Disfunção erétil (impotência) - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Que é a impotência ou disfunção erétil (DE)?

Impotência é a incapacidade de um homem para alcançar e manter uma ereção, o que torna impossível completar com sucesso a relação sexual. Recentemente na maioria das vezes é chamado de "disfunção erétil" (DE).

O risco da DE aumenta com a idade. De fato, entre 15 e 25% dos homens de 65 anos não podem conseguir uma ereção completa, mas afeta apenas 5% dos homens de 40 anos. É bastante comum a experiência de algum episódio ocasional de DE ao longo da vida.

É importante que homens com este problema estejam conscientes de que:

  • A causa mais comum de impotência é a ansiedade ocasional ou temporária.
  • Problemas para obter uma ereção podem ser tratados com medicamentos, aconselhamento sexual, apoio mecânico ou cirurgia.
  • A impotência pode ser um sintoma de outra doença, ainda não diagnosticada, o que exigiria tratamento.

Qual é a causa da impotência?

Uma erecção é o resultado da interação entre o sistema nervoso, sistema circulatório, equilíbrio hormonal e fatores psicológicos. Portanto, problemas de ereção podem ser causados por vários fatores e muitas vezes são associados.

Causas psicológicas

  • Problemas no relacionamento amoroso
  • Ansiedade e depressão
  • Fadiga
  • Stress no trabalho
  • Ansiedade sobre o resultado (preocupação de "ser bom" na cama)
  • Complexo
  • Orientação sexual não resolvida
  • O tédio sexual

Causas físicas

  • Distúrbios vasculares (vasos sangüíneos) é uma causa comum física. Pacientes com arteriosclerose, problemas no coração ou pressão arterial vascular alta (hipertensão) correm maior risco de desenvolver a impotência.
  • Drenagem excessiva de sangue do pênis através das veias ( drenagem venosa) quando você coloca o fenômeno da ereção.
  • Diabetes é associado frequentemente com problemas de ereção. Às vezes, a doença é descoberta como resultado de um estudo de impotência.
  • Fumar aumenta o risco de aterosclerose e, portanto, DE.
  • Em alguns casos, DE é o resultado de efeito colateral de certos medicamentos, por exemplo, alguns tratamentos para a hipertensão (medicamentos chamados beta-bloqueadores, principalmente), alguns antidepressivos, e, em menor medida, outras drogas.
  • Efeitos colaterais de medicamentos sem prescrição médica (rapé, álcool, maconha e outros).
  • Abuso crônico de álcool.
  • Doenças do sistema nervoso (esclerose, AVC múltipla, lesões na medula espinhal).
  • Cirurgia de grande porte,  cirurgia radical por exemplo, de próstata e bexiga (remoção destes órgãos completamente, e vesículas seminais),  operações sobre o intestino (especialmente na porção retal), cirurgia vascular na área pélvis, e assim por diante.
  • Insuficiência renal (insuficiência grave da função renal).
  • Doença do tecido erétil do pênis (túnica albugínea) chamada de doença de Peyronie, que pode causar deformação do pênis, com dor associada.
  • Alterações hormonais (raro).

Como  a impotência é diagnosticada?

O primeiro passo é visitar o médico de família ou especialista (urologista). Para saber mais sobre a natureza e a extensão dos problemas, o médico normalmente irá fazer perguntas detalhadas sobre as suas relações e vida sexual.

Também fazer perguntas sobre sua saúde geral e os medicamentos que toma, incluindo medicamentos sem receita médica. O seu médico pode incluir parceiros na discussão inicial. Isto pode fornecer informações valiosas e apoio moral, já que muitas pessoas acham o tema difícil de abordar. O diagnóstico é baseado no seguinte:

  • Deve haver um reconhecimento básico para descobrir a causa da disfunção erétil. Por exemplo, o médico pode verificar a pressão arterial, examinar o estado do sistema circulatório e os órgãos genitais ou fazer um exame de sangue ou urina para verificar diabetes.
  • Outros exames de sangue, tais como o hormônio podem ser necessários se houver suspeita de que a impotência é causada por uma causa específica dessa origem.
  • O seu médico pode solicitar que você faça um teste de tumescência noturna. Nele, destaca a atividade erétil durante o sono é uma reação fisiológica que é comum no sexo masculino. Um dispositivo normalmente colocado em torno dos anéis ou equipados com eletrodos que se ligam à base e a ponta do pênis para duas ou três noites. Este teste é caro e é particularmente útil nos casos em que o problema é de origem psicológica.
  • Você também pode injetar uma substância para que o pênis fique ereto. Este teste pode orientar as escolhas entre as várias formas de impotência, mas é invasivo e tem alguns riscos (priapismo, dor ou ereção prolongada). Pode ser acompanhada por um exame de ultra-som (Doppler) para avaliar o estado do sistema circulatório.
  • Embora com muito menos frequência, alguns  urologistas indicam que é para infundir líquidos no corpo cavernoso, depois de ter perfurado para verificar a dinâmica. O contraste pode também ser introduzidas, o que nos dará um retrato do que acontece com o sistema venoso (cavernosography).

Como é a impotência?

Se há uma causa subjacente para a impotência pode necessitar de tratamento específico.

Se parece que o problema é de causas psicológicas, o paciente deve ser encaminhado à consulta do psicoterapeuta sexual. A este respeito, deve-se notar que é bastante comum, por exemplo, que um homem se torna impotente, porque ele se sente culpado porque ele não ama mais sua esposa.

Falta de confiança, eles acham que seu pênis não está funcionando bem e isso pode piorar a vida de um casal que quer ter relações sexuais, porque ela está ansiosa para engravidar. Nesses casos, o homem vai se sentir ressentido por ser usado como uma máquina "fabricante de esperma" e seu pênis, por exemplo, simplesmente entra em greve. Além disso, há homens que acham que sexo é algo sujo ou mau.

