Complicações na gravidez - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - complicações na gravidez

Encontre um especialista na sua cidade:
Thor Schmidt

Thor Schmidt

Ginecologista, Especialista em medicina estética

Blumenau

Daniele Miguel

Daniele Miguel

Ginecologista

Rio de Janeiro

Ludmila Macedo

Ludmila Macedo

Ginecologista

Santos

Marcela de Oliveira Almeida Gonçalves

Marcela de Oliveira Almeida Gonçalves

Ginecologista

Rio de Janeiro

Edlania Aquino

Edlania Aquino

Ginecologista, Médico de emergência

Brasília

Karen Hettfleisch

Karen Hettfleisch

Ginecologista

São José dos Campos

Perguntas sobre Complicações na gravidez

Nossos especialistas responderam a 155 perguntas sobre Complicações na gravidez

Pode sim , iniciar o Materna e o ácido fólico, na dosagem de 400 mcg ( pode ser o DTN fólico). Mas não deixe de agendar o pré-natal, pois é muito importante realizar os exames e acompanhar o…


Olá. Sempre siga as orientações do seu médico. Agende a sua consulta de reavaliação e esclareça suas dúvidas.
A sua avaliação clínica através da sua história clínica, suas queixas e exame…


Olá. Sempre siga as orientações do seu médico. Agende a sua consulta de reavaliação e esclareça suas dúvidas.
A sua avaliação clínica através da sua história clínica, suas queixas e exame…

Especialistas falam sobre Complicações Na Gravidez

A gestação é um momento de muitas mudanças, e algumas delas são indesejadas e perigosas. O importante é identificar o mais rápido possível e tratar prontamente, de forma adequada.

Renata Maas Dos Anjos Saes

Ginecologista

Florianópolis


As grávidas de alto risco devem ser muito bem acompanhadas, de preferência por obstetra especializado. Na gestação a hipertensão, diabetes, sangramentos, encurtamento do colo, doenças infecciosas e várias outras causam vários riscos para a mãe e bebê. Cada doença exige um cuidado específico, e todas demandam constante avaliação do bem-estar do bebê. O atendimento à gestante deve ser individualizado e humano. É importante que a gestante tenha acesso fácil ao obstetra, seja no consultório, com consultas de encaixe sempre que preciso, acesso fácil por telefone, ou celular ou por mensagens de texto em aplicativos - tudo com objetivo de identificar situações de risco e fornecer tratamento rápido

Maurilio Batista Palhares Junior

Ginecologista

Maringá


As complicações na gravidez devem ser identificadas precocemente e tratadas com competência na pratica da obstetrícia atual. É de grande importância o tratamento rigoroso das síndromes hipertensivas, diabetes mellitus, prematuridade, as infecções,síndromes hemorrágicas da segunda metade da gestação e restrição de crescimento fetal.

Katia Cilene Moreira

Ginecologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Na gravidez, as futuras mães devem ficar atentas a quaisquer alterações e sintomas que possam surgir. Complicações frequentes como abortos podem, em casos extremos, colocar a vida da gestante em risco. Deslocamento de placenta e pré-eclâmpsia também são comuns nesse período. Procure um hospital o quanto antes.

Marcelo Ponte

Ginecologista

São Paulo

Agendar uma visita

A gestante que apresenta condições patológicas maternas e fetais necessita de um acompanhamento rigoroso e especializado ao longo do pré-natal. Muitas condições que complicam a gravidez podem ter bons desfechos, desde que cuidadas adequadamente. O parto normal também é possível na maior parte destes casos, sendo devidamente monitorado e acompanhado.

Podem existir várias doenças que complicam a gravidez, e podemos dividi-las didaticamente em 3 grupos: 1) As que afetam a mãe: pressão alta (DHEG, pre-eclampsia, eclâmpsia), diabetes mellitus gestacional, hiperemese gravídica - excesso de vômitos, colestase gravídica - excesso de coceira, colo curto, incompetência istmo cervical; 2) Da placenta: Placenta prévia centro total, placenta previa centro parcial, placenta previa marginal (ou placenta de inserção baixa), placenta acreta (placenta acreta, placenta increta ou placenta percreta); 3) Do bebê: restrição do crescimento, mal formação fetal. Trata-se de gravidez de alto risco merece pré natal rigoroso e tratamento especializado.

Yzabel Basílio

Ginecologista

São Paulo


O seguimento ultrassonográfico da gravidez está indicado para rastrear sinais que possam estar relacionados com doenças, definir o perfil de risco da gestação para se adotar medidas profiláticas, definir o diagnóstico de algumas doenças ou situações clínicas que implicam maior risco materno-fetal, diagnosticar anomalias estruturais fetais, monitorar o bem estar fetal e definir o momento adequado para o parto. Doenças maternas também podem influenciar no desenvolvimento do bebê. Mães diabéticas, hipertensas, com doenças endocrinológicas, doenças auto-imunes, colagenoses, trombofilias, câncer, insuficiência renal, infecções diversas, etc deverão ser acompanhas pelo fetólogo e o seu obstetra.

Quando falo de complicações na gravidez, me refiro tanto às gestantes que já possuem alguma doença de base quanto àquelas que desenvolvem alguma complicação durante a gestação que até então, era de baixo risco. A gravidez por si só pode acarretar intercorrências maternos fetais mas também agravar doenças pré existentes. O pré natal ideal para estes casos é aquele assistido por especialista em alto risco, com rigoroso acompanhamento materno fetal, incluindo ultrassom obstétrico com doppler e consultas quinzenais. Não deixe de se cuidar e de oferecer o melhor para o seu bebê.

Isabel Botelho

Ginecologista

São Paulo


Especialista em obstetrícia, com residência na maior escola de obstetrícia de alto risco do Brasil

Bruno Jacob

Ginecologista

São Paulo

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Complicações na gravidez?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.