Doenças da glândula tireóide - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é?

A glândula tireoide é localizada no pescoço e tem o formato de uma borboleta. Sua função é produzir, armazenar e liberar dois hormônios (T3 e T4) na corrente sanguínea. Esses hormônios influenciam quase todas as células do corpo ajudando a controlar suas funções. A tireoide, dessa forma, controla o metabolismo corporal. A causa dos problemas da tireoide não é conhecida. Trata-se de uma doença autoimune. Ou seja, em determinado momento, sem que se saiba por qual razão, o organismo deixa de reconhecer os hormônios produzidos pela tireoide como parte do corpo humano e os percebe como um ataque externo. Com isso, produz anticorpos que passam a atacar a tireoide. Seu mau funcionamento é capaz de provocar uma série de doenças. As principais são:

Hipotireoidismo

Quando a tireoide não consegue produzir em quantidade suficiente os hormônios T3 e T4 surge o quadro de hipotireoidismo, que diminui metabolismo corporal causando fadiga, sonolência, aumento de peso, diminuição da frequência cardíaca, entre outros sintomas. Pode ser detectada através de exame de sangue e tratada com medicamentos.

Hipertireoidismo

Nesse caso, a tireoide produz em excesso seus hormônios e os libera causando o aumento do metabolismo corporal. Isso gera ansiedade, irritabilidade, insônia, perda de peso, taquicardia, tremores nas mãos, retração das pálpebras, calor excessivo, suor, perda de força muscular, diarreia, diminuição da menstruação (ou mesmo o fim dos períodos menstruais), entre outros sintomas. Também pode ser detectada através do exame de sangue e tratada com medicamentos. O diagnóstico tanto do hipertireoidismo como do hipotireoidismo passa pelo exame físico e por exame laboratorial para medir a quantidade de TSH no organismo. O TSH, da sigla em inglês para Hormônio Estimulador da Tireoide, quando está em excesso leva ao hipertireoidismo. Quando em falta, conduz ao hipotireoidismo.

Bócio

É o aumento do volume da tireoide. Geralmente provocado pela falta de iodo. Nódulos na região, benignos ou malignos, também são denominados de bócio mesmo que não aumentem o volume do pescoço. O diagnóstico é feito através de exame físico e os sintomas são variáveis. Normalmente há dificuldade para comer e respirar. Pequenos bócios podem ser tratados com medicamentos ou iodo radiativo. Os maiores precisam ser retirados de forma cirúrgica.

Tireoidite de Hashimoto

Doença descrita pela primeira vez pelo médico japonês Hakura Hashimoto em 1912 e, por isso, leva seu nome. Trata-se da destruição parcial da tireoide pelo próprio organismo da pessoa. Normalmente conduz ao hipotireoidismo, mas também pode causar quadro de hipertireoidismo. Não tem cura, mas os sintomas podem ser controlados com medicamentos. Pode ser detectada pelo exame físico. Um ultrassom da tireoide pode ser usado para confirmar o diagnóstico.

Cretinismo

É uma deficiência mental provocada por hipotireoidismo congênito. Ataca crianças e impede o crescimento normal do cérebro. Pode ser detectada através do teste do pezinho e não tem cura.

Mixedema

Desordem na pele e tecidos causada geralmente pelo hipotireoidismo prolongado e severo. Causa inchaço na face e nas pálpebras formando bolsas nos olhos. São sintomas reversíveis em boa parte dos casos através de tratamento de reposição hormonal.

