Mioma - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é?

Mioma, também conhecido por fibroma uterino ou leiomioma, é um tumor benigno (não cancerígeno) que se desenvolve no útero, um órgão reprodutivo feminino. O mioma é uma condição bastante comum. Aproximadamente 20% das mulheres em idade fértil desenvolvem um ou mais miomas. Esse índice chega a 50% entre as mulheres com 50 anos. É mais comum em negras que em mulheres brancas. São classificados de acordo com sua posição no útero. - Mioma intramural: aparece na parede muscular do útero. - Mioma submucosal: surge embaixo da superfície mucosa do útero. - Mioma subserosal: aparece embaixo do revestimento externo do útero. - Mioma pedunculado: ocorre na parte externa do útero ou dentro da cavidade uterina.

Qual é a causa?

Não se conhece a causa do desenvolvimento dos miomas. Acredita-se que seu surgimento esteja relacionado à produção do estrógeno. Sua incidência diminui após a menopausa. São apontados como fatores de risco o uso de anticoncepcionais feito de maneira precoce (meninas de 16 anos), consumo de bebidas alcoólicas, hipertensão, menstruação precoce e hereditariedade.

Quais os sintomas?

Muitos miomas são assintomáticos. Outros apresentam: - Sangramento entre as menstruações- Fluxo menstrual intenso - Ciclos menstruais mais longos que o normal. - Necessidade de urinar com mais frequência- Cólica ou dor no período menstrual - Sensação de inchaço na parte inferior do abdome- Dor durante a relação sexual - Infertilidade

Como fazer o diagnóstico?

O exame pélvico pode detectar a formação do mioma. Porém, há necessidade de um exame de imagem (ultrassom) para confirmar o diagnóstico e conhecer o tamanho exato do mioma.

Qual o tratamento?

A melhor opção de tratamento vai depender de fatores como idade, tamanho e tipo do mioma e do desejo ou não de a mulher ter filhos. Na maioria dos casos, os miomas só precisam ser acompanhados por exames regulares. Eventualmente medicamentos podem ser indicados para evitar o desconforto no período menstrual. Pílulas anticoncepcionais, dispositivos intrauterinos, suplementos de ferro, anti-infamatórios e injeções de hormônio podem ajudar no controle. No entanto, quando o crescimento do mioma é muito rápido e os sintomas intensos, a cirurgia se torna uma opção.

Especialistas em mioma

Encontre um especialista em Mioma na sua cidade:
Renata Miranda

Renata Miranda

Ginecologista

Nova Lima

Paula Campos Barroso Perrout

Paula Campos Barroso Perrout

Ginecologista

Ipatinga

Luciana Guedes

Luciana Guedes

Ginecologista

Rio de Janeiro

Amélia Losada Cerqueira

Amélia Losada Cerqueira

Ginecologista

São Paulo

Marieta Sodré

Marieta Sodré

Ginecologista, Terapeuta complementar

São Paulo

Eduardo Camelo de Castro

Eduardo Camelo de Castro

Ginecologista

Goiânia

Perguntas sobre Mioma

Nossos especialistas responderam a 397 perguntas sobre Mioma

Olá. O mioma é um tumor benigno do útero, presente em 40 a 80% das mulheres, com risco de malignidade muito baixo. Apenas 20% das mulheres com miomas apresentam algum sintoma e necessitam de…
1 respostas

Olá. O mioma é um tumor benigno do útero, presente em 40 a 80% das mulheres, com risco de malignidade muito baixo. Apenas 20% das mulheres com miomas apresentam algum sintoma e necessitam de…
1 respostas

Olá. O mioma é um tumor benigno do útero, presente em 40 a 80% das mulheres, com risco de malignidade muito baixo. Apenas 20% das mulheres com miomas apresentam algum sintoma e necessitam de…
1 respostas

Especialistas falam sobre Mioma

O Centro de Mioma é formado por um grupo de especialistas no diagnóstico, acompanhamento e tratamento dos miomas uterinos, sempre com enfoque ao atendimento humanizado e ao tratamento personalizado, utilizando as mais diversas técnicas, como embolização dos miomas, miomectomia robótica, miomectomia laparoscópica, miomectomia histeroscópica e miomectomia por laparotomia com metroplastia com preservação do útero e resgate da fertilidade.

