Câncer de testículo - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é o câncer de testículo?

O câncer de testículo é um tumor raro de contabilidade por 1-2% do total de adultos, mas de grande importância, pois afeta homens jovens, de preferência entre 15 e 35.

Embora as causas que surgem não são bem definidos, sabe-se que a doença acomete mais freqüentemente os pacientes cujos testículos, por qualquer motivo, não desceram para o escroto bem desde que eram bebês (esta circunstância é chamada criptorquidia).

Tumores testiculares são classificados de acordo com o tipo de células que os formam. De todos os tumores testicular 90-95% são tumores de células germinativas, termo que engloba os tumores, como seminoma (35%), carcinoma embrionário (20%), teratoma (5%), coriocarcinoma (1%) e combinações dos citados anteriormente (40%). O resto são chamados de não-germinal tumores (gonadoblastoma, tumor de células tumorais de Leydig e células de Sertoli).

Estes tumores podem ser tratados e completamente curada com cirurgia e quimioterapia ou radioterapia, que devem operar no tipo de tumor em questão e do estágio da doença é.

Quais são os sintomas de câncer de testículo?

O câncer de testículo é geralmente detectado por acaso. O mais comum é o aumento indolor do testículo, que é progressiva e pode estar associada com peso, embora possa aparecer dor severa devido à hemorragia dentro do tumor. Também pode ser detectado por acaso após um trauma ou por um parceiro durante o sexo.

Como um conselho devemos observar que se notar alterações em um ou, menos freqüentemente, em ambos os testículos, não hesite em preencher um exame médico adequado.

Como é diagnosticado o cancro testicular?

O auto-exame tem um papel fundamental no diagnóstico precoce, porque o diagnóstico normalmente é geralmente leva entre 3 e 6 meses. Identificação de uma massa testicular ou aumento deve ser avaliada por ultra-sonografia escrotal. Uma proporção significativa de tumores testiculares produzem substâncias chamadas marcadores tumorais (alfa-fetoproteína e gonadotrofina coriônica humana), cuja importância reside não só no ponto de vista diagnóstico, mas você pode controlar a eficácia do tratamento e diagnóstico precoce de possíveis recaídas da doença do tumor. Estas substâncias são produzidas e liberadas no sangue pelas células tumorais malignas.

O estudo destes tumores se completa com a realização de um scanner (TC tomografia computadorizada) para confirmar ou não a extensão do tumor para os linfonodos.

Como é o câncer de testículo?

O primeiro passo é identificar o tumor testicular para selecionar o melhor tratamento. Se não há outra escolha senão retirar o testículo afetado, isso é feito através de uma incisão na virilha, um procedimento conhecido como orquiectomia radical.

Dependendo do tipo de tumor e extensão do tumor, o tratamento cirúrgico pode ser concluído com a quimioterapia ou radioterapia. A eficácia do tratamento e monitoramento de recidiva é feito medindo marcadores e exames radiológicos.

Previsão

O sucesso do tratamento está no diagnóstico precoce quanto possível e na determinação da extensão do tumor, o que permitirá escolher o tratamento ideal. O tratamento é eficaz na maioria dos casos. De fato, a porcentagem de sobrevivência de cinco anos na maioria das formas de câncer de testículo é maior do que 90% se detectados precocemente. Há exemplos de figuras públicas (ciclistas, jogadores de futebol, etc) que contribuem para o otimismo e convidam todos aqueles que são afetados por este problema.

Especialistas em câncer de testículo

Encontre um especialista em Câncer de testículo na sua cidade:
Antônio Roberto Chaves

