Hipertireoidismo - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é o hipertireoidismo (tireotoxicose)?

O hipertireoidismo é uma hiperatividade da glândula tireóide, que secreta um hormônio chamado de tireóide estimulando o metabolismo celular basal. Produção excessiva desses hormônios no hipertireoidismo leva a aumento do metabolismo. Ele afeta 1% das mulheres e 0,1% dos homens.

O aumento da TMB é devido à produção excessiva de hormônios metabólicos T4 (tiroxina) e T3 (triiodotironina). Estes dois hormônios são produzidos normalmente na tireóide. Muitas pessoas com metabolismo aumentado ou hipertireoidismo têm uma tireóide aumentada, conhecido como bócio. No entanto, nem todas as pessoas com bócio têm um metabolismo aumentado.

Quais são os tipos de hipertireoidismo?

Os tipos mais comuns de hipertireoidismo (aumento do metabolismo) são três:

Bócio difuso tóxico

É o mais comum. Também conhecido como doença de Graves, ocorre principalmente em jovens, mas também pode ser visto nos idosos.

Toda a glândula é geralmente ligeiramente alargada. A maioria das pessoas com este transtorno muitas vezes têm diferentes tipos de perturbações visuais, secura leve e irritação dos olhos, uma saliência característica de um ou ambos os olhos, dificuldade de fechar as pálpebras e às vezes até mesmo a visão dupla. Estes problemas são mais freqüentemente observados em fumantes.

Bócio nodular tóxico

Esse padrão é visto com mais freqüência entre os idosos. A morfologia da glândula tireóide é geralmente uma superfície irregular áspera.

Às vezes, o aumento do metabolismo é causado por um tumor, geralmente benigno, nesta glândula.

Esta doença não é associada a problemas oculares.

Tireoidite subaguda

Esta condição, conhecida como tireoidite de Quervain ocorre devido à inflamação da tireóide, geralmente devido a uma infecção viral. Esta inflamação leva a um aumento da liberação de hormônios da tireóide, o que desencadeia os sintomas de hipertiroidismo temporariamente, e um aumento no tamanho e sensibilidade da glândula. Após este episódio inicial, pode haver um período em que a glândula é "sub-ativa" (metabolismo abaixo do normal), embora a maioria das pessoas recupere a sua atividade normal dentro de um período de seis meses.

Como você começa hipertireoidismo ou tireotoxicose?

As causas do hipertireoidismo não são totalmente conhecidas, embora presume-se que há fatores ambientais, tanto hereditários e podem influenciá-lo.

Além de infecções, parece ser susceptível também a fatores ambientais, tais como cigarro, stress, ou de certos medicamentos, como amiodarona (um medicamento usado para controlar certas arritmias cardíacas que podem causar distúrbios da tireóide), e da ingestão de iodo muito alta ou muito baixa.

Quais são os sintomas?

  • Nervosismo, agitação
  • Tremor nas mãos
  • Taquicardia (coração acelerado)
  • Intolerância ao calor e calor excessivo
  • Pele quente e suado
  • Aumento do apetite e ainda perda de peso
  • Fadiga generalizada
  • Dores musculares e fadiga muscular
  • Consistência das fezes freqüentes líquidas
  • Distúrbios da menstruação

O que você pode fazer?

  • Certifique-se de ter uma dieta variada, principalmente abundância de peixes.
  • Parar de fumar.
  • Evite medicamentos ou suplementos alimentares que contenham iodo.

Como é o diagnóstico?

Se o médico suspeitar de um problema do aumento do metabolismo, irá explorar a tireóide aumentada (bócio) e olhar para a possível existência de problemas oculares.

Ele, então, toma amostras de sangue, a fim de determinar os níveis de TSH (hormônio estimulante da tireóide) e T3 e T4. Hormônio TSH produzido na glândula pituitária do cérebro minúsculo. Este hormônio viaja através da corrente sanguínea para a tireóide. Quando se está a produzir quantidades excessivas de T3 e T4, a glândula hipófise pára de produzir TSH. No hipertireoidismo, os níveis de TSH são geralmente muito baixos e os níveis de T3 e T4.

Para determinar a causa exata do aumento do metabolismo, também pode ser necessário realizar alguns testes de diagnóstico, tais como ultra-sonografia da glândula tireóide ou digitalização.

