Escoliose - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é?

Escoliose é o encurvamento da coluna vertebral. Ela pode ser desenvolvida em indivíduos de qualquer idade, inclusive em bebês. A coluna vertebral tem duas curvaturas quando olhada lateralmente: lordose e cifose. Elas são consideradas normais quando não possuem curvatura acentuada. Todavia, quando surgem desvios laterais ou rotacionais, também conhecidos como corcunda, a deformação recebe o nome de escoliose.

Qual é a causa?

Por muitas vezes não é possível detectar as causas da escoliose. Todavia, quando é possível apontar o causador, os principais são: - Escoliose postural: curvas leves que desaparecem por completo com a flexão da coluna vertebral. Muito comuns em adolescentes. - Escoliose secundária e dimetria: surge a partir da pélvis. Desaparece quando o paciente se senta. - Escoliose ciática: tem como origem uma hérnia de disco. - Escoliose inflamatória: desenvolve-se depois de crises de apendicite ou surgimento de abscessos. - Escoliose idioprática: normalmente hereditária. - Escoliose congênita: acredita-se não ser hereditária, mas fruto de alguma alteração ocorrida no período da gestação. Quais os sintomas? A escoliose não costuma apresentar quaisquer sintomas. Em algumas ocasiões pode surgir um leve incômodo nas costas após um período muito longo em determinada posição (seja sentado ou em pé) seguido por pequena dor e, por fim, dor intensa.

Como fazer o diagnóstico?

Um exame físico é capaz de detectar a escoliose. Para determinar o grau da condição é necessário realizar exames. O raio-X da coluna vertebral é o mais solicitado. Em alguns casos pode ser pedida a ressonância magnética.

Qual o tratamento?

Há diversas formas de tratamento da escoliose. Nos casos mais leves, causados pela postura, a fisioterapia é capaz de ajudar. A colocação de coletes ou até mesmo a cirurgia não podem ser descartados em situações mais graves.

Especialistas em escoliose

Encontre um especialista em Escoliose na sua cidade:
Sandra Porciuncula Mendez

Sandra Porciuncula Mendez

Fisioterapeuta

Salvador

Katia Flor dos Santos

Katia Flor dos Santos

Fisioterapeuta

Cotia

Bruno Cesar Aprile

Bruno Cesar Aprile

Ortopedista - traumatologista

São Paulo

Rodrigo de Campos Bueno

Rodrigo de Campos Bueno

Médico acupunturista, Fisioterapeuta

São Paulo

Flavia Comelli Viana

Flavia Comelli Viana

Fisioterapeuta

Rio de Janeiro

Camila de Lima Barbosa

Camila de Lima Barbosa

Fisioterapeuta

Rio de Janeiro

Perguntas sobre Escoliose

Nossos especialistas responderam a 348 perguntas sobre Escoliose

Dr. José Lopes Sousa Filho
Dr. José Lopes Sousa Filho
Neurocirurgião, Neurologista, Especialista em dor
João Pessoa
geralmente não há restrições para gravidez apos cirurgia de escoliose.
procure um especialista para conversar sobre o tema
2 respostas

Boa tarde! Não há contra-indicação para gestação em decorrência da presença de escoliose. Dependendo do grau, pode haver alguma dificuldade de anestesia na hora do parto. Acompanhamento obstétrico,…
2 respostas

Dr. Alexandre Podgaeti
Dr. Alexandre Podgaeti
Ortopedista - traumatologista
São Paulo
O colete não faria diferença no seu conforto.
Se você tem todo este incômodo seria interessante saber o grau desta deformidade através de uma radiografia e às vezes também ressonância,…
2 respostas

Especialistas falam sobre Escoliose

É definida como uma deformidade da coluna vertebral nos três planos do corpo (frontal, sagital e transverso). A coluna desenvolve curvaturas anormais que podem prejudicar a função biomecânica do tronco e da caixa torácica. Existem varias causas de escoliose, como problemas neuromusculares, paralisia cerebral, doenças genéticas, distrofias musculares e deformidades congênitas da coluna. Mais de 80% das escolioses não tem uma causa bem definida. A escoliose não provoca dor e geralmente é descoberta de forma acidental. O diagnóstico é confirmado com o exame radiográfico. O tratamento depende da idade do paciente, da magnitude da curva e da progressão da curva escoliótica.

