Câncer de rim - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Qual é a causa de câncer de rim?

Carcinoma de células renais é um tumor que é de 3% de todos os cânceres de adultos e 90% dos tumores malignos que se originam no rim. Ela geralmente afeta adultos entre 40 e 60 anos e é duas vezes mais comum em homens que em mulheres. Na maioria dos casos, sua origem é desconhecida, embora tenha se mostrado uma maior incidência em relação ao cigarro. Não documentou qualquer relação definida entre este tumor e certos produtos industriais, enquanto a exposição a substâncias como o dióxido de tório e cádmio têm sido associados ao seu desenvolvimento. É também mais comum em certas doenças, tais como:

  • Doença renal policística: doença hereditária que provoca a formação de múltiplos cistos nos rins, com perda progressiva da função destes.
  • A doença de von Hippel-Lindau, doença hereditária caracterizada pelo desenvolvimento de tumores nos rins, cerebelo, retina, e pâncreas, entre outros.

Importante, massas são benignas e correspondem aos cistos simples ('cápsulas' de líquido cercado por uma parede fina). O rim também pode ser sede de outros tumores benignos (oncocitoma renal, angiomiolipoma, um tumor de gordura e músculo que deve ser de tamanho grande e pode causar hemorragias internas, etc.) E tumores malignos, afetam as estruturas que transportam a urina para a bexiga (pelve renal e ureter), sarcoma, linfoma renal, e assim por diante.

Quais são os sintomas de câncer de células renais?

Os sintomas mais comuns que estão associados com carcinoma de células renais são:

  • Hematúria: presença de sangue na urina, detectada apenas através da análise da urina mesmo (microscópica) ou mancha vermelha tão aparente (macroscópica) e pode ser acompanhada por coágulos.
  • Dor no lado.
  • Presença de uma massa palpável no lado correspondente.

Menos freqüentemente pode ser manifestada por:

  • Perda de peso
  • Febre
  • Hipertensão
  • Anemia ou policitemia (excesso de glóbulos vermelhos)
  • Diabetes
  • Várias anormalidades laboratoriais.

Felizmente, a propagação do ultra-som e scanner (CT) tem permitido um diagnóstico incidental de pequenos tumores renais, estudando outros problemas de saúde, então as chances de cura são maiores. Estes tumores são "pontuais" e são responsáveis ??por 30-50% dos cânceres de rim diagnosticado hoje.

Como é diagnosticado o cancro do rim?

Quando há suspeita de um carcinoma renal devem ser realizados vários testes que nos permitem confirmar este diagnóstico, distinguindo-a de outras lesões benignas ou malignas renal. Os testes podem incluir:

  • Ultra-sonografia renal, nos permitirá distinguir entre lesões císticas (conteúdo líquido) e renal sólida.
  • Scanner (TAC) é a técnica escolhida para o diagnóstico e estuda a extensão do tumor e identifica a maioria das lesões renais.
  • RM: indicada principalmente nos casos em que suspeita-se que o tumor pode invadir a veia renal e / ou champanhe.
  • Punção do tumor: para o estudo pelo patologista. É utilizada nos casos em que os testes acima mencionados são enganosos quando se estuda uma massa renal.

Opcionalmente, para refinar o diagnóstico pode solicitar o estudo de células encontradas na urina (citologia) e exploração das vias urinárias (ureter, pelve e bexiga) Endoscopia (cistoscopia) e / ou raios-X com contraste (urografia excretora, pielografia anterógrada e retrógrada) com base nos resultados anteriores.

Como é o tratamento do câncer de rim?

Carcinoma de células renais é resistente à quimioterapia e radioterapia, de modo que o único tratamento curativo é a cirurgia. O procedimento usual é a remoção do rim com a gordura em torno dele (nefrectomia radical). No entanto, em pacientes selecionados com tumores pequenos, bilateral, rim solitário, etc ... Você pode fazer a remoção do tumor só, tentando preservar o tecido renal(nefrectomia parcial).

Previsões

Agora há esperanças para a terapia imune (para estimular o sistema de defesa do organismo contra o tumor) com substâncias como a interleucina 2, interferon alfa, tumor-ativado linfócitos, e isolado ou em combinação. Embora os resultados são modestos, abre um campo promissor. No presente momento, são usados ??para o tratamento do tumor quando ele invade estruturas distantes (metástases).

