Diabetes tipo 2 - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - diabetes tipo 2

Encontre um especialista na sua cidade:
Liandra Morais

Liandra Morais

Nutricionista

Osasco

Alexsandra Siqueira

Alexsandra Siqueira

Nutricionista

Gravataí

Clarissa Casale Doimo

Clarissa Casale Doimo

Nutricionista

Natália Pereira

Natália Pereira

Nutricionista

Itapevi

Aline Sousa Santos Mendonça

Aline Sousa Santos Mendonça

Nutricionista

Goiânia

Suziane Angelita Da Conceição

Suziane Angelita Da Conceição

Endocrinologista

Sorocaba

Perguntas sobre Diabetes tipo 2

Nossos especialistas responderam a 100 perguntas sobre Diabetes tipo 2

Bom dia, tudo bem? A glicemia pós prandial de 125 é normal. Ela está alterada acima de 140 em 2 horas. Espero ter te ajudado. Abraços
2 respostas


Bom dia, tudo bem? A glicemia capilar é um pouco diferente da glicemia sérica, todavia pode ter um parâmetro com a mesma. Seus exames estavam dentro da normalidade. Muito importante é ter hábitos…
2 respostas


Evite jantar tarde, faça jejum mínimo de 12 horas, entre jantar e o café da manhã, já que a glicemia tende a se elevar quando se ingere alimentos tarde da noite. Evite o consumo exagerado de…
3 respostas

Especialistas falam sobre Diabetes Tipo 2

O diabetes tipo 2 é uma condição muito frequente na nossa população e que pode levar a diversas complicações, quando não é adequadamente controlado desde o seu diagnóstico. Novas modalidades de tratamento permitem alcançar resultados adequados com baixo índice de efeitos colaterais, permitindo ao paciente manter sua qualidade de vida.

Hoje, no Brasil, há mais de 13 milhões de pessoas vivendo com Diabetes, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes. Cerca de 90% destes casos possuem Diabetes do tipo 2. Esta é mais comum em adultos, mas pode acontecer em crianças e adolescentes.Entre os fatores que podem contribuir para o seu surgimento, estão a obesidade e o sedentarismo. A permanência dos níveis elevados de glicose no sangue pode trazer complicações, como a doença renal e neuropatia pelo Diabetes. No entanto, o tratamento adequado com dieta, atividade física regular, medicamentos e/ou insulina reduz drasticamente a possibilidade de complicações desta doença, podendo o paciente conviver de forma harmônica com sua doença.

Denise Mendonca Coelho De Araujo

Endocrinologista

Brasília


Trata-se de resistência à ação da insulina nos tecidos levando ao aumento da glicose (açúcar) no sangue. Geralmente se desenvolve na vigência de alimentação inadequada, excesso de peso e sedentarismo. O tratamento inicial consiste em dieta e atividade física, mas pode necessitar de tratamento medicamentoso oral (comprimidos). A longo prazo pode necessitar de medicamentos injetáveis e insulina.

Dalva Castro De Oliveira

Endocrinologista pediátrico, Pediatra

São Paulo


- É uma doença caracterizada pela quantidade excessiva de açúcar (glicose) no sangue. - Ocorre pois o organismo tem má sensibilidade ao hormônio insulina. - Perda de peso, dieta, exercícios e estilo de vida saudável são pilares para que a doença regrida.

Renan Mancio

Nutricionista

Guarulhos


É o tipo de diabetes que ocorre principalmente em adultos porém tem aumentado muitos casos em crianças e adolescentes, também. O tipo 2 tem influência genética e ambiental. A obesidade, sendentarismo e alimentação hipercalórico, principalmente em carboidratos, são fatores que tem gerado doenças na população em geral, incluindo o diabetes. O seu tratamento requer 3 pilares iniciais que é: alimentação adequada, atividade física regular e medicação. Os exames devem ser realizados periodicamente porque não basta tomar o remédio para dizer que está bem tratado. É preciso comprovar através de exames porque em muitos casos a doença não dá sintomas, aumentando os riscos de complicações.

Victor Almeida

Endocrinologista, Médico clínico geral

Salvador

Agendar uma visita

No diabetes é recomendado comer alimentos ricos em fibras em todas as refeições, pois estes alimentos ajudam a manter mais estável a concentração de açúcar no sangue e evitar ao máximo os alimentos ricos em gordura e açúcar, pois aumentam mais rapidamente os níveis de açúcar no sangue e, consequentemente, pioram a diabetes. Antes do exercício físico, também é importante comer para que o açúcar não baixe muito.Portanto, é importante um acompanhamento com consultas regulares para verificar a rotina diaria e incorporar atitudes que ajudem ao melhor controle do diabete com menor dose medicamentosa possível.

Ieda Maria Leonel

Médico clínico geral, Médico de família

Curitiba

Agendar uma visita

A longevidade e a qualidade de vida resultam da alimentação equilibrada, saudável e pelas escolhas corretas que fazemos no decorrer da vida. É sabido que fatores hormonais e hábitos de vida influenciam diretamente no processo de envelhecimento. Portanto, um acompanhamento precoce se torna útil como forma de prevenção. Fazemos também acompanhamento de pacientes em pré e pós operatório, com doenças crônicas degenerativas e que necessitam de outros cuidados especiais.

Guilherme Ferreira Mattos

Generalista

Belo Horizonte


Diabetes é uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue empregar adequadamente a insulina que produz. Mas o que é insulina? É um hormônio que controla a quantidade de glicose no sangue. O corpo precisa desse hormônio para utilizar a glicose, que obtemos por meio dos alimentos, como fonte de energia. Quando a pessoa tem diabetes, no entanto, o organismo não fabrica insulina e não consegue utilizar a glicose adequadamente. O nível de glicose no sangue fica alto - a famosa hiperglicemia. Se esse quadro permanecer por longos períodos, poderá haver danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

Cássio Pena

Endocrinologista

Rio de Janeiro


A diabetes tipo 2 é uma doença crônica que afeta a forma como a glicose é metabolizada no organismo. A pessoa pode ter resistência à insulina (esta não consegue fazer direito seu papel com relação à glicose) ou deficiência na produção da insulina. Quando não tratada, a diabetes pode levar a consequências muito sérias, inclusive à morte. Alguns fatores de risco são: alimentação inadequada, genética, obesidade, sedentarismo, idade, hipertensão, triglicerídeos aumentado, etc. Além da consulta ao endocrinologista, o indivíduo deverá ser acompanhado por um nutricionista, que irá fazer uma reeducação alimentar para que o paciente passe a se alimentar de forma mais saudável.

Fabio Saad

Nutricionista

São Paulo


Controle e monitoramento da glicemia através de uma alimentação mais consciente.

Fernanda Brito

Nutricionista

Balneário Camboriú

Quais profissionais tratam Diabetes tipo 2?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.