Câncer do endométrio - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é câncer de endométrio?

O útero é um órgão muscular localizado na pélvis da mulher. O interior tem uma cavidade onde o feto desenvolve-se em casos de gravidez, que é coberta com uma camada de tecido chamado endométrio. O endométrio é uma membrana que se descama ocasionando a menstruação mensal regular.

Câncer de endométrio é uma alteração nas células que constituem esse tecido e, eventualmente, formam um tumor dentro da cavidade uterina. Não confunda este tipo de câncer com câncer cervical (colo do útero), ou qualquer outra doença do próprio útero.

É o tumor maligno mais comum do trato genital feminino, e a idade média é de cerca de 60 anos, sendo particularmente importante em mulheres que pararam de menstruar (menopausa).

Existem vários tipos de câncer de endométrio, o tipo histológico mais comum chamado adenocarcinoma (mais de 90% dos casos).

O que causa câncer de endométrio é?

A causa específica do motivo pelo qual as células do endométrio se tornam malignas permanece desconhecida. Apresentamos alguns fatores de risco que podem estar relacionados com o desenvolvimento desta doença.

Parece estar associada com obesidade, hipertensão e diabetes. Ter filhos parece reduzir o risco de câncer endometrial. Tratamento em mulheres na pós-menopausa com estrogênio na terapia de reposição hormonal (TRH) não causa doença.

Em mulheres com câncer de mama que tomam tamoxifeno, também há risco de, eventualmente, desenvolver câncer endometrial.

Quais são os sintomas?

O sintoma mais comum é o sangramento vaginal. Este sangramento vai ser diferente se as mulheres ainda menstruam ou se já não menstruam mais . Em mulheres na menopausa, encontramos períodos irregulares, o que ocorre mais cedo do que o habitual, com mais sangramento, manchas entre as menstruações, e assim por diante. Em mulheres na pós-menopausa, sangramento da vagina, como regra, ou apenas pontos de sangue, deve ser o caso de uma consulta com seu ginecologista, pois ele pode ser o primeiro sintoma de câncer endometrial.

Como é o câncer endometrial diagnosticado?

Às vezes, depois de um exame ginecológico, o resultado citológico, mostra células em um microscópio com características suspeitas de malignidade. Nestes casos, a monitorização periódica será necessária, já que a probabilidade de desenvolver câncer endometrial é de aproximadamente 23% dentro de quatro anos antes dessa descoberta.

Procedimentos de diagnóstico incluem inspeção e amostragem (citologia) realizada em qualquer consulta de rotina ginecológica. Pode ser acompanhado por um ultra-som, onde encontramos imagens estranhas no endométrio. Mas o verdadeiro diagnóstico vai nos dar uma análise da biópsia endometrial, que retira um pedaço de tecido para estudo microscópico.

Qual é o tratamento de câncer de endométrio?

Mulheres com esta condição são tratados com cirurgia, com remoção do útero e ambos os ovários (histerectomia mais oforectomia).

Tratamento de radioterapia pode ser feita externamente ou endocavitário (diretamente na vagina). Frequentemente usado após a cirurgia, e em alguns casos é o único tipo de tratamento aplicado: tumores muito avançados ou casos em que a cirurgia é inapropriada ou não possível.

A aplicação de medicamentos quimioterápicos ainda está em estudo e não há dados muito esclarecedores. Da mesma forma, os tratamentos hormonais não são resultados muito claros, e estudos mais aprofundados ainda são escassos.

Previsão

O prognóstico é melhor quando o diagnóstico da doença se dá o mais cedo possível. Daí a importância de ir ao ginecologista para qualquer sangramento incomum, especialmente em sintomas da menopausa e outros decorrentes do trato genital feminino.

Com o tratamento adequado, as taxas de sobrevivência de cinco anos é tipicamente superior a 80% se o tumor está em estágios iniciais.

Especialistas em câncer do endométrio

Encontre um especialista em Câncer do endométrio na sua cidade:
Walteilton Inacio Diniz

Walteilton Inacio Diniz

Oncologista, Cirurgião geral

Jequié

Eduardo Pinto Gomes

Eduardo Pinto Gomes

Oncologista, Cirurgião geral

Vitor Luciani Medeiros Batista

Vitor Luciani Medeiros Batista

Ginecologista

Caicó

Marcel Amianti de Macedo

Marcel Amianti de Macedo

Ginecologista

São Paulo

Angelica Peixoto Pinheiro

Angelica Peixoto Pinheiro

Ginecologista

Araguaína

Danilo Da Fonseca Reis Silva

Danilo Da Fonseca Reis Silva

Oncologista

Teresina

Perguntas sobre Câncer do endométrio

Nossos especialistas responderam a 12 perguntas sobre Câncer do endométrio

Então,
Sua pergunta tem poucos elementos para uma resposta com segurança.
Você não falou se fez teste de gravidez e deu negativo, fato de primeira importância no contexto.
Procure…
1 respostas

