Depressão pós-parto - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é depressão pós-parto?

A depressão é uma doença mental e quando ocorre nas próximas semanas ou meses após o parto é chamado de depressão pós-parto.

  • Entre 10 e 15% de todas as mulheres desenvolvem alguma forma de depressão pós-parto que dura mais de duas semanas.
  • Mais da metade destas mulheres desenvolvem um episódio depressivo maior quando então, o tratamento é necessário.
  • As depressões mais graves ocorrem principalmente durante o primeiro mês após o nascimento, mas também pode ocorrer mais tarde.
  • Sem tratamento, a depressão pós-parto pode durar meses.

É a depressão pós-parto mesmo que o baby blues ("baby blues")?

Não. Durante os primeiros dias, semanas ou meses após o nascimento, há um período de estresse físico e psicológico para a mãe e o pai. A mãe provavelmente vai se sentir mais, quase metade de todas as mães experimentam um curto período de tristeza ou de alterações de humor cerca de dois dias após o parto. Isto é saudável e natural e é o que chamamos de baby blues ou "baby blues".

Sentar ou deitar com o recém-nascido em seus braços é um dos momentos mais felizes na vida de qualquer homem ou mulher. Isso produz um sentimento de alegria e uma sensação de calma, depois de muitos meses de espera. As dificuldades da gravidez e dor do parto é esquecido momentaneamente quando os pais pegam a criança.

Mas a maioria das mulheres também passam por um período em que  se sentem inseguras, vulneráveis, tristes ou ansiosas. A responsabilidade súbita enorme de cuidar de um bebê faz você se sentir temeroso e inadequado para a mãe. Mudanças de humor são comuns. Você pode se sentir eufórico um minuto e chorosa, cansado e irritado o próximo. Isso também pode ser motivo de preocupação: não saber o que está acontecendo ou porque são esses sentimentos.

No quarto dia após o nascimento, é comum entre as mães com depressão pós-parto, sentimento de vazio, e descobrir que chora sem motivo. Isso pode acontecer a qualquer momento durante a primeira semana após o nascimento e geralmente acontece em um ou dois dias quando a mãe teve a oportunidade de descansar e é mais preparado para sua nova situação. É importante distinguir a experiência de blues normal "bebê" para a depressão pós-parto.

O que causa a depressão pós-parto?

Há uma série de fatores pode contribuir para a depressão pós-parto. Estes incluem o seguinte:

  • Fatores psicológicos e sociais, tais como reclamações, obrigações e responsabilidades da maternidade. Uma mãe inexperiente pode temer que é inadequada e não ser capaz de viver com suas próprias expectativas ou as dos outros.
  • Fatores familiares, também são importantes, incluindo a relação da mãe e do pai da criança e do apoio que recebem dos outros.
  • Fatores biológicos, incluindo alterações hormonais após o parto.

O que é a psicose pós-parto?

Psicose puerperal é uma doença mental grave ocorre em aproximadamente 1 em cada 500 nascimentos. As mulheres que sofrem desta doença podem ter um histórico familiar de transtorno psicótico-se ou ter sofrido uma doença psicótica no passado. Na maioria dos casos, o início é nas duas primeiras semanas após o parto. Os sintomas são normalmente um estado agudo de confusão, humor flutuante, pensamento desorganizado e sintomas comportamentais ou alucinações ou delírios psicóticos. Esses delírios geralmente tomam a forma de preocupações irracionais sobre o recém-nascido. Em alguns casos, o bebê pode estar em risco devido à doença da mãe, assim, a avaliação médica é essencial.

O tratamento da psicose puerperal é geralmente sob a forma de medicamentos (antipsicóticos e antidepressivos). Às vezes você pode usar a eletroconvulsoterapia (ECT)

Especialistas em depressão pós-parto

Encontre um especialista em Depressão Pós-Parto na sua cidade:
Carlos Alberto Silva Júnior

