Bulimia nervosa - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é bulimia nervosa?

Bulimia é um transtorno alimentar caracterizado por episódios repetidos de comer demais ou ingestão excessiva de alimentos e uma preocupação exagerada com o controle de peso. Isto leva o paciente a tomar medidas extremas para combater o ganho de peso causado por superalimentação. Portanto, há episódios de "bebedeira", que compulsivamente ingerido grandes quantidades de comida em um curto espaço de tempo. Estes episódios muitas vezes acontecem em segredo. Depois de compulsão alimentar, o paciente muitas vezes se sente culpado por isso e usa uma série de métodos compensatórios inadequados para evitar ganho de peso.

Apesar de ser reconhecido já na Grécia antiga, foi apenas identificada e descrita como uma doença com características próprias em 1979 pelo psiquiatra Inglês Gerald Russell. Estima-se que aproximadamente 1% da população sofre desta doença, embora este valor pode ser uma estimativa abaixo da verdade. Na verdade, estudos mostram que 7% das mulheres jovens consultam o seu médico com os sintomas da bulimia nervosa. É muito menos comum em homens.

Quais são os sintomas da bulimia nervosa?

Segundo a Organização Mundial de Saúde, os critérios para diagnósticos para bulimia nervosa são os seguintes:

  • Preocupação persistente com alimentos ou um desejo irresistível de comer.
  • Episódios de hiperfagia, ou seja, grandes quantidades de alimentos consumidos em curtos períodos de tempo.
  • O paciente tenta neutralizar o impacto da compulsão alimentar sobre o peso de um ou mais dos seguintes meios: exercício excessivo, vômitos auto-induzidos após a ingestão, períodos prolongados de jejum ou o consumo de drogas como laxantes, diuréticos ou inibidores de apetite.
  • Medo excessivo ou obesidade mórbida. Este também é observado na anorexia nervosa. De fato, pacientes com bulimia geralmente tiveram episódios anteriores de anorexia nervosa.

A maioria dos pacientes com bulimia nervosa têm um peso dentro da faixa normal, embora alguns possam ser acima ou abaixo.

Quais são as causas da bulimia nervosa?

A causa da bulimia nervosa é desconhecida, sendo geralmente uma combinação de fatores biológicos, psicológicos e sociais:

Fatores Biológicos

Vários estudos têm associado a alterações na bulimia nervosa com neurotransmissores cerebrais (substâncias mensageiras usados ??pelos neurônios para se comunicar uns com os outros) como a serotonina, norepinefrina ou endorfinas. Também descreveu uma vulnerabilidade genética.

Fatores psicológicos

Durante a adolescência, os pacientes com bulimia nervosa muitas vezes apresentam mudanças de comportamento, portanto, pode haver outros problemas com impulsividade (como problemas com álcool ou outras drogas), desinibição sexual, irritabilidade, labilidade emocional. Muitas vezes, estes pacientes têm uma baixa auto-estima associada, de fato, a bulimia nervosa ocorre mais freqüentemente em pessoas com transtornos depressivos. Também ocorre mais freqüentemente em transtornos de personalidade,principalmente transtorno de personalidade borderline.

Fatores sociais

Como na anorexia nervosa, pacientes com bulimia nervosa muitas vezes têm desempenho acadêmico fraco. Igualmente importantes são as pressões sociais e culturais em torno de manter um corpo esguio, embora, como mencionado, a maioria dos pacientes bulímicos mantem um peso dentro dos limites normais. Também vale a pena mencionar que os pacientes com bulimia muitas vezes percebem seus pais como negligentes e se sentem rejeitados por eles.

Qual é a evolução e prognóstico da doença?

Embora alguns casos, a bulimia nervosa é breve, os sintomas geralmente ocorrem alguns meses ou anos antes que o paciente procura ajuda. Como esperado, os pacientes que são capazes de se envolver no tratamento são aqueles com um melhor resultado. Em aproximadamente um terço dos pacientes ela se torna crônica.

