Refluxo gastroesofágico (esofagite) - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é refluxo gastroesofágico?

Refluxo gastroesofágico é uma condição em que o esfíncter esofágico inferior (anel muscular localizado na parte inferior do esôfago) é anormalmente relaxado e permite que o fluxo de conteúdo  ácido do estômago volte (suba de volta) até o esôfago. Ele também pode causar azia.

Refluxo gastroesofágico é uma condição comum. É a causa mais comum de dispepsia (distúrbio digestivo).

O que é a esofagite?

Esofagite é uma inflamação da mucosa (revestimento interno) do esôfago. É causada por episódios repetidos de refluxo ácido.

Quais são os sintomas produzidos por esofagite de refluxo gastroesofágico?

  • Dor ou sensação de queimação (azia) na parte superior do abdómen ou no peito. Às vezes se estende para as costas.
  • O ácido pode fazer o refluxo para a faringe (garganta) e boca. É azedo e queima.
  • Alguns pacientes podem ter dificuldade em respirar (asma) e rouquidão. Isso ocorre porque o líquido refluído irrita as vias aéreas e da laringe.
  • Arrotos repetidos são comuns.

Quando ocorre o refluxo gastroesofágico?

Os sintomas geralmente aparecem após uma refeição pesada, ou com muita gordura, e depois de beber álcool. Piora com o fumo.

Na hora de dormir,  inclinar-se para frente ou dobrar o corpo também podecausar refluxo.

Sintomas de refluxo podem não ter nenhuma causa aparente. A freqüência de aparecimento dos sintomas é variável. Eles são comuns na maioria das pessoas, às vezes não é incomum ter episódios diários ou semanais de refluxo.

Como o refluxo gastroesofágicoafeta a saúde

Refluxo gastroesofágico é uma condição desagradável que pode prejudicar muito a qualidade de vida. Muitas pessoas se sentem assim por causa de sintomas causados ??por esta doença.

A exposição prolongada do esôfago ao ácido provoca esofagite (inflamação do esôfago).

Na esofagite de longo prazo podem formar tecido cicatricial e complicar com o aparecimento de uma estenose ou estreitamento da área afetada do esôfago. Isso pode ser difícil, mesmo impossível, a deglutição (engolir). Esta condição séria exige uma avaliação urgente e tratamento. Felizmente, é uma complicação relativamente rara.

Refluxo pode causar úlceras no esôfago, que podem sangrar e causar perdas de ferro que levam à anemia crônica da perda de sangue.

Por que o ácido do estômago sobe para o esôfago?

Isso ocorre porque o esfíncter esofágico inferior (anel muscular é na parte inferior do esôfago perto do diafragma) está com defeito. O esfíncter é projetado para evitar o fluxo de conteúdo do estômago voltar pois ele funciona como uma válvula unidirecional.

Se o esfíncter não está funcionando corretamente, o ácido do estômago sobe para o esôfago. Essa tendência de aumento do refluxo aumenta quando o estômago  contêm abundante sucos e alimentos , e quando a pressão no estômago é maior.

Que situações podem causar refluxo gastroesofágico?

Em muitos casos, o refluxo não pode ser atribuído a qualquer causa particular. Em outras, as seguintes desordens podem contribuir para o problema:

Hérnia de hiato

A parte superior do estômago faz o seu caminho através do diafragma (músculo respiratório principal que separa o coração e os pulmões, estômago, fígado e vísceras abdominais outros), causando a sua ruptura, deixando o buraco mais aberto através do qual o esôfago vai do peito ao abdômen e, assim, evita que as fibras do músculo diafragma fechem a extremidade inferior do esôfago. Portanto, o esôfago permanece completamente aberto, permitindo que o ácido do estômago entrar nele, especialmente quando o estômago está cheio, no processo digestivo.

Excesso de peso

Se você estiver com sobrepeso, o excesso de gordura da cavidade abdominal aumenta a pressão dentro do estômago e o conteúdo sobe para o esôfago. Por outro lado, perda de peso reduz o refluxo ácido do estômago.

Gravidez

O útero aumentado de tamanho durante a gravidez, comprime o estômago que coloca pressão sobre ele. Isso aumenta a tendência de refluxo. Além disso, as mudanças hormonais da gravidez determinam o relaxamento do esfíncter esofágico inferior.

Refeições

Quanto mais o estômago é distendido com alimento, maior a tendência de refluxo. A tendência também aumenta quando se toma alimentos gordurosos porque a gordura retarda o esvaziamento gástrico. Tente evitar grandes refeições, especialmente à noite. Isto reduz a tendência de refluxo.

Alimento

Chocolate, menta, molho de tomate, café, sucos de frutas e álcool impedem a função correta do esfíncter esofágico .

