Só consigo me expressar por palavras em redes sociais, pois quando estou pessoalmente não consigo, t

40 respostas
Só consigo me expressar por palavras em redes sociais, pois quando estou pessoalmente não consigo, trava! Tenho várias coisas em mente mais não sai...

E também tenho medo da feminidade da mulher (eu) com palavras, no jeito de falar..

Algum conselho?
O ideal é iniciar um tratamento psicológico. Att
Estou à disposição para agendamento de consulta segue meu email:
Meu contato Silvana.resaffi@uol.com

Tire todas as dúvidas durante a consulta online

Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa.

Mostrar especialistas Como funciona?
Olá! Na maioria das vezes, quando expressamos uma opinião nas redes sociais, não estamos próximos de estímulos que nos deixam inibidos, como o olhar de com quem estamos conversando, suas expressões faciais e etc, que encaramos muitas vezes como sinais de ameaça. Além disso há também as pausas que fazemos para formular nosso pensamento, sendo este tempo muito menor quando conversamos com alguém pessoalmente.
É muito comum ter comportamentos diferentes dentro e fora das redes sociais. Porém, se você percebe que se sente "travada" na maioria das situações de contato social presencial, o ideal é procurar um(a) psicoterapeuta, para que você consiga compreender e trabalhar esta dificuldade.

Olá! De fato não é fácil falar de nossos sentimentos; muitas vezes nos sentimos muitos expostos com isto. O ideal seria você procurar um psicólogo para que ele possa lhe ajudar neste processo. E caso não se sinta à vontade com o primeiro profissional, busque por outro. Cada psicólogo tem uma forma de trabalho, busque por um que você se sinta melhor.

Sim, psicoterapia na abordagem Cognitivo Comportamental. O que você nos conta, demonstra que há distorções cognitivas, que criam uma realidade que provavelmente não é a real, mas você as vê assim. Procure uma profissional próximo à você e comece. Você verá que em pouco tempo haverão mudanças. Abraços...

Faça uma terapia online, procure meu contato!

Poderias procurar um psicoterapeuta para entender teu comportamento e tirar tuas duvidas. Um abraço

Bem, você já deve ter pesquisado e lido muitas coisas sobre o que acontece com você online. O grande problema é que online, lendo as respostas aqui, por exemplo, você só recebe mais informações e opiniões, mas não enfrenta de fato as suas dificuldades. E enfrentar dificuldades é se dar a oportunidade de ultrapassá-las.
Você mencionou o medo da feminilidade. Sugiro que você procure um profissional do sexo masculino, alguém que possa fazer uma aliança com você e, quem sabe, te apresente o que você teme de um jeito que você possa assimilar, ficando próximo sem tanto medo. É possível, mas apenas se você se der a chance.
Desejo-lhe boa sorte!

Olá! De fato hoje muitas pessoas têm conseguido se comunicar muito mais pela internet do que pessoalmente, por isso é importante procurar um psicólogo com quem poderá conversar sobre os seus medos, insegurança sem julgamento. O trabalho de psicoterapia consiste no autoconhecimento e a partir do momento que entender as causas conseguirá se expressar mais e assim melhorar a sua qualidade de vida, autoestima, etc. Sou especialista em Saúde Mental e fico à disposição. Um abraço.
Convidamo-lo para uma consulta: Avaliação psicológica - R$ 100
Pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão Reservar uma consulta.

Olá, boa tarde, tudo bem? Respondendo a sua pergunta, acredito que uma resignificação cognitiva e um tratamento de habilidades sociais (THS) pode lhe trazer resultados

Bem, essa dificuldade toda me parece questões de autoestima e até de fobia social. Precisa descobrir o porquê, causas, origens, crenças negativas, traumas que podem ter desencadeado essa “trava”. Uma psicoterapia ajudará muito. Procure um psicólogo para avaliação e tratamento. Mesmo você sendo uma pessoa introvertida que é normal ser mais tímida , travas não poderiam acontecer. O fluir da comunicação é importante para se conectar com o mundo, novas experiências.