Especialistas em câncer de rim

Encontre um especialista em Câncer de Rim na sua cidade:
Vinicius Rubin

Vinicius Rubin

Urologista

Chapecó

Leandro Coelho Dorea Santos

Leandro Coelho Dorea Santos

Urologista

Vitória da Conquista

Maria Cecília Monteiro Dela Vega

Maria Cecília Monteiro Dela Vega

Oncologista

Goiânia

David Pinheiro Cunha

David Pinheiro Cunha

Oncologista

Campinas

Marcele Gnata Vier

Marcele Gnata Vier

Oncologista

Florianópolis

Rafael Lopes Rocha

Rafael Lopes Rocha

Cirurgião geral, Urologista

Itumbiara

Perguntas sobre Câncer de rim

Nossos especialistas responderam a 22 perguntas sobre Câncer de rim

Dra. Patricia Moretto
Dra. Patricia Moretto
Oncologista, Internista
Porto Alegre
Olá. O tumor renal comum--- neoplasia de celulas claras- em geral cresce devagar. Contudo, uma vez que a doenca seja metastática (espalhada), ela pode seguir com esse curso indolente ou crescer…
3 respostas

Como não tem como diferenciar as massas sólidas renais de ser maligna ou não, a indicação seria fazer a retirada do tumor já que ele tem menos de 4 cm. Quando tem mais de 4 cm a indicação, com…
2 respostas

Dra. Patricia Moretto
Dra. Patricia Moretto
Oncologista, Internista
Porto Alegre
Olá. Em geral, para câncer de Rim, não se faz quimioterapia. Os tratamentos para câncer de Rim (células claras e outros), são imunoterapia e suas combinações (tratamento feito em infusão - -…
2 respostas

Especialistas falam sobre Câncer de Rim

O câncer de rim é mais frequente em homens do que mulheres e acontece principalmente na idade madura entre 50 e 70 anos. A maioria dos tumores hoje em dia é encontrado por acaso em exames de imagem solicitados por outros motivos. Quando sintomático, pode causar dor nas costas, sensação de caroço na barriga ou apresentar sangramento na urina. O principal tratamento é cirúrgico através da remoção completa do rim (nefrectomia radical) ou apenas do tumor (nefrectomia parcial). Quando em estado avançado, pode causar metástases no pulmão, ossos, fígado e cérebro principalmente. Nessa fase, em casos selecionados, a cirurgia ainda pode ser realizada, mas o tratamento principal é com quimioterapia.

Os rins são os órgãos responsáveis pelo equilíbrio de água e sais do corpo, além de exercer uma função importante na eliminação de substâncias metabolizadas pelo organismo. Para isso, cada rim é composto de um milhão de pequenas estruturas chamadas de néfrons. Existem vários tipos de câncer de rim, mas o mais comum deles é uma consequência da transformação das células dos túbulos que formam os néfrons, que passam a se proliferarem de forma anormal e ganham a capacidade de invadir o órgão e até, em alguns casos, circular pelo corpo e produzir tumores em outras partes do corpo (chamado de metástase).

O câncer de rim é tratado na maior parte das vezes pela cirurgia de nefrectomia, que consiste na retirad do rim ou de parte dele. Pode ser feita pela técnica aberta, convencional, por videolaparoscopia e também por auxílio de robô, na cirurgia robótica, os benefícios são visíveis principalmente quando necessária a cirurgia parcial, com aumento da precisão e da qualidade do resultado após, algo hoje que podemos oferecer aos pacientes da região do Vale do Paraíba.

Gilberto Vianna

Urologista

São José dos Campos


Os tumores renais tem sido diagnosticado de forma cada vez mais frequente, geralmente sem nenhum sintoma. A indicação de procedimento cirúrgico depende do risco de se tratar de tumor maligno, tamanho da lesão e condições de saúde do paciente. Na maioria das vezes, é possível o tratamento por videolaparoscopia seja por nefrectomia parcial (preservando o máximo de rim) seja por nefrectomia radical (remoção de todo o rim em tumores complexos). É importante conhecer a experiência do cirurgião e equipe, principalmente nos casos de alta complexidade. Nossa equipe conta com profissionais com experiência e formação nos principais centros de laparoscopia. Em caso de dúvida, estamos a disposição.

As neoplasias renais são pouco sintomáticas, geralmente descobertas através de exames de imagem ou por sintomas pouco específicos. Na maioria das vezes passiveis de tratamentos cirúrgicos por videolaparoscopia.