O prognóstico para a bulimia nervosa dependerá em grande parte do rescaldo. Tenha em mente que comportamentos compensatórios, como vômitos auto-induzidos ou laxantes ou diuréticos abuso pode levar a sérias complicações físicas:

Problemas gastrointestinais

  • Danos aos dentes através de ácido do estômago
  • Espessamento das glândulas salivares
  • Esofagite (inflamação do esôfago) e úlceras esofágicas
  • Lesões no estômago e intestino

Cardiovasculares e metabólicas

  • Arritmias cardíacas
  • Alterações em íons de sangue
  • Edema (retenção de líquidos) nas pernas

As complicações urinárias

  • Renal
  • Infecções do trato urinário

Problemas neurológicos e musculares

  • Contraturas e paralisia muscular
  • Crises epilépticas
  • Doenças endócrinas
  • Diminui em hormônios femininos
  • Atrofia ovariana
  • Cistos ovarianos
  • Infertilidade

Qual é o tratamento da bulimia nervosa?

O tratamento deve ser focado tanto para os sintomas da bulimia nervosa e os transtornos associados ao psicológico e físico. Tratamentos específicos para bulimia nervosa incluem terapias psicológicas e tratamentos medicamentosos. No entanto, como a maioria dos transtornos psiquiátricos, é a combinação de ambas as estratégias que permite atingir uma melhor resposta.

Em geral, o tratamento de pacientes com bulimia nervosa deve ser realizado em ambulatório. Admissão, preferencialmente em unidades especializadas é recomendado somente quando eles têm sido repetidos fracassos com tratamento ambulatorial e problemas físicos ou psicológicos que podem exigir um tratamento mais intensivo

Tratamentos psicológicos

Várias intervenções de natureza psicológica estão sendo usados ??no tratamento deste tipo de transtorno alimentar:

  • Terapia cognitivo-comportamental: Este é o modo de tratamento mais freqüentemente utilizando psicológos para bulimia nervosa. Esta modalidade de tratamento foi desenvolvida a partir da cognitiva para depressão e outras condições psiquiátricas.
  • Terapias Motivacionais
  • Terapia interpessoal
  • Terapia Cognitiva analítica de curta duração, geralmente entre 16 e 20 sessões, que combina elementos de terapia cognitiva e psicoterapia de orientação psicanalítica.
  • Rational Emotive-Terapia
  • Terapia familiar: Este é um pilar do tratamento em um número significativo de casos.
  • Grupo de terapia para prevenção de recaídas
  • Terapia de grupo outras

Além disso, grupos de auto-ajuda são úteis para alguns.

Tratamentos de drogas

  • Medicamentos antidepressivos: em parte devido à alta freqüência de sintomas depressivos observados em pacientes com bulimia, antidepressivos, sejam administrados isoladamente ou em combinação com alguma forma de psicoterapia, são as drogas mais comumente usados ??nesta doença. Embora existam muitos antidepressivos que têm sido utilizados, como a amitriptilina, imipramina, desipramina, trazodona ou fenelzina, são inibidores da recaptação da serotonina, como fluoxetina, fluvoxamina, paroxetina, sertralina ou citalopram aqueles que têm demonstrado maior eficácia.
  • Antagonistas opióides: A naltrexona é um antagonista opiáceo que é comumente usado para tratar o vício em heroína e álcool também tem mostrado alguma eficácia no tratamento da bulimia nervosa.
  • Outras drogas, como a fenfluramina, lítio, acamprosato ou gabapentina podme ser úteis em certos subgrupos de pacientes.

Especialistas em bulimia nervosa

Encontre um especialista em Bulimia Nervosa na sua cidade:
Josiane Lamberti de Carvalho Cardillo

Josiane Lamberti de Carvalho Cardillo

Nutricionista

Poços de Caldas

Marina Leite

Marina Leite

Psicólogo

Marco Antônio De Souza

Marco Antônio De Souza

Psicólogo

Itaguaí

Ana Paula Tavares Leonel

Ana Paula Tavares Leonel

Psicanalista

Santo André

Beatriz Marques de Mattos

Beatriz Marques de Mattos

Psicólogo

Ribeirão Preto

Ana Carolina Morelli

Ana Carolina Morelli

Psicólogo

Osasco

Perguntas sobre Bulimia nervosa

Nossos especialistas responderam a 27 perguntas sobre Bulimia nervosa

Pode sim ser usado associado como forma de potencialização. Nesse caso a associação entre um antidepressivo tricíclico e um outro inibidor seletivo da receptação de serotonina.
3 respostas

Para o tratamento da bulimia nervosa é interessante a consulta com um psiquiatra, pois a medicação pode ajudar a controlar os sintomas da doença, um nutricionista para ver uma dieta que você…
5 respostas

Sua preocupação é valida sobre em quanto tempo se faz necessário para tratar esse sintoma. O tempo em psicoterapia é muito subjetivo, talvez a questão que ti leve a clinica nem seja a mesma pela…
6 respostas