Nestas situações, o aconselhamento pode ajudar o homem a revelar o seu problema e discutir seus pensamentos mais íntimos que pode ser suficiente para curar a sua DE.

Anos atrás, pensava-se que na maioria dos casos, o problema da DE era puramente psicológica. Com os novos conhecimentos no assunto, e estudos populacionais cada vez mais detalhados, isto está longe de ser real.

No entanto, a DE é uma questão muito complexa. Às vezes simplesmente não é possível estabelecer a causa, seja médica ou psicológico. Mas seja qual for sua origem, muitos homens impotentes são tratados com sucesso com um dos seguintes métodos:

Tratamento com medicação

Viagra (Sildenafil)

Ssu chegada marcou uma mudança radical na abordagem ao DE, é uma droga oral verdadeiramente eficaz no tratamento deste problema. Globalmente, é eficaz até 70-80% dos doentes (embora em certos grupos de pacientes, os diabéticos, por exemplo, a taxa de sucesso é de cerca de 50%) e deve ser tomado uma hora antes da relação sexual. Não causa uma erecção a menos que o homem seja sexualmente estimulado. A preparação pode ser usada para tratar a impotência de várias origens, mas não ser prescrito a doentes que tomam medicamentos contendo nitrato para angina de peito ou pacientes que tiveram um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, embora estas circunstâncias são sempre avaliadas o médico.

É importante que um homem que toma Viagra esteja sob a supervisão de um médico especialista neste tópico. Viagra é uma droga muito potente e não deve nunca tomar para se divertir, ou você deve comprar online, sem uma avaliação prévia por um médico. Efeitos colaterais desta droga são relativamente comuns, mas são de baixa intensidade e duração. Entre estes incluem, principalmente: estômago dor de cabeça, azia ("queima"), rubor da face (rubor) e, menos freqüentemente, a percepção visual de um tom azulado, geralmente de curta duração.

Dependendo da dose (25, 50 ou 100 mg), o preço de cada comprimido varia entre 1500 e 2100 pesetas, aproximadamente.

Recentemente negociadas são duas novas drogas cujo mecanismo de ação é semelhante ao Viagra (fosfodiesterase tipo V). O primeiro é chamado Cialis (Tadalafil é o ingrediente ativo) e está disponível em doses de 10 mg e 20. A principal vantagem é que ele tem uma maior duração de acção (12 horas e inlcuso superior).

A outra droga, Levitra (vardenafil) está disponível nas farmácias desde abril de 2003 às doses de 5, 10 e 20 mg, e tem um perfil semelhante ao Viagra.

Em ambos os casos os efeitos colaterais são semelhantes em frequência e características às do Viagra. Infelizmente para os pacientes, o preço de varejo também é semelhante ao Viagra. No geral as três drogas têm taxas de eficácia similar.

Uprima (cloridrato de apomorfina)

Esta droga tem um mecanismo de ação no cérebro (particularmente em uma região chamada hipotálamo), e amplifica estímulos proeréctiles a este nível e, assim, amplifica sinais neurológicos como "central" no comando da ereção do pênis .

A via de administração é sublingual, e o efeito pode ser visto em cerca de 20 minutos. É dispensada em doses de 2 ou 3 mg, embora este último é recomendado.

No geral, a eficácia dessa droga é menor do que o Viagra, especialmente se houver uma causa orgânica de disfunção erétil. Tem a vantagem que a dose pode ser repetida ao longo do dia, embora nem pode ser tomado com medicamentos que contêm nitratos. Como efeitos colaterais (raro, mas é mais provável com doses mais elevadas) deve mencionar a náuseas, vômitos e dores de cabeça entre os mais freqüentes. O preço unitário do medicamento é semelhante ao Viagra.

Terapia de injeção

O paciente é instruído para injetar uma substância que fará a ereção do pênis. A agulha usada é semelhante à utilizada por diabéticos para injetar insulina, o tratamento é administrado ao paciente ou ao seu parceiro. Tratamento é eficaz em cerca de 75% de todos os homens. A injecção é administrada 10 minutos antes da relação sexual. Ele pode produzir alguns efeitos colaterais. Entre esses efeitos, o mais temido é o de ereções prolongadas (mais de 4 horas), que são raros, mas necessitam de tratamento hospitalar urgente.

Ele tem várias preparações diferentes, embora alguns requerem uma preparação na farmácia ou hospital. Através da Segurança Social pode prescrever Caverject (o ingrediente ativo é alprostadil), que pode ser comprado em farmácias em doses de 10 e 20 microgramas, e isso inclui tudo que você precisa para sua aplicação. Seu preço varia dependendo da dose, entre 1.600 e 2.500 pesetas, aproximadamente.

Terapia transuretral

Um pequeno aplicador que contém uma droga similar ao utilizado para a terapia de injeção é introduzida a poucos centímetros na uretra (passagem da urina). A droga é absorvida através da parede da uretra no tecido erétil. Este tratamento pode ser desconfortável (desconforto ou até mesmo ardor e dor na glande ou cabeça do pênis) e é muito menos eficaz do que o método de injeção..

Hormônios

Raramente os homens podem ter deficiência de testosterona mas terapia de reposição pode ajudar no tratamento da disfunção erétil em certos casos. Adesivos de testosterona podem ser prescritos recentemente no nosso país pode facilitar a aplicação desta droga, que de outra forma requer a injeção intramuscular regular (a cada semana 2-3), no entanto, pode causar irritações de pele na área e mudar a colocação do adesivo mesmo que o local de aplicação.

