Hiperplasia prostática benigna - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Hiperplasia prostática benigna (alargada benigna da próstata)

O que é a hiperplasia benigna da próstata?

A próstata é uma glândula masculina do tamanho de uma noz. Está localizada abaixo da bexiga, cercando a uretra, o tubo que leva a urina. Esta glândula produz o líquido seminal, que, juntamente com o esperma, torna-se o sêmen, que é o que dá ao homem a ejacular.

Com a idade, a glândula pode ser alargada, o que acontece com a maioria dos homens. Este crescimento, muitas vezes, eventualmente, causa problemas com a micção, devido à compressão exercida sobre a uretra, onde a próstata aumenta de tamanho.

Este crescimento em si não é perigoso e por isso são chamados de "hiperplasia prostática benigna."

Que tipo de problemas pode causar hiperplasia benigna da próstata?

O aumento da próstata comprime a uretra e distorce, obstruindo o fluxo da urina. Os principais sintomas são:

  • Fluxo de urina (jato) fraco ou interrompido de modo que até pode levar várias tentativas de esvaziar a bexiga.
  • Dificuldade para começar a urinar, mesmo quando a sensação de bexiga está cheia.
  • Sensação de que a bexiga não está completamente vazia após a micção.
  • Urinar muitas vezes durante o dia e à noite (na verdade, a necessidade de urinar durante a noite é um dos primeiros sintomas).
  • Sentindo-se a micção urgente. Alguns homens podem experimentar a perda involuntária de urina por este motivo.
  • Drible depois de urinar.
  • Queima durante o tempo de micção.

Os sintomas variam de acordo com diferentes pacientes e podem mesmo variar dentro de um indivíduo durante o curso da doença. É importante ressaltar que os sintomas acima não significam necessariamente que a próstata aumentou de tamanho. Outras doenças podem causar sintomas semelhantes, por isso um homem com problemas para urinar deve sempre consultar um médico.

Outros problemas podem surgir?

Há algumas complicações adicionais nesta doença.

Em alguns casos, os pacientes de repente são incapazes de urinar. Isto é conhecido como retenção urinária aguda. Estudos indicam que esta doença afeta 1-2% dos pacientes / ano com hiperplasia prostática benigna. É muito doloroso e precisam de atenção médica urgente para alívio dos sintomas.

Em outras ocasiões, o esvaziamento completo da bexiga torna-se cada vez mais difícil, mesmo após a micção, o que é desenvolvido gradualmente esta retenção, que neste caso é chamado de crônica. O tratamento desta situação é também para resolver os sintomas, prevenir o impacto potencial de outros órgãos como os rins.

Outras complicações possíveis incluem episódios repetidos de cistite (infecção da bexiga) e formação de pedras na bexiga.

Como é diagnosticado?

O clínico geral normalmente pode fazer o diagnóstico com o seguinte método:

  • Perguntar aos pacientes sobre seus sintomas, e até mesmo preencher um questionário sobre os sintomas para melhor esclarecer a natureza e o grau de desconforto envolvido.
  • Fazer uma consulta retal para verificar se o tamanho da próstata está ou não  aumentado, e a consistência.
  • Realização (geralmente) de uma análise da cultura de urina e sensibilidade para os mesmos antibióticos, bem como exames de sangue para verificar a função renal e dos níveis de antígeno prostático específico (PSA), uma proteína secretada pelas células da próstata cujo nível é elevado em determinadas circunstâncias (especialmente tumores, mas também na hiperplasia prostática benigna, infecção, acidente vascular cerebral, próstata, etc.)

Se outros testes adicionais forem necessários, devem ser indicados pelo urologista. Podem ser necessários para determinar as características de micção por fluxometria (teste determina a vazão máxima e média de urina, o volume da mesma, a duração da micção, etc.) E exames radiológicos (ultra-som) para avaliar, entre outras coisas, se a bexiga esvazia completamente após a micção ou não.

Como é hiperplasia benigna da próstata?

Existem vários tratamentos para esta condição, e deve-se considerar os seguintes fatores:

  • É necessário tratamento apenas se os sintomas são incómodos ou se houver qualquer complicação.
  • Cada tratamento tem vantagens e desvantagens.

O médico terá de decidir em cada caso particular, o que é o mais conveniente.