Fumo

O fumo também evita que o esfíncter esofágico funcione adequadamente, retarda o esvaziamento gástrico e aumenta a produção de ácido no estômago.

Prisão de ventre

Pacientes com constipação têm um risco aumentado de constipação, refluxo e aumento da pressão dentro do estômago.

Na hora de dormir

A tendência é de aumento do refluxo quando vamos para a cama. Isto é simplesmente devido à força da gravidade. Uma maneira fácil de evitar isso é usar um travesseiro extra ou elevar a cabeceira da cama cerca de 10 cm, com blocos ou colocar um par de tijolos ou blocos na cabeceira da cama.

Como elas são diagnosticadas as doenças causadas pelo refluxo gastroesofágico?

Sintomas de refluxo gastroesofágico pode ser tão claro que não é necessário nenhum dos estudos.

Se o médico tiver dúvidas ou sintomas são incómodos, haverá uma gastroscopia. Durante o mesmo pode ser confirmada ou descartada esofagite, hérnia de hiato, úlcera péptica e outras condições.

Outro teste de diagnóstico é a pHmetria, uma medida de acidez na parte inferior do esôfago durante um período de 24 horas. Isso dá uma idéia da freqüência e duração dos episódios de refluxo, pois é normal que a acidez do esôfago seja diferente daquela do estômago e ainda em pacientes com refluxo, para fazer este teste é freqüentemente encontrada maior acidez na parte inferior do esôfago.

Finalmente, é possível medir pressões dentro do esôfago usando uma técnica chamada manometria esofágica. Normalmente não usados, exceto em caso de complicações. Com ela a pressão de fechamento é medida no inferior do esôfago, que é reduzido no caso de refluxo.

Sintomas do refluxo gastroesofágico podem imitar os de uma úlcera péptica, dores no peito (angina), dores musculares, problemas nas costas, prisão de ventre, síndrome do intestino irritável, cálculos biliares, doença pancreática, e assim por diante. Tais condições devem ser descartados para fazer o diagnóstico de refluxo.

Sobrepeso?

Saiba com a nossa calculadora seu índice de massa corporal (IMC)

O que você pode fazer para prevenir o refluxo ácido?

Mudanças no estilo de vida que são referidas a seguir e podem reduzir o risco de refluxo:

  • Se acima do peso, tentar perder peso.
  • Evite refeições grandes e alto teor de gordura, bem como "beliscar" alimentos na hora de dormir. Esperar um pouco depois de comer antes de dormir.
  • Limite-se em tomar café e outros alimentos potencialmente problemáticos.
  • Reduzir o consumo de álcool.
  • Tente evitar o aumento da pressão no abdômen, pelo uso de cintos, etc.
  • Parar de fumar.

Se os sintomas não são freqüentes (ou seja, menos do que cinco vezes por mês) podem ser tratados com antiácidos, medicamentos vendidos sem receita médica.

Quando devo consultar um médico?

Se azia é freqüente ou os sintomas são muito desagradáveis, consulte seu médico. Ele vai avaliar se deve realizar um estudo (gastroscopia) e se você precisa de um tratamento mais forte. Se você tiver dificuldade em engolir, ver também médico o mais rapidamente possível.

Como são os sintomas da DRGE?

Os sintomas causados ??pela doença do refluxo gastroesofágico são tratados principalmente com drogas. Na maioria dos casos, antiácidos com sucesso controlam os sintomas. Se antiácidos não são suficientes  tente outras drogas que reduzem a secreção ácida do estômago.

Geralmente começa com os antagonistas chamada histamina. Se você não trabalhar, usando outras drogas chamado inibidores da bomba de protões. Estes últimos são muito eficazes e pode evitar muitas das complicações da DRGE.

Em alguns casos, em que o tratamento médico falha, o problema pode ser resolvido por um procedimento cirúrgico chamado fundoplicatura (pode ser feito por laparoscopia), pelo qual fortalece o esfíncter esofágico enfraquecido.

Especialistas em refluxo gastroesofágico (esofagite)

Encontre um especialista em Refluxo gastroesofágico (esofagite) na sua cidade:
Francisco Otávio Andrade de Barros Silva

Francisco Otávio Andrade de Barros Silva

Cirurgião geral, Homeopata

Felipe Mafioletti Padilha

Felipe Mafioletti Padilha

Gastroenterologista

Vitória

Adriano Dias Trajano

Adriano Dias Trajano

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

João Pessoa

Kátia Sudbrack Vidigal

Kátia Sudbrack Vidigal

Gastroenterologista

Brasília

Roberto Vina Coral

Roberto Vina Coral

Cirurgião do aparelho digestivo

Porto Alegre

Ana Carolina da Costa Mello Moreira

Ana Carolina da Costa Mello Moreira

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Campinas

Perguntas sobre Refluxo gastroesofágico (esofagite)