Suporte mecânico

Anel púbico

Um anel de borracha ou de baquelite é colocado ao redor da base do pênis. É especialmente eficaz em homens que não conseguem manter uma ereção muito tempo, geralmente por apresentar um defeito leve a moderada no mecanismo de fechamento venoso. É perigoso manter um longo tempo, são aconselhados a não usar mais de meia hora no máximo.

Bomba de vácuo

Consta de um cilindro, em que a baixa pressão é criada, que é colocado sobre o pênis. Quando uma ereção é alcançada, torna-se um anel púbico (veja acima) ao redor do pênis para manter a ereção. Há possíveis efeitos colaterais, que incluem sensação de frio no pênis ou pequenos machucados, basicamente. Este método tem sido muito popular nos os EUA.

Cirúrgico

Implantes

Este tratamento envolve a inserção de um cilindro (prótese) no pênis para provocar ereção mecânica. Existem vários diferentes tipos de prótese. É importante compreender que este tratamento não deve ser usado a menos que os outros métodos falharam, porque após a implantação de uma prótese  não se pode recorrer a outro método para o tratamento da disfunção erétil.

A correção cirúrgica da fuga venosa

Lamentavelmente a cirurgia nem sempre é eficaz.

Seja qual for o tratamento recebido pelos homens, o aconselhamento com um sexólogo pode ser necessário. No entanto, a experiência mostra que se o casal afetado por ED recebe instrução em um curso específico de tratamento, as chances de sucesso são maiores.

Quem pode receber o tratamento de Segurança Social?

Segurança Social paga apenas a terapia de injeção intracavernosa e tratamento protético, embora isso normalmente só seja realizado em centros selecionados. Por enquanto o Viagra não é subsidiado pela Segurança Social. Por outro lado, existem inúmeras clínicas especializadas e escritórios privados disponíveis para homens com impotência.

Especialistas em disfunção erétil (impotência)

Encontre um especialista em Disfunção erétil (impotência) na sua cidade:
Ana Larissa Marques Perissini

Ana Larissa Marques Perissini

Psicólogo, Sexólogo

São José do Rio Preto

Luis Antonio Caldas Guerra

Luis Antonio Caldas Guerra

Urologista

Campinas

Paulo Tadeu Turki de Lima

Paulo Tadeu Turki de Lima

Urologista

Santa Rosa

Antonio Otero Gil

Antonio Otero Gil

Urologista

São Paulo

Vítor Brandani Garbelini

Vítor Brandani Garbelini

Urologista

Santo Antônio Da Platina

Agendar uma visita
Celso Luis Peralva Pimentel

Celso Luis Peralva Pimentel

Urologista

Cabo Frio

Perguntas sobre Disfunção erétil (impotência)

Nossos especialistas responderam a 177 perguntas sobre Disfunção erétil (impotência)

Dr. Guilherme Salati Stangarlin
Dr. Guilherme Salati Stangarlin
Urologista
Campo Grande
A falta ou baixa da libido geralmente corresponde a um sintoma de alguma doença. Vários fatores pode estar contribuindo pra isso, biológicos ou psicológicos. Passe por uma consulta com um urologista…
1 respostas

Boa noite! Em média de 10 a 15 dias. Lembrando que esta medicação facilita e não provoca a ereção. É necessário estímulo sexual.

À disposição
3 respostas

 Marcos Santos
Marcos Santos
Psicólogo, Sexólogo
Blumenau
Seria interessante fazer uma avaliação geral com um terapeuta sexual para verificar outras questões que não apenas fisiológicas. Se o médico entende que está tudo bem, são os aspectos de aprendizado…
6 respostas

Especialistas falam sobre Disfunção erétil (impotência)

Problemas com ereção ? Saiba o que está por trás disso Cientificamente falando, Disfunção Erétil (DE) é um termo médico que descreve a incapacidade de iniciar ou de manter o pênis ereto de forma adequada para a atividade sexual. Na prática esta condição é um dos problemas sexuais mais comuns em homens e piora progressivamente com o aumento da idade. No Brasil e em vários países do mundo, cerca de metade dos homens acima de 40 têm algum grau de disfunção erétil. A maioria dos homens pode ter alguma dificuldade de ereção de vez em quando, mas para alguns homens é um problema frequente e mais grave. A DE pode causar baixa autoestima, ansiedade de desempenho, depressão e estresse.

Alain Machado Da Silva Dutra

Urologista

Santo André


Este problema afeta quase 50% dos homens em todas as idades, a maioria quase sempre tem um probleminha psicológico associado mas as causas puramente orgânicas existem: Diabetes, Doenças neurológicas... dentre outras. Podemos utilizar medicações para dilatar os vasos do pênis, com muito bons resultados ou em casos extremos utilizar uma Prótese Peniana, que é um tubo maleável de silicone que substitui o tecido do pênis que entra em ereção. Converse com seu médico sobre estas opções.

Rogério Matos Araújo

Sexólogo, Urologista

Salvador

Agendar uma visita

Tendo formação específica em Andrologia, estamos capacitados para tratar todas as causas orgânicas de disfunção erétil. Desde correção dos fatores causadores, prescrição de tratamentos, até a colocação de prótese peniana inflável ou semirrígida. Nos dias atuais, praticamente todos os casos são passíveis de tratamento, devolvendo a vida sexual do homem.

Prof. Ricardo Alexandre Fernandes Ferro

Oncologista, Urologista

Brasília


A redução da ereção (disfunção erétil) ocorre por várias situações. Aumento da idade, diabetes e doenças neurológicas são fatores importantes de causa. O prejuízo para a qualidade de vida do homem e consequentemente do casal é inevitável. Exames devem ser feitas com intuito de investigar a causa. Existem vários medicamentos que podem ser usados com sucesso no tratamento. Quando as medicações não produzem resultado satisfatório, o uso de medicação injetável no corpo cavernoso pode ser recomendado. Para os casos complexos, não responsivos, o implante de prótese peniana é a solução. A boa avaliação e orientação médica (urologista) é fundamental para o sucesso do tratamento.