Se houver apenas sintomas leves, é provável que seja mais razoável esperar e observar o desenvolvimento dos sintomas. O paciente, nesses casos, deve consultar o seu médico regularmente para prevenir a ocorrência de complicações.

Qual o tratamento médico é usado?

Para este problema, existem dois tipos de medicação:

Alfa-bloqueadores

Estas drogas contribuem para o relaxamento das fibras musculares da próstata e bexiga, reduzindo assim a obstrução do fluxo. Exemplo destes são terazosina, alfuzosina, doxazosina e tansulosina. Este medicamento não reduz o volume da próstata, produz apenas alívio sintomático. Este efeito, se ocorrer, é evidente a partir da primeira dose. Pacientes, ocasionalmente, tem  tonturas, dores de cabeça, sonolência e ejaculação retrógrada. Neste processo, o sêmen durante a ejaculação, em vez de ir para fora, vai  para a bexiga, e é excretada na urina.

Inibidores da 5-alfa-redutase

Como a finasterida, que inibe o crescimento da próstata e reduz seu tamanho. Tem a desvantagem de seu preço ser alto e requer um tempo mínimo de aplicação (6 meses) para verificar a sua eficácia. Alguns pacientes podem experimentar diminuição da libido ou disfunção erétil mesmo.

Além destes dois tipos de drogas no mercado alguns produtos à base de ervas medicinais. Estes produtos não são amplamente divulgados desde que os seus efeitos não foram objetivamente documentados na literatura científica.

Que tipo de cirurgia é possível?

Uma intervenção da próstata para tratar esta condição envolve a remoção do tecido da próstata crescido. A intervenção mais comum é um procedimento cirúrgico endoscópico (através de um dispositivo que é inserido através da uretra) através do qual "fatia" do aumento da próstata que pressiona e obstrui a uretra. Isso é chamado de "ressecção transuretral" (RTU)

Se houver apenas um pequeno aumento da glândula (o tamanho da próstata não se correlaciona com o grau de obstrução que ocorre) pode ser suficiente fazer um pequeno corte na próstata, sem remoção de tecido para reduzir a constrição do uretra. Isso é chamado de "incisão transuretral" (UIT).

Se a próstata está ampliada consideravelmente, pode ser necessário executar uma operação aberta através de uma incisão, que remove o tecido da próstata em torno da uretra, deixando a parte periférica ou "cápsula".

Cirurgia traz mais riscos do que, obviamente, o tratamento médico. Devemos sempre informar o paciente sobre a possibilidade de complicações, tais como ejaculação retrógrada. Estudos mostram que até 74% dos homens vai experimentar essa complicação após a conclusão de uma RTU, esse percentual é muito menor com a UIT e, ao contrário, perto de 100% em cirurgia aberta.

Também a cirurgia tem sido associada com o aparecimento da disfunção erétil (este ponto é controverso, tem afetado até 14% dos homens após a RTUP) e incontinência urinária (1-5%). Os estudos ainda não são conclusivos quanto a se esses mesmos homens terem sofrido a mesma condição que não a intervenção.

Os benefícios da cirurgia permanecem muito tempo, mas, sendo removida apenas uma parte da próstata (parte periférica permanece), alguns homens podem, eventualmente, precisar de uma segunda operação, os casos mais comuns de RTU ou ITU.

Existem outros menos agressivos procedimentos cirúrgicos?

Existem, e estão continuamente desenvolvendo novos tratamentos para hiperplasia prostática benigna. Estas técnicas são minimamente invasivas. Alguns requerem anestesia local eo risco de complicações não é desprezível em alguns casos.

Sobre essas novas técnicas deve-se salientar que não se sabe ainda se esses tratamentos são tão eficaz como a RTU ou cirurgia aberta, mas com o tempo estão sendo avaliados quais os pacientes são os mais adequados para aplicar estes tratamentos.

Estas técnicas estão sendo continuamente avaliados.

Microondas Termoterapia

Neste tratamento, o tecido prostático é aquecido a uma temperatura de 45 ° C por meio de microondas. O efeito resultante é que as células da glândula morrem, reduzindo o tamanho da próstata. Este procedimento é realizado através da uretra.

Electrovaporização

Neste procedimento, uma corrente elétrica é aplicada através de um endoscópio, de modo que parte do tecido da próstata é removida por evaporação.

Ressecção a laser

É um outro tratamento endoscópico em que o tecido da próstata é tratado com laser.