Michel Zelaquett

Ginecologista

Rio de Janeiro


Mioma uterino ou leiomioma é um tumor benigno da musculatura lisa do útero que aparece com grande frequência durante a vida das mulheres. Mais de 30% das mulheres acima de 40 anos podem ter um ou mais miomas (miomatose uterina), mesmo sem apresentar sinais ou sintomas, sendo apenas um achado da ultrassonografia. A probabilidade de um mioma dar origem ao câncer é menor que 1%. Portanto, a simples presença de mioma uterino não deverá ser causa de grande problema ou preocupação recomendando-se apenas um controle periódico através da ultrassonografia e sinais de possíveis anormalidades. Na grande maioria das vezes a paciente será assintomática.

As mulheres com mioma podem apresentar sangramento irregular uterino, dor pélvica e infertilidade. Os miomas podem estar localizados na parte externa do útero (subseroso), na musculatura do útero (intramural) ou na cavidade uterina (submucoso). Os submucosos são os mais problemáticos por causarem com frequência sangramento, infertilidade e dor. O acompanhamento clínico ou cirúrgico vai depender da avaliação individual de cada caso. Na investigação é relevante identificar a localização, quantidade e tamanho dos miomas, através de exames de ultra-sonografia e ressonância magnética. Quando a mulher apresenta sangramento irregular ou infertilidade, deve fazer exame de vídeo-histeroscopia.

Jose Alexandre Portinho

Ginecologista, Nutrólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Mioma é uma tumoração que acomete muitas mulheres e pode apresentar sintomas de dores e sangramentos vaginais aumentados, ou podem não causar absolutamente nada e aparecerem em exames. São extremamente raros os casos em que podem se transformar em câncer, e devem sempre ser acompanhados pois podem dificultar a gravidez. Por isso devem sempre ser acompanhado e alguns casos a cirurgia é a melhor solução, consulte sempre um ginecologista de referência.

Mioma, ou leiomioma do útero, é o tumor ou nódulo benigno mais frequente nas mulheres, podendo atingir até 70 a 80% da população feminina. Na maioria dos casos não é necessário tratamento algum, pois podem não aumentar de tamanho durante anos, sem hemorragias, sendo que após a menopausa podem até regredir, portanto somente se faz necessário o controle com exames de imagem. Nos casos que os miomas aumentam muito de tamanho e/ou causam hemorragias que as medicações não controlam, indicamos a cirurgia para extração dos nódulos (miomectomia), ou até Histerectomia, retirada do útero inteiro, quando não existe mais o desejo reprodutivo.

Marcello Rocco Ignacio

Ginecologista

São Paulo


O mioma é um tumor do útero composto por células musculares. Normalmente é benigno (risco extremamente baixo de câncer). Mas pode causar sangramento menstrual exagerado, dor e aumento de volume abdominal ou até infertilidade, dependendo da posição do mioma no útero O tratamento depende de cada caso. Algumas pacientes só precisam fazer seguimento com ultrasson, outras podem ter melhora dos sintomas com medicamentos. Alguns casos é preciso cirurgia , ou para retirar o mioma , ou para retirar o útero. Nos casos de retirada apenas do mioma ( por exemplo pra quem quer engravidar) a cirurgia pode ser feita com vídeo por dentro do útero (histeroscopia), com ótima recuperação.

Maurilio Batista Palhares Junior

Ginecologista

Maringá


Os miomas uterinos podem ser retirados por técnicas menos invasivas que as tradicionais cirurgias convencionais com corte no abdômen. Entre as técnicas minimamente invasivas estão a Videolaparoscopia, Histeroscopia e Histerectomia Vaginal, dependendo da indicação de cada situação.

Danilo Scheit Vieira Junior

Ginecologista, Mastologista

Barueri


A designação científica é leiomioma uterino (leio=liso mio = músculo oma = tumor benigno). Portanto, é um tumor benigno composto basicamente de músculo uterino que cresce para dentro ou para fora do útero e pode alterar o formato do órgão à medida que se desenvolve. Costuma permanecer estável durante anos ou crescer em poucos meses. Ocorre com maior frequência entre os 40 e 50 anos. Tratamentos: clínico e/ou cirúrgico

Viviane Ferreira Ferling

Ginecologista

São José dos Campos

Agendar uma visita

Tumor benigno composto basicamente de músculo uterino que cresce dentro ou fora do útero e pode alterar o formato do órgão à medida que se desenvolve.

