequências catástróficas como Infarto do Miocárdio e Acidente Vascular Cerebral. Acometem milhões de pessoas no Brasil e no mundo todos os anos e acarretam enormes prejuízos econômicos bem como psico social . Realizar a avaliação cardiológica se faz necessária principalmente na faixa etária a partir dos 30 anos de idade , onde estas doenças são mais frequentes. No consultório visamos principalmente realizar a medicina preventiva visando minimizar os riscos de um futuro evento cerebral ou cardíaco bem como orientações gerais , dietéticas e complementares , hábitos saudáveis e tratamentos oportunos.

Claudio Alves Senne

Cardiologista

Sorocaba


A pressão alta sanguínea (hipertensão) pode ser a causa ou também a consequência de uma enfermidade renal. O controle da pressão arterial sanguínea também é uma função dos rins. Estes órgãos controlam as concentrações de sódio e a quantidade de líquidos no corpo e, quando os rins falham e não cumprem com estas funções vitais, a pressão sanguínea pode se elevar e ocasionar inchaço (edema). Toda pessoa que apresenta hipertensão arterial ainda jovem ou em idade avançada ou ainda que tenha hipertensão de difícil controle deve ser avaliada para doenças renais.

Luis Gustavo Trindade

Médico clínico geral, Nefrologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Hipertensão arterial tem uma prevalência mundial de cerca de 20-30% e representa 40% das mortes por derrames cérebro vasculares e 25% por doença arterial coronária. Registros brasileiros mostram que apenas 50% dos pacientes sabiam ter doença hipertensiva. Destes, apenas 40% faziam algum tipo de tratamento e dos que usavam alguma medicação apenas 10% estavam com a pressão normal.A normalização da pressão arterial reduz mortalidade e aumenta sobrevida. Os alvos de tratamento devem atingir valores inferiores a 140x90 mmHg e o acompanhamento médico e adesão ao tratamento são fundamentais.

Jairo Maia

Cardiologista, Médico clínico geral

Santo André

Agendar uma visita

A hipertensão arterial é um problema comum em pessoas idosas e o risco de desenvolver a doença aumenta com a idade. O tipo mais frequente é a Hipertensão Sistólica Isolada (com pressão sistólica >160mmHg/diastólica normal). O tratamento é essencialmente uma combinação de medicamentos e mudanças no estilo de vida, com restrição de sal da alimentação e perda de peso (em obesos), através de dieta e exercício físico adaptados. A meta para os níveis a serem alcançados deve ser individualizada, e em geral, tanto pressões muito baixas ou muito altas são prejudiciais. Devemos sempre: iniciar medicamentos em baixas doses, gradualmente, exceto nas emergências/urgências hipertensivas.

Mariany Melo Oliveira

Médico clínico geral, Geriatra

São Luís


A hipertensão ocorre quando a pressão do sangue nas artérias está aumentada. Essa pressão é causada pela força de contração do coração e das paredes das artérias para impulsionar o sangue para todo o corpo. Se ocorre de forma muito intensa é capaz de provocar danos em diversas estruturas. A pressão arterial é medida através de aparelhos específicos (esfigmomanômetros). Sempre que possível evite o uso de equipamentos digitais sem calibração frequente comprovada. A pressão pode ter uma variação relativamente grande sem sair dos níveis de normalidade.

Abel Magalhaes

Cardiologista, Médico clínico geral

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Hipertensão é uma doença democrática que acomete crianças, adultos e idosos, homens e mulheres de todas as classes sociais e condições financeiras. Popularmente conhecida como “pressão alta”, está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como conseqüência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Diogo Diniz

Cardiologista, Médico clínico geral

Niterói


O tratamento da Hipertensão Arterial depende de diversos fatores, sendo necessária uma consulta com anamnese (entrevista) detalhada e solicitação de exames (entre eles diversos exames funcionais como Mapa, Ecocardiograma e Teste de Esforço). Usualmente os pacientes passam por avaliações com nutricionista e exercícios físicos visando mudanças no estilo de vida adotado, e possivelmente uso de medicamentos para o controle dos níveis pressóricos.

Gabriel Luan Queiroz Alves Da Cunha

Cardiologista, Médico clínico geral

Brasília

Agendar uma visita

Você sabia que 1 em cada 4 brasileiros sofre de hipertensão arterial? A hipertensão arterial é ainda responsável por metade dos casos de infarto, 80% (oitenta por cento) dos casos de AVC (ou "derrame cerebral") e 25% dos casos de insuficiência renal. Ou seja, é uma doença que pode trazer complicações graves à saúde! Além disso, é silenciosa, podendo se manifestar apenas já com as complicações instaladas. Por isso é necessário se prevenir. Consulte seu médico regularmente! Faça a medida da pressão arterial sempre que possível. A boa notícia é que podemos evitar todas essas complicações praticando bons hábitos de vida e usando as medicações corretamente! Cuide da sua saúde!