Meu conselho seria procurar um(a) psicólogo(a) que trabalhe com Brainspotting, uma técnica eficaz para o tratamento desses medos.

Olá! Diferentes dinâmicas da nossa personalidade, algumas conscientes, outras não, podem influenciar o quanto nos sentiremos a vontade para falarmos o que queremos para outras pessoas, assim como nossa relação com nossa feminilidade ou masculinidade.
Em um processo de psicoterapia com um psicólogo, será possível compreender essas dinâmicas, seja pelo diálogo, seja pelo uso de outras técnicas, e superar os obstáculos que te incomodam.
Fico a disposição, abs.
Convidamo-lo para uma consulta: Primeira consulta - conversa inicial - R$ 100
Pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão Reservar uma consulta.

Bom dia tudo bem?
A sua pergunta me pareceu um tanto vaga de forma que não me sentiria a vontade de chamar de medo como você nomeia ou qualquer outro sentimento.
Existe aí uma dor, isso fica óbvio, qual a sua origem ou como lidar com ela é difícil dizer lendo apenas uma frase em um computador, seria necessário conhece-la e tentar entende-la em sua história de vida, seu contexto atual, sua visão de mundo e personalidade e aí sim, a partir daí ir moldando uma forma de lidar com essa sua dor da forma que seja mais confortável e tranquila possível para você. É importante lidar com as nossas dificuldades sim, mas todos temos limites e precisamos respeita-los, então essa "dança" entre exigir mais de nós e tomarmos cuidado para não sermos violentos com nós mesmos é algo que um psicólogo poderia auxilia-la a fazer. De qualquer forma me senti compelido a dizer pra você que o que quer que esteja ocorrendo com você, você não precisa enfrentar sozinha, busque auxilio, não é vergonha alguma, cada pessoa tem suas próprias dificuldades.
Espero que você encontre a ajuda que precisa! Abraços

Boa tarde! Concordo com as contribuições dos colegas e ressalto a importância de se procurar um psicólogo, pois acredito que desenvolver as Habilidades Sociais ajudaria muito no seu caso.

Boa tarde! Saiba que não está sozinho nesta. Muitas vezes expressar palavras e sentimentos é algo difícil e ansiogênico. Existem muitas situações e treinamentos que favorecem esse diálogo. Também é interessante saber por que isso ocorre, muitas vezes já existe um transtorno de ansiedade instalado. Ao conhecer exatamente as situações que isso ocorre fica mais fácil delimitar o tratamento. Mas lhe afirmou que há treinos de habilidades sociais reconhecidos no mundo tudo que favorecem esse interação. Busque um psicólogo para lhe auxiliar.

Bom dia!

Qualquer conselho que seja oferecido sem antes estar amparado por uma escuta, é um equívoco. Trabalhar com generalizações é não apostar na singularidade de cada sujeito e na sua capacidade de criar formas únicas de lidar com seus conflitos. Sua pergunta me lembra a frequente "dificuldade de se falar" nas sessões de psicoterapia. Muitas vezes temos inúmeras coisas em mente, mas não conseguimos transmiti-las. O terapeuta reconhece essas dificuldades e faz o convite para que se fale sobre elas, dentro das possibilidades do momento. Cada pessoa terá seu próprio tempo para colocar seus conflitos em fala.

Olá! Tem questões que precisam serem tratadas por vc. O que fica bem claro é que palavras vc tem e o tratamento psicológico poderá te encorajar a usá-la. Dedique ao tratamento porque vc pode se favorecer muito.

A linguagem oral ou escrita não é a única forma de expressão, o ser humano pode se expressar pelo corpo, pelas artes e acessar conteúdos inconscientes da mesma forma que usando palavras.
Trabalho com yogaterapia, associando técnicas psicofísicas do yoga com respiração e meditação. A expressão oral é mais um recurso e não uma pré-condição para o trabalho terapêutico acontecer. Se quiser experimentar, faça um contato.