Stents

Para este tratamento envolve a inserção de uma espécie de tubo de metal ou plástico formando um túnel ou passagem para a urina que está no lugar onde a glândula obstrui a uretra. Depois de numerosos estudos têm sugerido a sua utilização apenas em casos que não podem aplicar a outros tratamentos propostos.

Pode tratamento com cateter?

Alguns pacientes com retenção urinária têm um risco de vida alta se submetidos à anestesia e podem ser obrigados a carregar uma sonda vesical (cateter) permanente, que pode ser colocado através da uretra, ou diretamente através do abdômen para a bexiga. Nestes casos, o risco de cistite (infecção da bexiga) é maior.

Uma alternativa é ensinar o paciente a esvaziar a bexiga com um cateter-se periodicamente. Dadas as características destes pacientes e a situação em que se encontram, raramente é viável a prática desta medida.

Especialistas em hiperplasia prostática benigna

Encontre um especialista em Hiperplasia Prostática benigna na sua cidade:
Henrique Bertassoni Alves

Henrique Bertassoni Alves

Urologista

Medianeira

Talles Leandro Oliveira

Talles Leandro Oliveira

Urologista

Campina Grande

Ricardo Araujo Brandina

Ricardo Araujo Brandina

Urologista

Londrina

Heleno Diegues Paes

Heleno Diegues Paes

Urologista

Santos

Luiz Henrique Bastos Mendes

Luiz Henrique Bastos Mendes

Urologista, Cirurgião geral

Santo Antônio Da Platina

Perguntas sobre Hiperplasia prostática benigna

Nossos especialistas responderam a 204 perguntas sobre Hiperplasia prostática benigna

Bom dia. Há diferentes técnicas que podemos utilizar para o tratamento de aumento de próstata (hiperplasia prostática). No entanto, a técnica mais comumente empregada é a ressecção endoscópica,…
1 respostas

Sim. O combodart ja possui as duas substancias num mesmo comprimido. abraço
1 respostas

Olá. Ejaculação retrógrada é uma condição que acomete a maioria dos pacientes que realizam cirurgia de RTU de próstata. Não existe um procedimento cirúrgico com respaldo da literatura médica…
1 respostas

Especialistas falam sobre Hiperplasia Prostática benigna

O aumento da próstata é uma condição que invariavelmente todos os homens acima de 50 anos vão desenvolver num menor ou maior grau. O importante é ficar atento aos sintomas , tais como: sensação de esvaziamento incompleto de bexiga , urinar muito a noite , demora para sair o jato e urgência para urinar. O diagnostico se faz através do uso de questionários, ultrassonografia de próstata e exame urodinâmico. Inicialmente fazemos o tratamento com medicações ( alfa bloqueadoras , tais como Doxasozina , alfusozina , tamsulosina ) . Se não houver melhora , indicamos a raspagem por endoscopia ( RTU) ou ainda em casos de próstata muito grande a retirada do miolo por robótica.

Lessandro Curcio

Urologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

A hiperplasia prostática benigna (HPB) é uma condição médica caracterizada pelo aumento benigno da próstata que normalmente se inicia em homens com mais de 40 anos. Pode provocar estreitamento da uretra com dificuldade de micção. É caracterizada pelo crescimento das células da próstata. Quando suficientemente largos, os nódulos comprimem o canal uretral causando obstrução parcial, ou às vezes completa, da uretra, desta maneira interferindo no fluxo normal da urina. Isso causa sintomas de hesitância urinária, vontade de urinar toda hora, urinar de pouquinho em pouquinho, aumento do risco de infecção da urina, e retenção urinária. A HPB não é considerada uma lesão pré-maligna.

Alain Machado Da Silva Dutra

Urologista

Santo André


A hiperplasia prostática benigna é o aumento da próstata benigno, sem qualquer relação com o câncer de próstata. Tem caráter familiar e ocorre em homens acima de 40 anos. O tratamento inicial é com medicamentos entretanto a maioria dos paciente evolui com piora ao longo dos anos e exigem cirurgia. A cirurgia clássica para esta doença é a RTU de próstata. O médico usa um endoscópio acoplado a um equipamento especial para cortar fatias da próstata e desta forma abrir um túnel através da próstata que antes estava fechada. De um modo geral a cirurgia dura 1 hora e o paciente fica internado até 2 dias, usa sonda uretral apens 2 dias. A recuperação é muito rápida e praticamente não há dor.