No manejo do paciente com Disfunção erétil é necessário em primeiro lugar buscar um diagnostico da causa do problema , na minha experiência a mesma se assenta em um ou mais dos seguintes pilares ; +Fatores vasculares , +Fatores hormonais , +Fatores neurológicos ou ainda +Fatores psicogênicos , com o diagnostico preciso se pode criar uma terapia especifica para cada paciente e desta forma poder trazer de volta a felicidade de cada paciente !!!

Jeronimo Tourinho

Angiologista, Sexólogo

Salvador

Agendar uma visita

As drogas contra a disfunção erétil revolucionaram esse problema que aflige quase metade dos homens acima dos 40 anos. Não adianta simplesmente comprar o mesmo medicamento que seu amigo usou. É necessária uma investigação diagnóstica rigorosa porque existem várias doenças que cursam com problemas de ereção, por exemplo, diabete mellitus (aumento da taxa de açúcar sanguíneo), aumento de colesterol e triglicérides no sangue), problemas de tireóide, problemas circulatórios e do hormônio masculino. Além disso, sabemos que os fatores de risco para disfunção erétil são os mesmos para doenças cardiovasculares, portanto seu portador tem ainda risco de infarto e derrame cerebral.

A disfunção erétil (DE) se caracteriza pela dificuldade em se conseguir e manter a ereção durante toda a relação sexual. Pode acometer homens de todas as idades, dos mais jovens àqueles com idades mais avançadas. Suas causas são muitas, podendo estar relacionadas a aspectos psicológicos (sendo o mais comum em adultos jovens), ou a outras doenças orgânicas (hipertensão, diabetes, dislipidemia, deficiência hormonal, doenças neurológicas, efeitos do tabagismo e cirurgias, etc.). O tratamento necessário dependerá do fator causal, podendo envolver suporte psicológico, uso de medicamentos e, para casos refratários, procedimento cirúrgico (colocação de prótese peniana).

Ainda um assunto considerado tabu para muitos homens, a disfunção erétil é a incapacidade de obter e manter ereção durante as relações sexuais. Também conhecida como impotência sexual, geralmente está relacionada com a redução de desejo sexual. Diferente do que muitas pessoas pensam, não é uma doença, mas pode ser um sintoma de que algo não está bem com seu corpo ou sua mente. Dessa forma, é importante ficar atento aos sintomas e procurar a ajuda de um urologista, visto que esta é a especialidade que trata da disfunção erétil.

A disfunção erétil (DE) ou impotência sexual é a incapacidade persistente de obter e/ou manter uma ereção peniana o suficiente para a penetração ou para o término do ato sexual satisfatoriamente. Pesquisas mostram que 59% dos homens entre 40 e 69 anos, já tiveram problema de ereção. Além de abalar a autoestima, a disfunção erétil pode ser o primeiro sinal para outras doenças do sistema circulatório. Os fatores de risco mais relacionados com a DE são a diabetes e as doenças cardiovasculares. Outros fatores incluem: idade, tabagismo, aterosclerose, trauma pélvico ou perineal/cirurgia pélvica, endocrinopatias, hipertensão arterial, dislipidemia, doenças neurológicas, depressão e medicamentos.

A disfunção sexual erétil tem o mesmo significado do que a impotência sexual. O tratamento é realizado com medicamentos e terapia de ondas de choque de baixa intensidade. Os medicamentos são ajustados de acordo com cada paciente e as ondas de choque são aplicadas em oito sessões na clínica.

André Milanezi Lorenzini

Urologista

Belo Horizonte


A disfunção erétil (DE) consiste na dificuldade ou incapacidade de iniciar ou manter ereção suficiente para o ato sexual. É um problema bastante comum e angustiante que acomete o homem. O melhor entendimento da fisiologia da ereção, bem como de sua fisiopatologia possibilitaram identificar causas orgânicas responsáveis por essa condição, que hoje sabemos serem muito mais freqüentes do que imaginávamos. Apesar de ser uma desordem benigna, esta disfunção pode interferir com a saúde física e psicossocial do paciente e/ou sua (seu) parceira (o), impactando de forma significativa na sua qualidade de vida.

Disfunção erétil é a mais dramáticas de todas as outras. Incapacidade persistente, total ou parcial, para iniciar ou manter uma ereção suficiente para efetuar a penetração e a realização do coito até a ejaculação. O primeiro passo é saber se há ou não causa orgânica determinante. Caso não seja orgânico, é com profissional especializado sexualidade. Há de causa psicológica, como situacional em que não há necessidade de submeter a medicação. O determinante fator psicológico frequente é o "temor do desempenho, baixa auto-estima e problemas conjugais". O tratamento consiste em propiciar o cliente, por meio de técnicas específicas, uma terapia de estimulo da apetência Sexual.

Irani Marangão

Psicólogo, Sexólogo

Cuiabá

Agendar uma visita

Sempre digo ao meus clientes que o estado Natural do homem e ter ereção, qualquer disfunção é descontrole das emoções. Trabalho com emoções que tiram a naturalidade do sexo.