Boa tarde! Seguramente, muito embora acreditado como um contato de proximidade, a comunicação online se diferencia consideravelmente, no que tange ao contato íntimo (refiro intimidade não como sexualidade e sim, como proximidade afetiva / vínculo de confiança / acolhimento...), em relação ao contato pessoal e, a priori, me parece que estamos falando sobre uma possível dificuldade com relações de intimidade (a apresentação desta possibilidade não se constitui em diagnóstico, uma vez , que para tal é requerido um acompanhamento cuidadoso e individual).
Considero valoroso, ponderar sobre a possibilidade de iniciar uma análise pessoal individual (relevante que seja presencial), com uma Psicóloga (o) de sua escolha.
Espero ter podido auxiliar.
À disposição.

Oi, tudo bem?
Deve ser muito dificil pra você passar por isso, ao mesmo tempo já é um ótimo avanço que você consiga observar e descrever a sua dificuldade. Parabéns por isso! :)
O anonimato das redes sociais pode estar te protegendo e permitindo essas interações. Isso não é ruim. A questão é que você quer expandir as habilidades de comunicação que você já tem na internet para o ao vivo. Para conseguir fazer isso, é preciso treinar! Mas antes disso, o entendimento sobre a sua personalidade e história de vida vão te ajudar a fazer isso de forma mais gentil consigo mesma, melhorando a sua qualidade de vida.
Estou a disposição. Boa sorte!

Este comportamento tornou-se muito comum entre as pessoas atualmente, ou seja, você não está sozinho nessa. Com as redes sociais, as pessoas vivem um momento de libertação de falar o que pensam e agir mais livremente, porém, é necessário também saber se relacionar com as pessoas na escola, trabalho, família e outros convívios sociais. Minha sugestão é iniciar a terapia para compreender se esses comportamentos podem ser indícios de uma fobia social e, buscar alternativas para melhorar seus relacionamentos sociais e ser feliz!
Convidamo-lo para uma consulta: Psicoterapia adulto - R$ 1
Pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão Reservar uma consulta.

Olá, pense na possibilidade de fazer terapia para entender esse seu comportamento. Espero ter ajudado.

Com certeza uma psicoterapia pode te ajudar a desenvolver essas habilidades sociais.

Olá! O melhor conselho seria você procurar ajuda de um psicólogo. Muitas angústias parecem estar envolvidas aí. No processo psicoterápico você aprende a lidar melhor com o sofrimento, amplia perspectiva, desenvolve habilidades, enfim, aprende a modificar padrões que te mantém paralisada nessas dificuldades. Você já deu o primeiro passo! Boa sorte na sua jornada! Permaneço a disposição,

Busque fazer psicoterapia cognitivo comportamental. Ela pode te auxiliar nas crenças subjacentes a esses comportamentos que você deseja mudar.

Olá. A terapia pode ajudar a entender essa dificuldade que vem enfrentando, conhecendo a si mesma. É importante o processo na medida em que irá auxiliar a entender seus medos, favorecendo o seu desenvolvimento. O que hoje parece ser um obstáculo difícil, quase intransponível, amanhã poderá ser algo natural.

Boa noite. Tudo bem? Imagino o quanto seja difícil enfrentar esta dificuldade e o quanto ela traz sofrimento e desfuncionalidade para sua vida. Trabalhando há algum tempo com Transtornos de Ansiedade vejo uma possibilidade de serum tipo de fobia social. Aconselho que procure um profissional da área para fazer o diagnostico e se necessário acompanhamento psiquiátrico. Além disso, nestes casos o tratamento psicoterápico mais eficaz seria a terapia cognitiva-comportamental. Qualquer dúvida estou à disposição.