Especialista no diagnóstico, tratamento medicamentoso e cirúrgico do aumento benigno da próstata e dos sintomas de dificuldade do armazenamento e eliminação da urina.

Felipe Monnerat Lott

Oncologista, Urologista

Rio de Janeiro


A HPB consiste no crescimento da próstata, que é natural do envelhecimento masculino. O canal da urina passa no meio da próstata e é comprimido pelo crescimento desta. Isso gera sintomas miccionais progressivos: dificuldade de iniciar a micção, mesmo estando com desejo; jato fraco e entrecortado; gotejamento no final da urina; aumento da frequência especialmente à noite; vontade urgente em urinar, às vezes resultando em pequenas perdas; entre outros. Não confundir com câncer de próstata, que habitualmente é assintomático. Muitas vezes estes sintomas são progressivos, piorando ao longo de anos e o homem não percebe essa diferença. Procure o URO anualmente a partir de 50 anos e previna-se!

A próstata apresenta um tipo de crescimento benigno (Hiperplasia Benigna da Próstata), após os 40 anos, que pode levar a dificuldade de micção por estreitamento da uretra. Isto pode acarretar problemas no dia-a-dia do homem, como dificuldade de urinar, aumento das idas ao banheiro durante o dia e á noite (prejudicando o sono) e comprometimento da bexiga e dos rins, assim como infecção urinária, sangramento, pedra na bexiga e até uso de sondas para urinar. O tratamento deste problema pode ser através de medicações ou cirurgia (nos casos de insucesso do tratamento medicamentoso ou com complicações). Faça uma visita ao Urologista e verifique como está a saúde de sua próstata.

A Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) é o crescimento benigno da próstata que afeta a maioria dos homens após os 50 anos de idade. Pode estar acompanhada de uma variedade de sintomas miccionais, como jato fraco e entrecortado, esforço miccional, frequência miccional aumentada (com intervalos inferiores a 2 horas), sensação de esvaziamento incompleto da bexiga e nictúria (levantar para urinar durante o sono). É uma doença cujo tratamento inicial geralmente é clínico, sendo possível controlar os sintomas na maioria dos pacientes. Aproximadamente 10% dos pacientes poderão necessitar de cirurgia, em razão da refratariedade clínica ou complicações da doença.

A hiperplasia prostática benigna (HPB) é resultado do aumento de tamanho da próstata. Este aumento deve-se a um crescimento benigno da glândula que é comum no homem a partir dos 45 anos e não está relacionado ao câncer de prostática. A HPB é a doença urológica de maior prevalência em homens com idade superior a 50 anos. Os fatores mais conhecidos e determinantes para o desenvolvimento da HPB são a idade, hormônios masculinos (andrógenos) e a hereditariedade. Os principais sintomas são: jato urinário fraco e interrompido, aumento da freqüência das micções, urgência para urinar e sensação de não esvaziar completamente a bexiga. Estes sintomas podem ocorrer isoladamente ou em conjunto.

Os tratamentos podem ser a base de medicamentos ou, em casos mais rígidos, um procedimento cirúrgico pode ser necessário. Dentre os tratamentos disponíveis para a próstata aumentada, o tratamento com Green Laser vem sendo muito indicado por oferecer algumas vantagens ao paciente em comparação a outros tipos de cirurgia. Nos procedimentos com Green Laser, uma fibra de laser é introduzida pela uretra, juntamente com um equipamento que possui uma câmera de vídeo, para que o médico visualize o procedimento na tela. O laser, por sua vez, emite um raio de alta frequência que provoca a vaporização das células do tecido prostático.

Doença benigna da próstata que prejudica a qualidade de vida do paciente por ocasionar sintomas urinários bem desconfortáveis. Pode ser tratada com medicamentos e ou cirurgias a depender de cada caso.

A próstata está localizada abaixo da bexiga em homens e produz componentes do fluído de sêmen. Mais de metade dos homens com mais de 60 anos tem aumento da próstata. Esta condição é denominada hiperplasia prostática benigna (HPB) ou hipertrofia benigna da próstata. Não se sabe exatamente por que este aumento ocorre. No entanto, não é câncer e não provoca câncer. É importante mencionar que alguns homens podem apresentar sintomas da HPB enquanto outros não. Sintomas: Micção frequente. O sintoma mais comum da HPB é a vontade de urinar com mais frequência, inclusive durante a noite. Isso ocorre porque a próstata pressiona a uretra, que conduz a urina para fora do corpo.