Rafael Pauletti Goncalves

Urologista

Natal


O câncer de rim costuma ser assintomático em sua fase inicial. Em casos mais avançados, os sintomas mais comuns são hematúria (sangramento na urina) e dor lombar. O tratamento é cirúrgico, e pode-se tentar realizar a nefrectomia parcial, ou seja, retirar apenas a parte do rim onde está o tumor, quando a lesão é menor ou está em local favorável; ou realizar a nefrectomia radical quando essa for a melhor opção. Tenho expertise em realizar tais procedimentos através de cirurgia aberta, laparoscópica ou robótica.

O câncer de rim é o terceiro mais frequente do aparelho genitourinário e representa aproximadamente 3% das doenças malignas do adulto. Geralmente acomete indivíduos entre os 50 e 70 anos de idade, sendo duas vezes mais frequente nos homens que nas mulheres. São considerados fatores de risco para a doença o tabagismo, a obesidade, a hipertensão arterial e a história familiar. O diagnóstico presuntivo da doença é feito por meio da ultrassonografia e da tomografia computadorizada do abdômen. O tratamento consiste na retirada total do rim e de estruturas vizinhas ou na retirada parcial do rim em lesões menores, podendo ser realizadas por meio de laparoscopia (cirurgia minimamente invasiva).

O diagnóstico do câncer de rim vem aumentando muito com a realização de exames de imagem como ultrassonografia , de rotina, mesmo em pacientes jovens. Infelizmente, o câncer de rim é uma doença que responde mal a tratamento com medicações e radioterapia, sendo a cirurgia, o tratamento cirúrgico padrão ouro e único capaz de proporcionar a cura. Sempre que possível, tentamos preservar o órgão realizando uma nefrectomia parcial. Possuo treinamento amplo em técnica minimamente invasiva realizando as nefrectomias parciais por laparoscopia ou por cirurgia robótica, o que possibilita um retorno precoce ao trabalho e atividades de lazer por parte do paciente.

Nilo Jorge Leão Barretto

Oncologista, Urologista

Salvador

Agendar uma visita

Doença relativamente comum no nosso país, teve grandes avanços no tratamento. Desde a cirurgia até as formas de quimioterapia/terapia alvo tem melhorado muito os resultados do tratamento. Seu caso deve ser avaliado em diversos aspecto e sempre que possível deve-se optar por uma cirurgia poupadora de rim, como? As chamadas nefrectomias parciais, nas quais retira-se somente o tumor e preserva o rim. Dessa forma diminui o risco de uma evolução posterior para alguma disfunção/insuficiência renal. Alguns casos a nefrectomia radical é a unica forma de tratamento. É importante enfatizar que hoje, sempre que possivel opto por realizar/indicar essas cirurgias (90% dos casos) por vídeo-cirurgia.

Procedimento cirúrgico para o tratamento de câncer de rim. Cirurgia feita com sangramento mínimo e rápida recuperação. Possibilidade de realizar também por via laparoscópica.

Apesar de mais raro quando comparado a outros tipos comuns de câncer, estimava-se 62.700 novos casos da doença em 2016 e 14.240 mortes por sua decorrência no mesmo ano nos EUA. O câncer de células renais representa cerca de 3,8% de todas as novas incidências de câncer, com uma mediana de idade ao diagnóstico de 64 anos. Infelizmente, não dispomos de dados sobre a incidência da doença em nosso país.

Cerca de 70% dos pacientes com tumores renais não apresentam sintomas ao diagnóstico. Geralmente, os tumores são descobertos durante a realização de exames de rotina ou durante investigação de queixas não associadas aos rins e os métodos de exames como o ultrassonografia, a tomografia computadorizada e a ressonância nuclear magnética são ferramentas para detecção incidental e estadiamento destes tumores. Cerca de 80% dos nódulos renais são malignos e necessitam de tratamento. Felizmente, a maior parte dos pacientes tem o diagnóstico de tumor no estágio inicial e a chance de metásteses (disseminação do tumor inicial) é muito baixa e a chance de cura é alta.

O Carcinoma de células renais, corresponde a cerca de 90% dos cânceres renais e geralmente nasce como um tumor único, dentro de um rim. Mas em alguns casos, ele pode se desenvolver nos dois simultaneamente. Essa doença acomete normalmente pessoas de 50 a 70 anos, sendo a maioria homens. ​A forma mais comum de diagnóstico são os achados ocasionalmente em exames de rotina, como ultrassonografias do abdômen. Após essa prévia, são solicitados exames definitivos da doença, ultrassonografia e tomografia computadorizada. O tratamento irá depender do tamanho do tumor e sua localização. Podemos realizar nefrectomia total ou parcial, normalmente pela técnica minimamente invasiva.