OLA TENTE FAZER TERAPIA ONLINE.

Meu conselho: procure psicoterapia. Nosso comportamento é sempre sustentado pelo sentido, pela finalidade do mesmo, entender seu sentido/finalidade abre a porta para fazê-lo diferente, isso pode ser feito em psicoterapia. Abraços.

É aconselhável que busque ajuda de uma psicóloga para avaliar esse seu "travamento". A terapia cognitivo-comportamental pode ser uma grande aliada nos casos de dificuldade de interações sociais. Um abraço e sigo à disposição!

Um bom caminho é fazer psicoterapia online. Atualmente há essa possibilidade e vejo que há bons resultados. Você poderia se comunicar, inicialmente, por texto, por voz e depois por chamada de vídeo. Há algo na sua história que bloqueou a sua comunicação. Busque ajuda!

Olá, que tal observar se essa dificuldade de se comunicar pessoalmente ocorre também em outras situações? A Terapia Cognitivo Comportamental pode lhe fornecer ferramentas para que aos poucos consiga realizar algumas aproximações e tentar um diálogo, sempre passo a passo. Interessante também pensar em qual foi a primeira vez que vc percebeu essa dificuldade...boas reflexões, e a melhor dica é ter ao seu lado um Psicólogo pra lhe auxiliar neste momento. Abraços.

O medo aprisiona qualquer pessoa de progredir. Se/quando estiver disponível para progredir o melhor é iniciar uma conversa com um profissional apto a ajudar. Um bom psicólogo pode ser um dos caminhos para o início desse e dos demais progressos que você merece ter na vida! :-)

Olá! É interessante começar um processo de psicoterapia para entender esses medos e como eles atuam no seu dia a dia. Ter um espaço para refletir sobre essas dificuldades e refletir os modelos de masculino e feminino que estão acompanhando seus medos pode ser um bom caminho para entender e assim modificar esses padrões de comportamento! Boa sorte no teu processo!

Olá. Inserindo sua pergunta aqui, entendo que deu o primeiro passo e parabéns por isso. Na psicoterapia você encontra um ambiente propício para se expressar da forma que quiser, livre de julgamentos ou pré-conceitos. Minha recomendação aqui é que procure por ajuda de um psicólogo e espero que possa construir uma vida social que goste.
Convidamo-lo para uma consulta: Telemedicina - R$ 80
Pode reservar uma consulta através do site Doctoralia, clicando no botão Reservar uma consulta.

De fato hoje muitas pessoas têm conseguido se comunicar muito mais pela internet do que pessoalmente, por isso é importante procurar um psicólogo com quem poderá conversar sobre os seus medos, insegurança sem julgamento. A Terapia Cognitivo Comportamental pode lhe fornecer ferramentas para que aos poucos consiga realizar algumas aproximações e tentar um diálogo, sempre passo a passo.

Na maioria das vezes, quando expressamos uma opinião nas redes sociais, não estamos próximos de estímulos que nos deixam inibidos, como o olhar de com quem estamos conversando, suas expressões faciais e etc, que encaramos muitas vezes como sinais de ameaça. Além disso há também as pausas que fazemos para formular nosso pensamento, sendo este tempo muito menor quando conversamos com alguém pessoalmente.

Realmente é muito difícil enfrentar esses medos, medos que muitas vezes nos aprisionam em nós mesmos , impedindo de ver e realizar o que realmente queremos, medo do que os outros vão falar, pensar. Nos processos que desenvolvo com os pacientes o que percebo é que quando podem se observar melhor e chegar a um nível profundo dos gatilhos que disparam esse medo, lidar com eles passa a ser mais seguro.

Olá, recomendo que faça terapia! Isso vai ajudá-la nessas questões que você está trazendo. Abçs!

Isso pode ser causado por algo que está lá atrás . Busque um profissional. Tudo dará certo .

Especialistas

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 8 perguntas sobre Psicoterapia Adulto

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.