Neoplasias prostáticas - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em neoplasias prostáticas

Encontre um especialista em Neoplasias Prostáticas na sua cidade:
Fabio Carvalho Vicentini

Fabio Carvalho Vicentini

Urologista

São Paulo

Dr. Guilherme Maia

Dr. Guilherme Maia

Urologista

Recife

André Yoichi Kuwano

André Yoichi Kuwano

Urologista

Aracaju

Luis Felipe Zanettini

Luis Felipe Zanettini

Urologista

Caxias Do Sul

Leandro Kruel

Leandro Kruel

Urologista

Passo Fundo

Perguntas sobre Neoplasias prostáticas

Nossos especialistas responderam a 2 perguntas sobre Neoplasias prostáticas

É possível haver pequenas variações no resultado no PSA, principalmente se o exame tiver sido realizado em laboratório diferente. Pelos resultados que mencionou ainda não há critério de recidiva…
2 respostas

A ressonância magnética consegue identificar grande partes das lesões da próstata, sejam elas de característica benigna (como áreas de sangramento) ou maligna (suspeita de câncer).
Ela…
3 respostas

Especialistas falam sobre Neoplasias Prostáticas

O cancer de próstata é o tumor mais comum no homem . Sua incidência aumenta após os 50 anos e é altamente recomendável que se faça a dosagem do PSA total e livre ,bem como se realize o toque retal , anualmente . Após a detecção com biópsia, devemos indicar o tratamento mais adequado. A cirurgia robótica e laparoscópica são as mais recomendadas , pois são menos invasivas , tem menor taxa de sangramento , menos tempo de internação, dentre outras vantagens. Vários estudos mostram melhor taxa de potencia e de continência , quando comparados com a cirurgia aberta , no entanto, a taxa de cura é muito semelhante a aberta. Procure um urologista experiente para realizar a sua cirurgia.

Lessandro Curcio

Urologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

O câncer da próstata, excluindo os tumores da pele, é o câncer mais comum no homem e o segundo que mais mata. A arma mais poderosa contra o câncer de próstata é o diagnóstico precoce, pois nas fases iniciais, com o tumor limitado a próstata, as chances de cura são muito boas. Portanto é primordial a avaliação da próstata pelo Urologista anualmente. Hoje recomendamos a visita ao Urologista aos homens a partir dos 45 anos de idade ou naqueles com mais de 40 anos e histórico de familiares com câncer prostático. É importante também alertarmos que em muitos casos somente a avaliação da próstata pelo exame de sangue – o chamado Antígeno Prostático Específico (PSA) – não é suficiente.

O câncer representa uma perda no controle do ciclo de multiplicação das células do corpo. Essas alterações inicialmente ocorrem no código genético, que carrega informações de nossas características e está contido em todas as células do corpo. Quando as células anormais que não foram adequadamente destruídas assumem o controle, começam a proliferar e adotam um comportamento infiltrativo nos tecidos ao seu redor. A esse fenômeno, damos o nome de câncer. Por vezes enviam através da circulação sanguínea e linfática outras unidades que podem perpetuar o ciclo de multiplicação descontrolada em órgãos variados do corpo. A esse estágio da doença, damos o nome de metástase.

O câncer de próstata é o tipo de câncer mais frequente em homens no Brasil (excluindo câncer de pele). Estima-se que um a cada seis homens desenvolverão câncer de próstata ao longo da vida. Normalmente essa doença séria não provoca sintoma algum, sendo seu diagnóstico suspeitado em consultas rotineiras, através de dosagens do PSA e exames de toque retal. Quando descoberto em fases iniciais, as chances de cura com tratamento adequadamente realizado são muito altas. Quando descoberto em fases mais avançadas, existem várias opções de tratamento visando aumento de tempo e qualidade de vida. Importante acompanhamento por Urologista capacitado.

Gabriel Barbosa Franco

Urologista, Cirurgião geral

São Paulo

Agendar uma visita

Quais profissionais tratam Neoplasias prostáticas?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.