Especialistas em doenças da glândula tireóide

Encontre um especialista em Doenças da glândula tireóide na sua cidade:
Pascoal Tomazela Jr

Pascoal Tomazela Jr

Endocrinologista

Marília

Mayta Grou Pessuto Fichel

Mayta Grou Pessuto Fichel

Endocrinologista

Maringá

Renata Antonialli

Renata Antonialli

Endocrinologista

Campo Grande

Camila Nogara Nunes

Camila Nogara Nunes

Endocrinologista

Itajaí

Zuliana Spada

Zuliana Spada

Endocrinologista

Francisco Beltrão

Carina G. Correa Morellato

Carina G. Correa Morellato

Endocrinologista

Florianópolis

Perguntas sobre Doenças da glândula tireóide

Nossos especialistas responderam a 217 perguntas sobre Doenças da glândula tireóide

Dr. Bruno Pinto Ribeiro
Dr. Bruno Pinto Ribeiro
Cirurgião de cabeça e pescoço
Feira de Santana
Ter sido submetido a tireoidectomia total não constitui contra-indicação a realização de vacinas.
2 respostas

Dr. André Felipe Minchetti
Dr. André Felipe Minchetti
Ginecologista
São Paulo
Pode sim. Distúrbios tireoidianos podem acarretar sim em alterações no ciclo menstrual.
2 respostas

Dr. Francisco Blotta
Dr. Francisco Blotta
Médico clínico geral, Endocrinologista
Rio de Janeiro
O hipotireoidismo é uma doença que merece ser tratada
Procure o endocrinologista, teremos prazer em ajudar
1 respostas

Especialistas falam sobre Doenças da glândula tireóide

Experiência no tratamento do hipertireoidismo, hipotireoidismo e câncer de tireóide, oferecendo um tratamento de acordo com as diretrizes.

Paulo De Tarso Freitas

Endocrinologista

Florianópolis


A tireoide ou tiroide é uma glândula em forma de borboleta (com dois lobos), que fica localizada na parte anterior pescoço. É uma das maiores glândulas do corpo humano e tem um peso aproximado de 15 a 25 gramas (no adulto). Ela age na função de órgãos importantes como o coração, cérebro, fígado e rins. Interfere, também, no crescimento e desenvolvimento das crianças e adolescentes; na regulação dos ciclos menstruais; na fertilidade; no peso; na memória; na concentração; no humor; e no controle emocional. Quando a tireoide não está funcionando adequadamente pode liberar hormônios em excesso (hipertiroidismo) ou em quantidade insuficiente (hipotireoidismo), ou até desenvolver nódulos.

Antonio Glauber Teofilo Rocha

Médico clínico geral, Endocrinologista

Fortaleza


A Glândula tireoidiana fica localizada na região cervical anterior ( Pescoço) sendo responsável por produzir o hormonio tireoidiano que é responsável por diversas funções no nosso organismo como o sono, trânsito intestinal, textura da pele , humor, controle do colesterol, controle do metabolismo podendo levar a ganho ou perda de peso. O tratamento depende se há excesso ou falta de Hormonios. Além disso, existe uma condição que é a doença nodular da tireoide em que muitas vezes a paciente pode ter uma sensação de “bolo na garganta”. Neste caso, o tratamento pode ser cirúrgico.

Amanda De Araujo Laudier

Endocrinologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Nódulos tireoidianas são bastante frequentes na população em geral. Uma vez encontrado nódulos no exame físico ou ao ultrassom suas características devem ser valorizadas e avaliada a necessidade de uma punção biópsia aspirativa. Felizmente neoplasia na tireoide representa apenas 5-10% dos casos.

Nathalie Lobo Figueiredo Feitosa

Endocrinologista

Ribeirão Preto


As principais doenças que dizem respeito a função da glândula tireoide são o hipotireoidismo e o hipertireoidismo, sendo a Tireoidite de Hashimoto, que causa o hipotireoidismo de origem auto-imune, a mais frequente. O hipotireoidismo pode levar a cansaço, sonolência, queda de cabelo, pele seca, dificuldade de perder peso, alteração do colesterol, alteração do fluxo menstrual e da função intestinal (podendo levar a constipação). Quando se inicia na fase infanto-juvenil, pode ainda levar a dificuldade de aprendizado e retardo do crescimento. Já o hipertireoidismo leva a um estado de aceleração, com aumento da fome e perda de peso, sudorese excessiva e taquicardia.