Christiane Curci Regis

Ginecologista

São Paulo


Miomas uterinos, ou fibromas, são tumores não cancerosos do útero, que muitas vezes aparecem durante a idade fértil. Os miomas uterinos não estão associados a um risco aumentado de câncer de útero e quase nunca se transformam em câncer. Esse tumor benigno atinge cerca de 50% das mulheres na faixa etária dos 30 aos 50 anos. Nem todos os miomas necessitam de cirurgia, só os que aumentam de tamanho, causam dor ou sangramento que não respondem ao tratamento clínico.

Tadeu Batista Pereira De Carvalho

Ginecologista

Goiânia


Aproximadamente 70% a 80% das mulheres que tem miomas não possuem sintomas. Logo, os miomas não costumam causar sintomas. O sintoma mais comum é o sangramento vaginal excessivo, principalmente durante a menstruação (hiperfluxo menstrual) Quando os miomas crescem muito podem levar a sensação de peso em baixo ventre, quando crescem em demasia e extrapolam os limites da pelve causam aumento do volume abdominal. Modalidades de tratamento: Medicamentos hormonais, Contraceptivo,Embolização ,Miomectomia, Histerectomia.

Fabio Leal

Ginecologista

Vitória

Agendar uma visita

Miomas são tumores benignos que ocorem no útero. Sintomas aparecem conforme a localização e tamanho: sangramento, sensação de peso e desconforto pélvico. A embolizacão é um método de tratamento minimamente invasivo com a vantagem de evitar uma cirurgia e promover rápida recuperação da paciente e retorno precoce às suas atividades cotidianas. Tudo é feito através de uma única punção de um vaso sanguíneo. Indicado para pacientes que precisarão realizar cirurgia (retirada do mioma ou até mesmo do útero ) mas não desejam ser submetidas a cirurgia. É importante o acompanhamento conjunto de um ginecologista pois ele saberá indicar o melhor método de tratamento para cada paciente.

Deo Cezar Carneiro Fontes

Angiologista, Cirurgião vascular

São Luís

Agendar uma visita

Miomas são tumores benignos do útero. A maioria das mulheres com mioma não tem sintomas, e necessitam apenas de controle e orientações. Os sintomas mais comuns são excesso de menstruação, dor, aumento da frequência urinária, dificuldade para engravidar ou aumento do volume abdominal. O tratamento pode ser clínico (anticoncepcionais, anti-inflamatórios, DIU, etc) ou cirúrgico (retirada dos miomas ou do útero, embolização, histeroscopia). A escolha do melhor tratamento varia de acordo com a idade da mulher, desejo (ou não) de gestar, sintomas e tipo/quantidade de miomas e opção pessoal da paciente. Para qualquer caso, uma consulta completa e com orientações sobre os miomas é essencial.

Paula Guastaferro Magalhães

Ginecologista

Belo Horizonte


Miomas surgem a partir da proliferação de tecido muscular da parede do útero, formando nódulos, que podem provocar o crescimento do órgão e consequências relacionadas, tais como: aumento do fluxo menstrual em volume e na quantidade de dias, cólicas, dor durante as relações sexuais, sintomas urinários por compressão da bexiga, além de infertilidade.

Miomas são compostos por tecido muscular e são as massas uterinas mais frequentes em mulheres na idade reprodutiva. Podem acarretar irregularidade menstrual, dor e compressão de outros órgãos, infertilidade e complicações na gravidez. Em alguns casos é necessário cirurgia para retirada do mioma ou mesmo a retirada do útero, dependendo do desejo reprodutivo da paciente.

Thalia Maia

Ginecologista

Brasília


Miomas são tumores uterinos benignos, também conhecidos como fibromas podem causar problemas e comprometer a qualidade de vida das mulheres. Dores pélvicas, cólicas, sangramento excessivo, perda espontânea de urina, aumento do volume abdominal e ainda dificuldade de engravidar ou de manter uma gestação são sintomas que podem serem atribuídos aos miomas. A embolização dos miomas uterinos é uma técnica minimamente invasiva, sem cortes, sem cirurgias, que preserva seu útero e resolve seus sintomas.