Aparecida Paula Santos

Psicólogo, Sexólogo

São João del Rei

Agendar uma visita

Ocorre quando o homem não consegue ter ou manter a ereção durante a relação sexual. Muitos homens se assustam quando isso acontece é apesar de isso ser normal de vez em quando, esse acontecimento pode ser um sinal de que há algo de errado no corpo ou na mente do paciente. Se ocorre frequentemente (uma vez a cada 4 relações sexuais), o ideal é buscar um médico para realizar e exames e iniciar um tratamento adequado. O tratamento e feito buscando alterações de hábitos de vida como sedentarismo, tabagismo e etilismo, alem do uso de medicamentos por via oral. Em casos mais avançados podemos utilizar injeções de medicamentos diretamente no corpo do pênis ate o implante de próteses penianas.

André Ramos Sorgi Macedo

Urologista

Londrina


A disfunção erétil ou impotência é a incapacidade persistente de obter e manter uma ereção suficiente para uma função sexual satisfatória e seu diagnóstico depende da relação estabelecida entre o médico e o paciente para melhora da saúde sexual. Diversas doenças que acometem o homem moderno, compatíveis com nosso atual estilo de vida, podem ter como repercussão problemas sexuais, que felizmente, na maioria dos casos podem ser contornados. Por um longo tempo os homens acreditavam que seus problemas sexuais eram parte normal e esperada de seu processo de envelhecimento. Vergonha, tabu, desinteresse ou mesmo preguiça, impediam os homens de procurar ajuda médica.

Problemas sexuais podem afetar todas as faixas etárias, sendo mais comuns após os 50 anos. As causas variam muito, desde fatores psicogênicos, como ansiedade pelo desempenho, problemas conjugais e cansaço físico, ou mesmo problemas orgânicos, como baixos níveis hormonais, doenças sistêmicas descompensadas, problemas circulatórios, e também disfunção erétil em pós operatório de cirurgias urológicas, especialmente prostáticas. No consultório, avaliamos com calma cada caso, tentando identificar melhor os motivos do problema para poder indicar a melhor opção de tratamento, que pode variar desde psicoterapia, medicamentos, hormônios ou mesmo cirurgias.

A impotência sexual é uma situação frequente na população masculina, e estima-se que até 40% dos homens poderão ter problemas ao longo da vida. As causa da impotência são: físicas e/ou psicológicas. Hoje em dia a Medicina disponibiliza diversas formas de tratamento para a disfunção erétil: medicações orais, medicações injetáveis e implante de prótese peniana.

A disfunção erétil acontece como fruto de disfunções orgânicas e/ou psíquica. Ela se caracteriza pela incapacidade de se obter e/ou manter uma ereção peniana suficiente para a penetração ou término da relação sexual. Durante a cosulta, analisaremos o caso através do histórico sexual do paciente e traçaremos a melhor conduta. Isso inclui escutar a forma como este indivíduo vivenciou a sexualidade ao longo do temp, bem como exercícios para serem realizador em casa.

Larissa Mamedes

Sexólogo

Ribeirão Preto


É a mais comum e aflitiva queixa masculina, atingindo 45% dos brasileiro com mais de 40 anos. A perda involuntária da ereção pode estar ligada há maus hábitos de vida, fatores psicossociais, de personalidade, diabetes, efeito de medicamentos, etc... No entanto, 90% de D.E. são de causas emocionais, ou seja, componentes psicológico estão relacionados a esta disfunção. O processo terapêutico possibilita o contato com as principais dificuldades e crenças conflitivas do paciente, resgatando a confiança durante a performance sexual.

Giane Nucci

Psicólogo, Sexólogo

São Paulo

Agendar uma visita

A disfunção erétil (DE), popularmente conhecida como impotência sexual, é a dificuldade persistente de obter e/ou manter uma ereção suficiente para permitir uma atividade sexual adequada, ou seja, que possibilite a penetração vaginal. Não significa DE o fato do homem eventualmente "falha na hora H", mas sim quando o problema é recorrente. A DE pode ter origem psicogênica, orgânica ou mista (psicogênica e orgânica). Independentemente da causa, basicamente ocorre por um desequilíbrio entre a contração e o relaxamento da musculatura lisa do corpo cavernoso.

Diogo Carlo Cruz Smith

Urologista

Aracaju


Situação comum que acontece com muitos homens por criar expectativas sobre o ato sexual ou sobre o julgamento do desempenho. Esses pensamentos são trabalhados em cada sessão trazendo de volta o paciente a sua vida sexual saudável.

Renato Mota

Psicólogo

Montes Claros


A impotência causa muito estresse aos homens. Mas existe tratamento. Ele é escalonado e busca encontrar possíveis causas da doença. Há medicamentos para serem utilizados antes da atividade sexual, para serem utilizados diariamente; também existem injeções que são aplicadas diretamente no pênis; e, a última linha de tratamento, é a prótese peniana. Não deixe de falar para seu Urologista sobre a sua vida sexual.

A disfunção erétil caracteriza-se pela incapacidade persitente, total ou parcial, do homem em ter ou manter uma ereção peniana o tempo suficiente para efetuar a penetração e chegar a ejaculação. Este disturbio quando não tratado pode ter efeito arrasador sobre a autoestima, prejudicando a sua vida conjugal, social e profissional.

Nevile Luiz Turatti

Psicólogo, Sexólogo

Sinop

Agendar uma visita

Pacientes que procuram atendimento com queixa de um fraco desempenho sexual sofrem em função de manter um histórico de sucessivas falhas, são acometidos de pensamento negativos (cognição negativa). Isso, inclusive, pode ocorrer quando o ato sexual está em curso. Ainda que exista ereção e penetração, o indivíduo aciona automaticamente seu sistema de crenças negativas e começa então o processo de falhas; a ereção diminui, muitas vezes ocorre à ejaculação precoce, além do tempo de retração do indivíduo se prolongar, ou seja, não consegue nova ereção dentro de um tempo satisfatório. Um sujeito ansioso e estressado, ainda que consiga a ereção, é facilmente “derrubado” pelas cognições negativas.

