Compulsão alimentar - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em compulsão alimentar

Encontre um especialista em Compulsão alimentar na sua cidade:
Fernando Miguel Voigt

Fernando Miguel Voigt

Psicanalista

Ibirama

Celi de Lara

Celi de Lara

Psicólogo

Porto União

Talita Lelis Berti

Talita Lelis Berti

Nutricionista

Petrópolis

Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Luis Falivene Roberto Alves

Luis Falivene Roberto Alves

Psiquiatra

Campinas

Ana Larissa Marques Perissini

Ana Larissa Marques Perissini

Psicólogo, Sexólogo

São José do Rio Preto

Perguntas sobre Compulsão alimentar

Nossos especialistas responderam a 22 perguntas sobre Compulsão alimentar

 Marcela Duarte Bottas
Marcela Duarte Bottas
Psicanalista, Psicólogo
Carapicuíba
Olá, boa tarde.
Entao, acredito que esteja sim com compulsão alimentar que envolve bastante angústia e ansiedade. E pelo fato de se sentir culpada depois, isso pode gerar algo mais serios…
4 respostas

 Maria Auxiliadora Costa
Maria Auxiliadora Costa
Psicanalista, Psicólogo
Brasília
Fazer uma avaliação médica é importante. A Psicotetapia também te ajudará a entender a compulsão alimentar para além dos sintomas.
11 respostas

 Giselle Souza
Giselle Souza
Nutricionista
Nilópolis
O ideal é você além de fazer um tratamento medicamentoso procurar também tratamentos que te ajudem a ter controle sobre sua a alimentação. Associar a terapia com um plano alimentar que te ajude…
5 respostas

Especialistas falam sobre Compulsão alimentar

Trato compulsão alimentar, uma das principais causas de obesidade, de forma segura, efetiva e duradouro , através de tratamentos modernos e inovadores.

Para o tratamento de compulsão alimentar as sessões são realizadas para diagnosticar quais são as emoções, situações e comportamentos voltados a compulsão alimentar, fazendo com que o paciente reflita sobre a sua alimentação e lide com seus problemas reais e não o abuso da comida. A prática da hipnose também é realizada para auxiliar no tratamento.

É um dos distúrbios alimentares mais comuns, onde a pessoa perde o controle sobre o consumo de alimentos, normalmente ela vem acompanha de culpa, vergonha e angústia em frente à situação, são sentimentos que podem levar à uma compulsão excessiva. É comum os pacientes geralmente terem sobrepeso ou obesidade.

É comum ter uma relação emocional com os alimentos e isso facilita o comer exagerado Uma das maiores dificuldades de quem quer emagrecer é controlar o desejo por comida e saber se alimentar de forma equilibrada. Ao cuidar da sua mente, automaticamente você estará também cuidando da saúde do seu corpo. Tudo está interligado Os pontos emocionais ligados aos distúrbios alimentares mais comuns são: ansiedade, compulsão, depressão e/ou fatores psicológicos negativos. Quem sofre com essas questões psicológicas, às vezes, acaba por descontar na comida e comer em excesso.Muitas pessoas buscam na comida a recompensa , o prazer, o bem-estar. Dessa forma, é difícil conseguir o autocontrole.

Adriana Santos

Psicanalista, Psicólogo

Osasco


As compulsões alimentares são maneiras que as pessoas encontram para resolver certos conflitos em suas vidas com os quais elas não conseguem lidar bem. É comum ouvir relatos de pessoas que "descontam tudo na comida": ansiedade, frustrações e angústias. Para não ter que lidar com a dificuldade na resolução dos conflitos, varias pessoas encontram na compulsão alimentar uma maneira de fugir deles, buscando um conforto na comida. No entanto essa é uma "solução" que custa caro: as modificações corporais e psíquicas do excesso de comida também causam ansiedade e podem levar à depressão. O tratamento consiste em identificar e solucionar os conflitos que causam a compulsão.

Bernardo Caldeira

Psicanalista, Psicólogo

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Durante a maior parte da evolução humana,os ancestrais sobreviviam daquilo que conseguiam extrair da natureza, era difícil estocar alimentos, devido a sua escassez. Na atualidade a urbanização induziu mudanças nos padrões de vida e comportamento alimentar do homem, consumindo mais alimento processados. A ciência destaca que os alimentos e nutrientes interagem com os genes, ativam mensagens de saúde e doença, de ganho ou perda de peso. Como o ato de comer está associado à sensação de prazer, muitas vezes, comemos mais do que seria indicado para suprir as necessidades do nosso organismo.

