Transtornos psicóticos - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - transtornos psicóticos

Sávio Augusto Teixeira e Silva

Sávio Augusto Teixeira e Silva

Psiquiatra

Goiânia

Ricardo Dih Ribeiro

Ricardo Dih Ribeiro

Psicanalista, Terapeuta complementar

Sorocaba

Andréa Spuri

Andréa Spuri

Psicanalista

Santo André

Ieslei Miguel Souza

Ieslei Miguel Souza

Psicanalista, Psicólogo

Licia Milena de Oliveira

Licia Milena de Oliveira

Psiquiatra

São Paulo

Luis Falivene Roberto Alves

Luis Falivene Roberto Alves

Psiquiatra

Campinas

Perguntas sobre Transtornos psicóticos

Nossos especialistas responderam a 65 perguntas sobre Transtornos psicóticos

Isso depende da fase da doença que se encontra, tem fase que a pessoa tem crítica da doença e outras não.Quando se faz um tratamento eficaz, ele tem crítica.Sim eles sofrem bastante quando…
3 respostas

Refletir sobre "estar se sentindo sozinha" pode ser um passo para que você possa trilhar outros caminhos e chegar a outras questões. A fantasia faz parte do nosso psiquismo assim como…
22 respostas

Olá, para um diagnóstico mais adequado, seria importante você consultar um especialista, um psiquiatra ou um psicólogo. O esquecimento pode ocorrer com objetivo de lhe proteger de uma situação…
22 respostas

Especialistas falam sobre Transtornos Psicóticos

A psicose pode ser entendia de diversas formas diferentes.Todos nós temos uma realidade interna (nossos pensamentos, ideias, sentimentos etc) e uma realidade externa (aquilo que compartilhamos com terceiros - o que vemos, o que ouvimos etc). O psicótico é aquele indivíduo que tem uma ruptura entre essas duas realidades, ou seja, ele não mais diferencia o que "está dentro" daquilo que "está fora". Isso promove diversos sintomas, como por exemplo alucinações auditivas (ouvir algo que não existe), delírios (convicção de uma ideia ou crença irreal), difusão do pensamento (sensação de que os outros podem saber o que ele pensa) etc. Essa desregulação é, portanto, a psicose.

Rafael Rodrigues Matias

Psiquiatra

Rio de Janeiro


Este é um tratamento bem importante, pois o sofrimento de quem tem este transtorno é muito grande, bem como a família. Escutamos, acolhemos e fazemos uma 'avaliação' de como podemos melhor realizar o tratamento. As vezes é necessário um tratamento conjunto com um médico psiquiátrico, as vezes não. É importante ter uma escuta bem atenta ao paciente e muitas vezes às famílias.

Fernanda Turbat

Psicanalista, Psicólogo

Florianópolis


Acompanhamento terapêutico, o que é? Clínica especializada em atendimento a pessoas com dificuldades de manter sua rede de relações com o mundo, sua circulação social e suas atividades cotidianas. Tem como principal característica ocorrer em locais variados podendo ser, serviços públicos, consultas médicas, empresas, bancos, parques, shoppings, supermercados, cinemas e ainda na casa do paciente e/ou familiares e amigos. Indicações de encaminhamento: Abrange todas as idades e gêneros abordando casos como, psicoses, deficiencia física e mental, transtornos de humor, ansiedade, transtornos alimentares, dependência quimica, pacientes pró e pré cirúrgicos, inclusão escolar e outros.

Paulo Magnani

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo


É comum a pessoa com transtorno psicótico se sentir sozinha, sem amigos, procurando evitar interseções sociais, muitos não gostam nem de sair de casa, muito menos frequentar espaços públicos. O Acompanhamento Terapêutico (AT) auxilia na interação social e autonomia das pessoas que tem dificuldades em conviver em sociedade, preferindo o isolamento..

Cassiano Santana

Psicólogo

Goiânia

Quais profissionais tratam Transtornos psicóticos?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.