Carlos Alberto Silva Júnior

Psicólogo

Brasília

Adna de Moura Fereli Reis

Adna de Moura Fereli Reis

Psiquiatra

Londrina

Nara Regina Fonseca

Nara Regina Fonseca

Psicanalista, Psicólogo

Aline Costa

Aline Costa

Psicanalista, Psicólogo

Santa Cruz Do Sul

Gleyce Boré Ferreira

Gleyce Boré Ferreira

Psicólogo

Campinas

Perguntas sobre Depressão pós-parto

Nossos especialistas responderam a 19 perguntas sobre Depressão pós-parto

Olá! Primeiro seria importante entender o que você entende por "crises de depressão". Pelo que você relatou parece que existem alguns momentos em que você não se sente bem no entanto…
3 respostas

Olá, esse momento de pós-parto é de adaptação em relação ao bebê e a nova fase de sua vida. Tb, tem a questão hormonal que podem causar os sintomas que vc descreve. O importante é dividir o que…
12 respostas

 Cláudia Bispo
Cláudia Bispo
Psicólogo
Salvador
Olá!

Essa condição pós-parto é bem delicada, mas é preciso aguardar um pouco até que seu organismo “entenda” a medicação que está recebendo.

É importante que você…
15 respostas

Especialistas falam sobre Depressão Pós-Parto

A depressão pós-parto aparece logo após o parto. Nessa fase as mães sofrem com alterações de humor, crises de choro, sentimento de tristeza e de culpa, ansiedade, cansaço, perda ou ganho de peso etc. A depressão pós-parto não é uma fraqueza ou falta de caráter, é uma queda nos níveis dos hormônios estrogênio e progesterona. Durante essa fase a mãe pode ter dificuldade em lidar com os problemas do dia-a-dia e sentir-se menos atraente. Se não for tradada precocemente, a depressão pós-parto pode interferir no vínculo mãe-filho e causar problemas familiares. Por isso, se você está passando por isso, eu posso te ajudar a lidar com os sintomas da depressão pós-parto.

As manifestações da DPP (Depressão pós parto) são caracterizadas por uma tristeza enorme de caráter prolongado, incapacitante com diminuição da autoestima. Pode acontecer até doze (12) meses após o parto (não só logo após), e precisa de diagnóstico e tratamento o mais rápido possível quando identificado o distúrbio.

Mayara Luciana Ferreira

Psicólogo

Manaus


Na Depressão Pós-Parto, a mãe sente-se sobrecarregada e duvida que um dia consiga dar conta de seu bebê, sente-se culpada por não conseguir se sentir bem, por só ter vontade de chorar, não sentir conexão com o bebê, achar que seria melhor para ele se ficar longe. Além de não conseguir dormir, perde o apetite ou compensa comendo o tempo todo. A tristeza profunda, o vazio, a irritação e a raiva parecem querer tomar conta. Além de se sentir um fracasso, tem a sensação de que nunca vai melhorar. Muitas mulheres sentem-se estranhas, como se fosse diferentes de todo mundo. O tratamento pode incluir medicação, terapia cognitiva, orientação familiar, adaptação do ambiente.

Fábio Fonseca

Psiquiatra

Campinas


O número de mulheres que se queixa de certa tristeza e irritabilidade depois que dão à luz, é grande. As mamães são invadidas por vários sintomas, como uma melancolia que não sabem explicar. Se esse sentimento for passageiro e desaparecer em alguns dias, não há motivo para preocupação. Seu organismo passou por verdadeiras revoluções hormonais nos últimos tempos que podem ter mexido com o seu sistema nervoso central. Porém, se a tristeza aparecer algumas semanas depois do parto,e for ficando cada vez mais intensa,não sofra em silêncio. Busque ajuda de um psicoterapeuta para um diagnóstico mais preciso.

Adriana De Souza Vicentin

Psicólogo

Balneário Camboriú

Agendar uma visita

O período pós parto, é um momento de muitos desafios para a mãe, além de uma série de alterações hormonais, ela tem que lidar com um recém nascido sob os seus cuidados, a falta de sono, amamentação, se adaptar a uma nova rotina e a uma nova dinâmica familiar. Por isso, é muito comum alterações de humor durante o puerpério porém entre 10 a 15% tem um quadro mais intenso e que não melhora com o passar do tempo, evoluindo para o que chamamos de depressão pós parto. Os sintomas são: oscilações de humor, tristeza, cansaço, insônia, sentimento de solidão, entre outros. Eles são preocupantes quando duram mais de duas semanas. Para recuperação é fundamental o acompanhamento psicológico.