As compulsões alimentares fazem parte das consequências de uma ansiedade desgovernada ou de alguns problemas mais sérios de responsabilidade da medicina, o psicólogo pode ajudar esse paciente a entender o que está levando ele a um descontrole nas questões alimentares e assim identificar pontos importantes para se pensar e trabalhar. É na sala de um psicólogo que muitas vezes encontramos "a raiz" dos nossos problemas e por fim é ali que decidimos o que fazer com essa descoberta, afinal, pensar no que se come é poder entender que devemos comer bem para viver bem, ou seja, colocar a boa alimentação como necessidade básica para boa parte da felicidade em nossas vidas.

Daniel Rodrigues Da Silva

Psicanalista, Psicólogo

Araraquara

Agendar uma visita

A compulsão envolve dois elementos essenciais, o primeiro é comer uma grande quantidade de alimento, em um curto espaço e tempo, e segundo é uma sensação de perda de controle no momento em que está se alimentando, além desses, existem outros episódios, como culpa, comer escondido. Se a pessoa apresenta estes comportamentos mais de uma vez por semana, nos últimos três meses é necessário que haja uma avaliação, para que a partir do diagnóstico, haja um plano de tratamento individualizado, que envolvem três abordagens: acompanhamento psicológico, psiquiátrico e nutricional. Normalmente a compulsão alimentar está associada a níveis elevados de sofrimento, obesidade e prejuízos diversos na vida.

Michely Freitas

Psicanalista, Psicólogo

Rio de Janeiro


Necessita de uma avaliação nutricional bem detalhada e um plano dietoterápico adequado a rotina de cada um.

Roberta Conejo

Nutricionista

Brasília

Agendar uma visita

A análise pode te ajudar a entender sua relação com a comida e qual o significante que esta traz, ou seja, qual a representação da comida em sua vida e se esta aparece como meio compensatório de algo.

Niliane Maria De Brito Alves

Psicólogo

Salvador


Os processos que envolvem esse transtorno estão muitas vezes relacionados a sentimentos de raiva, angústia, ansiedade durante ou depois da alimentação compulsiva, o estresse pode tanto causar quanto ser causado pela compulsão alimentar, gerando dessa forma, um ciclo, em que a pessoa come para ficar menos estressada, acaba ficando mais estressada por ter comido demais e volta a comer para diminuir o estresse. Comer é um habito, e hábitos podem ser mudados e mudar hábitos com ajuda de um profissional capacitado pode sim, fazer toda a diferença.

Lucidalva Oliva

Psicólogo, Terapeuta complementar

Salvador

Agendar uma visita

A compulsão alimentar é tratada de com a retirada dos agentes que promovem o desequilíbrio alimentar e neuronal , podendo se por excesso de açúcares e farinhas brancas, opioides alimentares, grande consumo de glutamato monossódico, grandes períodos em jejum , e baixa de serotonina (dieta da felicidade) . O paciente em equilíbrio consegue se manter dentro do planejamento sem crises de compulsão , visto que o plano incluirá alimentos que promoverão o equilíbrio orgânico além de saciedade , e maior bem estar pois irei trabalhar estimulando a serotonina , reduzindo a ansiedade.

Rachel Rodrigues

Nutricionista

Nova Iguaçu

Agendar uma visita

A compulsão alimentar está relacionada a comer quantidades maiores que o corpo precisa e sem ter fome. Ela está relacionada ao estado mental daquela pessoa. Pode ser tratada com mudança comportamental e até auxílio psicológico.

Bárbara Costa Santos

Nutricionista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Utilizamos uma abordagem moderna para Compulsão Alimentar, utilizando a Estimulação Magnética Transcraniana, técnica indolor, segura e aprovada, que ativa centros cerebrais relacionados ao controle de impulsos e à saciedade. O tratamento pode ser complementado por orientações de dieta, treinos comportamentais e uso de mediações se necessário. Utilizamos também técnicas de MindfulEating, método que combina práticas de Meditação associadas ao hábito alimentar e que pode reduzir até 40% das calorias consumidas por refeição.

A pessoas compulsivas raramente tem consciência da sua fome fisiológica, usando a comida, consciente ou inconscientemente para lidar com a ansiedade, se acalmar quando está estressado ou para se reconfortar quando se sente triste e solitário. A abordagem da Terapia Cognitiva Comportamental relacionada pensamento, emoção e comportamento manifesto e o tratamento baseia-se exclusivamente em técnicas de redução da ansiedade, automanejo do comportamento e modificação de cognições desadaptadas. O paciente examina a validade de suas crenças no presente e muda seu comportamento disfuncional.