Paulo Roberto Buarque De Gusmão

Psicólogo, Sexólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Aproximadamente 45% dos homens tem alguma queixa de disfunção sexual. É um problema que causa desconforto e fragilidade emocional e o deixa vulnerável a verdadeiras armadilhas que tem no Mercado. A investigação das causas 1- Psicogênicas 2- Orgânicas (Vascular ; Hormonal ; Inervação) é essencial. Existe tratamento para todos os estágios de disfunção erétil e ele deve ser feito de forma individual, respeitando as necessidades do paciente. Me dedico em especial a este assunto e convido a você a seguir minhas redes sociais e visitar meu site para saber mais sobre o tema.

Dispomos do mais moderno tratamento para a disfunção erétil do mundo. A Terapia por Ondas de Choque Acústico. As Ondas de Choque restauram a circulação arterial do pênis, estimulando o crescimento de novas artérias penianas, promovendo ereções de ótima qualidade. Essas novas artérias são limpas, desobstruídas, livres das placas de gordura e das calcificações. Volte a ter as suas ereções sem comprimidos, sem injeções, sem cirurgia, sem efeitos colaterais, sem riscos para o coração. O tratamento demora 3 semanas, fazendo 2 sessões por semana. Os resultados surgem ao final da segunda ou terceira semana podendo durar vários meses ou anos. Ligue, agende o seu horário e peça para conversar.

Henrique Chvaicer

Sexólogo, Urologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

É caracterizada como uma recorrente diminuição progressiva ou até perda do interesse sexual ocasionando em dificuldades interpessoais. Essas dificuldades sexuais podem estar atreladas a incapacidade de “desligar-se” de preocupações, ausência de carinho, durante e depois do ato sexual, medo de intimidade e déficit na comunicação afetiva entre os parceiros e essas variáveis podem influenciar, ocasionalmente, na falha de desempenho sexual. Quando persistem, podem refletir em uma insatisfação sexual levando a algum tipo de disfunção. O objetivo da terapia focada no tratamento da disfunção sexual é promover a satisfação sexual.

A impotência sexual é uma doença cada vez mais presente na vida dos homens. As principais causas são: psicogênica (associada a pacientes jovens, ansiosos ou estressados); neurogênica (após lesões neurológicas, derrames, etc); e vasculogênicas (relacionada com doenças que lesam os vasos do organismo, como hipertensão, diabetes, dislipidemia e tabagismo). A disfunção erétil tem tratamento. Inicialmente opta-se por tratamento medicamentoso e, nos pacientes com poucas resposta, o implante de prótese peniana surge como uma boa opção. Alguns exames, como o Teste de Ereção com Doppler Peniano, podem auxiliar na definição do melhor tratamento para cada paciente.

A disfunção erétil é caracterizada pela incapacidade de iniciar e manter a ereção completa do pênis. Quando isso acontece, o homem não consegue manter-se ereto durante as relações sexuais, impossibilitando o alcance do prazer sexual. Também conhecida como impotência sexual, a disfunção erétil causa um impacto gigantesco não só na saúde física como na emocional do homem. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), só no Brasil são mais de 15 milhões de homens acometidos pela condição. O mais importante é que o paciente que esteja vivenciando os sintomas da disfunção erétil procure a ajuda de um especialista e não se desespere.Os tratamento são bastante eficazes e poderão auxilia-lo.

A disfunção erétil pode ser decorrente de aspectos físicos e/ou psicológicos. Muitas vezes os aspectos psicológicos podem ser facilmente identificados, mas precisam ser trabalhados, ressignificados (fazer uma releitura e guardar a mágoa/trauma/experiencia) de forma diferente e de tal maneira que não atrapalhe a vida do homem. O tratamento pode ser realizado individualmente ou mesmo em casal. Na minha experiência, quando aspectos psicológicos são o motivo da disfunção, temos na maioria das vezes a presença de forte exigência e cobrança pessoal (sensação de expectativas de perfeição) e ansiedade. O tratamento passa por estes aspectos e também muitos outros que são singulares para cada homem.

Barbara Ahlert Schneider

Psicólogo, Sexólogo

Porto Alegre

Agendar uma visita

Disfunção erétil é a incapacidade de atingir e/ou manter uma ereção adequada para a relação sexual.O tratamento fisioterapêutico proposto visa o fortalecimento da região genital do paciente através de exercícios e eletroestimulação. Tratamento não medicamentoso.Em geral, os resultados começam a aparecer logo nas primeiras sessões.

Fabiane Matheus

Fisioterapeuta

Curitiba

Agendar uma visita

É a incapacidade de obter ou manter uma rigidez peniana que permita uma relação sexual satisfatória. Dentre os principais fatores de risco: diabetes mellitus, dislipidemia, sedentarismo, tabagismo, idade, cirurgias pélvicas, desequilíbrios hormonais, fatores psicológicos e alguns tipos de medicamentos. Os tratamentos incluem medicamentos orais, tópicos, injetáveis e próteses maleáveis ou infláveis, seguindo esta ordem de complexidade.

Homens podem ter problemas de ereção por variadas razões, de ordem física ou psicológica. Quando a causa é psicológica, como ocorre na grande maioria das disfunções sexuais, é preciso compreender que esse sintoma faz sentido em um contexto maior: a maneira de ser de cada homem. Por meio de um processo que envolve a exploração de pensamentos, sentimentos, sensações físicas e comportamentos, meu trabalho tem o objetivo de auxiliar o cliente a conhecer a si mesmo de forma mais profunda. Ao se conhecer melhor, o cliente se torna capaz de resolver mais problemas. Portanto, o autoconhecimento possibilita a mudança de comportamentos, o que leva à eliminação da causa psicológica da impotência.

