Osteoporose e seu tratamento - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é osteoporose?

A osteoporose é uma doença na qual os ossos perdem cálcio e enfraquecem, facilitando a ocorrência de fraturas. As fraturas ocorrem mais frequentemente nos ossos do quadril, nas vértebras da coluna vertebral e nos ossos do pulso. Fraturas vertebrais podem causar perda de altura e deformidade da caixa torácica.

Interesse

Sugerimos ler alguns artigos relacioandos:

  • Osteoporose
  • Osteoporose: Tratamento
  • Menopausa: tratamentos alternativos HRT
  • Densitometria óssea na determinação da osteoporose

Quais são os sintomas da osteoporose?

A osteoporose não causa sintomas, a menos que as fraturas ocorram. É um equívoco atribuído à dor crônica, a osteoporose. Mesmo em pessoas com osteoporose tais sintomas costumam ter uma outra causa de dor nas costas é muitas vezes devido ao desgaste das articulações da coluna vertebral. Se houver uma causa rara de dor, ela pode ser atribuída à osteoporose quando ocorre múltiplas fraturas por compressão, e a coluna do paciente é inclinada para a frente de modo que a borda inferior das costelas pode chegar ao contato com a pelve.

Por que a osteoporose?

A causa mais comum de perda de cálcio dos ossos é o declínio natural da massa óssea que ocorre nas mulheres após a menopausa. No entanto, a probabilidade de fraturas anos depois, também depende da quantidade de osso que você tem no corpo no momento da menopausa, que por sua vez depende de vários fatores, incluindo a quantidade de exercício que tem sido feito para vida e de cálcio foi consumido na dieta. Danifica o rapé ossos fumar 20 cigarros por dia provoca uma diminuição na quantidade de osso entre 5% e 10% e quase duplica o risco de fratura em anos posteriores.

Quem tem o maior risco para a osteoporose?

A probabilidade de perda de conteúdo mineral ósseo é maior em mulheres com menopausa precoce (antes dos 45 anos) ou que têm seus ovários removidos. Também pode ocorrer em pessoas com distúrbios intestinais, quando há interrupção na absorção de alimentos.

Um problema particular existe em pessoas com doenças que exigem tratamento com esteróides como a prednisona. Eles são especialmente perigosos para as pessoas que precisam de mais que 7,5 miligramas de prednisona (ou equivalente) por dia durante um longo período de tempo. O tratamento com esteróides por períodos curtos é menos prejudicial ao osso.

Os homens a quem se tenha removido os testículos (a fonte de hormônios masculinos) também estão em maior risco para a osteoporose.

Quem deve pensar que pode ter osteoporose?

  • Pessoas que sofrem fraturas "muito fácil", por exemplo com uma lesão pequena.
  • Pessoas que sofreram uma fratura espontânea, por exemplo, nas vértebras.
  • Mulheres com menopausa precoce.
  • As pessoas que seguiram o tratamento prolongado com corticosteróides.
  • Pessoas que têm vários parentes com osteoporose ou fraturas inexplicáveis.

Como você avalia o risco de fratura?

Um método importante é a densitometria. Existem vários tipos que podem ser usados ?. No entanto, a DMO é apenas um fator que avalia o risco de fraturas. Outros fatores que influenciam o risco de fraturas incluem uma história de fraturas anteriores e o risco de quedas. A prevenção de quedas pode ser tão eficaz, ou mais, que o tratamento médico da osteoporose para prevenir fraturas.

O que você pode fazer para prevenir a osteoporose?

  • Exercite-se regularmente.
  • Siga uma dieta com quantidades adequadas de cálcio (leite, queijo ou iogurte).
  • Garanta a ingestão adequada de vitamina D na forma de peixes gordos ou através de exposição moderada ao sol (30 minutos por dia).
  • Não fume.
  • As pessoas incluídas em grupos de alto risco, mencionados acima, devem realizar a densitometria.

Como as fraturas são tratadas?

Fraturas de quadril normalmente requerem tratamento cirúrgico com a inserção de próteses, placas metálicas ou parafusos. Fraturas do antebraço exigem imobilização com gesso por um período de cerca de quatro semanas até o calo ser formado. Fraturas vertebrais são tratados com repouso e alívio da dor. Dor pode diminuir gradualmente durante um período de cerca de três meses.