O excesso de dietas restritivas tem provocado o aparecimento de um problema chamado de transtorno de compulsão alimentar. É importante que a gente não confunda a culpa por comer, o comer fora do horário, o escapulir da dieta como compulsão alimentar. No Transtorno de compulsão alimentar, tudo isso acontece, mas é maior do que isso. Exige um tempo (duração) e a frequência desse comportamento. Caso você já tenha esse diagnóstico, iremos trabalhar como nossos pensamentos e emoções interferem neste comportamento alimentar. Vou te ajudar a mudar seus hábitos e desenvolver uma relação saudável com a comida. Procure ajuda, ela é essencial para sua qualidade de vida.

Em sua maioria, as pessoas com obesidade tem compulsão alimentar. Geralmente, esse desejo pelo chocolate, doce ou qualquer outro alimento, esconde uma necessidade emocional, muitas vezes inconsciente. Ou seja, ao comer o açúcar, a massa ou a carne, a pessoa está preenchendo um espaço vazio em sua estrutura emocional que faltou no passado ou falta no presente. E a cada chocolate comido, esse sentimento de falta é preenchido, fazendo a pessoa querer cada vez mais sentir-se completa. Com isso, o consumo se eleva, contribuindo com o crescimento de sua compulsão e consequentemente com o aumento de seu peso.

A pessoa que apresenta Compulsão Alimentar frequentemente também manifesta sintomas e sinais ansiosos ou depressivos significativos, que algumas vezes indicam a existência de um outro Transtorno Psiquiátrico associado. O controle do quê, como, quando e quanto comer está ao alcance das mãos. Porém, as mãos são controladas pelos pensamentos e sentimentos, que por vezes podem fugir do nosso próprio controle. A Nutrição, a Psicologia e a Psiquiatria são forças profissionais aliadas para o diagnóstico e para o tratamento efetivo e adequado dos episódios de Compulsão Alimentar.

Renan Rocha

Psiquiatra

Criciúma


A compulsão alimentar é muita das vezes uma compensação de algumas dificuldades que a pessoa está passando e compensa na comida. Muitas vezes come sem fome. A compulsão pode ser por comida, mas também pode ser por outras coisas, como bebida, cigarro, sexo, compras, drogas, etc. O mecanismo é o mesmo. O tratamento indicado é psicoterapia com psicólogo experiente para entender as causas desse sintoma e ajudar a levar consciência para que esse sintoma seja desfeito.

Fabiana Fuchs

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Para o emagrecimento ter resultados verdadeiros, é preciso tratar todos os distúrbios fisiológicos e emocionais que podem estar causando o ganho de peso. Através do Coaching de Emagrecimento e da Nutrição Funcional aliada a Fitoterapia, é possível tratar a compulsão alimentar pela raiz de forma saudável e definitiva.

A compulsão alimentar caracteriza-se pelo consumo de grande quantidade de alimentos, num curto período de tempo com a sensação de falta de controle sobre o que se está comendo. Além disso, muitos pacientes costumam ter dificuldades para perceber a fome e a saciedade, levando-os a comer em excesso. Também é frequente uma sensação de vontade aumentada de comer ou a busca por comida em resposta a emoções. O tratamento com nutricionista comportamental ou especializado em transtornos alimentares envolve identificar os gatilhos para que esses episódios sejam evitados, resgatar os sinais de fome e saciedade e reconstruir uma boa relação com a comida, garantindo uma alimentação prazerosa e saudável.

Maria Luiza Petty

Nutricionista

São Paulo


A compulsão alimentar ou "transtorno compulsivo alimentar periódico" consiste no hábito de ingesta de grande quantidade de alimento em um curto espaço de tempo, seguido de sensação de culpa. É uma das causas de obesidade e tem relação com transtornos de ansiedade. O tratamento consiste em orientações comportamentais e medicações quando necessário. Um acompanhamento psicológico é fundamental.

Rafael Nardini Queiroz Pergher

Médico clínico geral, Endocrinologista

São Paulo

Agendar uma visita

Compulsão alimentar é um distúrbio em que a pessoa sente a necessidade de comer, mesmo quando não está com fome, não deixando de se alimentar apesar de já estar satisfeita. O tratamento / acompanhamento é feito de forma eficaz respeitando e, entendendo o que levou ao paciente a esse distúrbio. Além do plano alimentar, trabalho a compulsão com aurículoterapia trazendo o equilíbrio do corpo.