Antônio Roberto Chaves

Urologista

Teresina

Hilius Campos

Hilius Campos

Urologista

Londrina

Cristiano Cotrim

Cristiano Cotrim

Urologista

Marília

Marília Buenos Aires

Marília Buenos Aires

Urologista

Teresina

Jose Roberto Colombo

Jose Roberto Colombo

Urologista

Botucatu

João Guilherme Bertoli

João Guilherme Bertoli

Urologista

Jaraguá Do Sul

Perguntas sobre Câncer de testículo

Nossos especialistas responderam a 19 perguntas sobre Câncer de testículo

Especialistas falam sobre Câncer de testículo

O câncer de testículo é mais comum em homens com até 40 anos. Geralmente é descoberto através do autoexame ou mesmo por dor escrotal. Existem basicamente dois tipos: os seminomas e os não-seminomas. Mesmo quando diagnosticados em estágios avançados, tem elevada taxa de cura. Geralmente são tratados com a remoçãom completa do testículo doente, mas em alguns casos pode ser necessário a utilização de quimioterapia ou radioterapia. Antes do tratamento, é recomendado o congelamento de esperma. É possível levar uma vida normal com apenas um testículo e não costuma haver alteração na ereção ou no desejo sexual. É considerado o cancêr com as mais altas taxas de cura.

O câncer no testículo é um tipo raro de tumor que surge principalmente em jovens entre os 15 e 35 anos. Além disso, o câncer testicular é mais comum em homens que já sofreram um forte traumatismo ou vários traumatismos na região, como no caso de atletas, por exemplo. Geralmente, o câncer desenvolve-se muito lentamente e, por isso, os sintomas de câncer testicular podem ser difficiles de identificar. No entanto, os mais comuns incluem: Presença de nódulos duros e indolores do tamanho aproximado de uma ervilha; Aumento do tamanho e, consequentemente, do peso do testículo; Aumento das mamas ou sensibilidade na região; Um testículo mais duro do que o outro; Dor no testículo ao apalpá-lo ou dor.

O câncer de testículo é a neoplasia maligna mais comum em homens com menos de 45 anos de idade. Apesar de acometer pessoas geralmente jovens, há uma grande chance de cura na maior parte dos casos. A criptorquidia (quando um deles ou ambos testículos não descem para a bolsa escrotal) é o principal fator de risco. Todos os homens que têm esse problema devem procurar um urologista para tratamento adequado. O sintoma encontrado é um nódulo (caroço) endurecido e geralmente sem dor, além do aumento progressivo do testículo. Esse sintoma também pode ocorrer em outras doenças, como em inflamações. De qualquer modo é necessário procurar um médico para melhor avaliação.

O câncer de testículo é uma doença rara, corresponde a apenas 1-2% de todos os tumores. É a neoplasia mais comum em homens jovens (entre 15-35 anos), mas também pode manifestar-se em idade mais avançada. Apresenta elevadas taxas de cura, especialmente se o diagnóstico é precoce. Deve-se suspeitar de tumor testicular em casos de massas endurecidas de crescimento súbito e progressivo, bem como em nódulos vistos em exames de imagem. Boa parte dos casos apresenta resolução com a retirada do testículo pela região inguinal, para não violar a pele da bolsa testicular. Alguns pacientes podem necessitar de terapia complementar com quimioterapia e/ou radioterapia, também com altas taxas de cura.

O câncer de testículo é uma doença que afeta, principalmente, adultos jovens e a neoplasia maligna mais frequente em homens entre 20 e 35 anos. Com o diagnóstico precoce e um tratamento correto a chance de cura é muito grande. O câncer de testículo pode ser de dois tipos: Seminomatosos (crescimento mais lento) e os não seminomatosos (crescimento mais rápido e mais agressivo).A presença de nódulo testicular, ou o aumento do volume testicular são as principais queixas que o paciente refere, mas nem todo aumento testicular é câncer. Há condições benignas que aumento o volume do testículo ou da bolsa como: hernias, hidrocele, cistos e etc. Portanto, um urologista deve ser consultado.

José Ricardo Cruz Silvino

Urologista

Campo Grande


O câncer de testículo é um tumor raro, representando somente 1% do total de tumores que acometem o homem. Trata-se de uma doença agressiva e está presente em adultos jovens entre os 15 e 35 anos de idade. O sintoma mais comum que leva o paciente a procurar auxílio médico é o aumento indolor do testículo. Daí a importância da realização rotineira do auto-exame testicular. O tratamento inicial é cirúrgico, com retirada total ou parcial do testículo afetado. Em alguns casos, tratamentos complementares como quimioterapia e radioterapia podem ser necessários. Em geral, as taxas de cura da doença são altas e ultrapassam 90% dos casos.

Dr. Walter Henriques Da Costa

Oncologista, Urologista

São Paulo

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Câncer de testículo?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.