Doenças das cartilagens - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - doenças das cartilagens

Jorge Wenke

Jorge Wenke

Ortopedista - traumatologista

Rio de Janeiro

Danilo Bordini Camargo

Danilo Bordini Camargo

Ortopedista - traumatologista

Sorocaba

Breno Oliveira de Barcelos Martins

Breno Oliveira de Barcelos Martins

Ortopedista - traumatologista

Belo Horizonte

Fúlvio Rossetti

Fúlvio Rossetti

Médico do esporte, Ortopedista - traumatologista

São Paulo

Flávia Pereira Nigro

Flávia Pereira Nigro

Médico do esporte, Radiologista

São Paulo

Antonio Rodolpho Hakime Scalize

Antonio Rodolpho Hakime Scalize

Ortopedista - traumatologista, Médico do esporte

Ribeirão Preto

Perguntas sobre Doenças das cartilagens

Nossos especialistas responderam a 3 perguntas sobre Doenças das cartilagens

Especialistas falam sobre Doenças Das Cartilagens

A artrose é a doença que mais afeta o joelho. Mas outras doenças envolvendo a cartilagem também podem acometer o joelho como, por exemplo, a condromalácia patelar, a osteocondrite dissecante, a condromatose sinovial e diversas outras condropatias. O importante é fazer o diagnóstico cedo para evitar a progressão dessas doenças. Os sinais de alerta que devem levar você a consultar um ortopedista especialista em joelho são: dor, joelho inchado, barulhos no joelho, falseio do joelho ( sensação de que o joelho "sai do lugar" ) e o bloqueio articular ( quando o joelho "trava").

Adriano Karpstein

Médico do esporte, Ortopedista - traumatologista

Curitiba


A lesão osteocondral do talus no tornozelo é uma degeneração da cartilagem, como se fosse uma fratura da cartilagem apenas, que leva a dor. O tratamento pode ser conservador, com fisioterapia e restrição de atividade. Mas na maioria das vezes evolui para um tratamento cirúrgico, com diversas opções. Pessoalmente, prefiro a técnica por artroscopia, com desbridamento da cartilagem ruim e microperfuração com estímulo da medular. Em casos de falha no tratamento por artroscopia ou lesões muito grandes pode-se pensar em outras técnicas como preenchimento de cistos e transplante de cartilagem.

Tiago Doyle

Ortopedista - traumatologista

Rio de Janeiro


Vou falar um pouco sobre visco suplementação: É uma infiltração que se faz em consultório com ou sem anestesia local. Usamos algumas vezes corticoides ou somente o ácido hialurônico, que existe em várias formas e nomes. O objetivo da medicação e criar um ambiente melhor no joelho, lubrificando a cartilagem com a medicação que é muito viscosa. Seu efeito máximo é em 3 a 4 semanas, devendo o paciente manter repouso no dia do procedimento e no dia seguinte. Pode ser repetido 6/6 meses , mas em geral faz se anualmente. É uma boa opção nos casos com lesão da cartilagem da patela e fêmur moderada a avançada.

Michal Alexander Danin Kossobudzki

Médico do esporte, Ortopedista - traumatologista

Brasília

Agendar uma visita

A principal função da cartilagem é diminuir o atrito na articulação. Lesões de cartilagem podem ocorrer por trauma agudo ou degeneração. Os principais sintomas são dor e inchaço da articulação, podendo haver também sensação de falseio ou bloqueio articular. Cartilagens têm baixo poder de cicatrização e regeneração e quando não tratadas essas lesões predispõe ao desenvolvimento de osteoartrose. O diagnóstico é feito por meio das queixas do paciente, do exame físico e de exames de imagem. O tratamento deve ser individualizado para cada paciente. Na maioria das vezes o tratamento conservador é a primeira opção terapêutica; em alguns casos o tratamento cirúrgico pode ser necessário.

Iberê Datti

Ortopedista - traumatologista

São Paulo

Quais profissionais tratam Doenças das cartilagens?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.