A compulsão é um distúrbio alimentar caracterizado principalmente pela injestão exagera de alimentos, mesmo quando não há fome e em curtos espaços de tempo. O paciente desenvolve uma relação de dependência com a comida. Alguns sinais da compulsão alimentar são: comer escondido, comer sem estar com fome, comer para se sentir emocionalmente bem e sentir culpa após um episódio de descontrole. O diagnóstico é clínico e a psicoterapia ajuda bastante, mas em alguns casos é necessário utilizar medicação ansiolítica. Procure sempre orientação profissional.

Magaly Sarah

Psicólogo

Boa Vista


Vamos falar sobre Transtornos Alimentares? Engana-se quem acredita que estamos falando apenas da ingestão ou a expulsão de alimentos do organismo; de ingerir em demasia ou recusar ininterruptamente um alimento. Estamos falando sobre processos emocionais mal elaborados. Para que um transtorno alimentar venha se desenvolver é necessário que fatores biopsicossociais perpassem um indivíduo, ocasionando "traumas". Os Transtornos Alimentares geralmente tem a abertura de seus quadros na infância e pré-adolescência, momento crucial do desenvolvimento emocional de um individuo, onde cada qual busca sobreviver ao mundo a sua maneira. O Transtorno Alimentar é uma resposta.

A Hiperfagia ou Compulsão Alimentar, consiste em frequentes episódios de comer em excesso, e pelo consumo de grandes quantidades de comida em curtos intervalos de tempo. As pessoas que se percebem como compulsivas costumam relatar a sensação de perda de controle sobre o que está comendo. Dizem ter extrema satisfação durante a degustação do alimento e muita culpa após o término, ela pode utilizar-se da comida como uma estratégia de controle emocional, ingerindo altas doses de açucares e gorduras para fugir do contato com emoções aversivas. Você consegue perceber a diferença entre a fome física e a fome emocional? Posso te ajudar a entender.

A Compulsão Alimentar é um transtorno alimentar caracterizado por uma relação de dependência e exagerado consumo de alimentos, normalmente hiper calóricos. É diferente da gula e da fome excessiva, pois a pessoa com compulsão alimentar sente uma sensação de descontrole, já que são consumidas enormes quantidades de alimentos mesmo sem apetite para tal e, consequentemente, um sentimento de vergonha e receio do julgamento dos outros. Estes episódios compulsivos estão ligados a dificuldades emocionais e psicológicas, que precisam ser tratadas por uma equipe multidisciplinar, envolvendo psicólogo especializado, nutricionista e, em casos mais graves, por um psiquiatra.

Fabiana De Laurentis Russo

Psicólogo

São Paulo


A compulsão alimentar é cada vez mais comum em função do dia a dia agitado, do estresse e das preocupações. A nutrição é fundamental nesse quadro. Com um plano alimentar adequado é possível vencer essa barreira. O coaching também é fundamental nesse processo, pois as ferramentas utilizadas podem ajudar a controlar a compulsão. Isso acontece porque muitas vezes as pessoas concentram suas emoções (tristezas, angústias, ansiedade) na comida e o coaching possibilita entende e trabalhar essas emoções reduzindo os episódios de compulsão. No meu atendimento em consultório e nos grupos de emagrecimento online, trabalho muto associando o coaching e a nutrição para potencializar os resultados.

Marta Coelho

Nutricionista

Belo Horizonte


A compulsão alimentar é um sintoma presente em vários transtornos psiquiátricos. Principalmente em transtornos ansiosos. Existem medicamentos psicotrópicos que podem ajudar a controlar esse sintoma.

Comer compulsivamente é uma maneira de se distanciar das coisas da forma como elas estão, pois o prazer causado pela comida mascara a dor. É basicamente uma recusa a estar viva, a sentir. Para alterar as emoções, a compulsão deixa a pessoa entorpecida (compulsão por comida é equivalente à compulsão por sexo, drogas, etc) e cria um problema secundário, que não é a verdadeira causa do sofrimento. Acabar com a obsessão pela comida tem a ver com encarar o presente, não se afastar. Há que se entender o que dói e o que falta para essa pessoa, para ela estar precisando preencher com comida.

Carla Hofstetter

Psicanalista, Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

É importante estabelecer um diagnóstico. "Um suposto transtorno de alimentação pode acabar revelando ser, por exemplo, um transtorno de ansiedade (por exemplo, dificuldade de comer com outras pessoas em função de fobia social); algum transtorno de humor, (por exemplo perda de peso grave em função de depressão clínica); ou simplesmente comer demais em casos de obesidade." (Fairburn; Cooper; Shafran, Wilson, 2009).