Diogo Kalil

Cardiologista

Brasília


Trata-se de uma moléstia silenciosa uma vez que cerca de 65% das pessoas não manifestam sintomas, todavia ter ou não sintomas não discrimina o prognóstico. Em outras palavras o que o aparelho mede é muito mais importante do que aquilo que você sente e as complicações podem ser muito graves como acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio, edema agudo do pulmão, insuficiência cardíaca e insuficiência renal. Uma investigação detalhada da causa da pressão elevada é conveniente na maioria das vezes e isso pode e deve ser feito. O tratamento deve ser individualizado permitindo uma ótima qualidade de vida ao paciente com medicamentos modernos e seguros de preferencia sem efeitos adversos.

Edmar Batista Dos Santos

Cardiologista, Médico clínico geral

São Paulo


A hipertensão na maioria das vezes não dá sintoma algum, mas ao longo dos anos, níveis de pressão acima de 140/90 causam lesões nos órgãos. As artérias do cérebro, dos rins e da retina são especialmente afetadas pela pressão alta. Podendo levar a derrame cerebral, insuficiência renal e cegueira. Estas doenças são abruptas e podem ocorrer do dia para a noite apesar dos efeitos deletérios sobre os vasos sanguineos terem sido produzidos ao longo do tempo. As mudanças do estilo de vida como parar de fumar, parar de tomar bebidas alcoólicas, comer mais frutas, verduras e legumes e menos alimentos de origem animal, diminuir o sal são essenciais no controle da pressão arterial.

Ana Catarina Periotto

Cardiologista

São José dos Campos

Agendar uma visita

A Hipertensão é uma das doenças mais prevalentes na população idosa, sendo ocasionada pelo envelhecimento do aparelho cardiovascular. Esta doença aumenta muito o risco de acidentes vasculares cerebrais e infartos do miocárdio e o seu tratamento reduz significativamente o risco de manifestação destes quadros, além de reduzir a evolução para quadros de insuficiência cardíaca. Existem vários medicamentos utilizados para o controle ideal dos níveis pressóricos e a adequada escolha, baseada principalmente nas comorbidades do idoso irão proporcionar substancial risco de complicações advindas desta doença.

A hipertensão ou pressão alta, como é conhecida popularmente é uma doença extremamente frequente na população. Normalmente é uma doença silenciosa, manifestando as suas complicações tardiamente. Para identificar a hipertensão é necessário o exame médico e alguns exames laboratoriais para excluir causas secundárias (outras doenças que possam estar sendo a causa da elevação dos níveis de pressão arterial). O tratamento inclui modificações do estilo de vida e uso de medicamentos específicos. O acompanhamento clínico regular do paciente hipertenso faz toda a diferença no resultado final.

Guilherme Liausu Cherpak

Médico clínico geral, Geriatra

São Paulo

Agendar uma visita

- O aumento da pressão sanguínea de forma crônica pode acarretar problemas maiores como doenças cardiovasculares e é fator de risco para doenças no rim e na retina (olhos). - Geralmente não está sozinha, vem acompanhada de sobrepeso/obesidade, diabetes tipo 2 e hipercolesterolemia. - Uma dieta que possa auxiliar na perda de peso, que aumente a sensibilidade à insulina e melhore o perfil lipídico é de extrema importância para amenizar o quadro hipertensivo.

Renan Mancio

Nutricionista

Guarulhos


A elevação da pressão arterial, ou Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é o problema de saúde pública mais impactante em nosso país, e em vários outros. Seja por causar, AVC's, Ataques do Coração, Danos aos rins e às artérias em geral, leva à maioria das mortes por ano, e um sem número de sequelas limitantes ao trabalho e/ ou à qualidade de vida do portador da HAS. O difícil de aceitar é o descaso das autoridades, não-educando de forma adequada a população sobre riscos, prevenção e tratamento (o que é acessível a todos). Para receber um tratamento adequado, o ideal é ter um profissional de confiança para estabelecer um diagnóstico e tratamento adequados,assim como o acompanhamento periódico.

Otavio Eboli

Cardiologista

São Paulo

Agendar uma visita

Atualmente a hipertensão arterial é definida como PA usual igual ou superior a 140/90 mmhg, para qual os benefícios do tratamento com medicamentos foram estabelecidos definitivamente em estudos clínicos controlados. Devem-se considerar no diagnostico, o risco cardiovascular global estimado pela presença dos fatores de risco, a presença de lesões nos órgãos-alvo e as comorbidades associadas.