Daniel Ferreira Ghedini

Ortopedista - traumatologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Escoliose é o desvio para os lados com rotação de vértebras na coluna. Existem vários tipos de escoliose, com tipos de tratamento também diferentes. O tratamento depende basicamente da idade do paciente e da angulação da escoliose, desde exercícios, uso de coletes ou até cirurgias. Existem ainda outras deformidades da coluna vertebral, que também devem ser corretamente avaliadas pelo especialista e tratadas

Carlos Eduardo Narciso Sakai

Ortopedista - traumatologista

São Bernardo do Campo


O encurvamento da coluna vertebral é característico da escoliose. A coluna chega a se torcer para os lados, para frente e para trás e em volta do seu próprio eixo. Dependendo do grau de torção, a escoliose pode ser classificada com menor ou maior gravidade.

Escoliose é a curvatura anormal da coluna mais comum, com desvio no plano frontal, ou seja, vendo o paciente de frente. É mais frequente em meninas adolescentes. As escolioses não apresentam uma causa identificada em cerca de 80-90% dos pacientes, sendo chamadas de “idiopáticas”. Curvas pequenas normalmente não causam problemas ou dor. A curva mais comum é na região mais alta das costa (coluna torácica ou dorsal). Em curvas maiores, o paciente pode apresentar desvios no quadril e ombros, que podem ficar desnivelados. Independente do tipo de escoliose apresentada e a idade de seu surgimento, é importante a avaliação com um especialista em coluna, para definir se há necessidade de tratar.

Breno Frota Siqueira

Ortopedista - traumatologista

Brasília


Escoliose idiopática E o tipo mais comum de escoliose representa cerca de 80% dos casos e mais comum em adolescentes entre a idade de 10-16 anos . O termo idiopática e utilizado na medicina quando ha causa não e conhecida , ou seja , ainda não temos certeza o que causa a escoliose . A uma pesquisa continua sobre a causa da escoliose idiopática e de conhecimento que ha uma fator genético . A escoliose idiopática pode ou não progredir os fatores mais importantes para determina a progressão e o tamanho da curva e a fase de crescimento que se encontra o paciente . quanto maior a curva e mais novo paciente maior a probabilidade de evoluir com uma deformidade importante.

A escoliose idiopática do adolescente corresponde aproximadamente a 80% dos casos de escoliose idiopática. O risco de progressão da curva é maior durante a puberdade, quando a taxa de crescimento do corpo é mais rápida. A Escoliose, nessa faixa etária, é muito mais prevalente em meninas do que em meninos e meninas são oito vezes mais propensas a precisar de tratamento para escoliose. Ainda assim, a maioria dos casos de escoliose são leves e não requerem tratamento. É importante observar que a escoliose idiopática pode determinar deformidade da coluna vertebral e das costelas, porém a dor nas costas é rara. Em crianças e adolescentes, a escoliose muitas vezes não têm nenhum sintoma visível.

Andre Luiz Pagotto Vieira

Ortopedista - traumatologista

Imperatriz


O tratamento para escoliose depende de alguns fatores, dentre os principais estão a idade que esta surge qual curvatura esta apresenta. Na maioria dos casos, o tratamento é fisioterápico e com fortalecimentos. Em curvaturas, um colete pode ser utilizado para tentar deter a progressão da curva, mas casos com desvios importantes uma cirurgia pode ser necessária. Se a curvatura da coluna continua a progredir em crianças, muito jovens, apesar do colete, pode ser necessária uma cirurgia. Esta envolve a inserção de hastes e parafusos para estabilizar a coluna, que podem ser alongadas em intervalos regulares a medida seu filho cresce.

Clóvis Castanho

Ortopedista - traumatologista

São Paulo


A escoliose consiste no desvio do eixo da coluna, com alterações no plano frontal (coronal), lateral (sagital) e axial. Existem diversas causas de escoliose, sendo a idiopática a mais comum. Estudos populacionais mostram prevalência em torno de 4% das pessoas, sendo que a grande maioria destas não precisará de nenhum tratamento específico. A escoliose tende a progredir durante as fases de crescimento mais rápido, na infância e adolescência e o seu diagnóstico e tratamento corretos são fundamentais para se prevenir o agravamento da deformidade. Consulte-se com um médico com formação específica em deformidades, com experiência no tratamento dos diversos tipos de escoliose.

Gustavo Borges Laurindo De Azevedo

Ortopedista - traumatologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Deformidade que acomete geralmente a coluna lombar e torácica. Pode cursar com o aparecimento de uma curvatura lateral na coluna (que geralmente é retificada nesse plano), sendo observado em casos mais graves como uma "coluna torta". Pode ser causada por defeitos ósseos do nascimento, bem como por erros posturais em adolescentes ou mesmo apresentar uma causa multifatorial, conhecida como escoliose idiopática. Apresenta diversos tratamentos, de conservador (fisioterapia ou coletes) a cirúrgico, dependendo da sua causa específica e da avaliação global do paciente. Assim é fundamental a avaliação de médico especialista para individualizar o caso e indicar o tratamento.

