Cistos ovarianos - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que são cistos ovarianos?

Os ovários são as estruturas responsáveis ??pela produção dos hormônios femininos.

Cistos ovarianos são tumores benignos que podem se formar como uma variação patológica de um processo normal, como é a ovulação mensal da mulher.

O tamanho dos cistos pode variar de  milímetros até atingir oito centímetros, mas estima-se que, em média, são cerca de dois centímetros.

Geralmente têm paredes finas e são regulares, e no interior não há conteúdo sólido.

Quais são os sintomas de cistos ovarianos?

A maioria dos cistos ovarianos não produzem sintomas e são diagnosticadas por acaso em um exame ginecológico. No entanto, eles podem se apresentar como uma massa pélvica ou mudanças na regra, ou como uma ruptura da parede do cisto ou como hemorragia intra-abdominal (dentro da cavidade abdominal), demonstrando, em último caso dor abdominal e mal-estar.

Além disso, um sintoma precoce da dor genital pode ser experimentado após a relação sexual.

Como são diagnosticados cistos ovarianos?

Os poucos sintomas  são insuficientes para o ginecologista fazer um diagnóstico preciso sem ter que usar técnicas adicionais, tais como ultra-som ginecológico, acompanhado por uma análise aprofundada pélvica.

E sobre o tratamento de cistos ovarianos?

Vigilância em primeiro lugar, porque a maioria deles desaparece na próximas semanas por conta própria. Então, quando o ginecologista diz que a mulher tem um cisto ovariano, deve fazer ultra-som repetidas vezes (três ou quatro meses) para avaliar a evolução. Outras vezes, pode ser necessário a administração de contraceptivos orais (pílula) para acelerar o processo de desaparecimento do cisto.

O sucesso do tratamento depende do tamanho e número de quistes.La necessidade de implementar um tratamento é em conexão com a história apresentada pelo paciente.

É necessária a cirurgia de cistos ovarianos?

Como mencionado acima, se a parede de cistos ovarianos se romper, por ser muito fina,  ou sangrar intracísticamente (interior), resultando em dor abdominal aguda e intensa, requer cirurgia imediata.

Às vezes, quando, apesar de usar o tratamento correto dos cistos não eles não desaparecerem, e o desconforto continuar, deve ser considerada a opção de excisão cirúrgica do cisto, ou seja, a remoção do cisto, como método resolvente.

Finalmente, no caso de dúvida sobre o cisto benigno, o melhor é direcionar a análise de um ponto de vista patológico, isto é, estudo microscópico de cisto de ovário.

E se um ovário é removido?

O ideal é sempre a remoção do cisto, sem afetar a anatomia do ovário que o desenvolveu, mas às vezes essa tarefa é impossível, e o ginecologista tem a necessidade de remover o ovário. Nesta situação, e enquanto o outro ovário for saudável, a mulher vai manter o mesmo status hormonal e capacidade reprodutiva que tinha antes da cirurgia.

Especialistas em cistos ovarianos

Encontre um especialista em Cistos Ovarianos na sua cidade:
Ejandre Lunieres Santiago

Ejandre Lunieres Santiago

Ginecologista

Manaus

Renix Moreira

Renix Moreira

Ginecologista

Rio de Janeiro

FERNANDA ERCI BAUER

FERNANDA ERCI BAUER

Ginecologista

Cotia

kyung Koo Han

kyung Koo Han

Ginecologista

Barueri

João Catarino Junior

João Catarino Junior

Ginecologista

Manaus

Zolder Marinho Silva

Zolder Marinho Silva

Ginecologista

Belo Horizonte

Perguntas sobre Cistos ovarianos

Nossos especialistas responderam a 300 perguntas sobre Cistos ovarianos

Se não estar melhorando, melhor operar. Converse com seu médico. Um abraço.
2 respostas

Olá! O ideal é ser examinado para descartar possíveis infecções.
1 respostas

Olá. A sua avaliação clínica através da história clínica, suas queixas, exame físico é fundamental para o diagnóstico e tratamento corretos.
A avaliação completa das características do…
1 respostas