Como é o aumento do metabolismo?

Hipertireoidismo pode ser tratado em um padrão de ambulatório (sem necessidade de internação hospitalar).

Existem três tipos de tratamento: cirurgia, medicamentos e iodo radioativo.

Tratamento médico (drogas)

A produção dos dois hormônios da tireóide é reduzida ou revertida por drogas antitireoidianas como carbimazole ou propiltiouracil. Se os sintomas são incômodos, pode ser dado um bloqueador beta (propranolol) por um tempo, até que se vá pela administração de efeito antitireoidianos.

Geralmente, o metabolismo volta ao normal, um mês ou dois meses, dependendo do tipo de doença que causou o aumento do metabolismo.

No bócio difuso tóxico, o seu médico vai tentar completar o tratamento em um ou dois anos. No entanto, é necessário realizar um exame de sangue com alguma regularidade pois cerca de 50% dos pacientes apresentaram recorrência nestes dois anos.

No bócio nodular tóxico, o tratamento é para a vida toda, necessitando de acompanhamento regular para controlar a dose de medicação necessária.

Cirurgia

Esta opção geralmente é oferecida aos jovens com uma tireóide aumentada.

Ela remove a maior parte da glândula (tireoidectomia subtotal). Após a operação a recuperação é completa na maioria dos pacientes, embora uma pequena percentagem em que a doença é recorrente (de 1-3% no primeiro ano após a cirurgia e 1% nos seguintes).

Após a cirurgia, uma pequena porcentagem de pacientes desenvolve hipotireoidismo, às vezes apenas temporário. Como o hipotireoidismo é mais fácil de tratar do que hipertireoidismo, há uma tendência para remover mais glândula durante a cirurgia, minimizando assim as chances de recorrência da doença no futuro.

Pessoas que desenvolvem hipotireoidismo permanente após a cirurgia deve ser levado para a terapia de reposição com comprimidos de tiroxina.

Tratamento com iodo radioativo

O iodo radioativo é um tipo de tratamento realmente confortável e seguro. Normalmente é oferecido às mulheres após a menopausa e homens com idade acima de 40 ou 50 anos.

O tratamento é realizado em nível ambulatorial e envolve a ingestão de uma bebida composta de uma solução aquosa de iodo radioativo. Porque as precauções a serem tomadas com a manipulação de substâncias radioativas devem ser realizados em centros especializados.

Metabolismo volta ao normal dentro de alguns meses ou mesmo semanas.

Um paciente em cada cinco dos pacientes tratados com iodo radioativo desenvolve hipotireoidismo, é necessário ter controlos regulares de sangue (uma vez por ano é suficiente).

Ocasionalmente, pacientes com problemas nos olhos podem piorar quando se aplica este tratamento. Este problema pode ser tratado com corticosteróides por um tempo limitado, e se a protrusão do olho é muito desconfortável, você pode optar pela cirurgia.

Especialistas em hipertireoidismo

Encontre um especialista em Hipertireoidismo na sua cidade:
Manoel Martins

Manoel Martins

Endocrinologista

Fortaleza

Camila Ribeiro Chiavoni

Camila Ribeiro Chiavoni

Endocrinologista

São Paulo

Isabel Christina De Oliveira Vieira

Isabel Christina De Oliveira Vieira

Endocrinologista

São Paulo

Renata Gonçalves Pereira

Renata Gonçalves Pereira

Endocrinologista

Sete Lagoas

Larissa Almeida Moreira Marques

Larissa Almeida Moreira Marques

Endocrinologista

Teresina

Frederico Fernandes Ribeiro Maia

Frederico Fernandes Ribeiro Maia

Endocrinologista

São Paulo

Perguntas sobre Hipertireoidismo

Nossos especialistas responderam a 138 perguntas sobre Hipertireoidismo

Dra. Lidiane Reiff
Dra. Lidiane Reiff
Médico clínico geral, Endocrinologista
Niterói
As duas medicações usadas para tratamento do hipertireoidismo (tapazol e propiltiuracil) são passados para o leite materno, porém são níveis baixos e que não parecem influenciar na função tireoidiana…
2 respostas

Dra. Simone Wajnsztajn
Dra. Simone Wajnsztajn
Endocrinologista
Rio de Janeiro
Ola, ele deve ser avaliado por um endocrinologista para, caso confirmado, iniciar tratamento adequado.
2 respostas