Michely Freitas

Psicanalista, Psicólogo

Rio de Janeiro


A Depressão Pós-Parto acomete grande número de mulheres, sendo que os sintomas surgem pouco tempo após o parto. Características: Desinteresse por atividades que antes possuía, insônia ou sono excessivo, desânimo, preocupação e tristeza frequentes, choro fácil, nervosismo, etc. A DPP pode estar ligada às dificuldades que a maternidade traz, assim como aos sentimentos comuns às mães, como medos, preocupações, culpa, etc. Minha função é ajudar as mulheres que passam por ela, a aprender a lidar com a parte difícil da maternidade, de modo que passem a ter condições de resolver os problemas possíveis de serem sanados e a lidar com os que não podem ser modificados.

Danielle Dos Santos Junqueira

Psicanalista, Psicólogo


Sabemos que ser mãe é uma dádiva, no entanto, nem todas as mulheres estão preparadas psicologicamente para lidar com as adversidades pós parto. A depressão-pós-parto é mais comum em pessoas que não tiveram uma gravidez saudável, planejada e bem acolhida, mas não significa que a ocorrência não atinge o oposto. O objetivo da psicoterapia é, ajudar essas mães a compreender o verdadeiro significado do existir, entender a sua contribuição com a humanidade e aprender a lidar com as transformações de auto-imagem e psicológicas pós-parto.

Sebastião Nascimento

Psicólogo, Sexólogo

Manaus


A Depressão Pós-Parto é uma situação muito complicada e envolve não só a mãe, mas um bebê que está em um dos momentos mais importantes de sua vida. Deve ser tratada o mais rápido possível com medicação e acompanhamento psicológico, muitas vezes mais do que uma vez por semana. Pode estar relacionada a sentimento de perda da liberdade, do amor do marido, do corpo, de medo de não conseguir ser suficientemente boa mãe, etc, pode levar a sentimentos torturantes. O tratamento consiste em acolher essa mãe e dar espaço para suas piores emoções surgirem no consultório, dando a possibilidade de repensar a vida e voltar a um curso saudável.

Danilo Costa

Psicólogo

São Paulo


A depressão pós parto é de difícil diagnóstico porque a própria maternidade já mexe muito com a mulher e ela apresenta sintomas que são normais dentro de puerpério: - Falta de interesse sexual - Cansaço - Sensibilidade emocional - Alteração de apetite Para diagnosticar a Depressão Pós Parto a mulher precisa apresentar pelo menos os 3 sintomas: - Perda bem considerável de interesse por atividades que normalmente gostava de fazer - Perda de prazer bem considerável - Humor depressivo, sentimento de tristeza, vazio, acompanhado de choro fácil e frequente. Porém outros sintomas também estão associados e devem ser avaliados.

A depressão pós-parto ocorre logo após o parto. Os sintomas incluem tristeza, medo e desesperança. As mães experimentam alterações de humor e crises de choro após o parto, que se desvanecem rapidamente. Às alterações hormonais decorrentes do término da gravidez, as condições socioeconômicas e afetivas vivenciadas pela mulher, medo e insegurança, pensamentos de que não irá dar conta de ser mãe são fatores que podem desencadear a depressão pós parto, mas no entanto, as mães que experimentam esses sintomas com mais intensidade, acabam sendo acometidas por uma depressão pós-parto. O acompanhamento profissional se faz necessário para o quadro não evoluir para uma psicose ~puerperal (pós-parto).

A depressão pós-parto é a manifestação da depressão associada ao momento do puerpério (após o parto ). Além da predisposição existente em pessoas que já tiveram algum episódio anterior de depressão, as profundas mudanças psicossociais que ocorrem com a chegada de um bebê e a grande alteração hormonal ao fim da gestação tornam o momento do puerpério cheio de dificuldades. Nesse momento algumas mulheres podem vir a desenvolver a depressão pós-parto.

