Infarto - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Nomes alternativos: Infarto do miocárdio.

Um infarto ocorre quando o fluxo sanguíneo fica obstruído perto do músculo do coração ou músculo cardíaco. Se o fluxo de sangue não for restaurado rapidamente, o coração não recebe oxigênio suficiente e começa a produzir falhas no funcionamento. Os sintomas geralmente que aparecem são uma dor forte no peito, ansiedade, palpitações, sudorese, falta de ar, perda de consciência. A assistência de saúde de emergência é essencial para minimizar os danos do miocárdio.

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - infarto

Bruno Bussade

Bruno Bussade

Cardiologista, Médico clínico geral

Rio de Janeiro

Vinícius Gago

Vinícius Gago

Cardiologista, Médico clínico geral

São Paulo

Rafael Fernandes Martins

Rafael Fernandes Martins

Cardiologista

São Paulo

Tiago Bignoto

Tiago Bignoto

Cardiologista, Médico clínico geral

São Paulo

Luiz Claudio Mendes Carvalho

Luiz Claudio Mendes Carvalho

Cardiologista

Santos

Thiago Cezar Rocha Azevedo

Thiago Cezar Rocha Azevedo

Médico clínico geral

Recife

Perguntas sobre Infarto

Nossos especialistas responderam a 74 perguntas sobre Infarto

O principal exame e mais simples para sabermos se a pessoa já sofreu algum infarto é o eletrocardiograma.
Após o eletrocardiograma podemos solicitar exames mais específicos desde uma angiotomografia…

Boa tarde, mais importante do que qual analgésico você pode ou deve tomar é entender o por quê da dor. Não é normal sentir dor APÓS o infarto, 2 semanas ainda, pode ter algo mais sério acontecendo.…

Qualquer tipo de infarto leva a necrose de uma parte do coração, dependendo da região do infarto (da artéria infartada) leva uma área de necrose maior ou menor, e depende também do tempo que…

Especialistas falam sobre Infarto

Infarto e AVC (Acidente vascular cerebral) envolve uma série de condições isoladas ou em conjunto (Tabagismo, Hipertensão, Sedentarismo, Doença aterosclerótica precoce familiar, Diabetes, Insuficiência renal, distúrbios do colesterol, entre outras. Nos últimos anos a infarto tem acometido um púbico mais jovem, decorrente dos hábitos não saudáveis e o sedentarismo que hoje ganha espaço nas sociedades. As consequências são catastróficas onde as vezes o primeiro e único sintoma é o ataque cardíaco (Infarto) evoluindo para o óbito. Alimentação saudável,atividades físicas e avaliação médica de rotina após os 30 anos reduzem as chances de um ataque cardíaco.

Claudio Senne

Cardiologista, Médico clínico geral

Sorocaba

Agendar uma visita

O infarto do Miocardio ocorre por privacao de oxigenio para as celulas do musculo cardiaco, geralmente por trombose de placas de deposito de gordura em suas artérias , o que pode ser causado por colesterol elevado entre outros fatores. Configura condição com necessidade de investigação aprofundada do funcionamento cardíaco (por meio de diversos exames, a depender de cada caso) e de tratamento adequado afim de evitar complicações como novo Infarto do miocárdio, arritmias graves ou Insuficiência Cardíaca (coração fraco).

Gabriel Luan Queiroz Alves Da Cunha

Cardiologista, Médico clínico geral, Médico do esporte

Brasília


Infarto é a morte das células cardíacas (miócitos) devido a isquemia ( falta de sangue) normalmente ocasionada por obstrução da artéria coronária pelo mecanismo de trombo sobre placa ateromatosa. Normalmente o sintoma mais comum é a dor no peito que pode irradia-se para as costas , mandíbula, braço e estômago podendo apresentar também suor frior, náuseas e vômitos além de queda da pressão arterial. É um caso urgente que necessita de atendimento em UTI o mais rápido possível e o melhor tratamento na fase aguda do infarto é a angioplastia primária, ou seja a desobstrução mecânica com cateter-balão na sala de cateterismo cardíaco. É a principal causa de morte no Brasil desde 2013.

Edmar Batista Dos Santos

Cardiologista, Médico clínico geral

São Paulo


Infarto é o termo médico utilizado para definir a morte de um tecido. Pois bem, se esse tecido é no coração, ele é chamado de infarto do miocárdio, já se ele se encontra no cérebro, é chamado de infarto cerebral, ou quando no pulmão, é infarto pulmonar e assim por diante. Na maioria das situações, os infartos são causados pelo "envelhecimento" das artérias com a formação e ruptura de placas de colesterol. O envelhecimento ocorre pela inflamação crônica, que tem várias causas, tais como, tabagismo, colesterol (apo b100), glicemia elevada, hipertensão arterial, aumento da cintura abdominal (obesidade), infecções, doenças autoimunes, uso de drogas ilícitas ou lícitas, etc..

Ivo Alberto Nobrega Silva

Cardiologista, Médico clínico geral, Médico de emergência

Londrina


O Infarto Agudo do Miocárdio é a morte de parte do músculo cardíaco, causado por obstrução das artérias coronárias por placas de colesterol, a principal medida preventiva é o controle dos fatores de risco, dentre eles, tabagismo, hipertensão arterial, dislipidemia (colesterol alto) e Diabetes.

Vinícius Gago

Cardiologista, Médico clínico geral

São Paulo


O infarto agudo do miocárdio ocorre quando uma obstrução em uma ou mais artérias coronárias reduz ou interrompe o fluxo de sangue para o coração, levando a uma menor oferta de oxigênio para a porção do músculo cardíaco afetada. Apesar dos importantes avanços em seu tratamento e em sua prevenção, ainda lidera o ranking mundial de causas de mortes, juntamente com o acidente vascular encefálico. Ofereço tratamento visando tanto a prevenção da ocorrência do infarto quanto o tratamento de pacientes que já foram acometidos pela doença, com um enfoque na melhora da qualidade de vida do paciente.

Lucas Miranda

Cardiologista

Brasília

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Infarto?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.