O câncer de rim é responsável por 3% de todas as neoplasias malignas. Atualmente, mais da metade dos tumores renais são diagnosticados em pacientes assintomáticos, ou seja, sem queixa alguma. São descobertos durante realização de exames de rotina como a ultrassonografia abdominal, possibilitando assim o diagnóstico precoce da doença. Esse tipo de tumor apresenta baixa resposta a tratamentos tradicionalmente utilizados em outros tumores como quimioterapia e radioterapia. Portanto, o seu tratamento se baseia na cirurgia. Resumidamente, pode-se realizar a nefrectomia radical (quando retira-se todo o rim) ou então a nefrectomia parcial (quando retira-se somente a área afetada pelo tumor).

Dr. Walter Henriques Da Costa

Oncologista, Urologista

São Paulo

Agendar uma visita

Cirurgia por Videolaparoscopia para Câncer de Rim: trata-se de cirurgia com mínimas incisões (de 0,5 a 1cm) para remoção total da próstata com câncer. Beneficia o paciente com recuperação rápida no pós-operatório, melhor visualização da anatomia cirúrgica para o médico cirurgião, menor incidência de infecções no pós-operatório e cicatrizes mínimas

Arthur Dantas Vieira

Urologista

Maceió


O Câncer renal é a neoplasia urológica mais letal, entretanto, nos últimos anos com aumento da realização de exames de imagem como ultrassonografia de abdomen, houve um aumento considerável na incidência de lesões em estágios iniciais, conhecidas como pequenas massas renais, neste casos conseguimos realizar tratamentos mais conservadores, com preservação do órgão (Nefrectomia Parcial). Nas lesões renais maiores, o tratamento padrão é a retirada total do órgão ( Nefrectomia Radical). Quando diagnosticado de forma precoce são grandes as chances de cura! Converse com seu urologista a respeito.

Tratamento atualizado, utilizando técnicas minimamente invasivas, com rápida recuperação, de acordo com as técnicas utilizadas nos melhores centros médicos mundiais, e equipe multidisciplinar apoiando ativamente na recuperação clinica do paciente.

O pilar fundamental do tratamento do câncer de rim é a cirurgia realizada por urologista experiente e de confiança. Nos casos de doença disseminada (metástases) o tratamento pode ser feito através de comprimidos (inibidores de tirosinoquinases) e até mesmo imunoterapia (modalidade relativamente nova de tratamento que consiste em medicação venosa que estimula o sistema imune do próprio paciente a combater a doença).

Rafael Batista

Oncologista

Salvador


O câncer ou tumor de rim, nas fases iniciais, é identificado ao acaso em exames de imagem de rotina. Pacientes portadores de algumas síndromes genéticas, histórico familiar, tabagistas e renais crônicos, tem um risco maior para o desenvolvimento desses tumores. Tumores mais avançados podem causar sangramento na urina, dor lombar e perda de peso. Procure seu urologista e marque uma consulta.

O uso de cigarro, a hipertensão arterial e a obesidade têm sido relacionadas ao câncer de rim. Além disso, pacientes com insuficiência renal crônica em uso de hemodiálise estão sob um maior risco de desenvolver câncer de rim. Quais são os sinais e sintomas? O câncer de rim pode gerar sangramento na urina e dor na parte lateral da barriga. Como é o tratamento? O tratamento depende do tamanho da doença no rim e se há metástase ou não. Quando a doença está apenas no rim, o tratamento é feito com a cirurgia de retirada apenas do tumor ou cirurgia radical do rim.

O único tratamento que pode curar o paciente é o tratamento cirúrgico. A cirurgia de escolha é a cirurgia laparoscopica, realizada através de pequenos cortes com menor chance de sangramentos durante a cirurgia e principalmente, menos dor após a cirurgia e uma recuperação bem mais rápida, com retorno mais precoce as atividades habituais. Sou especialista em Uro-oncologia e cirurgia laparoscópica.

Atualmente, a detecção incidental do câncer de rim ocorre em mais de 60% dos casos de carcinoma renais. Estes pacientes geralmente são assintomáticos. São descobertos por exame de imagem para investigar dor abdominal. Na maioria das vezes, o ultrassom detecta o tumor renal. Este é o ponto de partida para a investigação do câncer de rim. A nefrectomia parcial prioriza a remoção do tumor, preservando o restante do rim normal. A função renal deve ser preservada e melhora a sobrevida dos pacientes. Assim, evita complicações cardiovasculares e diálise renal futura. Está bem indicada em tumores menores que 4 cm, mas existem exceções. Tumores maiores são submetidos a nefrectomia radical.

Quais profissionais tratam Câncer de rim?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.