Daniel Bedran De Castro

Ortopedista - traumatologista

São José do Rio Preto

Agendar uma visita

Escoliose é uma deformidade da coluna vertebral que pode aparecer em diversas idades da vida. Desde muito criança, adolescentes e até a idade adulta. O problema é complexo e pode causar grandes problemas tanto aos portadores quanto aos familiares, que compadecem do problema. O tratamento em geral se baseia em evitar a progressão da deformidade. Das modalidades de tratamento mais eficazes encontram-se o uso de coletes e, em casos específicos, o tratamento cirúrgico. Costumo debater muito o tratamento cirúrgico dado que este não é simples e em muitos casos seu benefício é duvidoso. O tratamento é melhor quanto antes começar, então a regra é procurar auxílio médico o quanto antes.

Paulo Alvim Borges

Ortopedista - traumatologista

São Paulo


A coluna vertebral apresenta um padrão linear quando vista no plano frontal. Normalmente, quando avaliada no plano lateral, é possível observar duas curvas naturais: para trás na área do tórax é chamada cifose, e para frente na área da lombar é denominada lordose. Quando visto de cima para baixo, todas as vértebras devem estar alinhadas umas com as outras. No entanto, a alteração deste alinhamento no plano frontal com curvatura maior do que 10° é chamada Escoliose. Na verdade, a escoliose não é apenas uma curva no plano frontal, mas sim uma rotação das vértebras que acaba culminando em alterações de todos os planos da coluna.

Thiago Pedro Alves

Ortopedista - traumatologista

Caruaru


A escoliose é uma deformidade da coluna caracterizada por uma rotação vertebral. Esta deformidade gera a famosa coluna em "S". O paciente pode nascer com esta deformidade, desenvolver na idade adulta por processos degenerativos, pode ser a manifestação de outras doenças e, mais comumente, iniciar o desenvolvimento da deformidade na adolescência. É necessária uma avaliação muito criteriosa, pelo seu médico especialista em coluna, para saber se o caso de escoliose requer apenas observação, uso de coletes ou necessita de tratamento cirúrgico.

Victor Barbosa Caixeta

Ortopedista - traumatologista

Goiânia

Agendar uma visita

Escoliose é um desvio tridimensional da coluna vertebral caracterizada, principalmente, por uma curvatura lateral maior ou igual a 10 graus na radiografia e por uma rotação das vértebras. A rotação é responsável por uma assimetria do tronco, uma proeminência chamada giba. Considerando seu tipo mais comum, a Escoliose Idiopática do Adolescente, a cirurgia é indicada em casos com desvios maiores a 45 graus. A técnica clássica é a cirurgia aberta por via posterior (corte nas costas), com correção da deformidade e artrodese (fusão das articulações) com fixação por meio de implantes. Atualmente, é possível realizar o mesmo tipo de procedimento com técnica minimamente invasiva.

Alexandre Philippe Boss Jaccard

Ortopedista - traumatologista

Avaré

Agendar uma visita

Escoliose é o desvio da coluna vertebral nos 3 planos (3 dimensões), nem todo desvio é considerado escoliose e nem toda escoliose é cirúrgica. Existem critérios para se indicar tratamento cirúrgico. A escoliose é mais comum no adolescente e geralmente não tem causa conhecida (idipática). Qualquer desvio na coluna merece investigação, porque quando há um desvio a coluna tenta compensá-lo (interfere no balanço sagital ou coronal) e isto pode ou não causar dor.

Leandro Vinícius Vital

Ortopedista - traumatologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Escoliose é um desvio no eixo da coluna, que ocorre de modo lateral e rotacional. Mais comum em meninas, geralmente observada no início da adolescência. Pode haver alteração da simetria entre a altura dos ombros ou a curva da cintura, assim como tamanho aparente das mamas ou do tórax. Ao ser detectada pelo paciente ou por sua família, deve imediatamente ser encaminhada ao médico ortopedista especialista em coluna, para que o tratamento seja instituído o mais breve possível. De acordo com a gravidade do desvio, pode ser indicado o tratamento cirúrgico, o uso de coletes ou apenas a observação do crescimento da curva escoliótica.

Marina Hirschle Galindo

Ortopedista - traumatologista

Recife

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Escoliose?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.