Clarice Lopes Gentilli

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo

Agendar uma visita

A depressão pós-parto acomete entre 10 a 15% das mulheres e pode se iniciar na primeira semana após o parto e perdurar por até dois anos. A manifestação da depressão ocorre na maior parte das vezes a partir da quarta semana do puerpério e ganhando maior intensidade nos seis primeiros meses. Os sintomas envolvidos neste transtorno são muitos, como: irritabilidade, choro frequente, sentimento de desamparo, desesperança, baixa energia e motivação, desinteresse na prática de relações sexuais, alterações no sono e alimentação. Durante minha formação realizei pesquisa sobre o assunto, o que traz conhecimentos específicos para o reconhecimento e trataemtno da depressão pós-parto. Busque ajuda.

Quadro de tristeza, desânimo, choro fácil e irritabilidade que surgem no pós - parto são sintomas que tem tratamento e não prejudica você nem ao bebê.

Silvia Regina De Oliveira Freitas

Ginecologista

São José Dos Pinhais

Agendar uma visita

A depressão Pós-parto é uma forma de depressão que afeta a mulher após o ter dado a luz a um bebê. O sintoma mais grave é o pensamento de morte e suicídio e vontade súbita e assustadora de prejudicar seu bebê. Também aparecem como sintomas a tristeza, anedonia, sentimento de culpa, ansiedade, mudança no humor e ciclo do sono, dentre outros. Fatores de risco: histórico de depressão pós-parto na família bem como outros transtornos mentais, ter apresentado falta de suporte ou apoio familiar, violência domestica, história de desordem disfórica pré-menstrual (PMDD), dentre outros. Procurar ajuda profissional de Psicólogo e Psiquiatra são fundamentais para recuperação mais rápida e completa.

Renata Souza

Psicólogo

Salvador


A depressão pós parto é muito comum, ocorrendo em até 10% das puérperas. Diferentemente da tristeza pós parto (o blues puerperal), que ocorre em até 50% e tem início logo nos 3 primeiros dias e melhoram em até 3 semanas, a depressão pós parto pode se iniciar mais lentamente e perdurar por mais tempo. Além disso, os sintomas são muito mais significativos, levando a maior prejuízo para mãe e bebê. Os sintomas incluem tristeza intensa; crises de choro; sensação de insegurança, sobretudo aos cuidados do bebê; desânimo; alteração do sono. Não diagnosticar e não tratar adequadamente pode gerar um grande sofrimento e prejuízo para a mulher e para a criança.

Maíra Della Monica Machado

Psiquiatra

São José dos Campos


Durante o processo da gestação, a mulher passa por transformações físicas e psicológicas, essas alterações emocionais e comportamentais decorrentes das mudanças hormonais provocados pela gravidez, causa muito desconforto físico na mulher, e sentimentos de insegurança, ansiedade, permeados de uma infinidade de sentimentos ambivalentes. Cuidar da saúde psicológica dos pais neste período é extremamente benéfico, uma vez que ajuda a promover o equilíbrio interacional durante o desenvolvimento do tão esperado bebê. O cuidado psicológico preventivo diminui a probabilidade de florescer disfunções como depressão pós-parto, melancolia da maternidade e a psicose puerperal.

Fernanda Sá

Psicólogo

Porto Alegre


A depressão pós parto acomete cerca de 10% a 20% das mulheres podendo começar na primeira semana após o parto e perdurar até dois anos. Os sintomas frequentes são alterações no apetite e sono, dificuldade para dormir, crises de choro, desatenção e problemas de concentração, falta de energia e de interesse em atividades que antes eram consideradas agradáveis, sensação de incapacidade de cuidar do bebê e desinteresse por ele, pode ocorrer ideias de suicídio e sentimentos excessivos de culpa. O terapeuta Perinatal auxilia a construção deste novo papel, ajudando a compreender a complexidade deste momento, oportunizando a família a crescer, apreender com este novo membro.

Gláucia Machado Moreira Domingues

Psicólogo

Florianópolis


Situação cada vez mais frequente no nosso Mundo Moderno ; para evitar e ao mesmo tempo diminuir o risco : associo Homeopatia com todo o arsenal de medos e Ilusões complementando com Acupuntura e Fitoterapicos . Tenho experiência em trabalho conjunto com Médico Psiquátricos quando o caso se fizer necessário.