Nossos especialistas responderam a 164 perguntas sobre Refluxo gastroesofágico (esofagite)

Dra. Valéria Dantas de Oliveira
Dra. Valéria Dantas de Oliveira
Gastroenterologista
Brasília
Esofagite, na maioria das vezes, está relacionada a doença do refluxo gastroesofágico, que dependendo da intensidade e do nível que o refluxo atinge o esôfago, pode levar a uma irritação dos…
1 respostas

Dr. Gustavo Pilotto
Dr. Gustavo Pilotto
Cirurgião do aparelho digestivo
São Paulo
o próprio tratamento do refluxo deve ser suficiente para tratar sua dor na garganta se ela realmente for consequencia do refluxo. É importante que vc faça exames para ter certeza da origem da…
1 respostas

Dra. Lívia Guimarães
Dra. Lívia Guimarães
Gastroenterologista
São Paulo
Para o paciente com refluxo, independente da presença ou não de esofagite à endoscopia, não é recomendado a prática de atividades físicas que envolvam prensa abdominal ( seja o exercício abdominal…
1 respostas

Especialistas falam sobre Refluxo gastroesofágico (esofagite)

O refluxo gastroesofágico acontece quando o conteúdo do estômago retorna ao esôfago. Por ser predominantemente ácido ele acaba por causa lesão no esôfago, a chamada esofagite. O sintoma mais comum neste caso é a azia e costuma apresentar piora após as refeições ou ao deitar. A endoscopia digestiva alta costuma ser o exame de escolha, embora não obrigatório, para o diagnóstico e a caracterização de complicações da doença como úlceras, estenoses (estreitamentos do órgão) ou esôfago de Barret uma lesão pré-maligna. O tratamento consiste na associação entre medicação e medidas que diminuam a chance do retorno do conteúdo gástrico ao esôfago.

Fabio Luiz Maximiano

Médico clínico geral, Gastroenterologista

São Paulo

Agendar uma visita

A Doença do Refluxo Gastroesofágico é uma enfermidade que causa lesão do esôfago (esofagite) e o paciente sente azia ou queimação no peito. Pode estar associado a presença de Hérnia de Hiato que é pior. O diagnóstico é realizado por Endoscopia Digestiva e/ou pHmetria de 24 horas é necessária. O tratamento inclui mudança na dieta, perda de peso e ingestão de medicamentos do tipo esomeprazol ou deslanzoprazol. Caso não haja melhora ou apareça complicações como esôfago de Barrett, existe a opção do tratamento por cirurgia antirrefluxo por vídeolaparoscopia. Atualmente, existe uma opção nova, o tratamento por radiofrequência denominada de Stretta.

Flavio Heuta Ivano

Cirurgião do aparelho digestivo, Endoscopista

Curitiba


O refluxo gastroesofágico, ou simplesmente refluxo, é o responsável pelos sintomas de azia e queimação atrás do peito, que ocorrem principalmente após as refeições. O tratamento inicial é com medidas clínicas, como mudança de hábitos alimentares, quantidade e frequência das refeições, e prescrição de medicamentos que ajudam na digestão e na diminuição da acidez gástrica. Quando não há melhora clínica, pode ser indicada a correção cirúrgica para o refluxo Feita por vídeolaparoscopia, com rápida recuperação e alta precoce, a cirurgia para correção do refluxo cria uma válvula utilizando o próprio estômago, impedindo o refluxo do conteúdo gástrico ao esôfago.

Daniel Kruglensky

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

São Paulo


A chamada Fundoplicatura de Nissen é uma técnica cirúrgica para tratar o Refluxo Gastroesofágico e a Hérnia de Hiato. O nome desse procedimento se deve ao primeiro cirurgião que o realizou em 1955, Dr. Rudolph Nissen. Essa operação, feita habitualmente por meio de laparoscopia ou robótica, consiste em confeccionar uma “válvula” com o fundo do estômago, envolvendo a parte distal do esôfago circunferencialmente, a fim de evitar o refluxo. A fundoplicatura geralmente é associada à hiatoplastia (sutura para redução do diâmetro do hiato esofagiano). As tecnicas minimamente invasivas melhoram o resultado estético, com menor dor e retorno mais rápido as atividades normais.

Jorge Vasquez Del Aguila

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Belo Horizonte

Agendar uma visita

A doença do refluxo gastroesofágico acomete grande parcela das pessoas. Os sintomas comuns são dor na região alta do abdome em queimação, intolerância a alguns tipos de alimentos, regurgitação. Os casos mais graves cursam até mesmo com problemas respiratórios. O tratamento é clínico mas existem casos onde a cirurgia também possui papel fundamental para o sucesso terapêutico.