Especialistas falam sobre Cistos Ovarianos

A ocorrência de cisto no ovário, ou síndrome dos ovários policísticos (SOP), é uma patologia causada por uma alteração na produção dos hormônios sexuais femininos onde ocorre um quadro de aumento dos androgênios (hormônio masculino), levando assim a sinais de hiperandrogenismo. Entre eles: acne, queda cabelos, aumento dos pelos (hirsutismo), a alterações no ciclo menstrual com tendência a atraso/ausência da menstruação (amenorreia). Ocorre também a ausência de ovulação (anovulação) causando dificuldade para engravidar (infertilidade), maior frequência de obesidade. Como característica principal, pequenos múltiplos cistos nos ovários com aumento do volume ovariano (ovários polimicrocisticos).

Cistos ovarianos em geral são de origem funcional, ou seja, a grande maioria das vezes se tratam de formações benignas e do funcionamento normal do ovário; são os chamados cistos funcionais, simples, foliculares, e outros ainda normais como cisto de corpo lúteo ou de aspecto hemorrágico. Por outro lado existem os cistos ovarianos complexos, ou seja, que suas características mostram um risco maior para tumor maligno e devem ser investigados sempre. Essa investigação se faz principalmente por exames de imagem, incluindo Ultrasom Transvaginal com Doppler e Ressonância Magnética da Pelve.

Marcello Rocco Ignacio

Ginecologista

São Paulo


Os ovários produzem cistos, que algumas vezes adquirem características sugestivas de doenças e/ou canceres e pode ser necessário remoção cirúrgica dos mesmos.

Bruno Reichmann

Cirurgião geral, Cirurgião oncológico

Porto Alegre


Cisto é uma bolsa cheia de líquido que se forma dentro ou ao redor do ovário, podendo provocar dor na região pélvica, atraso na menstruação ou até mesmo dificuldade para engravidar. Tipos: Cisto folicular: forma-se quando não há ovulação ou quando o óvulo não sai do ovário durante o período fértil. Geralmente, não apresenta sintomas e não necessita de tratamento; Cisto de corpo lúteo: pode surgir após a liberação do óvulo e, normalmente, desaparece sem tratamento; Cisto hemorrágico: acontece quando há sangramento na parede do cisto para o seu interior, podendo causar dor pélvica; Cisto dermoide: também chamado de teratoma, o tratamento é cirúrgico E outros...

Viviane Ferreira Ferling

Ginecologista

São José dos Campos

Agendar uma visita

Existem diversos tipos de cistos ovarianos. O mais comum deles é o cisto funcional, que também possuem dois tipos distintos: os foliculares e os lúteos.Os outros tipos de cistos existentes não estão relacionados ao ciclo menstrual e são bem menos comuns. São os casos dos cistos dermoide, cistadenoma.O tratamento depende muito da idade da paciente, dos sintomas do tamanho e do tipo do cisto. Muitas vezes, o cisto desaparece por conta própria, dispensando a tratamento. Isso pode demorar alguns meses. Para ter controle que o cisto se foi completamente, o médico poderá pedir ultrassons e exames pélvicos periódicos.

Fabio Leal

Ginecologista

Vitória

Agendar uma visita

Cistos Ovarianos são estruturas que existem normalmente nos ovários das mulheres e que dependendo da fase da vida da mulher ou da fase do ciclo menstrual em que o exame de USG é realizado muitas vezes eles devem ser acompanhados um pouco mais de perto. O tamanho do cisto, aspecto ultrassonografico e sintomatologia da paciente são fatores determinantes para a abordagem cirúrgica ou seguimento clinico. Na nossa clinica realizamos USG com Dooplerfluxometria que ajuda bastante na diferenciação de processos expansivos benignos ou malignos. Quando a cirurgia é necessária sempre realizamos através de Laparoscopia trazendo uma melhor recuperação à paciente.