A HPB é o aumento da próstata, muito comum em homens após os 50 anos de idade. Ela pode causar sintomas como jato urinário fraco, dificuldade para urinar, acordar mais vezes durante a noite. O tratamento inicial pode ser realizado com medicamentos, enquanto casos avançados necessitam de cirurgias.

Raphael Barroso Kato

Urologista

São Paulo


A hiperplasia é o crescimento benigno da próstata. O canal da urina passa no meio da próstata. A hiperplasia se desenvolve na área mais interna da próstata e por isso qualquer crescimento nessa região comprime o canal da urina levando a sintomas. As queixas mais comuns relacionadas são a redução no jato da urina, esforço e demora para iniciar a micção, sensação de esvaziamento incompleto, vontade constante de urinar, perda de urina na roupa e acordar várias vezes à noite para urinar. O tratamento inicial é com medicamentos para relaxar a musculatura e para reduzir o tamanho da próstata. A cirurgia está indicada quando os medicamentos falham ou na presença de complicações.

A hiperplasia prostática benigna (HPB) é uma condição muito frequente entre as doenças que atingem os homens. Sua prevalência aumenta com a idade e abrange entre 80 e 90% dos homens aos 90 anos. Em geral, a próstata pesa em torno de 20 a 30g no adulto e quando a próstata aumenta, o homem começa a ter dificuldade de esvaziar a bexiga e, com isso, tem que fazer mais força ao urinar, o jato fica fraco e tem que ir ao banheiro várias vezes ao dia. O diagnóstico pode ser feito com o toque retal e o exame de ultrassonografia prostática. Quando não tratada adequadamente, pode evoluir para uma retenção urinária e, em casos mais severos, até a perda da função dos rins.

A hiperplasia benigna da próstata nada mais é do que um aumento de tamanho da próstata, doença bastante comuns em homens acima de 50 anos. Muitos casos seguem sem sintomas por muitos anos, não necessitando tratamento específico, apenas acompanhamento. Porém, uma boa parte dos casos evolui com sintomas urinários, basante variados, como jato urinário fraco, ardência miccional, dor ao urinar, aumento da frequência urinária diurna e noturna, urgência urinária, incontinência urinária, esforço miccional... Existe tratamento medicamentoso, razoavelmente eficaz. E para casos refratários, existe o tratamento cirúrgico, podendo ser minimamento invasivo, via uretral, até mesmo com laser.

A hiperplasia prostática ou aumento benigno da próstata ocorre com elevada incidência nos homens após os 50 anos. Alguns desses terão queixas urinárias, tanto para esvaziar a bexiga quanto para segurar a urina. Nesses casos indicamos tratamento, que inicialmente deve ser realizado com medicações. Em casos de persistência das queixas, ou quando os exames mostram dados desfavoráveis, as cirurgias de redução do volume prostático são indicadas. Hoje disponibilizamos de cirurgias menos invasivas, realizadas pelo canal urinário e com o auxílio de laser.

A hiperplasia prostática benigna ( HPB) é uma patologia muito comum do envelhecimento masculino. O que ocorre é que com o passar da idade a próstata aumenta de tamanho, obstruindo a uretra prostática ( canal do xixi). Dessa forma iniciam-se os sintomas: diminuição do jato urinário, sensação de esvaziamento incompleto, nictúria ( levantar a noite para urinar). O tratamento desde tipo de patologia envolve o uso de medicações e em alguns casos a necessidade de cirurgia. Hoje em dia a RTU ( ressecção transuretral) de próstata é o método mais utilizado. Nele não há necessidade de cortes. Realizamos o procedimento através da uretra, com recuperação pós operatória bem mais tranquila.

O aumento benigno da próstata pode causar alguns sintomas como dificuldade para urinar, jato fraco e sem pressão, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga e urgência para urinar. Alguns exames devem ser realizados como: PSA total, exame de urina , Toque retal , ultrassonografia da próstata e em alguns casos Fluxometria e estudo urodinâmico. Existem várias formas de tratamento desde medicações a intervenção cirúrgica minimamente invasiva como a RTU de próstata.