Dr. Paulo de Tarso Freitas
Dr. Paulo de Tarso Freitas
Endocrinologista
Florianópolis
Você deve aguardar compensar o hipertireoidismo para retomar suas atividades físicas.
O hipertireoidismo não compensado cursa com fraqueza, diminuição da massa muscular, taquicardia.
1 respostas

Especialistas falam sobre Hipertireoidismo

Importantíssimo o diagnóstico diferencial para o tratamento adequado. Um exame clínico detalhado com os exames laboratoriais e imagens são fundamentais. Uma fez escolhida a forma de tratamento é feito o acompanhamento para normalização dos níveis dos hormônios tireoideanos. Com pouco tempo os sintomas de palpitações, tremores, insônia, perda de peso etc melhoram.

Walid El Andere

Endocrinologista, Médico clínico geral

Barueri

Agendar uma visita

O hipertireoidismo é caracterizado pelo excesso de produção dos hormônios tireoideanos; Sua principal causa é a Doença de Graves, que é uma doença auto imune caracterizada por: Bócio Difuso + Hipertireoidismo; Oftalmopatia ( alterações no olhos); Mixedema Pré tibial. Suas principais manifestações são: emagrecimento; taquicardia; nervosismo; queda de cabelo; irritabilidade; impaciência; intolerância ao calor; palpitação; tremores de extremidades; falta de ar aos esforços; alterações menstruais. entre outras. O tratamento correto normaliza os níveis dos hormônios no sangue e restaura a qualidade de vida do paciente.

José Anderson Da Silva

Endocrinologista

Maceió


O hiper e hipotireoidismo são doenças relacionadas a alteração da função da glândula tireóide. Vários são os motivos para que isso ocorra. Desde áreas com insuficiência em iodo, falta de capacidade de metabolização da glândula tireóide e doença nodular da tireóide. Os pacientes com hipertireoidismo são aqueles que experimentam uma função exacerbada da tireóide, ou seja, uma secreção aumentada dos hormônios tireoidianos. Isso gera uma série de sintomas que podem ser graves e até mesmo gerar risco de morte. Os sintomas de hipertireoidismo são: - Fadiga - Fome excessiva - Intolerância ao calor - Fome excessiva - Suor excessivo - Ritmo acelerado do coração.

Márcio Costa Fernandes

Cirurgião de cabeça e pescoço, Cirurgião geral

Manaus

Agendar uma visita

O Hipertireoisdismo refere-se à secreção excessiva de hormônios pela glândula tireoide. A maioria dos casos ocorre devido à presença de anticorpos produzidos pelo próprio doente que estimulam a glândula. Manifesta-se geralmente com aumento do apetite, perda de peso, aceleração do ritmo intestinal, tremores, exoftalmia (olhos com aparência de estarem saltando da órbita ocular), aceleração da frequência cardíaca, palpitações, podendo levar até a arritmias. O tratamento pode ser feito com medicamentos, ablação da tireoide com iodo ou ainda cirúrgico, a depender do caso.

Dalva Castro De Oliveira

Endocrinologista pediátrico, Pediatra

São Paulo

Agendar uma visita

A tireoide é uma glândula muito importante localizada no pescoço, e produz hormônios responsáveis pelo metabolismo, síntese de proteínas, controle da atividade cardiovascular e do e desenvolvimento de todo o corpo e do cérebro. Ela também atua na atividade sexual, no sono, disposição e até nos nossos pensamentos e raciocínio. A tireoide pode sofrer uma série de doenças como hipotireoidismo ( baixa produção de hormônios) hipertireoidismo ( produção excessiva), bem como nódulos e câncer. Tratamos de hipotireoidismo, hipertireoidismo, tumor de tireoide, tumor de paratireoide, etc.

Maria Palmira Ferreira Lusquinos

Médico clínico geral, Endocrinologista

Cabo Frio


O diagnóstico e tratamento do hipertiroidismo deve ser individualizado e discutido com o paciente para que a aderência seja eficaz conduzindo o paciente a remissão/cura.

Isis Mesquita Faria

Médico clínico geral, Endocrinologista

Rio de Janeiro

Quais profissionais tratam Hipertireoidismo?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.