Paula Bruna Araujo

Médico clínico geral, Endocrinologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Hipotireoidismo: (falta do hormônio da tireoide): Reposição adequada e de forma ideal para o paciente. Estudo de outras doenças que podem estar associadas. Nódulos na tireoide (pequenos tumores na glândula): Avaliação técnico-clínica detalhada dos nódulos tireoideanos através de exame clínico, exames laboratoriais e exames de imagens. Hipertireoidismo: Diagnóstico diferencial, exames clínico e laboratorial, tratamento ideal e acompanhamento.

Walid El Andere

Médico clínico geral, Endocrinologista

Barueri

Agendar uma visita

A tireóide é uma glândula endócrina de fundamental importância para o adequado funcionamento do organismo, pois seus hormônios são responsáveis pela taxa metabólica basal. Para uma adequada avaliação funcional da tireóide, deve -se solicitar TSH; T4 livre. Em termos funcionais os distúrbios tireoideanos são: Hipotireoidismo e Hipertireoidismo.

José Anderson Da Silva

Endocrinologista

Maceió


A tireóide é uma glândula, em forma de borboleta, localizada na região do pescoço e é responsável pela produção do hormônio tireoidiano, que desempenha importante papel no metabolismo e funcionamento de praticamente todos os sistemas e orgãos de nosso corpo. Desta forma, é essencial que a tireóide esteja funcionando adequadamente, pois o aumento e a diminuição na quantidade de hormônio tireoidiano causará desequilíbrio no funcionamento do organismo, em especial, na criança, no que se refere ao seu crescimento e puberdade. Diante disto coloco algumas questões que acredito serem dúvidas de muitos pais e amigos da criança com distúrbio da tireóide.

Renata Atihe

Endocrinologista, Endocrinologista pediátrico

São Paulo


A tireóide é uma glândula de extrema importância para o funcionamento adequado de nosso corpo. Alterações na produção dos hormônios da tireóide podem alterar o metabolismo, provocar problemas cardíacos, alterações nos ossos, cabelos, unhas, pele, humor, fertilidade, sono, peso. Se há alguma suspeita de alteração na tireóide, faça uma avaliação com endocrinologista.

Lanna Cristina Gomes Leite

Endocrinologista

Goiânia


As doenças da tireoide são na sua maioria: - Hipotireoidismo: diminuição da produção dos hormônios T3 e T4, normalmente de natureza auto-imune. Um dos sintomas mais comuns é o ganho de peso. O tratamento se dá a base da reposição hormonal e controle com exames de sangue. - Nódulos: Devem ser acompanhados através de ultra-som e por vezes se indicado, devemos coletar material para confirmar ou excluir a possibilidade de tumor. Hipertireoidismo: Excesso de hormônio circulante, aumentando o metabolismo. O tratamento se baseia na redução da produção hormonal e controle através de exames de sangue.

Francisco Blotta

Médico clínico geral, Endocrinologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Como avaliar função da glândula tireoide: De modo geral, quando se suspeita de disfunção da glândula tireóide, os exames laboratoriais (exame de sangue) são os mais indicados. A dosagem do T4 livre e do TSH ultrassensível (hormônios liberados pela tireóide ) sendo que o T4 livre é o mais sensível para detecção do aumento ou diminuição da atividade da glândula tireóide. Dessa forma, quando esse hormônio está elevado, significa uma baixa função da glândula tireoide (hipotireoidismo) e em caso do hormônio mais baixo, significa hiperfunção da glândula (hipertiroidismo).

Márcio Costa Fernandes

Cirurgião de cabeça e pescoço, Cirurgião geral

Manaus

Agendar uma visita

Especialista no diagnóstico e tratamento de doenças da glândula tireoide com ênfase no tratamento cirúrgico individualizado e com o uso dos mais modernos métodos e técnicas da especialidade.