Dr. Ronald Delgado
Dr. Ronald Delgado
Cirurgião geral, Cirurgião oncológico
Salvador
Segundo NCCN (National Comprehensive Cancer Network), pacientes com estadiamentos I e II tem uma recorrência de aproximadamente 15% dentro dos primeiros 3 anos e até 70% de esses pacientes apresentam…
2 respostas

Dr. Ronald Delgado
Dr. Ronald Delgado
Cirurgião geral, Cirurgião oncológico
Salvador
Segundo NCCN (National Comprehensive Cancer Network) pacientes com estadiamentos I e II tem recorrência de aprox. 15% nos primeiros 3 anos após o tratamento, e até 70% desses pacientes apresentam…
2 respostas

Especialistas falam sobre Câncer do endométrio

A novidade no tratamento minimamente invasivo (laparoscopia ou robótica) deste tumor é a abordagem do linfonodo sentinela. O linfonodo sentinela é o primeiro linfonodo (gânglio) que drena o tumor. Se este gânglio está livre, os demais também estarão. Com isto, poupa-se da retirada de todos os linfonodos desnecessariamente, com suas sequelas. A sequela principal é o edema (inchaço) de membros inferiores (pernas).

Jose Carlos Sadalla

Ginecologista, Mastologista

São Paulo

Agendar uma visita

O Câncer de endométrio acomete principalmente em mulheres acima de 60 anos, sendo sexto tipo mais comum de câncer em mulheres no mundo. Endométrio é o tecido que reveste a parede interna do útero. Normalmente o câncer de endométrio é detectado rapidamente pois causa um sangramento vaginal anormal. O principal fator de risco para o câncer de endométrio é a exposição a longo prazo ao estrogênio, produzido pelo próprio organismo ou recebido em forma de terapia hormonal. Mulheres com obesidade também são mais propensas a desenvolver carcinoma endometrial. A consulta de rotina com ginecologista identifica e trata precocemente as fases iniciais do câncer.

Marcelo Ponte

Ginecologista

São Paulo


Cerca de 90% dos pacientes diagnosticados com câncer de endométrio tem sangramento vaginal, como sangramento entre as menstruações ou após a menopausa. Este sintoma também pode ocorrer em algumas condições não cancerígenas, mas é importante consultar imediatamente um médico sempre que tiver qualquer sangramento irregular. Se você já passou a menopausa, é muito importante relatar qualquer sangramento vaginal, mancha ou corrimento anormal ao seu médico. O corrimento vaginal sem sangue também pode ser um sinal de câncer endometrial. Mesmo que você não possa ver o sangue, não significa que não exista a doença. Em 10% dos casos, o corrimento associado ao câncer de endométrio não tem sangramento.

O tratamento do câncer de endométrio é primariamente cirúrgico. Deve-se retirar útero, ovários e tubas uterinas. Na dependência de alguns fatores como tipo histológico do tumor, agressividade, tamanho e profundidade de invasão na parede uterina, deve-se também retirar os linfonodos pélvicos, omento e apêndice. Após o estudo completo dos tecidos retirados na cirurgia (exame anatomopatológico), se define a necessidade de quimioterapia ou radioterapia adjuvantes.

Sibele Klitzke

Ginecologista

Porto Alegre


O câncer de endométrio é uma das principais causas de sangramento vaginal no período pós menopausa (quando a mulher já não menstrua mais). Os principais fatores de risco são: obesidade, nunca ter engravidado, síndromes genéticos e utilização de tamoxifeno (remédio utilizado no tratamento do câncer de mama). O diagnóstico é feito através de ultrassonografia transvaginal e videohisteroscopia (método fundamental). O tratamento consiste, na maioria das vezes, em retirada do útero (histerectomia), que pode ser feita por videolaparoscopia. A chance de cura pós-tratamento adequado é bem alta. Pacientes jovens que desejam engravidar podem preservar o útero em casos muito bem selecionados.

Victor Hugo Ribeiro Vieira

Oncologista, Cirurgião geral

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

O câncer de endométrio é um tipo de câncer que acomete a parte interna do útero, o endométrio é aquela cavidade virtual que existe dentro do útero onde se alojam as durante a gravidez. É uma doença que ataca principalmente mulheres na pós menopausa e se manifesta por sangramento vaginal anormal. O Tratamento é principalmente cirúrgico, assim fazendo a resseção de útero, ovários, linfonodos e biopsias podemos determinar a extensão da doença e programar se vai ou não precisar de quimioterapia. A cirurgia pode ser feita por videolaparoscopia que consiste em colocar uma câmera no umbigo e umas pinças através de incisões pequenas de ate 10mm. Garantindo assim uma melhor recuperação.

Ronald Delgado

Cirurgião geral, Cirurgião oncológico

Salvador

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Câncer do endométrio?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.