Ana Carolina Lahaud Ramos

Cardiologista, Médico clínico geral

Teresópolis


Hipertensão é uma doença silenciosa que afeta quase metade das pessoas acima de 80 anos. Se não identificada e tratada corretamente, aumenta o risco de infarto, derrame (AVC) e outros eventos graves. Através da consulta médica e medida adequada de pressão arterial podemos identificar e iniciar de imediato um tratamento para reduzir o risco destes eventos deletérios que podem destruir a qualidade de vida dos pacientes e de seus familiares.

César Augusto Guerra

Médico clínico geral, Geriatra

São Paulo

Agendar uma visita

Hipertensão, é o resultado da força exercida pelo sangue nas "paredes" das artérias. Essa força vem da combinação entre os batimentos cardíacos e a resistência das artérias, ou seja quanto mais endurecidas as artérias, mais alta é a pressão. Com isso, podemos já concluir, que em nossos idosos, esse valor será maior que o encontrado na população em geral. Pressão arterial elevada, ou seja, maior que 160/100mmHg, quando Não acompanhadas de Dor no peito, Faltal de ar ou dor de cabeça com confusão mental, devem baixar em até 24 horas, ou seja, o problema é o tempo (anos) com pressão alta e não apenas os picos com o muitos pensam.

Avaliação e tratamento de Hipertensão Arterial, aconselhamento acerca de hábitos de vida saudáveis e medidas não farmacológicas que são essenciais para o manejo correto desta condição.

Vinícius Gago

Cardiologista, Médico clínico geral

São Paulo

Agendar uma visita

Abordagem personalizada para o paciente aliando mudança no estilo de vida e terapia medicamentosa, com o objetivo de minimizar risco cardiovascular.

Isis Mesquita Faria

Médico clínico geral, Endocrinologista

Rio de Janeiro


Hipertensão arterial é sem dúvida um dos principais fatores de risco do população na atualidade, pode ser assintomática mesmo com valores elevados,pode ser essencial, ou secundária a outras doenças. Consiste em valores médios da pressão maiores que 130x80 de uma forma geral, mas com metas diferentes para diferentes grupos populacionais... Em virtude dos riscos de infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, doença renal crônica, insuficiência cardíaca congestiva dentre outros riscos serem aumentados nos hipertensos - sugiro um segmento e rastreio a todos em geral com consulta clinica pelo menos anual.

Diogo Da Luz

Cardiologista, Médico clínico geral

São Paulo


Os 5 principais cuidados com a pressão alta do seu filho: 1) Faça consultas regulares no nefrologista infantil de sua confiança; 2) Mantenha os exames periódicos sempre em dia; 3) Certifique-se de que seu filho esteja tomando as medicações prescritas corretamente; 4) Tente, sempre que possível, manter um controle da pressão arterial anotando em um caderno ou no bloco de notas do celular. Dessa forma você tem um controle para saber se a mesma se mantém dentro dos valores desejados; 5) Informe-se e questione. Nunca fique com dúvidas. É importante entender exatamente o que e como fazer, para que esteja seguro em oferecer o melhor tratamento para o seu filho.

Marcela Ferreira De Noronha

Nefrologista, Pediatra

São Paulo

Agendar uma visita

A Hipertensão é muito comum na população adulta. Considerada fator de risco para Acidente vascular cerebral. O problema muitas vezes -- é assintomática, ou seja não causa sintomas. Daí a importância de fazer um acompanhamento cardiológico regular. Prevenção é melhor remédio.

Leonardo Freitas Lopes

Cardiologista

Salvador


A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é a doença cardiovascular de grande prevalência no Brasil e no mundo, por ser uma doença crônica, necessita de controle por toda a vida. Para o correto tratamento da hipertensão arterial é necessário a mudança dos hábitos de vida associadas ou não ao uso regular e diário de drogas anti-hipertensivas. O acompanhamento inicia-se com o diagnóstico correto, seguido da investigação de lesões em órgãos alvos, classificação do risco cardiovascular e escolha adequada do tratamento.

Ieda Maria Leonel

Médico clínico geral, Médico de família

Curitiba


A Hipertensão no idoso tem várias peculiaridades, desde o valor ideal, até os tipos ideais de medicações para cada indivíduo. Diversas vezes melhoro sintomas que alteram a qualidade de vida com mudança de medicamentos da pressão. Determinados remédios são ruins para incontinência urinária - perda do controle sobre a urina-, outros podem piorar intestino preso, alguns são menos indicados para diabéticos, sempre que realizo as mudanças explico ao cardiologista o motivo(caso acompanhe previamente com um), visando manter acompanhamento multidisciplinar, pensando sempre no melhor para o paciente.