Fabio Faleiro Vieira

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Goiânia

Agendar uma visita

O refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago e em direção à boca, causando dor e inflamação. Isso acontece quando o músculo que deveria impedir que o ácido do estômago saia do seu interior não funciona de forma adequada. O grau da inflamação causada no esôfago pelo refluxo depende da acidez do conteúdo do estômago e da quantidade de ácido que entra em contato com a mucosa do esôfago, podendo causar uma doença chamada esofagite levando a uma sensação desconfortável de queimação, chamada azia. O tratamento é feito com medicamentos e mudanças de hábitos e nos casos mais graves, cirurgia.

Rafael Martins De Oliveira

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

São Paulo

Agendar uma visita

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma doença digestiva em que os ácidos presentes dentro do estômago voltam para o esôfago ao invés de seguirem o fluxo normal da digestão. Esse movimento é conhecido como refluxo, podendo provocar danos à mucosa que reveste o esôfago, causando os sintomas típicos da DRGE. Estima-se que cerca de 12% da população brasileira tenha a DRGE, podendo alcançar 20% na população adulta, sendo que 5% das pessoas apresentam sintomas diários dessa enfermidade. O refluxo é mais comum em idosos e em gestantes.

Dorivam Celso Nogueira Filho

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Curitiba

Agendar uma visita

A doença do refluxo gastroesofágico é uma condição crônica que requer tratamento individualizado. A maioria dos casos pode ser tratada com medicamentos e medidas comportamentais e dietéticas. Alguns pacientes que evoluem com complicações como Barret ou que se tornam dependente dos medicamentos podem se beneficiar o tratamento cirúrgico. Na cirurgia anti-refluxo é realizada uma válvula com o próprio estômago, fechamento da abertura e correção de hérnia de hiato. A cirurgia é feita através de videolaparoscopia com pequenas incisões e recuperação mais rápida em relação ao método tradicional.

Daniel Hortiz De Carvalho Nobre Felipe

Cirurgião do aparelho digestivo, Coloproctologista, Cirurgião geral

João Pessoa

Agendar uma visita

Logo na entrada do nosso estômago existe uma válvula chamada de Esfíncter Esofágico Inferior. Normalmente essa válvula se fecha assim que a comida passa por ela, mas se ela não se fecha por completo ou fica muito tempo aberta, os ácidos produzidos no estômago podem subir pelo esôfago. Essa situação pode causar sintomas de todos os tipos como: - Dor aguda ou queimação no peito (retrosternal) - Sensação de aperto no peito ou na parte de cima da barriga - Regurgitação - Náuseas - Sabor recorrente de ácido ou amargo na boca - Enfraquecimento da dentição - Rouquidão, especialmente de manhã - Dores de garganta - Tosse, pieira, ou necessidade repetida de aclarar a garganta.

Diego Yuji Ito

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

São Paulo


Ocorre quando o ácido do estômago flui para o esôfago podendo causar inúmeros sintomas, sendo os mais comuns azia e sensação de refkuxo. Seu tratamento tem 3 linhas de ação: perda de peso, dieta (evitar alimentos que causem sintomas) e remédio (os da família do omeprazol). Com a melhora dos sintomas, a dose de omeprazol vai sendo ajustada até o mínimo. O tratamento cirúrgico é reservado para a minoria dos casos.

Henrique Cunha Mateus

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

São Paulo

Agendar uma visita

Doença do Refluxo é uma condição comum na população, estima-se 20%. Trata-se de uma falha no funcionamento de um mecanismo de válvula no esôfago inferior que deveria segurar o conteúdo gástrico. O ácido estomacal ao subir no esôfago pode causar diversos problemas: inflamação crônica no esôfago, estreitamento do órgão, mudança do revestimento interno (Barrett – condição pré maligna), úlceras, sangramento. Os sintomas típicos são regurgitação e azia. Os atípicos podem ser: tosse crônica, pigarro, etc. O diagnóstico complementar se inicia com endoscopia. A doença é crônica e seu tratamento na grande maioria das vezes é clinico, com modificações do estilo de vida e uso de medicações.

David Lopes Luvizoto

Cirurgião do aparelho digestivo, Gastroenterologista

Piracicaba


Comumente conhecida como refluxo e associada ao que os pacientes chamam de “gastrite”, de fato, trata-se de uma doença do esófago, relacionada a fragilidade do esfíncter esofagiano inferior. O esfíncter esofagiano é composto por camadas musculares que, quando incompetentes, possibilitam o refluxo de restos alimentares e suco gástrico do estômago para o esófago, gerando a sensação de queimação ou de dor localizados na região do estômago(“boca do estômago”) ou como se estivesse “subindo pela garganta”(pirose esternal). O primeiro tratamento desta doença é através de mudanças de hábitos alimentares, perda de peso e medicações(omeprazol, ranitidina…), porém, em alguns é necessária cirurgia.

Quais profissionais tratam Refluxo gastroesofágico (esofagite)?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.