Desigualdade de membros inferiores - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - desigualdade de membros inferiores

Leonardo Grandi

Leonardo Grandi

Especialista em medicina física e reabilitação

Rio de Janeiro

Luciana Miyahira

Luciana Miyahira

Ortopedista - traumatologista

São Paulo

Celso Júnio Aguiar Mendonça

Celso Júnio Aguiar Mendonça

Ortopedista - traumatologista

Curitiba

Vicente Júlio Barbosa de Lima

Vicente Júlio Barbosa de Lima

Ortopedista - traumatologista

Recife

Paulo Augusto Bonini

Paulo Augusto Bonini

Ortopedista - traumatologista

Adamantina

Agnes Luciana Souza

Agnes Luciana Souza

Fisioterapeuta

Niterói

Perguntas sobre Desigualdade de membros inferiores

Nossos especialistas responderam a 33 perguntas sobre Desigualdade de membros inferiores

Olá
Aconselho a procurar um ortopedista pediátrico para examinar seu filho. Existem alguns diagnósticos possíveis, mas só o exame de um especialista poderá esclarecer a questão.

a vários fatores físicos e/ou posturais que podem levar a dismetrias dos membros inferiores, deve ter atenção acompanhamento com médico ortopedista, mas não deve entrar em pânico com a situação.…

ir acompanhando essa diferença, se vai aumentar ou se estabiliza assim. Observar marcha , se tem dificuldades.

Especialistas falam sobre Desigualdade De Membros Inferiores

A desigualdade ou dismetria de membros é nada mais do que um membro menor ou maior do que o outro. Não raramente encontramos indivíduos com até 1,5 cm de diferença, não sendo isso considerado normalmente patológico. Entretanto, diferenças maiores que esta podem ser decorrentes de doenças ou traumas prévios na infância que levaram ao longo do crescimento à discrepância no comprimento final do membro. A discrepância pode causar dor nas articulações do lado mais curto e também ao surgimento de escoliose compensatória que uma vez não tratada evolui para escoliose rígida. Alem disto, acarreta dor nas articulações e alterações no caminhar e na realização de atividades físicas.

André Luís Gonçalves De Souza

Ortopedista - traumatologista

Jaboatão Dos Guararapes


Tratamento com alongamentos ósseos, encurtamento ósseo e epifisiodese. As epifisiodeses são procedimento usados para correção de deformidade angulares ou diferenças de comprimento dos membros inferiores. São caracterizadas por fechamento completo (epifisiodeses) ou parcial (hemepifisiodese) da cartilagem de crescimento de um determinado osso. Realiza-se assim um crescimento guiado do osso acometido.

Felippi Guizardi Cordeiro

Ortopedista - traumatologista

São Paulo


Algumas dores na lombar são causadas por adaptações do corpo a uma má postura, que vem desde a funcional quanto a uma desigualdade de membros inferiores. Na Osteopatia Postural é feita uma avaliação minuciosa, para avaliar a possível perna curta (verdadeira ou falsa), caso seja identificada a perna curta verdadeira é indicado o uso de palmilhas postural com calço para buscar a postura mais anatômica possível. O captor podal pode alterar a postural de forma ascendente, sendo não só a perna curta a indicação para palmilhas (postura muito anteriores, retificação das curvaturas fisiológicas...).

Thaynara Nascimento

Fisioterapeuta

Recife


A diferença no tamanho das pernas é muito comum, pode ser devido a doenças genéticas, doenças congênitas, sequelas de fratura e infecções ou mesmo do desenvolvimento(idiopática), no qual não se sabe a causa. Elas podem causar cansaço, dor nas pernas, claudicação(criança de manca), quedas frequentes entre outras causas. Uma avaliação minuciosa pode-se detectar a diferença e tratar de acordo com a deformidade.

Jansen Osterno Vasconcelos

Ortopedista - traumatologista

Fortaleza

Quais profissionais tratam Desigualdade de membros inferiores?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.