Gustavo Comodo

Ginecologista

São Paulo

Agendar uma visita

Cistos ovarianos são bolinhas preenchidas por fluido identificadas nos ovários. Várias podem ser as causas, como: - Fisiológico (normal do corpo): cisto simples / ovulatório - Cisto dermóide / teratoma: alguns contém gordura, cabelos ou dentes. Devem ser retirados. - Síndrome de ovários policísticos: os ovários produzem vários pequenos cistos mensalmente devido a um eixo hormonal alterado. Não é necessário cirurgia, mas uso prolongado de medicamentos pode ser necessário. - Endometriose: pode causar cólica intensa, dor nas relações sexuais ou dificuldade para engravidar. - Câncer: ocorre em 1% dos cistos de ovário, principalmente em mulheres idosas ou com história familiar da doença.

Paula Guastaferro Magalhães

Ginecologista

Belo Horizonte


Avaliação, acompanhamento e se necessário retirada de cistos ovariano através de videolaparoscopia.

Diogo Lago Martins

Ginecologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Os cistos ovarianos são patologias normalmente benigna. Ocorre o aumento do ovário, devido ao acúmulo de líquido no seu interior. Na maioria das vezes é uma resposta fisiológica, não sendo necessária a cirurgia. Quando o cisto é grande, isto é, maior que 7cm, podemos ter que intervir cirurgicamente, pela videolaparoscopia. Cistos menores podem ser tratados com pílula anticoncepcional. Cistos maiores que 10cm podem torcer ou romper, o que indicaria uma cirurgia de emergência, pois a paciente irá apresentar uma dor abdominal intensa. Sempre tentamos preservar o ovário e retirar somente o cisto, pois esse é um órgão nobre, apesar de existirem dois ovários.

Michelly Azevedo Da Motta

Ginecologista

Rio de Janeiro


Cistos ovariano nem sempre são doenças. Os óvulos se desenvolvem nos ovários formando cistos fisiológicos (normais). Alguns cistos são causados por doenças. A endometriose é uma das doenças que podem cursar com cistos, bem como teratomas e cistos funcionais. Alguns cistos podem sem malignos, causados por desenvolvimento de células anormais cancerígenas. Sempre procure um especialista para determinar se há riscos à saúde se houverem cistos em ultrassonografias de rastreamento.

Os cistos ovarianos são neoplasias ovarianas, na sua maior parte benignas. Diversas patologias podem cursar com cistos ovarianos com ovulação, alterações na trompas, aderências de cirurgias, tumores ovarianos, etc. A maior parte dos cistos são assintomáticas mas os sintomas podem variar desde dor, a sangramento uterino anormal, a compressão de orgãos adjacentes. O diagnóstico é realizado pelo exame físico e um exame de imagem, na maior parte das vezes, ultrasom. Os casos que necessitam de cirurgia, seja pelo tamanho, seja por dor, seja pela necessidade de investigação diagnóstica, este procedimento pode ser realizado por laparoscopia que contribui para uma rápida recuperação da paciente.

Na presença de cistos ovarianos inúmeros fatores devem ser considerados na abordagem dos mesmos como: a idade da paciente, antecedentes familiares de câncer de ovário, as características do cisto como tamanho, presença de áreas sólidas em seu interior, o tipo de vascularização ao doppler, e ainda a presença de sintomas como emagrecimento, anemia e líquido livre no abdome. A grande maioria das pacientes jovens com cistos simples (sem áreas sólidas em seu interior), menores que 6 cm, geralmente não demandam tratamento cirúrgicos pois em geral esses cistos são funcionais. No entanto a presença de cistos ovarianos na infância e no período da pós menopausa exigem uma avaliação mais criteriosa.

Cistos ovarianos são tumores que crescem no ovário, podendo ser benignos ou malignos (câncer). Podem ter conteúdo liquido aquoso ou seroso, mucosos(Foliculares, Serosos, Luteínicos, ou Mucosos) ; de sangue (Endometrioma ou cistos hemorrágicos) ou estruturas sólidas( Teratomas ou cistos dermóides, que contém gordura, cabelos, osso e dentes). Alguns desses são fisiológicos ou não trazem graves consequências. Porém, outros devem ser operados, seja pela malignidade ou pelo dano de compressão ou estiramento do ovário com dano folicular. A maioria é possível operar por via videolaparoscópica.