Sérgio Chiesa

Ginecologista, Homeopata

Curitiba

Agendar uma visita

Logo após a gravidez é comum sentir-se mais triste, chorar sem motivos aparentes, visto as mudanças de hormônio que ocorrem logo que o bebê nasce. Porém, se essa tristeza chamada Blues materno persistir por mais de duas semanas, é preciso ficar atento pois pode-se configurar uma depressão pós parto. A depressão aqui trata-se de uma doença. O humor deprimido está presente na maior parte do dia, quase diariamente, por um período mínimo de duas semanas. A mãe pode apresentar desânimo, sofrimento intenso e persistente, tristeza e angústia além de desisnteresse pelo bebê. Esses sentimentos não desaparecem espontaneamente, e é preciso procurar ajuda de um psicólogo e um psiquiatra.

Tatiany Dreger Schiavinato

Psicólogo

São Paulo


A maternidade é um processo que testa nossa resistência, exigindo disposição e uma saúde emocional, nem sempre possíveis. Passamos a nos responsabilizar por um novo ser que vem repleto de personalidade, em que nem sempre o manejo “adequado” corresponde a nossas expectativas. A pressão externa exige a felicidade plena e a boa administração de todos os envolvidos que querem dividir contigo todos os bons momentos da criança, mas esquece da mulher que vivencia o processo. Ao acolher muitas mães percebo, em suas ações, muitas dificuldades não ditas. Muitas delas, somente em seus processos terapêutico se autorizam a falar e ressignificar uma série de abdicações impostas pela chegada dos filhos/as.

Tratamento em depressão gestacional e depressão pós parto utilizando técnicas de medicina integrativa (Fitoterapia, medicina antroposófica, midfullness).

Lilliane Leal

Psiquiatra, Terapeuta complementar

Águas Claras

Agendar uma visita

O tratamento visa identificar o motivo, o sentimento que esta por trás da depressão, após identificar, por meio da hipnose trabalhamos esse sentimento para que ele não mais cause isso. Esse trabalho pode ser feito de diversas maneiras, o importante é saber que eu vou usar o melhor método para que você tenha sua vida de volta.

Vitor Bonine

Terapeuta complementar

São Bernardo do Campo

Agendar uma visita

No Brasil, uma a cada quatro mulheres apresenta sintomas de depressão no período de 6 a 18 meses após o nascimento do bebê. A depressão pós-parto geralmente se inicia na 4ª a 8ª semana após o parto e por mais vezes mais tarde, mas ainda no primeiro ano e pode persistir por um ano ou mais. Tem sua sintomatologia semelhante aos quadros depressivos. A mulher apresenta tristeza constante, cansaço extremo, falta de interesse em si própria e no bebê, alterações no sono e no apetite. Essa doença possui múltiplos fatores em sua origem, desde causas psicossociais (falta de rede de apoio, instabilidade financeira ou conjugal), eventos estressores no parto ou gestação, dentre outros.

Anabelle Condé

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

A Depressão pós-parto é ma doença comum no pós-parto e se caracteriza por tristeza e desesperança. Muitas novas mães experimentam alterações de humor e crises de choro após o parto. os custos emocionais ligados à depressão pós-parto fazem com que a mãe interaja menos com a criança. Da mesma forma, sintomas como irritabilidade, choro frequente, sentimentos de desamparo e desesperança, diminuição da energia e motivação, desinteresse sexual, transtornos alimentares e do sono, ansiedade e sentimentos de incapacidade de lidar com situações novas são emocionalmente potencializadas. Dessa forma é fundamental um acompanhamento com profissional especializado que possa oferecer uma escuta diferencial.

A depressão pós-parto é todo estado de humor deprimido que se inicia até 6 meses após um parto. Geralmente são alterações de humor instáveis (com alta oscilação) e de natureza mista (depressão misturada com agitação, excesso de pensamentos, irritabilidade/agressividade, inquietação, angústia, desespero). Muitas vezes o tratamento apenas com antidepressivos convencionais podem não só não funcionar como agravar o estado de humor alterado. Toda mulher que apresenta mudança de humor após o parto muito cuidado ao receberem tratamentos convencionais (antidepressivos clássicos) pois devem ficar de olho na piora do quadro e se necessário rever o diagnóstico.

Quais profissionais tratam Depressão pós-parto?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.