Carcinoma basocelular - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em carcinoma basocelular

Encontre um especialista em Carcinoma Basocelular na sua cidade:
Evandro Lopes da Silva Filho

Evandro Lopes da Silva Filho

Cirurgião plástico

Vila Velha

Dr. Guilherme Fritsch

Dr. Guilherme Fritsch

Cirurgião plástico

Porto Alegre

Audrien Furlan de Lucca

Audrien Furlan de Lucca

Cirurgião cranio-maxilo-facial, Cirurgião plástico

São Paulo

Claudio Lemos

Claudio Lemos

Cirurgião plástico

Rio de Janeiro

Isaias Vieira Cabral

Isaias Vieira Cabral

Cirurgião plástico

Governador Valadares

Leonardo Zakzak

Leonardo Zakzak

Cirurgião plástico

Brasília

Perguntas sobre Carcinoma basocelular

Nossos especialistas responderam a 12 perguntas sobre Carcinoma basocelular

A decisão deve ser do cirurgião, que vai optar pelo melhor tratamento para a situação. Por óbvio que o paciente deve ser orientado e esclarecer as dúvidas sobre o tratamento.
3 respostas

Dra. Roberta Alvares Azevedo
Dra. Roberta Alvares Azevedo
Cirurgião plástico
Rio de Janeiro
O carcinoma basocelular é um tipo de câncer de pele menos agressivo. O tratamento cirúrgico consiste em retirar o tumor com uma margem de segurança ao redor, ou seja, uma quantidade de pele sadia…
3 respostas

Dra. Roberta Alvares Azevedo
Dra. Roberta Alvares Azevedo
Cirurgião plástico
Rio de Janeiro
O tratamento do câncer de pele no nariz é cirúrgico. Deve ser realizada uma biópsia excisional, cirurgia na qual toda a lesão é retirada junto com um pouco de pele sadia ao redor do tumor (margem…
2 respostas

Especialistas falam sobre Carcinoma Basocelular

O carcinoma basocelular (CBC), é um tumor de pele de crescimento lento, que surge na camada basal da epiderme, nas células não ceratinizantes. O CBC é a neoplasia maligna mais comum, responsável por aproximadamente 25% de todas as neoplasias malignas e por 75% dos cânceres de pele não melanoma. A excisão cirúrgica oferece a vantagem da avaliação histopatológica da peça retirada. Tem sido demonstrado que a margem de quatro mm é adequada em 98% dos casos de CBCs não-esclerodermiforme menores que dois cm de diâmetro. A extensão até a gordura do subcutâneo é satisfatória.

Luiz Fernando Nunes

Oncologista, Cirurgião geral

Rio de Janeiro


As células basais produzem novas células da pele conforme as antigas morrem. Limitar a exposição ao sol pode ajudar a evitar que essas células se tornem cancerígenas. Esse tipo de câncer geralmente aparece como um nódulo de cera branco ou uma mancha escamosa marrom em áreas expostas ao sol, como rosto e pescoço. Os tratamentos incluem prescrição de cremes ou cirurgia para remover o câncer.

Brunno Rosique

Cirurgião plástico, Cirurgião geral

Goiânia

Agendar uma visita

É o câncer de pele mais comum, corresponde a 75% dos casos. Este tipo de câncer costuma aparecer no rosto, tronco, além de áreas do corpo que estão permanentemente expostas ao Sol como uma ferida ou lesão que não cicatriza ou nódulos claros ou marrons. Sua incidência é maior a partir dos 40 anos, em pessoas de pele clara. Porém, com a constante exposição de jovens aos raios solares, a média de idade dos pacientes vem diminuindo ano após ano. Não provoca metástases, ou seja , não espaha para outros orgãos do corpo, entretanto pode apresentar característica invasiva e, com o seu crescimento, destruir os tecidos que o rodeiam, atingindo até a cartilagem e os ossos

Roberta Papaleo

Oncologista

Belo Horizonte


O tratamento de câncer de pele, bem como qualquer forma de câncer, pode requerer cirurgia para remover os tumores, • O cirurgião plástico remove, cirurgicamente, lesões cancerígenas e demais lesões da pele utilizando técnicas especializadas para preservar sua saúde e sua aparência, • Embora nenhuma cirurgia fique sem cicatrizes, o cirurgião plástico fará o possível para tratar o câncer de pele sem mudar radicalmente sua aparência, • Para algumas pessoas, a reconstrução pode exigir mais de um procedimento para que se obtenham os melhores resultados.

Denis Riccardi Guimaraes

Cirurgião plástico

Porto Alegre

Agendar uma visita

O câncer basocelular é o tumor de pele mais comum. Causado na maioria dos casos pela exposição solar. Geralmente não envia metástases, ou seja, tem crescimento apenas local. Pode se manifestar de várias formas, desde manchas escuras ou avermelhadas até pápulas ou lesões verrucosas com crostas e erosões que causam sangramentos e coceiras esporádicas. O tratamento é feito com a ressecção cirúrgica da lesão ou apenas uma cauterização física ou química, caso a lesão se encontre em estágio inicial.