Rodrigo Miyazima

Ginecologista

São Paulo

Agendar uma visita

Cisto ovariano é um nome genérico que engloba condições fisiológicas (normais), como é o caso da ovulação e outras patológicas (anormais). Estas últimas são os tumores, podendo ser benignos (como endometriose e coleções de pus) ou malignos (câncer), ocorrendo em qualquer idade. Cirurgia é o tratamento definitivo. Na infância e no climatério devem sempre ser extirpados, pelo maior risco de serem tumores malignos. Mas como os ovários constituem a principal fonte produtora de hormônios femininos, devem ser poupados dentro do possível, quando se opera. Por isto preferem-se cirurgias minimamente invasivas, como é o caso da videolaparoscopia.

A maioria dos cistos ovarianos possuem origem funcional, o que significa que são simples achados eventuais de exames de imagem e que se acompanhados corretamente desaparecem sem necessidade de intervenção. Usualmente não existe tratamento medicamentoso para resolução dos cistos já presentes. Todo caso é avaliado individualmente e em caso de necessidade cirúrgica o tratamento ideal costuma ser ooforoplastia videolaparoscopica nos casos em que se deseja preservação dos ovários (possível na imensa maioria dos casos, mesmo com cistos volumosos) ou ooforectomia videolaparoscopia na qual os mesmos são retirados.

A maior parte das doenças ovarinas é benigna, de origem funcional ou tumoral benigna. Frequentemente são achados incidentais, através de ultrassonografia solicitada na rotina pelo ginecologista. Quando esse cisto apresenta grande volume, a mulher pode ter sintomas pelo efeito de massa (dor no pé da barriga, frequência urinária, dor durante a relação sexual, etc), pelo aumento da produção hormonal (atraso da menstruação, sangramento irregular, aumento de peso, dificuldade para engravidar) e devido à torção do ovário ou à ruptura do cisto. É consenso na literatura que, em se optando pela conduta cirúrgica, a laparoscopia é via de eleição.

Os cistos de ovário são um achado comum de alterações em exames ultrassonográficos de rotina em pacientes na idade reprodutiva. Existem vários tipos de cistos, e podem ter origem benigna como maligna e por isso é fundamental avaliar todas as características antes de indicar qualquer tipo de tratamento. Eles podem em um ou ambos os ovários e apresentam dimensões muito variadas, desde pequenos cistos foliculares até tumores malignos de grandes dimensões. A grande maioria dos cistos desaparece espontaneamente em semanas ou meses e não chega a causar complicações. porém quando atingem grandes dimensões, podem causar alguns sintomas e necessitar de tratamento ou até mesmo cirurgia.

Fernanda Gabriela Mendes

Ginecologista

Curitiba


Cistos Ovarianos são alterações que podem surgir durante a vida feminina, qque podem ser ou não patologicas, mas que devem sempre serem avaliados pelo seu ginecologista.

Natalia Castro

Ginecologista

São Paulo


Cistos de Ovário são muito comuns e nem sempre devem causar preocupação. Em grande parte das vezes podemos apenas acompanhá-los com exames de imagem e a cura é espontânea. Quando indicado tratamento cirúrgico, a cirurgia por vídeo (minimamente invasiva) é a melhor maneira de tratá-los.

Raquel Reis Magalhães

Ginecologista

São Paulo


Cisto no ovário é uma alteração que provoca muita confusão entre as pacientes. Cistos simples - aqueles com características benignas - são normais aparecer em ultrassom de rotina. Eles nada mais são do que a "casa" do seu óvulo, de onde ele sai para encontrar o espermatozoide. Por isso frequentemente esses cistos são vistos e não há nada a ser feito. Às vezes, vários desses cistos se acumulam nos ovários e o termo "ovários policísticos" aparece no laudo. Tê-los não é a mesma coisa que ter a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). Também podem aparecer cistos com características menos usuais, "hemorrágico" ou "complexo". Tire suas dúvidas com seu médico e não fique preocupada.

Rodrigo Ferrarese

Ginecologista

São Paulo

Quais profissionais tratam Cistos ovarianos?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.