Especialistas falam sobre Bulimia Nervosa

A bulimia nervosa consiste em episódios recorrentes do consumo de grandes quantidades de alimentos acompanhado por um sentimento de perda do controle. As características essenciais da bulimia nervosa são episódios recorrentes de compulsão periódica (ingestão de uma quantidade de alimentos, definitivamente maior do que a maioria das pessoas consumiria em um período de tempo); um sentimento de falta de controle sobre o comportamento alimentar durante as comilanças; vômitos auto induzidos (provocados pelo próprio indivíduo), uso de laxantes ou diuréticos, regimes alimentar rígidos, jejum ou exercícios físicos vigorosos para evitar ganho de peso.

Valdir Campos

Psiquiatra

Belo Horizonte

Agendar uma visita

A bulimia é um transtorno alimentar que se caracteriza pela ingestão de uma grande quantidade de alimentos,geralmente ricos em calorias,seguida por métodos compensatórios.Na bulimia ocorre a compulsão por alimentos seguida por métodos compensatórios. Na anorexia a pessoa deixa de se alimentar,perdendo peso rapidamente, chegando às vezes a um estado de desnutrição severa que pode levar à morte.Alguns pacientes podem apresentar também fadiga, desmaios,ressecamento da pele, oscilações de humor e depressão.A bulimia pode ser causada por fatores psicológicos,biológicos, familiares e culturais.A bulimia tem cura e seu tratamento consiste em medicamentos antidepressivos,terapia individual e grupo.

A bulimia nervosa é um transtorno alimentar onde os sintomas são: a ingestão compulsiva de alimentos, seguida de um comportamento compensatório, como por exemplo, a provocação de vômito, a utilização de medicamentos laxativos ou diuréticos, o excesso de atividade física, jejum prolongado, entre outros. O tratamento é fundamental, pois a doença pode evoluir para uma anorexia nervosa, e principalmente devido ao risco de morte presente nos sintomas. O cuidado do paciente se dá combinando algumas especializações como psicólogo, nutricionista, psiquiatra e outros.

Michely Freitas

Psicanalista, Psicólogo

Rio de Janeiro


A crise bulímica atua a voracidade, a avidez e a rejeição dirigidas ao alimento, objeto externo, por meio da alternância entre preenchimento e esvaziamento, sem atingir a satisfação. Trata-se de um ato/cena que não consiste em se alimentar, mas em comer tudo, não importa o que, até que o corpo não suporte receber mais alimento. A bulimia destaca duas dimensões importantes ligadas á ingestão e á expulsão da comida,: a de defesa, de caráter adictivo, e que pode estra implicada tanto na relação com a comida, quanto na relação com o vômito, e a dimensão da atuação de fantasias que podem estar a ela associadas. A bulimia necessita de tratamento psicológico, ambulatorial e multidisciplinar.

A Bulimia Nervosa tem por característica episódios de compulsão alimentar acarretando culpa pela perda de controle por ter ingerido uma grande quantidade de alimento, buscando através de métodos como a purgação, vômitos, uso de laxantes, entre outros a eliminação. Tais adolescentes apresentam sensação que estão sempre acima do peso, mesmo quando estão com seu peso ideal, possuem uma visão deturpada de si mesmo, uma distorção de imagem corporal. Apresentam um crítico muito grande com relação a sua imagem corporal sendo também muito influenciáveis quanto aos padrões exigidos pela sociedade. Por esta razão a necessidade de um acompanhamento multidisciplinar é de suma importancia.

Roseane Pereira Santos Corso

Psicanalista, Psicólogo

Mogi das Cruzes


A Bulimia e a Anorexia são transtornos considerados alimentares pela comunidade médica, porém o que os pacientes muitas vezes desconhecem são as causas do inconsciente que estão relacionadas a esses comportamentos. É preciso que o paciente crie dentro de si um espaço de continência para dar conta de suas emoções a ponto de quem sabe extinguir tais comportamentos. Quando uso o termo continência quero dizer: Somos um caldeirão de emoções e na bulimia e anorexia o paciente está transbordando de maneira que não consegue lidar com suas emoções. Nosso trabalho vai de encontro com essa ideia no sentido de ou aumentar o tamanho do caldeirão ou acomodar as emoções dentro do que já existe.