Daniel Fagundes Azevedo

Cirurgião plástico

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Os principais cânceres de pele são o Carcinoma Basocelular (CBC), o Carcinoma Espinocelular (CEC) e o Melanoma. O Melanoma, apesar de ser menos frequente, é o mais perigoso. O que fazer para se prevenir? Possui manchas, pintas ou marcas pelo corpo? Fique atento quando elas ficarem Assimétricas, com Bordas irregulares, mudarem de Cor, aumentarem de Diâmetro ou alterarem a sua Evolução. Esse é o ABCDE, fácil de lembrar. O autoexame regular da pele é importante e permite a detecção precoce do câncer de pele, mas a qualquer alteração deve procurar o seu médico.

Fernando Campos Moraes Amato

Cirurgião geral, Cirurgião plástico

São Paulo

Agendar uma visita

O carcinoma basocelular é um tumor de pele cujo tratamento é cirúrgico através da retirada completa do tumor.

O carcinoma basocelular (CBC) é o tipo mais comum de câncer maligno de pele, constituindo 70% dos casos. O CBC é um tumor de crescimento lento com potencial destrutivo local, invadindo estruturas próximas e destruindo-as. O CBC se parece com uma protuberância que tem aspecto perolado, podendo ser branco, vermelho, marrom ou preto. Sangra com facilidade e é muitas vezes referido como ferida ou espinha que não cicatriza. O diagnóstico é feito pelo médico dermatologista que pode ou não necessitar de uma biópsia (retirada de uma pequena parte da lesão para estudo) para confirmar. O tratamento cirúrgico é a melhora opção.

O carcinoma basocelular (CBC) é o tipo mais comum de câncer de pele. Tanto a exposição ao Sol acumulada ao longo da vida quanto os episódios ocasionais de exposição intensa (que em geral provocam queimaduras) contribuem para provocar os danos que podem resultar em CBC. Os tumores surgem com maior frequência nas áreas expostas do corpo, especialmente na face, nas orelhas, no pescoço, no couro cabeludo, nos ombros e no dorso. Os CBCs em estágios iniciais são facilmente tratáveis, com índices de cura próximos de 100%.

Lia Loureiro Albuquerque

Dermatologista

Fortaleza


Câncer de pele mais comum e o mais benigno, seu tratamento requer a retirada completa da lesão com margem de segurança. Ha necessidade de realizar o exame anatomopatológico, para confirmar a doença e seu tipo e estagio. Não requer quimioterapia ou radioterapia. Normalmente as cirurgias são realizadas em hospital, sob anestesia local em regime ambulatorial; isto é, não requer internação.

O Carcinoma Basocelular e o Espinocelular são lesões malígnas que crescem na cútis [pele]. Os fatores mais importantes são os Raios Ultra-violetas que agridem a superfície corporal e, o principal elemento é o Sol nos horários entre 09:00 e 16:00 horas. Com menor intensidade temos as lâmpadas fluores-centes, telas de computadores e celulares. A má alimentação, açucares alimentos industrializados, agrotóxicos nos vegetais, reduzem nossa imunidade favorecendo o crescimento dessas lesões. São tumores tratáveis e só aumentam o risco quando invadem cavidades naturais.O Fator de Proteção Solar deve ser usado naquele período crítico pois, a Luz Solar e a vitamina D são fundamentais para nossa Saúde.

Wander Araújo Pinto

Cirurgião plástico

Governador Valadares


Lesões de pele são comuns. Quando o comportamento de determinada lesão é anormal ou a lesão apresenta características de malignidade (assimetrias, bordas irregulares, coloração heterogênea, tamanho exagerado, alteração recente) é necessária uma avaliação médica e, provavelmente, uma biópsia da lesão. O diagnóstico precoce facilita o tratamento do câncer de pele e aumenta as chances de cura. Carcinoma basocelular, espinocelular e melanoma estão entre os tipos mais comuns de tumores malignos da pele.

Felipe Zampieri

Cirurgião plástico

Barueri


O carcinoma basocelular é um tumor maligno de pele de crescimento muito lento. Surge em áreas expostas ao sol e preferencialmente em pacientes de pele clara. Devido ao seu crescimento lento costuma ser negligenciado pelos pacientes, porém devemos saber que este câncer tem poder de invisibilidade local, acometendo os tecidos próximos ao local de seu surgimento. Quando diagnosticado precocemente tem índices de cura próximos a 100%. Esteja atento a lesões crónicas em áreas fotoexpostas (como nariz, lábios, pálpebras, orelhas, pescoço e braços), lesões ulceradas, sangrantes ou descamativas.

Elisa Capitian

Cirurgião plástico

São Paulo


O Carcinoma Basocelular é o câncer de pele mais frequente e felizmente o menos agressivo. É comum em pessoas brancas, com cabelos claros e olhos claros que se expuseram muito ao sol sem a devida proteção. Ele pode iniciar como uma "bolinha" vermelha inofensiva, uma feridinha que não cicatriza. O quanto antes o paciente procurar atendimento, maior é a chance de cura. O principal tratamento é cirúrgico, e quanto antes for a intervenção, melhor o prognóstico e o resultado cosmético da cirurgia. Procure sempre um profissional habilitado.

Um tipo de câncer bem comum, principalmente em pessoas com histórico de exposição solar. Normalmente em face ou pescoço. Normalmente o tratamento requer procedimento cirúrgico-dermatológico para retirada da lesão. Cada caso deve ser bem avaliado para definir estratégia do procedimento.

Gustavo Kutschenko

Generalista

São José Dos Pinhais

Quais profissionais tratam Carcinoma basocelular?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.