Diástase abdominal - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em diástase abdominal

Encontre um especialista em Diástase abdominal na sua cidade:
Hamilton Brasil Ribeiro

Hamilton Brasil Ribeiro

Cirurgião geral

São Paulo

Fernanda Lacerda de Souza Pedra

Fernanda Lacerda de Souza Pedra

Fisioterapeuta

Esmeraldas

Gabriela Castro Araujo

Gabriela Castro Araujo

Fisioterapeuta

Raquel Campos Oliveira

Raquel Campos Oliveira

Cirurgião plástico

Araguari

Luiza Knackfuss Silveira Hassan

Luiza Knackfuss Silveira Hassan

Cirurgião plástico

Foz do Iguaçu

Marcelo Jose Monteiro Carvas

Marcelo Jose Monteiro Carvas

Cirurgião plástico

São Paulo

Perguntas sobre Diástase abdominal

Nossos especialistas responderam a 47 perguntas sobre Diástase abdominal

Dr. Oromar Moreira Filho
Dr. Oromar Moreira Filho
Cirurgião plástico, Especialista em medicina estética
Belo Horizonte
Você refere-se a diastase da musculatura abdominal?
Caso seja esta dívida, diastase dos músculos retos abdominais, é um afastamento medias destes músculos provocado pela grande distenção…
1 respostas

Dr. Marcio Harada
Dr. Marcio Harada
Cirurgião plástico
São Paulo
A abordagem tradicional para correção da diástase de músculos reto-abdominal é por acesso direto, ou seja, com uma incisão vertical no meio da barriga. Esse tipo de abordagem costuma ser realizado…
2 respostas

Sim, pode ocorrer vários graus de separação muscular após laparotomias. Para diagnóstico correto você deve procurar um cirurgião plástico e realizar consulta, sendo sugerido o melhor tratamento…
1 respostas

Especialistas falam sobre Diástase abdominal

A "Diástase abdominal" nada mais é do que o afastamento dos músculos da parede abdominal em sua linha média, em decorrência de alteração congênita, alterações de peso e principalmente de gravidez. Os músculos abdominais funcionam como um verdadeiro "cinturão" que dá suporte à postura. Além do incômodo estético do abaulamento abdominal, esta anomalia pode causar dores nas costas e quadris devido a falta de estabilidade. A correção é cirúrgica, em ambiente hospitalar, e pode ser sob anestesia geral ou regional (raqui ou peridural). Tempo médio de internação de 24h. A cicatriz resultante é abdominal baixa, ao nível do uso das roupas íntimas (cicatriz "clássica" de abdominoplastia).

Julyce Basilio De Assis

Cirurgião plástico

São Paulo

Agendar uma visita

A diastase dos músculos retos abdominais é um problema muito comum nas mulheres como consequência da gestação e/ou obesidade. O tratamento é realizado pelo reposicionamento dos músculos que formam a parede anterior do abdome com pontos internos. Esse procedimento na maioria das vezes é realizado junto com a lipoescultura e abdominoplastia (dermolipectomia).

Flávio Dumaresq

Cirurgião plástico

Natal

Agendar uma visita

A diástase de músculos retos abdominal nada mais é que a separação desses músculos na linha média do abdome, causando um abaulamento abdominal mais visível durante o esforço físico. Está relacionada com mulheres que tiveram múltiplas gravidezes, pessoas com grande perda de peso ou fraqueza abdominal. A diástase abdominal provoca alterações estéticas como abaulamentos em certas regiões ou em todo abdome e aquela “barriguinha” em pacientes com peso ideal. Alem das alterações estéticas, pode comprometer a estabilidade corporal e acarretar dor nas costas. O tratamento cirúrgico nada mais é que o restabelecimento da anatomia original, ou seja, são feitos pontos reforçados na musculatura.

Érica D'andréa

Cirurgião plástico

Belo Horizonte


Alterações no abdome são comuns após gestação ou variações de peso. A abdominoplastia devolve ao paciente o abdome mais firme com a correção da flacidez da musculatura e retirada do excesso de pele. Procure saber os tipos de abdominoplastia e qual deles é indicado para você.

Felipe Zampieri

Cirurgião plástico

São Paulo

Quais profissionais tratam Diástase abdominal?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.