Doença renal crônica - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - doença renal crônica

Brenda Lima da Silveira

Brenda Lima da Silveira

Nutricionista

Maceió

Fernanda Barboza de Araújo Lima de Castro

Fernanda Barboza de Araújo Lima de Castro

Nutricionista

Rio de Janeiro

Jaqueline Silvestre

Jaqueline Silvestre

Nutricionista

São Caetano do Sul

Daniela Notaro

Daniela Notaro

Nutricionista

Sorocaba

Ana Carolina Martins Rosa

Ana Carolina Martins Rosa

Nutricionista

Londrina

Fernanda Marceli Ferreira

Fernanda Marceli Ferreira

Nutricionista

Cachoeirinha

Perguntas sobre Doença renal crônica

Nossos especialistas responderam a 10 perguntas sobre Doença renal crônica

Bom dia.
Depende da sua função renal.
O ideal é você consultar um nefrologista para avaliar
1 respostas


Bom dia. A creatinina é um exame para estimar a função renal (o quanto o rim funciona). Existem várias causas que alteram a creatinina, doenças agudas (desidratação, medicamentos, entre outras…
1 respostas


A queimação no corpo pode ser decorrente da redução da taxa de filtração glomerular, em que algumas substâncias se acumulam e causam coceira e ressecamento da pele. Já o aumento da espuma na…
1 respostas

Especialistas falam sobre Doença renal crônica

A doença renal crônica corresponde a uma patologia caracterizada por diminuição da função dos rins por mais de 3 meses. Existem várias causas, sendo as principais: hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus. A maioria dos pacientes não têm sintomas, sendo as alterações detectadas apenas em exames laboratoriais, porém pode haver sintomatologia em estágio mais graves desta doença. O nefrologista atua em todos os estágios desta doença. O mais interessante seria a prevenção e acompanhamento em estágios mais precoces para se evitar a progressão para a fase mais grave, onde as opções de tratamento são limitadas à hemodiálise, diálise peritoneal e transplante renal. Cuide dos seus rins!!

André Da Fonte Reis

Nefrologista

Fortaleza


O cuidado nutricional e específico nas diversas fases (tratamento conservador ou pré diálise, diálise, e pré/pós transplante) da doença renal é essencial. As contudas nutricionais para cada fase da doença são muito específicas e devem ser personalizadas a cada paciente, levando em consideração as doenças associadas, a origem da doença renal, hábito alimentar, estilo de vida, entre outros diversos fatores. Para tanto, é tão importante a escolha de um profissional especializado e com experiência na área.

Natalia Barros

Nutricionista

São Paulo

Agendar uma visita

A doença renal crônica ocorre quando o paciente possui alterações na função do rim. Muitos pacientes só descobrem problemas nos rins após exames de rotina já que na maioria das vezes, o paciente não sente nenhum sintoma. Por isso, é importante que os pacientes que estão em maior risco de acometimento de doença renal, como os hipertensos, diabéticos, pessoas com cálculos renais de repetição, infecção urinária de repetição ou história familiar, estejam sempre em acompanhamento com nefrologista. Durante as nossas consultas, iremos avaliar rotineiramente os exames em busca de alterações renais e traçar condutas para evitar a piora da função renal.

Milena Correa Do Espirito Santo Caldas

Nefrologista, Médico clínico geral

Niterói


Os sintomas da insuficiência renal somente começam a aparecer quando o paciente já tem muito poucas opções de tratamento, por isso a importancia de se realizar avaliação periódica da função renal, principalmente nos pacientes que apresentam outras condições crônicas, como o diabetes e a hipertensão arterial.

Céres Felski

Nefrologista, Internista

Balneário Camboriú

Quais profissionais tratam Doença renal crônica?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.