Ambliopia - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Ambliopia é uma baixa visual unilateral ou bilateral (raramente) causada por privação visual ou então interação binocular anormal.Os olhos e as vias visuais são anatomicamente perfeitos.

É o que chamamos de "olho preguiçoso". É um olho saudável que por algum motivo não foi estimulado e por isso não apresenta uma visão satisfatória. É muito frequente em estrabismos, onde temos um olho que entorta e este por não ser estimulado apresenta baixa visual. Pode ocorrer também em casos de graus elevados no óculos sem correção na infância e doenças que causem opacidade de meios(catarata, cicatriz na córnea etc).

O tratamento para ambliopia deve ser feito idealmente até os 7 anos de idade, o quanto antes melhor.Existem opções terapêuticas para quem ultrapasse este prazo, porém a recuperação visual é parcial.

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - ambliopia

Marden Azevedo Dos Anjos

Marden Azevedo Dos Anjos

Oftalmologista

Montes Claros

Janaína De Oliveira Dias

Janaína De Oliveira Dias

Oftalmologista

Chapecó

Carolina Magalhães Bianchi

Carolina Magalhães Bianchi

Oftalmologista

Fortaleza

Áisa Lani

Áisa Lani

Oftalmologista

Campo Grande

Marcelo Hideo Urakawa

Marcelo Hideo Urakawa

Oftalmologista

Itaquaquecetuba

Gilberto Vianna Sanches Junior

Gilberto Vianna Sanches Junior

Oftalmologista

Belo Horizonte

Perguntas sobre Ambliopia

Nossos especialistas responderam a 161 perguntas sobre Ambliopia

Geralmente o que pode eliminar nos concursos é a baixa visão, então é necessária uma consulta oftalmológica completa.
É importante lembrar que cada concurso tem seu edital, então os quesitos…
1 respostas

Boa noite
PL quer dizer só enxerga projeção luminosa

CD quer dizer só enxerga conta dedos a 2 metros
2 respostas

Olá! Para considerar que um olho tenha cegueira legal, conforme a legislação atual, ele deve apresentar visão de 20/400 ou pior, com a melhor correção refracional. Deve-se também avaliar se a…
1 respostas

Especialistas falam sobre Ambliopia

Baixo desenvolvimento cerebral da visão por falta de estímulo adequado durante a infância.Pode ter várias causas como catarata congênita,trauma,diferença grande de grau entre os olhos,estrabismo.Para evitar é muito importante o acompanhamento da criança regular com oftalmologista do nascimento aos 7 anos.

Ana Carla De Souza Nery Feijó

Oftalmologista

Goiânia


Na ambliopia, também conhecida como "olho preguiçoso", ocorre a diminuição da visão em um dos olhos na infância. Pode ter várias causas como estrabismo, erros refrativos e privação visual. O tratamento pode ser realizado com a prescrição de óculos, uso de tampão, colírios, dentre outros. A ambliopia deve ser tratada, já que a visão se desenvolve até determinado período da infância, podendo causar perda permanente da visão se não tratada precocemente. Atualmente vem sendo realizados muitos estudos nessa área, com enfoque no tratamento binocular da ambliopia, ou seja, com os dois olhos sendo utilizados, com auxílio de "tablets" e aplicativos de jogos/filmes.

Bruna Lana Ducca

Oftalmologista

São Paulo


A ambliopia ou “olho preguiçoso” é a redução da visão que, em geral, não pode ser corrigida somente com uso dos óculos. Ela não deve ser confundida com o olho que desvia, que é chamado de estrabismo. Ambliopia trata-se de uma falha no desenvolvimento da acuidade visual por falta de estímulo adequado durante o período crítico do desenvolvimento visual (antes dos 8 anos de idade). Se essa falha não for corrigida durante a infância, a criança pode ter diminuição visual, perda da função de sensibilidade ao contraste, dificuldade de localização e distorções espaciais permanentes.

Dayane Issaho

Oftalmologista

Curitiba

Agendar uma visita

Ambliopia é quando o olho não desenvolve a visão potencial, por alguma limitação de estímulo. A causa mais comum é o grau não devidamente corrigido na infância. A visão tem a capacidade de se desenvolver até os 7 anos de idade! Por isso, é fundamental que a criança entre 2 e 4 anos vá ao oftalmologista para uma avaliação.

Juliana Vieira

Oftalmologista

Santo André


Para a Ambliopia realizamos o acompanhamento a cada 30,60 e 90 dias ,crianças de 03 a 08 anos,utilização de óculos se necessário,oclusão em casa realizada pelos pais ou responsáveis.Este método de tratamento é eficaz em 90 % dos casos,quando bem seguido e realizado.Oferecemos um acompanhamento seguro e eficaz pela nossa larga experiência.

Ocorre em cerca de 3-4 de cada 100 crianças. Quando uma criança nasce com olhos normais, ela tem o potencial de boa visão em ambos os olhos, mas deve aprender a ver com cada um deles. Se por alguma razão, a criança preferir usar mais um olho do que o outro, o olho preferido aprende a enxergar bem mas o outro sofre de “falta de uso”. Este é chamado de olho preguiçoso (ambliopia). Uma das principais causas é o estrabismo, mas pode ocorrer em crianças com olhos alinhados (por alta hipermetropia em 1 dos olhos, por ex.). Como não ocasiona sintomas, recomenda-se exames periódicos durante a infância, para permitir sua detecção. O diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso no tratamento.

Giovanni Travi

Oftalmologista

Porto Alegre

Agendar uma visita

Não desenvolvimento da visão de um dos olhos por privação visual. Em alguns casos, crianças menores de 8 anos, conseguimos reverter o quadro através de tratamento correto e acompanhamento com médico oftalmologista.

Gabriela Gouvêa Lopes

Oftalmologista

Rio de Janeiro


Tratamento da "vista preguiçosa". Geralmente a primeira etapa do tratamento dos estrabismos em crianças. Realizado com uso de oclusor (tampão) e em alguns casos também de óculos. O tratamento precoce é muito importante!

Ana Gabriela Zum Bach

Oftalmologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Ambliopia?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.