Igor Costa

Psicólogo

Salvador


A compulsão alimentar se encontra em indivíduos que são facilmente atraídos e não conseguem se controlar frente a algumas situações ou alimentos específicos, alimentos que são palatáveis, um cheiro de um alimento que te faz lembrar algum momento na vida, e só se sente bem, só se sente satisfeito quando come todo aquele alimento( por exemplo: quando você não consegue parar de comer enquanto não acaba o pacote de recheado). Se você está passando por dietas, ou restrição de algum alimento, eu lhe digo, ' toda restrição inevitavelmente te leva a compulsão'.

O transtorno da compulsão alimentar periódica é caracterizado por um comportamento de ingestão de grande quantidade de comida em um período de tempo delimitado (até duas horas). Acompanha uma sensação de perda de controle sobre o que ou o quanto se come. O tratamento do transtorno da compulsão alimentar periódica deve ser multidisciplinar. A orientação nutricional deve centrar-se, primeiramente, para que haja uma diminuição da frequência dos episódios de compulsão alimentar e, posteriormente, focar na perda gradual de peso do indivíduo, quando for o caso, através de uma dieta flexível e a prática de atividade física deve ser incentivada.

Érika Campos Mota Carneiro

Nutricionista

Rio de Janeiro


Conforme o Manual Diagnostico e Estatístico de Transtornos Mentais DSM-5, descreve os critérios diagnósticos do transtorno da compulsão alimentar a seguir: 1 - Um episódio de compulsão alimentar é caracterizado pelos seguintes aspectos: - Ingestão, em um período determinado de uma quantidade de alimento definitivamente maior do que a maioria das pessoas consumiria no mesmo período sob circunstância semelhante. - Sensação de falta de controle sobre a ingestão durante o episódio, como por exemplo, sentimento de não conseguir para de comer ou controlar o que e o quanto se está ingerindo.

Um episódio de Compulsão alimentar se caracteriza pelo consumo de uma grande quantidade de alimento num curto período de tempo. Esses episódios podem ser frequentes na rotina das pessoas, causando ganho de peso e outras perdas relevantes. Podem ser parte de outros transtornos psicológicos como a Ansiedade Generalizada, Bulimia ou outros. O tratamento da compulsão envolve identificar a origem e a função desse comportamento na vida do sujeito, e com isso desenvolver um novo repertório de comportamento alimentar, e outras estratégias para lidar com os problemas de forma mais adaptada.

Atualmente 30 % da população sofre com obesidade, ofertas de comida estão por toda parte e os fatores psicológicos colaboram para que o consumo ocorra desenfreadamente. A compulsão alimentar é caracterizada pela ingestão de uma grande quantidade de alimentos num curto período de tempo, percebendo-se sem controle para tal voracidade, uma das características do paciente é a baixo auto-estima, a falta de assertividade, raramente percebe o prazer e a satisfação, muito sensível a críticas, muito ansioso... e outros. A Psicologia é uma grande aliada nesse processo de mudança, foi o que experienciei no Hospital das Clínicas em SP no AMBULIM, Laboratório de Anorexia, Bulimia e Compulsão Alimentar.

Cristine Pucci

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

A compulsão alimentar periódica é caracterizado por um comportamento de ingestão de grande quantidade de comida em um período de tempo delimitado (até duas horas). Acompanha uma sensação de perda de controle sobre o que ou o quanto se come. O tratamento do transtorno da compulsão alimentar periódica deve ser multidisciplinar. A orientação nutricional deve centrar-se, primeiramente, para que haja uma diminuição da frequência dos episódios de compulsão alimentar e, posteriormente, focar na perda gradual de peso do indivíduo, quando for o caso, através de uma dieta flexível e a prática de atividade física deve ser incentivada.

Bruna Moreira

Nutricionista

Duque de Caxias

Agendar uma visita

A compulsão alimentar pode ser seguida de vários episódios de restrição, é comum a pessoa desenvolver esse transtorno depois de diversas tentativas de fazer dieta e ter repetidos fracassos em relação à perda e a manutenção de peso. Existem outros critérios avaliativos para diagnosticar esse transtorno, mas para isso a pessoa precisa consultar um profissional habilitado e avaliar se o caso se trata de um a compulsão alimentar ou de um comedor transtornado. Cuidado com dieta restritiva, ela pode te levar a desenvolver o transtorno de compulsão alimentar! Tire suas dúvidas sobre esse transtorno.

Quais profissionais tratam Compulsão alimentar?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.