Bruno Albuquerque Sousa

Cirurgião de cabeça e pescoço

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

A cirurgia da glândula tireóide pode ser parcial, quando removemos apenas "metade" da glândula, ou total. Geralmente para tumores benignos que se localizam em apenas um lado da glândula indicamos a cirurgia parcial. Para nódulos bilaterais e para neoplasias malignas indicamos a tireoidectomia total como principal forma de tratamento. Em alguns casos selecionados, para cânceres pequenos e pacientes de baixo risco, podemos também realizar a cirurgia parcial da tireóide. Felizmente a grande maioria dos tumores malignos da tireóide, os mais comuns como o carcinoma papilar e o carcinoma folicular, tem taxas de cura bem altas quando adequadamente tratados.

Rondinelly Rosa Ribeiro

Cirurgião de cabeça e pescoço, Cirurgião geral

Brasília


A Tireoide é uma glândula situada no pescoço. Ela é responsável por produzir dois hormônios: o T3 e o T4. Esses hormônios influenciam praticamente todos os órgãos do nosso corpo. A falta do hormônio ( hipotireoidismo) ode levar ao ganho de peso, cansaço, inchaço, queda de cabelo, unhas quebradiças, entre outros. O excesso de hormônios ( hipertireoidismo) pode levar a perda de peso, taquicardia, insonia, irritabilidade, queda de cabeço, cansaço, entre outros. A presença de nódulos na tireóide também é muito comum, sendo a maioria deles benigno. No entanto, também existem casos de malignidade. Por isso, deve ser analisado e acompanhado por um especialista.

Tatiana Valente

Endocrinologista

São Paulo

Agendar uma visita

A tireoide é uma glândula que através do seu hormônio regula o funcionamento do organismo. Ela pode ser acometida tanto por doenças relacionadas ao seu funcionamento (hiper e hipoteroidismo) quanto por nódulos. Alguns desses casos sao de tratamento cirúrgico, sendo o Cirurgião de Cabeça e Pescoço o profissional mais indicado.

Adrian Berenguer Regis

Cirurgião de cabeça e pescoço

Salvador


A doença mais comum da glândula tireoide é a tireoidite crônica. É uma doença auto- imune que leva à alteração na produção hormonal com consequente hipotireoidismo. Afeta o rendimento no dia-a-dia, podendo acarretar em ganho de peso, distúrbios de concentração entre outros diversos sintomas desagradáveis. Seu diagnóstico deve ser o mais breve possível.

José Chacra Jr.

Cirurgião de cabeça e pescoço

Jundiaí

Agendar uma visita

Doenças da tireóide incluem a produção insuficiente ou em excesso dos hormônios tireoidianos (que regulam a taxa de metabolismo do nosso corpo) e os nódulos de tireóide. A avaliação realizada com exames laboratoriais e/ou de imagem e o tratamento é individualizado conforme cada caso.

Thais H. Inoue Lima

Endocrinologista

São Paulo

Agendar uma visita

É realizada avaliação do funcionamento da glândula tireóide , a qual, se não tratada adequadamente pode trazer complicações principalmente em idosos que podem manifestar arritmias, gestantes que se não tratadas adequadamente podem ter seus filhos com dificuldade de aprendizado e as mulheres em geral que são as mais acometidas pelas doenças da tireóide. Realizada avaliação de nódulos de tireóide detectados ao ultra-som os quais necessitam de avaliação adequada pra que não sejam indicados procedimentos ou cirurgias desnecessárias e também não deixem passar casos suspeitos de malignidade que necessitam de atenção especial.