Como podemos prevenir fraturas?

Pessoas com osteoporose devem evitar o transporte de cargas pesadas. Para evitar quedas pode ser útil para usar calçado plano, corrigir defeitos de visão e usar uma bengala. É importante assegurar que  tomem propriamente a medicação prescrita para outras doenças, especialmente em pessoas mais velhas, pois doses excessivas de alguns medicamentos (sedativos, anti-hipertensivos) podem causar quedas por causa da tontura. Em pessoas com risco aumentado de fratura de quadril pode ser útil manter um protetor de quadril.

Qual medicação pode ser útil?

Os medicamentos mais comumente usados ??em mulheres com osteoporose são:

  • Cálcio e vitamina D
  • Terapia de reposição hormonal (TRH) após a menopausa
  • Moduladores seletivos dos receptores de estrógeno
  • Bifosfonatos.

Quem deve tomar cálcio e vitamina D?

Suplementos de cálcio e vitamina D são freqüentemente úteis para a maioria das pessoas com osteoporose. Estes suplementos são especialmente úteis em pessoas com baixa ingestão de cálcio, geralmente porque eles bebem pouco leite, queijo ou iogurte.

Que papel tem a terapia de reposição hormonal?

Terapia de reposição hormonal (TRH) aumenta os níveis de estrogênio em mulheres na menopausa, previne a perda óssea e aumenta a densidade óssea ligeiramente. A taxa de fraturas foi reduzida pela metade em mulheres que a usaram em comparação com aquelas que não. Terapia de reposição hormonal (TRH) pode ser feita com comprimidos. A maior desvantagem é que tem risco levemente maior de câncer de mama. No entanto, ele também ajuda a aliviar sintomas da menopausa, tais como "ondas de calor" e reduz o risco de doença cardíaca coronária.

Existem alternativas para HRT, principalmente com as modificações de estilo de vida, exercício, cessação de hábitos tóxicos (como cigarro) e assim por diante.

Mulheres que se submeteram a uma histerectomia (remoção do útero ou ventre) só é necessário dar-lhes estrogênio. Mulheres que não sofreram, estrogênio e progesterona devem ser tratados, com dois tipos principais de HRT:

  • Seqüencialmente, com sangramento menstrual regular
  • Tratamento combinado contínuo, sem ou com pouco sangramento sangramento menstrual.

Terapia de reposição hormonal (TRH) não pode ser usada continuamente até o ano após a menopausa. Em todos os tipos de efeitos colaterais desse tratamento são reduzidas ao utilizar uma dose mais baixa de estrogênio, mas também oferecem menos proteção da medula. Terapia de reposição hormonal (TRH) não deve ser usado em mulheres com história de câncer de mama.

O que são moduladores seletivos dos receptores de estrogênio?

Os moduladores seletivos dos receptores de estrógeno (raloxifeno, etc.) são medicamentos que têm efeitos similares ao estrogênio nos ossos e vasos sanguíneos, mas não têm efeito sobre a mama ou o útero. Eles são especialmente úteis nas mulheres que tiveram câncer de mama e precisam de tratamento para a osteoporose. Ao contrário da terapia de reposição hormonal (TRH) essas drogas não impedem os sintomas da menopausa como ondas de calor.

Quais são os bisfosfonatos?

Em todas as pessoas o osso é constantemente renovado, reabsorvido e remodelado. Bisfosfonatos diminui a taxa de renovação óssea, aumentando assim a quantidade de osso.

Estas drogas são especialmente úteis em pacientes com osteoporose severa, o que reduz a freqüência de fraturas. O número de fraturas impedido é muito pequeno para justificar o tratamento de pacientes com outras formas mais leves de osteoporose.

Os bisfosfonatos são pouco absorvidos pelo trato gastrointestinal e é necessário tomar com o estômago vazio (mas com água). Os pacientes devem evitar comer, pelo menos, meia hora depois. Se você precisa adicionar suplementos de cálcio devem ser administrados em diferentes momentos do dia.

Que se sabe sobre osteoporose no sexo masculino?

