Infecções bacterianas e micoses - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - infecções bacterianas e micoses

Patricia Mesquita Couto de Oliveira

Patricia Mesquita Couto de Oliveira

Dermatologista

Cachoeiro de Itapemirim

Eliane Ribeiro da Glória Antunes

Eliane Ribeiro da Glória Antunes

Dermatologista

Sete Lagoas

Dayana Tomio

Dayana Tomio

Dermatologista

Brusque

Monike Vieira Dellazari

Monike Vieira Dellazari

Dermatologista

Joaçaba

Thatiane Frange

Thatiane Frange

Dermatologista

Mirassol

Jhully Anne Monteiro

Jhully Anne Monteiro

Dermatologista

Manaus

Perguntas sobre Infecções bacterianas e micoses

Nossos especialistas responderam a 10 perguntas sobre Infecções bacterianas e micoses

Especialistas falam sobre Infecções Bacterianas E Micoses

As infecções bacterianas ocorrem quando as bactérias prejudiciais se multiplicam no corpo. As infecções podem ser leves ou graves. A maioria dos casos pode ser prevenido com imunização, cuidados gerais ou curadas com antibioticos. A maioria das bactérias são inofensivas e podem até ser úteis. Já as micoses são fungos que atingem a pele, unhas e cabelos se alimentando da queratina. Alguns tipos de fungos vivem no nosso corpo sem causar nenhum tipo de dano, mas se eles começarem a se reproduzir rapidamente podem causar doenças. Quando os fungos encontram condições favoráveis como calor, umidade, baixa imunidade ou uso de antibióticos orais por longo prazo, eles podem proliferar.

Renata Rodrigues Orofino

Dermatologista, Especialista em medicina estética

Rio de Janeiro


Por ser um órgão externo, diretamente em contato com o meio ambiente, a pele está particularmente sujeita a infecções causadas por microorganismos como os vírus, fungos e bactérias. As infecções virais mais comuns são o herpes simples, as verrugas e o molusco contagioso. Os fungos causam as micoses, muito comuns nos pés, onde causam descamação crônica, frieiras ou comprometem as unhas. Já as bactérias causam alguns tipos de foliculite, impetigos (feridas com crostas amareladas) e erisipela, entre outras. A erisipela costuma comprometer uma das pernas e causa inchaço, dor, calor e vermelhidão local. Nos casos mais graves pode haver febre e sintomas gerais, sendo uma urgência dermatológica.

André Lauth

Dermatologista

Curitiba

Agendar uma visita

As infecções bacterianas ocorrem quando as bactérias prejudiciais se multiplicam no corpo. As infecções podem ser leves ou graves. A maioria dos casos pode ser prevenido com imunização, cuidados gerais ou curadas com antibióticos. A maioria das bactérias são inofensivas e podem até ser úteis. Já as micoses são fungos que atingem a pele, unhas e cabelos se alimentando da queratina. Alguns tipos de fungos vivem no nosso corpo sem causar nenhum tipo de dano, mas se eles começarem a se reproduzir rapidamente podem causar doenças. Quando os fungos encontram condições favoráveis como calor, umidade, baixa imunidade ou uso de antibióticos orais por longo prazo, eles podem proliferar.

Ana Carulina Moreno

Dermatologista, Especialista em medicina estética

Rio de Janeiro


As infecções bacterianas da pele são muito prevalentes na prática clínica e têm grande variabilidade de apresentações, etiologia e gravidade; podem ocorrer casos usualmente brandos, como o impetigo ou pioderma, até outros muito graves, com risco de morte, como a fasciíte necrotizante. Elas se caracterizam habitualmente pela presença de sinais de inflamação – eritema, edema, calor e dor ou hipersensibilidade local – associados ou não a outras manifestações, como febre, ulceração, exulceração ou bolhas.

Luiz Alberto Pôrto

Dermatologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Infecções bacterianas e micoses?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.