Cyntia Chaves Gomes De Freitas

Endocrinologista

Boa Vista


A tireóide é uma pequena glândula em forma de borboleta situada na face anterior do pescoço. Sua principal função é regular o metabolismo. Seus principais hormônios são a tiroxina (T4) e a triiodotironina (T3). O papel deles é tão importante que é impossível viver sem os hormônios tiroidianos. Entretanto, estima-se que 5% da população apresente algum tipo de disfunção da glândula tireoide. Podemos dividir estes em dois grupos principais: os que têm uma diminuição da produção de hormônios (hipotireoidismo)- disfunção mais comum da tiróide e os que têm um excesso na função (hipertiroidismo). Além disso, outras doenças comuns são a presença de nódulos, cistos ou câncer.

Karoline Matias Morais De Medeiros

Endocrinologista

Recife


A tireoide é responsável pela produção de hormônios essenciais ao bom funcionamento do corpo. As principais alterações da tireoide são: hipotireoidismo, caracterizado pela baixa produção destes hormônios e o hipertireoidismo, em que há excesso dos hormônios tireoidianos. No hipotireoidismo o tratamento consiste na reposição do hormônio e no hipertireoidismo são utilizadas medicações que diminuem a produçãos dos hormônios, levando a normalização dos seus níveis no sangue e melhora dos sintomas.

Luciana Lobato

Endocrinologista

Manaus


Hipotireoidismo é a deficiência na produção de hormônio da Tireoide. O excesso de produção desse hormônio chama-se hipertireoidismo. Sintomas como cansaço, aumento da tireoide (bócio), sonolência, irritabilidade, tremores, intolerância ao frio ou ao calor, entre outros, podem estar relacionados a distúrbios na produção de hormônio tireoidiano. Na suspeita, a avaliação da função tireoidiana é indicada através de um exame de sangue. O Hipotireoidismo deve ser tratado com a reposição de hormônio tireoidiano, enquanto no hipertireoidismo há algumas alternativas de tratamento de acordo com a avaliação individualizada de cada paciente.

A tireóide é uma importante glândula do nosso corpo, situado no pescoço e responsável pela produção de hormônios que manterem a atividade metabólica celular em atividade. As doenças mais comuns que atingem a tireoide é o hipertireoidismo, o hipotireoidismo, a tireoidite de Hashimoto, nódulos e cistos benignos. Casos mais raros são os cânceres de tireóide. Algumas doenças são mais comuns após os 40 anos e o hipotireoidismo e doença de Hashimoto é encontrado com mais frequência em mulheres do que nos homens. O tratamento das doenças da tireóide, normalmente, tem um desfecho benigno e se consegue conviver com o problema sem complicações graves desde que bem acompanhado pelo endocrinologista.

Victor França De Almeida

Endocrinologista, Nutrólogo

Salvador


A glândula tireóide é uma glândula endócrina que está em uma região vital, pois próximo a ela passam a via respiratória (laringe e traquéia), esôfago, vasos que levam e trazem sangue para o cérebro e nervos que são responsáveis pela voz, além das paratireóides. Diversos tipos de problemas ocorrem na tireóide, como formações de nódulos e cistos, doenças auto-imunes e alterações da função tireoidiana (hipotiroidismo ou hipertiroidismo). É incorreto dizer que o tratamento todas as doenças da tireóide é pela cirurgia, com alguns problemas podendo ser resolvidos só com medicação e acompanhamento. Mas na necessidade de cirurgia, procure o cirurgião de cabeça e pescoço de sua confiança.

Francisco Bomfim

Cirurgião de cabeça e pescoço

Fortaleza

Agendar uma visita

O bom funcionamento da tireoide é fundamental na regulação do metabolismo. No entanto 3 de cada 10 pessoas tem problemas como hipotireoidismo (quantidade insuficiente do hormônio), hipertireoidismo (excesso do hormônio), tireoidite, nódulos e tumores, que apesar de prejudicarem o funcionamento de todo o organismo, maior parte desconhece. Sintomas como ansiedade, cansaço, nervosismo, dificuldade de concentração, aumento de apetite e dificuldade para perder ou ganhar peso, perda de memória, facilidade para engordar, ciclo menstrual irregular e queda de cabelo podem indicar a disfunção da tireoide. Com tratamento ideal é possível controlar a disfunção e melhorar os sintomas.