É o aumento benigno da próstata decorrente do envelhecimento, que causa alterações na micção (aumento da frequência urinária, jato fraco, incontinência urinária e retenção urinária) e que só deve ser tratado quando causa piora na qualidade de vida ou quando causa alterações na anatomia da bexiga e rins

José Fernando Rodrigues Jr.

Urologista

Florianópolis


Realizamos tratamento cirúrgico endoscópico da hiperplasia prostática benigna, com equipamentos de última geração, sem limite de tamanho da glândula.

Cristiano Cotrim

Urologista

Marília


O aumento da próstata é frequente com o envelhecimento do homem. A condição conhecida como hiperplasia prostática benigna (HPB) pode causar afinamento do jato urinário, gotejamento, vontade recorrente de urinar e sensação de esvaziamento incompleto da bexiga. Se não tratada adequadamente, a dificuldade de esvaziamento da urina pode provocar alterações na bexiga e na função dos rins. Nossa equipe é capacitada nos principais métodos cirúrgicos com utilização de alça bipolar e Laser, além de cirurgia laparoscópica. Estamos em constante processo de aperfeiçoamento e em contato com os maiores centros urológicos do país.

A Hiperplasia Prostática Benigna refere-se ao aumento da próstata que ocorre com o avançar da idade. De um modo geral o aumento da próstata provoca alterações no modo de urinar, sendo o principal sintoma a dificuldade para urinar. É importante ressaltar que é o incômodo geraldo pelos sintomas urinários que indicam a necessidade de tratamento. Nestes casos podem ser receitados medicamentos. Já os casos complicados, como a impossibilidade de urinar, a cirurgia pode ser necessária. Neste caso, atualmente dispomos de cirurgias que são consideradas minimamente invasivas, já que são realizadas pelo próprio canal urinário, evitando as cirurgias abertas.

A hiperplasia prostática benigna é uma condição clínica muito frequente nos homens, especialmente na quinta e sexta décadas de vida. Caracteriza-se por crescimento benigno da próstata, que costuma causar sintomas urinários por compressão da uretra ou repercussão na bexiga. Os sintomas mais comuns são jato urinário fraco, força para iniciar a micção, acordar várias vezes para urinar durante a noite, sensação de mau esvaziamento da bexiga, gotejamento ao fim da urina, entre outros. Uma boa parte dos casos é tratada com medicações de uso contínuo para reduzir o volume da próstata, mas alguns pacientes podem ser candidatos à cirurgia.

A Hiperplasia Prostática Benigna consiste no aumento progressivo da próstata com características benignas, sem nenhuma relação, portanto, com o câncer de próstata. Como circunda o segmento inicial da uretra, o aumento da glândula pode comprimir esse canal, dificultando o esvaziamento da bexiga. Após exames para definir o diagnóstico, será escolhido o melhor tratamento, que pode ser medicamentoso ou cirúrgico. Quando existe a necessidade de cirurgia para desobstrução da uretra, as técnicas minimamente invasivas são priorizadas. Dentre elas, a ressecção transuretral da próstata é a mais comum, sendo realizada por meio da retirada de fragmentos de tecido prostático por via uretral.

Marcio Falcão Macêdo

Urologista

Fortaleza


A próstata é uma glândula que está localizada logo abaixo da bexiga, no sistema reprodutor masculino. Ela envolve uma porção da uretra, que é o canal que carrega a urina da bexiga através do pênis, até a sua eliminação. Sua principal função é adicionar fluídos ao sêmen, o líquido eliminado na ejaculação. A hiperplasia prostática benigna, ou HPB, se desenvolve quando as células da próstata crescem, aumentando o volume da glândula. Este aumento acontece lenta e gradualmente. O primeiro sintoma que a maioria dos homens percebe é a alteração do fluxo urinário. O manejo dos sintomas e das consequências desta condição pode envolver medicações e procedimentos cirúrgicos.

Rodrigo Dal Moro Amarante

Urologista

São Paulo


Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) é uma condição urológica comum e que aumenta com a idade, não provocando sintomas em boa parte dos casos. Os principais sintomas estão relacionados à alteração no jato urinário, frequência miccional e desconforto ao urinar. O diagnóstico é alcançado com avaliação clínica e exames complementares adequados. As opções de tratamento incluem uso de medicações ou procedimentos cirúrgicos. A técnica padrão-ouro é a ressecção endoscópica transuretral da próstata (RTU), minimamente invasiva e sem cortes. Quando não tratada adequadamente a HPB pode levar a complicações como infecção, retenção urinária, formação de cálculos na bexiga e insuficiência renal. 