Lucas Motta Fernandes

Médico clínico geral, Geriatra

São José do Rio Preto

Agendar uma visita

A Hipertensão arterial é também conhecida popularmente como pressão alta. Considera-se elevada quando superior a 140 x 90 mmHg (milímetro de mercúrio), ou seja, acima de 14 por 9. É uma doença silenciosa, manifestando sinais de sintomas tardiamente na maioria das vezes. A pressão alta pode causar infarto, AVC, insuficiência cardíaca, insuficiência renal, entre outras doenças, daí a importância da consulta com o cardiologista para diagnosticá-la precocemente e tratá-la adequadamente.

Thiago Pouso De Oliveira

Cardiologista

São Paulo


A pressão alta é assintomática na maior parte dos casos. Algumas vezes a sua primeira manifestação pode ser até uma complicação no sistema cardíaco, e por isso, ela deve ser medida em toda consulta médica. Após o seu diagnóstico, o objetivo de seu tratamento passa a ser o controle dos níveis pressóricos, e um fato interessante é que respeitando a heterogeneidade de cada um, esses valores podem ser diferentes. E para alcançar essa finalidade sabemos que as orientações para mudanças do estilo de vida tem um papel fundamental. Perder peso, ter uma alimentação saudável, moderar o consumo de álcool, praticar exercícios físicos, cessar o tabagismo e controlar o estresse também podem ajudar.

Milton Roberto Furst Crenitte

Médico clínico geral, Geriatra

São Paulo

Agendar uma visita

A pressão alta é um fator de risco independente para infarto, insuficiência cardíaca, AVC. A hipertensão acomete boa parte da população mundial e tem dois aspectos fundamentais : a maioria das pessoas que tem pressão alta não sentem nada e as pessoas que tratam hipertensão não conseguem um controle adequado. É fundamental realizar avaliações de rotina e retornos frequentes para um melhor tratamento e redução de complicações.

Tatiana Brito Klein

Cardiologista, Generalista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

A hipertensão arterial (popularmente conhecida como pressão alta) é uma doença crônica que acomete milhões de pessoas em todo o mundo. Ao contrário do que boa parte das pessoas pensam e de que alguns profissionais de saúde propagam, trata-se de uma doença assintomática, cujo diagnóstico só pode ser feito por meio de medidas - realizadas pelo médico ou por meio do aparelho de MAPA. É uma doença grave quando não tratada adequadamente, pois está relacionada no médio e longo prazo com múltiplas complicações: infarto, AVC (derrame), problemas renais, aneurisma de aorta, insuficiência cardíaca (coração fraco) etc. O tratamento e acompanhamento médico corretos evitam problemas no futuro.

Rafael Macedo

Cardiologista, Médico clínico geral

Uberlândia

Agendar uma visita

Na consulta, dicutimos os fatores causadores e o que podemos fazer para tratar a hipertensão, com medicamentos e principalmente sem eles. Dicas para medir a pressão arterial: - Permaneça sentado(a) por 5 minutos; - Não faça ingestão de qualquer substância excitante: café, guaraná, Coca-Cola, chás 30 minutos antes; - Não fume 30 minutos antes; - Esvazie a bexiga antes; - Mantenha a braçadeira da pressão no nível do coração.

Fabricio Pelucci

Cardiologista, Médico do trabalho

Belo Horizonte


A doença cardiovascular é a mais frequente do mundo. Responsável por cerca de 30% da mortalidade no mundo. Dentre a doença cardiovasculares a hipertensão é a mais prevalente. Importante ressaltar que, cerca de 80% dos pacientes sabidamente diagnosticados com hipertensão são absolutamente assintomáticos.

Rizzieri Gomes

Cardiologista

Manaus


Em geral, a pressão arterial elevada não tem sintomas. Ao longo do tempo, se não for tratada, poderá causar problemas de saúde, como doenças cardíacas e acidente vascular cerebral.

Você sabia, que o aumento dos níveis pressóricos pode aumentar o risco de desenvolver AVC (derrame) e Infarto? O ideal é manter sua pressão dentro dos níveis considerados normais, no máximo até 130/90mmHg, com algumas exceções. Evite o consumo de sal em excesso, produtos industrializados, em conserva, que contém alto teor de sódio. Faça atividade física regular! Se mesmo assim, seus níveis pressóricos, se mantiverem elevados, não deixe de tomar sua medicação. Muitas pessoas acabam desenvolvendo a doença da Hipertensão. Nesses casos, o controle com medicação é essencial! Não tenha medo, nem receio, de usar o medicamento prescrito! Ele existe para te ajudar a se manter nos níveis normais.