Dimitrius Stamoulis

Radiologista

Patos de Minas

Agendar uma visita

A miomatose uterina é uma patologia benigna, que acomete uma grande parcela da população feminina. Dependendo da sua localização na parede uterina, ele terá diferentes classificações e acarretará sintomas diversos. O mioma submucoso é aquele que está crescendo para dentro da cavidade uterina. Normalmente, causa hemorragia e dificulta a paciente de engravidar. Podemos realizar uma cirurgia minimamente invasiva para a retirada desse mioma, a histeroscopia. O aparelho entra pela vagina e retira o mioma sem que seja necessário corte na barriga. A paciente retorna para casa no mesmo dia do procedimento. O outro tipo de mioma é o subseroso, que cresce para fora do útero, como se fosse uma orelha.

Michelly Azevedo Da Motta

Ginecologista

Rio de Janeiro


O mioma uterino está entre os tumores benignos mais comuns do trato reprodutivo da mulher. Apesar de ser um tumor benigno, pode causar sintomas importantes como sangramento vaginal em excesso, dor pélvica crônica, dor nas relações sexuais, e irritação da bexiga. O tratamento do mioma uterino está indicado quando causa sintomas importantes e que atrapalham a qualidade de vida da mulher. A embolização do mioma uterino é um tratamento minimamente invasivo (cirurgia sem cortes) com baixos riscos de complicações e alta eficácia, que possibilita a melhora dos sintomas ao mesmo tempo que preserva o útero.

Rafael Noronha Cavalcante

Cirurgião vascular

São Paulo

Agendar uma visita

Ou fibromas, são nódulos originários do útero, geralmente benignos, mas podem causar complicações (como dor, cólica, hemorragia). Apesar de normalmente serem uterinos, podem acometer outras estruturas, como o colo uterino, os ligamentos, os ovários, ou até outras estruturas (raramente). Normalmente falamos sobre os nódulos uterinos, que podem acometer as várias camadas da parede uterina (endométrio, miométrio, peritônio), avaliando os sintomas que estão provocando para poder estabelecer um tratamento adequado. Existem várias possibilidades, em se tratando de terapêutica (medicações, embolização, cirurgia). O especialista, juntamente com a paciente devem escolher a melhor opção.

O mioma é um nódulo benigno que pode causar sangramento vaginal irregular, mas pode também não causar sintomas algum. O tratamento cirúrgico nem sempre é necessário. Quando optada pela cirurgia, pode ser realizada apenas a retirada do mioma ou a retirada do útero como um todo. A conduta adequada depende de cada caso.

Satomi Shikanai

Ginecologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Nodulo que cresce no útero. Pode ser tratado via Histeroscopia cirurgica(os submucosos) ou via cirurgia aberta ou videolaparoscópica ( miomectomia - ou retirada dos miomas) ou Histerectomia (via aberta convencional , via vaginal ou videolaparoscópica) . Existem medicações que podem ser utilizadas apenas para controle dos sintomas transitoriamente.

Rodrigo Miyazima

Ginecologista

São Paulo

Agendar uma visita

É uma doença benigna que se forma a partir na camada muscular do útero e em 0,5% dos casos pode malignizar. Ele pode crescer tanto do lado de dentro quanto no de fora do órgão, alterando o formato do útero. Acomete as mulheres entre 30 e 55 anos de idade. De acordo com a sua localização no útero, podem apresentar sintomas variados. A Ultrassonografia transvaginal ou Pélvica, dá o diagnóstico na grande maioria dos casos, sendo necessário, em alguns casos específico, a realização de Ressonância magnética. O tratamento depende do tamanho, de sua localização, idade da paciente e é predominantemente cirúrgico.

Edson Santana

Ginecologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

O mioma é um tumor benigno que pode estar localizado no endométrio (porção interna do útero), miométrio (camada muscular intermediária) e/ou na camada serosa (porção externa). A prevalência dos miomas nas mulheres em idade reprodutiva pode chegar até 50%, porém na maioria das pacientes é assintomático. Os principais sintomas do mioma são sangramento menstrual aumentado e cólicas menstruais. Alguns miomas estão relacionados com infertilidade. Em geral a cirurgia está indicada nos miomas submucosos e nos nódulos maiores que 4-5 centímetros e quando distorcem o endometrio. A conduta em cada caso deve ser individualizada e a decisão de realizar a cirurgia deve ser discutida com a paciente.