Disfunção Erétil (DE) é uma condição que afeta homens de todas as idades, sendo definida como a incapacidade persistente em obter e manter uma ereção suficiente, que permita uma atividade sexual satisfatória, causando um grande impacto em qualidade de vida e do casal. Resumindo, a DE é a incapacidade de obter e manter a rigidez peniana suficiente para promover o ato sexual.

Eduardo Augusto Corrêa Barros

Urologista

São Paulo


Disfunção erétil é a dificuldade ou incapacidade que o homem pode ter,de obter e/ou de manter uma ereção suficiente para realizar a penetração. Ela pode ocorrer em qualquer idade e, nos homens abaixo de 50 anos, as causas são, geralmente,de ordem psicológica. Preocupações com o trabalho, estresse, dificuldades financeiras,conflitos conjugais, preocupação com o desempenho sexual, receio de falhar novamente, são as causas mais comuns. O tratamento é feito através da terapia sexual com técnicas que ajudam o homem a restabelecer as suas ereções , ganhando autoconfiança e elevando a sua autoestima. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o tratamento, na maioria das vezes não requer medicação.

Walkíria Fernandes

Psicólogo, Sexólogo

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Ao falar dessa disfunção prefiro utilizar o termo "dificuldade ou bloqueio na ejaculação" primeiramente pois o termo impotência pode ser bem castrador, alem de trazer a tona sentimentos de muita inferioridade o que afeta no processo de autoconhecimento e auto estima que são essenciais para a melhoria e/ou extinção dessa disfunção. Ao avaliar pacientes com essa demanda é de suma importância saber quando começou, como, em qual situação e o que estava acontecendo na época que isso ocorreu a primeira vez. Além disso será considerado histórico familiar, religião, papel de gênero e social assim como ansiedade, doenças orgânicas e hábitos de vida. Acolhimento e empatia sempre estão presentes.

Luisa Miranda

Psicólogo, Sexólogo

Brasília


Disfunção erétil é a incapacidade recorrente e persistente em manter uma ereção peniana para uma relação sexual satisfatoria. De acordo com Moreira et al, no Brasil, cerca de 48,8% dos homens entre 40 e 70 anos apresenta algum tipo de disfunção erétil. O tabagismo, obesidade, deficiência hormonal, uso de medicamentos (antidepressivos, anti-hipertensivos etc), cirurgias, doenças psicogênicas, entre outros, são fatores de risco para o surgimento de tal patologia. O diagnóstico é feito através de uma consulta urológica e de exames complementares, como: dosagem de hormônios e Doppler do Pênis. Medicações, implante de prótese peniana estão entre as opções para o tratamento.

A perda na qualidade ou frequência nas ereções atinge grande parcela dos homens, em diferentes etapas da vida, com elevação da incidência à medida que a idade avança. O tratamento adequado possui, atualmente, ótimos resultados. Importante salientar que este quadro pode estar associado a outras doenças sérias, que devem ser reconhecidas e tratadas corretamente.

A disfunção erétil (popularmente “impotência sexual”) é a incapacidade de obter e/ou manter uma ereção com rigidez peniana suficiente para uma atividade sexual satisfatória. Ela afeta a saúde física e psicológica, tendo um impacto significativo sobre a qualidade de vida dos homens. A depressão e o estresse causado pela incapacidade de atingir uma completa ereção pode levar a um ciclo vicioso de um estado de ansiedade. Estamos habilitados para todos os tipos de tratamento de impotência, desde o medicamentoso até o implante de prótese peniana, terceira e última instância na sequência de tratamento desta patologia. A maioria dos pacientes apresenta boa reposta aos medicamentos prescritos.

Impotência sexual ou disfunção erétil é a incapacidade do homem em ter ou manter uma ereção suficientemente rígida para uma relação sexual adequada. Em alguns casos ela pode acontecer, mas não ser rígida o bastante para permitir a penetração. Pode acometer homens de diferentes faixas etárias e sua origem multifatorial . Traz grande impacto na qualidade de vida do casal. Sua investigação envolve diversos aspectos e o tratamento deve ser individualizado a cada caso.

Rodrigo Dal Moro Amarante

Urologista

São Paulo


A impotência sexual ocorre em muitos homens e causa um grande prejuízo para a qualidade de vida deles. Ocorre na maioria das vezes em homens com mais de 50 anos, porém cada vez mais temos notado que homens jovens também tem apresentado impotência sexual. O urologista é o médico especialista no tratamento dessa doença. Após o tratamento o paciente poderá se sentir melhor e mais confiante. O principal objetivo do tratamento é devolver ao paciente seu vigor sexual e melhorar sua qualidade de vida.

A maioria dos homens já experimentou uma situação de disfunção erétil (impotência sexual masculina), devido estar passando por um momento estressante, abuso de álcool ou medo de falhar com determinada mulher que conheceu recentemente, entre outras situações assim. Estas impotências ocasionais são normais. O problema só existe quando esta disfunção erétil persistir. Tornando-se um círculo vicioso. Com o uso da hipnose haverá novos estímulos sexuais, que ajudam no controle dos estímulos eróticos e atenuam a hipersensibilidade. Auto controle, calma, segurança, confiança e envolvimento com o parceiro(a) são os elementos que serão transmitidos durante o tratamento, de forma rápida e simples.

A disfunção erétil é a incapacidade de conseguir ou manter uma ereção suficiente pra uma performance sexual satisfatória A Disfunção erétil pode afetar a saúde física e psicossocial do homem e ter um impacto muito importante na qualidade de vida. A disfunção erétil acomete cerca de 25 milhões de homens adultos no Brasil, sendo que 11 milhões tem um transtorno da ereção moderado ou severo. Pode acometer homens adultos em todas as idades e suas causas são diversas e na grande maioria dos casos multifatoriais associando causas orgânicas e psicossociais. Existem diversas formas de tratamento da Disfunção Erétil. Procure um urologista para avaliar a melhor forma de tratamento para você.