Érica Renata De Medeiros

Cardiologista, Geriatra

Brasília

Agendar uma visita

A hipertensão arterial é uma doença muito presente na população e sua presença é mais provável com o avançar da idade. O envelhecimento aumenta o risco de complicações associadas à hipertensão arterial como infarto, acidentes vasculares cerebrais e a Demência de Alzheimer e morte. Sendo assim, é necessário avaliar se ela está sendo desenvolvida e adotar medidas para prevenir ou controlar seu desenvolvimento.

Daniela M. Menezes

Generalista

Salvador


Hipertensão arterial é condição clínica multifatorial caracterizada por elevação sustentada dos níveis pressóricos ≥ 140 e/ou 90 mmHg. Frequentemente se associa a distúrbios metabólicos, sendo agravada pela presença de outros fatores de risco, como colesterol alto, obesidade abdominal, e diabetes. Mantém associação independente com eventos como morte súbita, acidente vascular cerebral (AVC), infarto agudo do miocárdio (IAM), insuficiência cardíaca (IC), doença arterial periférica (vascular) e doença renal crônica (DRC), fatal e não fatal. Por isso, a importância de um acompanhamento médico e bom controle da pressão arterial, mesmo quando o paciente é assintomático.

A hipertensão arterial e uma doença que atinge 32,5% dos indivíduos adultos e mais de 60% dos idosos no Brasil, contribuindo direta ou indiretamente para 50% das mortes por doença cardiovascular. Normalmente se apresenta de forma assintomática, porém se não controlada tende a acometer diversos órgãos como o cérebro, coração, rins e olhos, provocando doenças como a insuficiência cardíaca e renal, alterações na visão por acometimento da retina, além de aumentar o risco de desenvolver eventos agudos como infarto agudo do miocárdio (IAM) e acidente vascular cerebral (AVC). Valores a partir de 140x90mmHg já são considerados hipertensão arterial e devem ser combatidos.

Em uma dieta para hipertensos, somente reduzir o consumo de sal e alimentos ricos em sódio não é o suficiente. Evitar produtos industrializados e super processados é importante. Entre os produtos industrializados que são ricos em sódio e outros componentes inflamatórios, e que devem ser excluídos do grupo de alimentos para hipertensos, estão os caldos de carne ou de legumes, o macarrão instantâneo, e as carnes processadas como linguiça, salsinha e salame, bolachas industrializados, alimentos com farinhas refinadas. Prefira sempre alimentos em seu formato natural! Bebidas alcoólicas também não são interessantes nesses casos, então evite.

Hipertensão arterial Sistêmica é uma doença bastante prevalente mundialmente; tem caráter silencioso e portanto não dá sinais de ter se instalado. Além do fator hereditário, os hábitos de vida atuais favorecem o surgimento precoce da mesma: má alimentação, aumento do estresse e da ingesta de bebida alcoólica assim como sedentarismo e tabagismo. Conscientizar o paciente da necessidade da mudança do estilo de vida, introdução da atividade física como rotina e compreensão das complicações da doença é o meu papel no consultório.

Raquel Coelho

Cardiologista

Salvador

Agendar uma visita

O tratamento da pressão alta depende do médico e também do autocuidado do paciente. As medicações ajudam muito, mas pequenas mudanças de hábitos de vida devem ser feitas pelo hipertenso. Na consulta darei todas as orientações básicas, solicitarei exames e farei a prescrição dos melhores medicamentos para cada caso, individualmente e de acordo com as possibilidades e preferências de cada paciente. Sempre ouvindo as queixas e cuidando da saúde como um todo.

A Hipertensão Arterial é uma doença crônica, de origem multifatorial, caracterizada por elevação sustentada dos níveis de pressão arterial ≥ 140 (pressão sistólica) e/ou 90 (pressão diastólica) mmHg.0. Em grande parte dos casos, a Hipertensão Arterial é assintomática, justificando seu apelido de “Assasina silenciosa”. No Brasil, atinge 32,5% (aproximadamente 36 milhões) de indivíduos adultos, mais de 60% dos idosos, contribuindo direta ou indiretamente para 50% das mortes por doença cardiovascular. Ofereço um tratamento clínico individualizado para cada paciente, otimizando os resultados e reduzindo o risco de suas temidas complicações.

Lucas Miranda

Cardiologista

Brasília

Quais profissionais tratam Hipertensão?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.