Danilo Costa

Psicólogo

São Paulo


A bulimia é um transtorno alimentar no qual os sintomas principais são: momentos de grande compulsão alimentar, provocação de vômito, preocupação constante com peso entre outros. Estes sintomas acabam trazendo prejuízos físicos e mentais. O tratamento feito através de psicoterapia e algumas vezes pode ser associado ao tratamento psiquiátrico. O tempo de tratamento varia de paciente para paciente.

Marcela Duarte Bottas

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo


A Bulimia Nervosa é um Transtorno alimentar caracterizado pela busca do controle da ingesta alimentar mal sucedida, resultando em episódios de compulsão alimentar. Este descontrole gera uma série de emoções desconfortáveis na pessoa, impulsionando-a a tomar atitudes afim de reverter o dano. Dessa forma, após episódios de compulsão alimentar, as pessoas se engajam em comportamentos compensatórios como a indução do vomito, a prática exercícios físicos de forma exagerada ou uso de laxantes e diuréticos. O tratamento da Bulimia é individualizado e deve ser feito por uma equipe multidisciplinar. Se você se identifica com alguns dos sintomas, não exite em buscar ajuda!

Geralmente a bulimia ocorre em mulheres jovens e é caracteriza pela adoção de medidas drásticas visando o emagrecimento, como jejuns, exercícios excessivos, uso de medicamentos, entre outros. O sintoma mais marcante da bulimia é o vômito provocado pelo excesso de culpa em comer, já que isso afasta a pessoa do sonhado corpo ideal. A comida tem uma forte ligação com a amamentação materna e o enlace social desse ser tão pequeno, assim o alimento e sua ingestão excessiva parece nestes pacientes ser utilizado para amenizar alguma angústia de vazio interno. A não aceitação de diversas características da feminilidade e problemáticas familiares devem ser levadas em conta para o tratamento.

Mariana Pavani

Psicanalista, Psicólogo

Campinas


A bulimia nervosa é caracterizada por frequentes episódios de compulsão alimentar, seguido de uso de método inadequado para compensar a ingestão calórica (p.ex: vômito, uso de laxantes, diuréticos, medicamentos, atividade física abusiva, etc). Além disso, o individuo vivencia seu peso e forma corporal de forma alterada, de modo que a aparência física lhe traz muita preocupação e sofrimento. A alimentação de quem tem bulimia caracteriza-se por tentativas de restrição alimentar seguidas de descontrole e compulsão. O tratamento com nutricionista especializado tem como objetivo interromper os gatilhos que levam o paciente a ter compulsão e fazer uso de métodos compensatórios.

Maria Luiza Petty

Nutricionista

São Paulo


A Bulimia Nervosa é um transtorno alimentar em que a pessoa apresenta um peso normal ou até um pouco acima do esperado. Alterna períodos de compulsão alimentar (ingerindo uma grande quantidade de alimentos calóricos em um curto espaço de tempo); períodos de restrição alimentar (dieta rigorosa), além do uso indevido e inapropriado de métodos purgativos, como laxantes, diuréticos, vômitos induzidos e prática exagerada de atividades físicas. Causa um grande sofrimento, tanto a pessoa, quanto aos familiares. Necessita de tratamento especializado com uma equipe multidisciplinar, envolvendo a Psicologia, Psiquiatria e Nutricionista.

Fabiana De Laurentis Russo

Psicólogo

São Paulo


A Bulimia Nervosa é um quadro que apresenta profundas alterações do padrão e comportamento alimentares, com implicações etiológicas que passam por mudanças no perfil alimentar e no padrão de peso e corpo ideal. Os objetivos da terapia nutricional na bulimia nervosa (BN) são: diminuir as compulsões, minimizar as restrições alimentares, estabelecer um padrão regular de refeições, incrementar a variedade de alimentos consumidos, corrigir deficiências nutricionais e estabelecer práticas de alimentação saudáveis.

Érika Campos Mota Carneiro

Nutricionista

Rio de Janeiro


Bulimia Faz parte de distúrbio alimentar, e é constituído na maioria dos casos por um público feminino. Como a purgação vem logo em seguida do que ingeriu vorazmente, não apresenta ganho de peso. Há bulimia se no período de três meses, a paciente comer compulsivamente e purgar ao menos duas vezes por semana. Geralmente a bulímica esconde a quantidade que está ingerindo e também sua purgação, normalmente não admitem seus sintomas. Muitas vezes os familiares demoram a perceber, por isso que orientação aos pais é primordial.

Cristine Pucci

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Bulimia nervosa?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.