Alexandre Camara

Médico clínico geral, Endocrinologista

São Paulo


A tireoide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, responsável secreção dos hormônios: T3 e T4 que são diretamente implicados no controle do metabolismo. O Hipotireodismo (diminuição ou ausência de produção hormonal) tem como sintomas mais comuns a intolerância ao frio, um discreto ganho de peso, alterações de humor, sonolência, irregularidades menstruais, entre outros. Já o Hipertireoidismo (excesso de produção hormonal) tem como principais sintomas a perda de peso, insônia, tremor, queda de cabelo, irritabilidade, intolerância ao calor. O diagnóstico é feito pela dosagem dos hormônios e o tratamento aplicado em cada caso visa normalizar as dosagens hormonais e os sintomas.

Disfunções da tireoide, como muitas doenças em nosso organismo, o portador não deve se abdicar de uma boa alimentação e de uma vida normal e feliz. Deve-se sim ter uma dieta saudável e equilibrada e seguir seu tratamento. Procure um nutricionista para melhor orientá-lo e sanar suas dúvidas.

Érika Campos Mota Carneiro

Nutricionista

Rio de Janeiro


A glândula tireoide está localizada no pescoço, logo abaixo da laringe, e produz dois hormônios, T3 e T4, que são transportados pelo sangue para todas as partes do corpo, regulando o metabolismo. A produção diminuída de T3 e T4 é chamada de Hipotireoidismo e a produção excessiva é chamada de Hipertireoidismo. A glândula tireoide ainda pode aumentar em todo seu tamanho e causar bócio, ou em apenas algumas regiões, causando nódulos tireoidianos. Todas essas condições devem ser acompanhadas pelo Endocrinologista.

Marcella Menezes Andrade

Médico clínico geral, Endocrinologista

Belo Horizonte


A tiróide é uma glândula localizada na região anterior do pescoço e parece uma borboleta. Ela produz e armazena os hormônios tireoidianos, a saber: triiodotironina (T3) e tiroxina (T4), que participam da regulação do metabolismo de TODAS as células do organismo. A produção hormonal é finamente regulada, porém algumas alterações podem ocorrer ao longo da vida, sendo necessária avaliação laboratorial para o diagnóstico. O excesso de hormônios levao ao ➡️ Hipertireoidismo, enquanto a deficiência leva ao ➡️ Hipotireoidismo! Pode haver também alterações na estrutura da glândula, como a presença de nódulos, que podem ser benignos (maioria) ou malignos.

Stéphanie Cozzolino

Médico clínico geral, Endocrinologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

São avaliados os distúrbios da glândula tireoide, desde alterações na secreção dos hormônios, até a avaliação e acompanhamento de nódulos ou tumores de tireoide.

Camila Viecceli

Endocrinologista

Salvador


Tireoide é uma glândula, um órgão normal que faz parte de nosso corpo. Está localizada na região anterior do pescoço, logo abaixo da proeminência da laringe (pomo de Adão). É responsável pela produção de hormônios que por sua vez regulam o funcionamento do organismo, ou seja, o ritmo de praticamente todo o nosso corpo. A glândula tireoide pode ser acometida por uma grande variedade de doenças, desde inflamações agudas ou crônicas, infecções e tumores que podem ser benignos ou malignos. Os distúrbios da tireoide são bastante comuns: em torno de 10% de todas as pessoas sofrerão de alguma doença da tireoide ao longo da vida e as mulheres são acometidas em torno de 8 vezes mais que os homens.

Elaine Stabenow

Cirurgião de cabeça e pescoço

São Paulo

Quais profissionais tratam Doenças da glândula tireóide?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.