A disfunção erétil (ou impotência) é uma condição relativamente nos consultórios de urologia. A sua incidência aumenta com idade e é mais  comum após os 40 anos de idade. No entanto pode surgir em homens mais jovens. Os principais fatores de risco para impotência são: obesidade, tabagismo, dislipidemia, diabetes, hipertensão, doença cardiovascular, medicações,  transtornos do sono ou problemas psicológicos. A base do tratamento consiste em identificar e corrigir os fatores de risco, uso de medicações, procedimentos não invasivos ou cirurgia. A psicoterapia é fundamental em boa parte dos casos.

Disfunção Erétil pode ser de origem psicogênica (problemas de relacionamento, conflitos conjugais e separações, problemas com emprego, depressão, insatisfação com a vida e atitude pessimista) ou orgânica (vascular, endócrina, neurogênica, tecidual e medicamentosa). O tratamento deverá ser realizado de acordo com a causa podendo utilizar desde terapia sexual, psicoterapia, medicações orais e injetáveis até, em último caso, cirurgia de prótese peniana.

Disfunção erétil ou impotência sexual é a incapacidade permanente de obter ou de manter uma ereção rígida o suficiente para uma relação sexual satisfatória. Acomete homens sexualmente ativos, principalmente os mais velhos. Estima-se que aproximadamente 50% da população masculina no Brasil, possui algum grau de comprometimento da ereção. Possui diversas causas, que vão desde problemas hormonais(hipogonadismo) até causas psicológicas. O urologista é o especialista que pode te ajudar no tratamento desta doença que tanto atormenta o sexo masculino.

Alisson César Freitas Alvarenga

Urologista

Belo Horizonte


Em nosso serviço fazemos uma avaliação apurada da história das disfunções sexuais levando -se em conta o lado biológico,fisiológico, laboratorial além de uma acurada psicanálise com o pessoal da psicologia que trabalha em conjunto numa perfeita hegemonia.

Luiz Pinto Matos

Sexólogo, Urologista

Serra Talhada


É a incapacidade de ter ou manter uma ereção satisfatória para o intercurso sexual. Pode ocorrer em qualquer idade, com causas variadas. Normalmente, na consulta ao urologista, numa simples conversa, o médico é capaz de suspeitar a causa determinante da disfunção erétil, e consequentemente, recomendar o tratamento cabível ou solicitar algum exame complementar.

Podemos definir a impotência sexual ou disfunção erétil (DE) como a incapacidade de se obter ou manter a ereção peniana adequada para a penetração vaginal. Estima-se que até 20% dos homens apresentam queixas de DE entre moderada e grave; observa-se com maior frequência em indivíduos acima dos 50 anos de idade. Após avaliação médica e diagnóstico específico dos fatores que levam o paciente a apresentar queixas relacionadas a DE, inicia-se o tratamento. Dentre as opções terapêuticas, podemos citar a psicoterapia, o uso de drogas orais que facilitam o mecanismo da ereção e até procedimentos cirúrgicos como a colocação de próteses penianas.

Dr. Walter Henriques Da Costa

Oncologista, Urologista

São Paulo

Agendar uma visita

Paciente com disfunção erétil, precisa ser bem avaliado. Uma boa anamnese e uma boa conversa sobre o problema. Pedir alguns exames de sangue. Caso seja necessário, utilizar medicamentos para disfunção erétil.

Andre Luiz Oliveira

Urologista

Campinas


A disfunção erétil é a incapacidade de iniciar e/ou manter uma ereção que seja suficiente para uma performance sexual satisfatória. Aproximadamente 50% dos homens entre 40 e 70 anos apresentam algum grau de problemas de ereção. Por meio de recursos da fisioterapia (eletroterapia, vacuoterapia e vibroterapia), exercícios de fortalecimento da musculatura peniana, técnicas de respiração para controle de ansiedade e exercícios físicos para melhora da consciência corporal e da terapia comportamental, o indivíduo é capaz de melhorar seu desempenho sexual.

Pedro Maia

Fisioterapeuta

Brasília

Agendar uma visita

A disfunção erétil, também conhecida como impotência sexual, é um distúrbio caracterizado pela dificuldade de se obter e/ou manter, uma ereção peniana adequada para a atividade sexual satisfatória. Atinge 52% dos homens entre 40 e 70 anos, em diferentes graus (leve, moderada e grave). A dificuldade para iniciar o tratamento adequado é o grande obstáculo a ser vencido. Portanto, conhecer o problema, vencer o medo e a vergonha e procurar ajuda médica especializada para o tratamento adequado são os principais fatores que levarão à solução do problema.

A disfunção erétil ou impotência é uma dificuldade em iniciar ou manter a ereção suficiente para que ocorra o ato sexual. Fatores como idade, tabagismo, obesidade, doença cardiovascular, diabetes com mau controle dos níveis glicêmicos, hipertensão, baixa dos hormônios sexuais, podem estar relacionado a essa doença. Em pacientes abaixo dos 40 anos, as causas psicológicas são mais frequentes. Somente um profissional capacitado pode fazer uma investigação adequada e sugerir a melhor forma de tratamento.

Avaliação completa sobre os principais causadores de Disfunção Erétil, com tratamentos personalizados e específicos para cada possibilidade, incluindo medicamentos, Ondas Sônicas RTOS, hormonioterapia e indução hormonal.

Cristiano Grizza Estivalet

Generalista

Brasília

Quais profissionais tratam Disfunção erétil (impotência)?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.