Insuficiência renal - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Insuficiência renal (uremia ou azotemia)

O que é insuficiência renal?

A função dos rins é, entre outras coisas, eliminar os resíduos resultantes do metabolismo. Um desses produtos, derivados do metabolismo da proteína é a uréia.

Quando  a função dos rins diminui, começam a se acumular no corpo produtos de nitrogênio derivados deste metabolismo de proteínas. Esse acúmulo é chamado de azotemia (nitrogênio: nitrogênio). Esta azotemia inicialmente é assintomática, mas se o declínio da função renal progredir, chega um momento em que os sintomas clínicos aparecem. Que é quando falamos de uremia ( o que se chama em clínica paciente urêmico ou urêmica), porque a maioria dos sintomas são decorrentes do aumento da uréia no sangue.

Qual é a causa de insuficiência renal?

Insuficiência renal pode ser aguda (definida em dias, semanas ou meses) ou crônica (desenvolve lentamente ao longo de vários anos).

Insuficiência renal aguda

Há três possibilidades:

  • Que a origem está em um distúrbio renal antes, em suma, que a quantidade de sangue que chega aos rins diminui. Isto pode ser devido a várias causas: hemorragia intensa, desidratação, diminuição significativa da pressão arterial, etc. Se o problema é suficientemente prolongado no tempo pode levar a danos permanentes nos rins.
  • Que a origem está em um distúrbio renal depois, como uma obstrução súbita dos dutos de urinar. As causas mais freqüentes de problemas da próstata e cálculo (pedras nos rins).
  • A origem está no próprio rim, por exemplo- efeitos de algumas drogas que podem causar insuficiência renal aguda, e o aparecimento de algumas doenças raras.

Insuficiência renal crônica

Existem muitas causas que podem causar insuficiência renal crônica, entre os quais incluem doenças inflamatórias que afetam o tecido renal, complicações a longo prazo do diabetes mellitus, obstrução crônica nas vias urinárias e certas doenças hereditárias. Em muitos casos, a causa pode ter ocorrido há muitos anos e não ter sido identificada.

Quais são os sintomas?

Insuficiência renal aguda

Os sintomas são em grande parte derivados da insuficiência renal causando desordem, tais como:

  • Sangramento maior, com queda súbita da pressão arterial.
  • Vômito e diarréia que provoca desidratação.
  • Lesões causadas por golpes, produzindo destruição maciça do músculo e acumulação de substâncias tóxicas no tecido renal.
  • Obstrução súbita dos dutos de urinar.

Insuficiência renal crônica

Geralmente não produz sintomas em seus estágios iniciais. É muitas vezes descoberta por acaso, fazendo um exame de sangue ou urina por qualquer outro motivo. Pressão arterial elevada é uma causa muito comum. Não produz sintomas até que o problema renal esteja bem avançado. Estes sintomas são:

  • Fadiga
  • Prurido
  • Falta de apetite
  • Náuseas e vômitos
  • Fraqueza
  • Inchaço retenção de líquidos nos tornozelos (edema)
  • Falta de ar

Como é insuficiência renal?

Insuficiência renal aguda

A maioria das causas de insuficiência renal aguda pode ser tratada, de modo que a função renal pode voltar ao normal depois de um tempo. Às vezes é necessário submeter o paciente a uma sessão de diálise ("rim artificial") até que o rim começa a funcionar normalmente.

Insuficiência renal crônica

Insuficiência renal crônica é uma situação irreversível que deve ser controlada estritamente a partir do momento do diagnóstico, a fim de retardar a progressão de uma  possível doença renal terminal. Nesta situação, os rins param de funcionar completamente, e o tratamento deve ser iniciado para substituir o rim do paciente (diálise ou transplante renal).

Como observado anteriormente, insuficiência renal crônica é assintomática até fases avançadas da mesma. Na fase inicial, o mais importante será o controle rigoroso da pressão arterial para evitar a falência renal progressiva.

As causas, por vezes, podem ser identificados, mas na maioria das vezes a sua identificação não será possível e o tratamento vai ser inespecíficos.

Em relação ao tratamento geral de insuficiência renal crônica, a ênfase deve ser em quatro áreas principais:

  • Dieta: restringir a ingestão de sal, potássio, proteínas e fosfato.
  • A anemia que acompanha pacientes com insuficiência renal crônica tratados com injeções do hormônio eritropoietina, que estimula a produção de glóbulos vermelhos.
  • Para evitar doenças ósseas que ocorrem nestes pacientes que utilizaram suplementos de vitamina D (comprimidos).
  • Prevenção de certas drogas (principalmente anti-inflamatórios) que podem piorar a função renal.

Diálise

Existem basicamente dois tipos de diálise: hemodiálise e diálise peritoneal.

Diálise peritoneal

O peritônio é a membrana que reveste os órgãos internos do abdomem. Para realizar a diálise, um cateter (tubo plástico) dentro do abdômen é conectado diretamente ao exterior através da pele. Através desse cateter  um fluido especial (dialisante) no abdômen entra e sai por várias horas (3-5 horas), após o qual o fluido é removido, contendo produtos do corpo de resíduos. Esta técnica é repetido por 4-5 vezes ao dia.

Esta forma de tratamento é muito bem sucedida e depois de um período de aprendizagem são os próprios pacientes (principalmente) que realizam a técnica em casa, utilizando a equipe de nefrologia.