Alexandre Lobel

Ginecologista

São Paulo

Agendar uma visita

Mioma é um tumor benigno devido à multiplicação anormal de células musculares lisas, podendo ocorrer em muitos órgãos, sendo mais frequente no útero. Várias particularidades devem ser avaliadas em cada caso. Muitos miomas regridem na menopausa, ao passo que outros crescem durante os anos da vida reprodutiva. Sua importância decorre de sua relação com hemorragias uterinas, dor, compressão de órgãos vizinhos e dificuldade para engravidar. Nem todos mioma requer tratamento, mas apenas uma avaliação médica cuidadosa permitirá conhecer o melhor para cada caso. Ainda não há tratamento clínico bem conhecido, mas sendo cirurgia, esta deve ser preferivelmente minimamente invasiva.

Avaliação de miomatose uterina sempre deve ser muito individualizada de acordo com as lesões presentes em cada paciente, os sintomas apresentados e a intenção final do tratamento, considerando a necessidade ou não de preservação de fertilidade e a resolução dos sintomas. Muitos casos são assintomáticos e não precisam de nenhuma intervenção. Quando existem sintomas, esses muitas vezes podem ser controlados com medicação, porém não existe tratamento farmacológico para cura ou regressão definitiva dos miomas. Em casos em que existe necessidade de tratamento cirúrgico são possíveis: histeroscopia, miomectomia, histerectomia, sendo as ultimas duas possíveis por laparoscopia ou abertas.

Miomas são tumores benignos semelhantes ao músculo uterino que muito raramente tornam-se câncer. Os sintomas mais comuns são sangramento menstrual aumentado, infertilidade e dor pélvica crônica. O tratamento com cirurgia está indicado dependendo dos sintomas e do tamanho dos miomas. A depender do local onde estão inseridos no útero, podem ser retirados por histeroscopia ou laparoscopia. No caso de miomas pequenos e assintomáticos, não há necessidade de retirá-los. Eles podem ser acompanhados com exames de imagem (Ultrassonografia ou Ressonância Magnética).

Raquel Reis Magalhães

Ginecologista

São Paulo


Miomas são formações predominantemente fibrosas que acometem o útero. Em torno de 20 a 40% das mulheres em idade reprodutiva tem miomas. A maioria dessas mulheres não terão sintomas, e basta acompanhamento anual . Os miomas podem acometer a parede de fora do útero, do meio (intramurais) e a parede mais interna do útero ( submucosos) . Os miomas submucosos tendem a causar sintomas importantes como sangramento vaginal excessivos. O tratamento da miomatose uterina envolve cirurgia ( miomectomia ou histerectomia) e uso de anticoncepcionais , porém varia de mulher para mulher. Lembrando que nem sempre é necessário tratamento.

Mioma uterino é um tumor de origem benigna na grande maioria das vezes. Acomete úteros de mulheres na fase reprodutiva e são diagnosticados tanto no exame ginecológico com na ultrassonografia. Mulheres portadoras de mioma uterino podem ter sintomas de sangramento menstrual excessivo, cólicas menstruais e aumento de volume abdominal. O tratamento é realizado após consulta médica e consta de várias opções desde medicamentos até cirurgias a depender das necessidades da paciente relacionadas a futuro reprodutivo. Desta maneira mulheres com mioma e ainda não têm filhos podem contar com tratamentos conservadores do útero.

Embolização das artérias uterinas A miomatose uterina, é uma patologia que acomete a mulher em sua vida reprodutiva, trazendo diversas queixas e desconforto a mulher, levando a perda de dias de trabalho e queda da qualidade de vida. As queixas mais comuns são aumento do fluxo menstrual, dor no período menstrual, aumento do volume abdominal, maior frequência miccional entre outras queixas comuns. O diagnóstico se faz com um ultrasson de rotina, e após o planejamento terapêutico e abordagem multidiciplinar é possível a realização da “Embolização de artérias uterinas”, técnica que permite a redução drástica dos sintomas, com abordagem minimamente invasiva.

William Fonseca

Cirurgião vascular

Guaratinguetá

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Mioma?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.