Há menos experiência com o tratamento da osteoporose em homens. Se os níveis de hormônios sexuais no sangue estão diminuídos, o tratamento indicado são injeções de testosterona, , implantes, patches, ou comprimidos. Homens com osteoporose severa e os valores normais de testosterona deve mgeralmente ser tratados com bisfosfonatos.

Especialistas em osteoporose e seu tratamento

Encontre um especialista em Osteoporose e seu tratamento na sua cidade:
Etiene Ribeiro de Almeida

Etiene Ribeiro de Almeida

Médico clínico geral, Geriatra

Palmas

Emerson Gimenez

Emerson Gimenez

Reumatologista

São Paulo

Cynthia Salgado Lucena

Cynthia Salgado Lucena

Endocrinologista

Recife

Keyla Facchin Guedes

Keyla Facchin Guedes

Endocrinologista

São Paulo

Antonio Luiz Boechat

Antonio Luiz Boechat

Reumatologista

Manaus

Mariella Muller Michaelis

Mariella Muller Michaelis

Endocrinologista

Curitiba

Perguntas sobre Osteoporose e seu tratamento

Nossos especialistas responderam a 11 perguntas sobre Osteoporose e seu tratamento

 Gabriela Oliveira Cristo Bortolon
Gabriela Oliveira Cristo Bortolon
Médico clínico geral, Geriatra
Vitória
Estou de acordo com os 2 colegas. Ainda não existem estudos clínicos conclusivos que dão embasamento para a prescrição da vitamina K2 e magnésio na prática clínica.
3 respostas

Dra. Verônica Mello Maia
Dra. Verônica Mello Maia
Médico clínico geral, Reumatologista
Rio de Janeiro
Boa noite.
O tratamento da osteoporose deve ser individualizado. São várias opções terapêuticas, cada uma com seus benefícios específicos. O fato de sua mãe não estar andando pode ou não…
3 respostas

Dra. Cássia Dourado Leme Bueno
Dra. Cássia Dourado Leme Bueno
Endocrinologista, Médico do esporte
São Paulo
Olá, você pode considerar o uso de citrato de cálcio. O sol não vai melhorar o cálcio mas sim a vitamina D. Mas sugiro passar com um endocrinologista atualizado em questões ósseas para te ajudar…
2 respostas

Especialistas falam sobre Osteoporose e seu tratamento

Não basta somente comprar o cálcio em cápsula e tomar leite. É feita um abordagem do paciente na faixa etária conforme protocolos clínicos ou mesmo aqueles grupos susceptíveis (uso de corticoideoterapia crônica: portadores de artrite, lúpus, asma crônica, infiltrações em articulações) para o desenvolvimento precoce da osteoporose. Uma estratégia personalizada é prescrita para que esse paciente desenvolva massa óssea através de estímulos mecânicos, dieta e redução de danos. OBJETIVO: manter paciente com marcha segura, sem risco de quedas e/ou prejuízos em sua mobilidade social. Resumindo, meu trabalho consiste em evitar que os adultos de hoje tenham problemas no futuro.

Gustavo Camargo Silverio

Médico clínico geral, Geriatra

Belo Horizonte


Avaliação clínica, estudo laboratorial e densitometria óssea. Reposição adequada da Vitamina D, Cálcio, Fósforo, Magnésio. Mudança no estilo de vida e análise de reposição hormonal, levando em consideração cada caso. Todo o tratamento é individualizado, buscando o ideal para o paciente. É uma doença em que a densidade e a qualidade do osso estão reduzidas. A fragilidade do osso leva a um grande risco de fraturas. Ocorre mais em mulheres que em homens. Evolui de forma silenciosa e progressiva até ocorrer a primeira fratura principalmente no quadril, pulso ou coluna vertebral. A osteopenia (baixa densidade do osso) é um estágio prévio da osteoporose e deve ser tratada.

Walid El Andere

Médico clínico geral, Endocrinologista

Barueri

Agendar uma visita

Doença que enfraquece os ossos e facilita que ocorra fraturas. Muitas vezes o diagnóstico é feito pelo ginecologista que solicita a densitometria óssea. Mas é importante que o paciente confirme se seu médico é especialista no tratamento dessa doença e se não for, procurar um especialista para tratamento. Homens também podem ter a osteoporose e devem investigar com exame.