Hemodiálise

Necessário em pacientes com insuficiência renal grave. É realizada através de um acesso permanente vascular (fístula artério-venosa ou juntar uma artéria a uma veia por cirurgia sob anestesia local). No caso em que o paciente não tem fístula arteriovenosa, o início de hemodiálise é feita pela colocação de um cateter em uma veia central no corpo (maiores). A técnica envolve a passagem de sangue do paciente através de um "rim artificial" ou "máquina de diálise", que limpa o sangue e retorna ao paciente.

Este processo leva cerca de 4 horas e é repetido a cada dois dias. É feito em unidades de diálise em hospitais ou centros de diálise.

Pacientes com insuficiência renal aguda  requerendo hemodiálise utilizam a técnica de cateter descrito acima.

Especialistas em insuficiência renal

Encontre um especialista em Insuficiência Renal na sua cidade:
Paulo de Oliveira Duarte

Paulo de Oliveira Duarte

Médico clínico geral, Geriatra

Ribeirão Preto

Marcelo Mageste

Marcelo Mageste

Médico clínico geral, Nefrologista

Pará de Minas

Carina Nilsen Moreno

Carina Nilsen Moreno

Nefrologista

São Paulo

Marclébio Dourado

Marclébio Dourado

Nefrologista

Recife

José Filho

José Filho

Internista, Nefrologista

Alexandre Neves Gonçalves

Alexandre Neves Gonçalves

Nefrologista

Santos

Perguntas sobre Insuficiência renal

Nossos especialistas responderam a 33 perguntas sobre Insuficiência renal

Dr. Octaviano Cruz
Dr. Octaviano Cruz
Nutrólogo
Belo Horizonte
Boa tarde!
Sim, o médico nutrólogo pode ajudar. Não necessariamente com alimentos específicos, mas sim com a combinação de todos eles em uma dieta personalizada e específica para cada caso.…
2 respostas

Dra. Marina Baitello
Dra. Marina Baitello
Nefrologista, Psiquiatra, Psicanalista
São Paulo
Sim! O paciente em tratamento conservador necessita do máximo cuidado para ampliar ao máximo seu período fora da diálise - terapia substitutiva renal. Quanto menor a função renal maior a necessidade…
1 respostas

Dra. Patricia Taschner Goldenstein
Dra. Patricia Taschner Goldenstein
Médico clínico geral, Nefrologista
São Paulo
Boa tarde! O omeprazol pode raramente levar a um quadro de inflamação nos rins chamado de nefrite intersticial. Entretanto, é preciso avaliar a necessidade de uso do omeprazol e pesar risco benefício…
1 respostas

Especialistas falam sobre Insuficiência Renal

Insuficiência renal é a perda da capacidade de seus rins filtrarem resíduos, sais e líquidos do sangue. As principais causas de insuficiência renal são hipertensão e diabetes mal controlados. Na maioria das vezes, as doenças renais são assintomáticas, isto é, não causam sintomas. Os principais sinais de insuficiência renal são: pressão alta, inchaço ao redor dos olhos e nas pernas, fraqueza constante, náuseas e vômitos frequentes, dificuldade de urinar, urina com aspecto sanguinolento, urina com muita espuma. Toda pessoa que apresentar estes sintomas e/ou alteração da ureia e/ou creatinina e/ou exame de urina deve procurar um nefrologista.

Luis Gustavo Trindade

Médico clínico geral, Nefrologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

A insuficiência renal é resultado de diversas doenças que agridem os rins. Essa perda da função dos rins em eliminar parte da "sujeira"do corpo e do líquido em excesso no organismo pode ser reversível ou não a depender da causa e do tempo que demora para o paciente iniciar o tratamento correto. Os sintomas são variados e inespecíficos como inchaço nas pernas, náuseas e vômitos sem causa aparente com falta de apetite, pressão alta ou alteração na urina que pode estar avermelhada ou espumosa. É importante avaliação de exames como ureia, creatinina, potássio ou alteração no exame de urina I. O tratamento depende da causa e em muitos casos tenta evitar que a função dos rins piore.

Patricia Taschner Goldenstein

Médico clínico geral, Nefrologista

São Paulo

Agendar uma visita

Inúmeras doenças acometem o rim levando a insuficiência renal crônica que no seu estágio avançado pode levar a necessidade de hemodiálise. As principais causas de doença renal no Brasil são diabetes e hipertensão arterial. Mas outras causas estão ligadas como a presença de hepatite B ou C, sorologia positiva para HIV, o Lupus Eritematoso Sistêmico. Algumas doenças são do rim como algumas glomerulonefrites, estas por sua vez relacionadas a história familiar de doença renal. Infecção urinária de repetição, obesidade, tabagismo, calculo renal, distúrbios prostáticos, neoplasia uterina também estão relacionados a perda da função renal. Cabe ao nefrologista identificar a causa e tratar.

As principais causas de insuficiência renal crônica no Brasil e no mundo são o Diabetes e a Hipertensão, especialmente quando mal controlados. A insuficiência renal crônica é uma doença silenciosa, assintomática até as fases mais avançadas, quando mais de 85% da função já se perdeu. Por isso, é de extrema importância a realização de exame de creatinina e de urina de forma rotineira na população de portadores de diabetes e hipertensão, nos indivíduos com história familiar de alguma doença renal e nos indivíduos acima de 40 anos. Na grande maioria das vezes, a progressão para necessidade de hemodiálise pode ser evitada, caso seja diagnosticado em fases precoces.

Mariana Meneguso Nogueira

Nefrologista

São Paulo

Quais profissionais tratam Insuficiência renal?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.