Nathanael Batista Modesto Silva

Urologista

Petrolina


A (HPB) se desenvolve quando as células da próstata crescem, aumentando o volume da glândul. A maioria dos homens não sabem que tem a doença até que a próstata tenha crescido o suficiente para causar sintomas. A glândula prostática, que envolve a uretra, começa a crescer e comprime o canal urinário, podendo acarretar danos sérios ao sistema urinário do homem. Em um primeiro momento, que pode durar anos, a maioria dos pacientes não apresenta sintomas importantes de obstrução urinária, pois a força de contração da bexiga compensa a obstrução ocasionada pelo crescimento da próstata. O tratamento vai desde medicamentos a cirurgias, a depender do volume da próstata.

A hiperplasia prostática benigna (HPB) refere-se a um diagnóstico anatomopatológico que resulta do aumento benigno da próstata. Sua prevalência depende da faixa etária e é mais frequente em pacientes idosos, estimando-se que cerca de 80% dos pacientes acima dos 70 anos apresentem algum grau de HPB. O diagnóstico da HPB se inicia nas queixas do paciente e exame de toque retal que confirma o aumento prostático. O tratamento se inicia com o uso de medicações orais que visam o relaxamento e a diminuição do tamanho da próstata. Em casos mais avançados, somente procedimentos cirúrgicos como a ressecção prostática ou uso do laser são capazes de aliviar os sintomas dos pacientes.

Dr. Walter Henriques Da Costa

Oncologista, Urologista

São Paulo

Agendar uma visita

A hiperplasia prostática benigna é o crescimento benigno da próstata, que pode causar obstrução do fluxo da urina, originando sintomas como jato fraco, aumento das micções noturnas, urgência para ir ao banheiro urinar, culminando na obstrução completa do jato urinário levando à necessidade do uso de sonda para esvaziar a bexiga. O tratamento baseia-se na abertura do canal da próstata, que pode ser pela via tradicional com uso da ressecção (raspagem da próstata) ou de forma mais moderna, com o uso do laser, que traz o benefício de menor índice de sangramento, recuperação mais rápida e menor tempo de uso de sonda no pós-operatório.

Os sintomas da HPB são o jato urinário fraco, interrompido, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, grande número de idas ao banheiro para urinar durante o dia e a noite, dor na bexiga e até falta de controle urinário, causando grande desconforto e até constrangimento para o paciente. O tratamento atual pode ser feito com medicações em casos leves e com cirurgias minimamente invasivas através da uretra. A cirurgia de vaporização da próstata com LASER tem a vantagem de uma curta permanência hospitalar e possibilidade de tratamento mesmo em pacientes com uso de anticoagulantes. A cirurgia de ressecção da próstata bipolar tem a vantagem de tratar as próstatas mais volumosas.

Alexandre Danilovic

Urologista

São Paulo


A embolização das artérias prostáticas é um procedimento minimamente invasivo que tem como objetivo proporcionar a melhora parcial ou total dos sintomas decorrentes da HPB. É realizada por meio da punção da artéria femoral, na região da virilha e, através de um microcateter (tubo flexível de 2 milímetros de diâmetro), sob orientação de um aparelho de raio X, são injetadas microesferas na circulação arterial da próstata com o objetivo de reduzir a sua circulação e promover o encolhimento da próstata. É esperado que após a embolização haja redução do tamanho próstata, e assim melhora dos sintomas.

William Fonseca

Cirurgião vascular

Guaratinguetá


Sinais e sintomas dos pacientes com HPB são: jato fraco, esforço miccional inicial, esvaziamento incompleto, gotejamento. Além disso, urgência miccional, frequência aumentada, hematúria, até retenção urinária. Os três principais aspectos que determinam os sinais e sintomas HPB são dependentes: do crescimento prostático, da obstrução prostática e da força contrátil do músculo da bexiga. Geralmente a história clínica é longa, ocorrendo em anos de evolução. Há períodos de melhora e piora do jato urinário. Na maioria da vezes, os pacientes estão adaptados aos sintomas. Por isso, relatam que urinam bem. Ir urinar muitas vezes, não quer dizer que você urine bem! Pode danificar bexiga e rins.

Quais profissionais tratam Hiperplasia prostática benigna?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.