Alexandre Geranutti Serafim

Médico clínico geral, Reumatologista

Sorocaba

Agendar uma visita

Osteoporose é o processo de enfraquecimento dos ossos que acontece a partir da meia idade. Pode levar a fraturas, dor, perda da capacidade de andar e dependência. A investigação através de densitometria óssea é mandatória, além da radiografia de alguns ossos do corpo e exames laboratoriais. O tratamento se baseia na ingesta adequada de cálcio em sua dieta, vitamina D em bons níveis, assim como no uso de fármacos que diminuem a reabsorção óssea e/ou auxiliam na produção de osso novo no esqueleto.

Osteoporose é uma doença silenciosa que pode trazer um grande impacto na qualidade de vida. Acontece um enfraquecimento dos ossos que predispõem a fraturas, principalmente em fêmur, coluna, ombro e punho. Em geral não há sintomas até acontecer a primeira fratura. É imprescindível que o médico busque ativamente esta condição, pois o seu tratamento adequado, evita fraturas, cirurgias, dor e perda de autonomia.

Guilherme Liausu Cherpak

Médico clínico geral, Geriatra

São Paulo

Agendar uma visita

A osteoporose é caracterizada pela baixa massa óssea e fragilidade esquelética, que ocasionam no risco de fraturas, principalmente após a menopausa e nos pacientes idosos. A avaliação inicial inclui uma história para avaliar os fatores de risco, um exame físico e exames laboratoriais. O diagnóstico é realizado a partir da análise da densitometria óssea e/ou pela história de fraturas por fragilidade. Atualmente, existem opções de tratamento e recomendações para evitar a perda de massa óssea e fraturas.

Luiz Felipe Dipe

Reumatologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Mulheres pós menopausa, são alvo frequente desta patologia, que afeta gravemente na qualidade de vida das mulheres levando a quedas e fraturas que complicam muito as atividades diárias da paciente. Importante avaliar e tratar essa patologia de forma contínuo.

Isis Mesquita Faria

Médico clínico geral, Endocrinologista

Rio de Janeiro


A osteoporose e´um enfrquecimento ósseo muito comum nas mulher após a menopausa, mas que também pode atingir homens após os 70 anos e pessoas com uso crônico de corticóides. Uma avaliação precisa e suplementação, quando indicada, podem ajudar a manter os seus ossos fortes e saudáveis.

Paula Rocha

Endocrinologista

Rio de Janeiro


A osteopenia consiste na fase inicial da osteoporose, na maior parte dos casos não gera sintomas, mas alerta para a diminuição da massa óssea. Já a osteoporose é uma doença caracterizada pela diminuição substancial da massa óssea, levando à fraqueza óssea e ao aumento do risco de fraturas. As principais causas para essas doenças ósseas são fatores hormonais, genéticos, má alimentação, exposição insuficiente ao sol e sedentarismo. O objetivo do tratamento é evitar a piora da degradação do tecido ósseo. Ele pode ser medicamentoso e/ou não medicamentoso. O estilo de vida saudável é fundamental em todo tratamento, mas a avaliação e acompanhamento médico é fundamental para promover a saúde óssea

Alexandre Camara

Médico clínico geral, Endocrinologista

São Paulo


O osso, ao contrário do que muitos pensam, é uma estrutura viva, em constante renovação e que além da função de sustentação também é fonte de cálcio para o organismo. A osteoporose se caracteriza por diminuição da massa óssea, tornando maior a chance de ocorrer fraturas. Estão sob maior risco mulheres, pessoas de raça branca, pessoas magras, os fumantes, os usuários de corticóide. É uma doença silenciosa e o diagnóstico precoce é feito pela Densitometria óssea. A indicação de tratamento específico deve ser avaliada caso a caso, lembrando que é sempre importante manter níveis adequados de cálcio, vitamina D e praticar exercícios físicos de resistência.

Stéphanie Cozzolino

Médico clínico geral, Endocrinologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

A osteoporose é o processo de enfraquecimento dos ossos, com aumento do risco de fraturas. Está relacionada a diferentes causas. O tratamento inclui mudanças no estilo de vida, melhora da alimentação, exercícios físicos e medicamentos que visam melhorar a qualidade e a resistência do osso para prevenir fraturas.

Verônica Mello Maia

Médico clínico geral, Reumatologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Osteoporose e seu tratamento?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.