Doenças mamárias - Informações, especialistas e perguntas frequentes

As doenças mais comuns da região mamária são:

Afecção funcional benigna das mamas (AFBM)

Costumava ter o nome de Displasia Mamária. Não tem causa definida. Apresenta sintomas como dor, intumescimento e o aparecimento de vários caroços nos seios. Pode ser detectada através de um exame clínico comum dispensando a realização de exames laboratoriais ou de imagens. Aparece na maioria das vezes em mulheres jovens. Pode ser tratada com medicamentos, mas nem sempre isso é necessário. A condição normalmente desaparece após o período menstrual.

Câncer de mama

Surgimento de tumores no seio. Pode ser diagnosticado com exame clínico, mas necessita de confirmação através de exames de imagem (mamografia, ultrassonografia, ressonância magnética, entre outros). Com o diagnóstico confirmado, deve ser feita uma biópsia para retirada do tecido. Ele será analisado por um patologista que dirá se o tumor é benigno ou maligno. Em caso de câncer, a mastectomia é necessária. Pode ser seguida de radioterapia ou quimioterapia.

Doença de Paget

Um tumor que atinge a aréola ou o mamilo (ou até os dois juntos). A lesão mais característica é uma crosta desenvolvida na região. A pela fica mais espessa, áspera e enrugada. Pode gerar uma úlcera ou até mesmo sangramento. Todavia, dor, ardência e coceira são os sintomas mais comuns. Além do diagnóstico clínico é necessária a realização de exame de imagem (ultrassonografia ou ressonância magnética) e biópsia podendo até ser feita a retirada total da lesão. A condição é frequentemente associada ao câncer. Quando há a confirmação desse diagnóstico, o tratamento é a cirurgia. Antigamente a mastectomia (extração da mama atingida) era a única opção indicada seguida por radioterapia. Hoje, de acordo com as condições da paciente, é possível fazer a retirada apenas da região afetada sem a remoção do seio.

Ectasia ductal

Comum em mulheres com idade igual ou superior a 40 anos. É uma infecção nos ductos mamários que provoca dor e secreção mamilar. Na maioria dos casos a secreção é escura. A causa é desconhecida, mas é frequentemente confundida com câncer. Sua detecção é feita através de exame clínico comum. Exames de imagem podem ser solicitados para confirmar o diagnóstico. O tratamento é feito com medicamentos.

Outras

Há ainda o aparecimento de cistos na região mamária. Eles não podem ser caracterizados como uma doença nem aumentam o risco de desenvolvimento de câncer ou qualquer outra patologia. A dor mamária é outro sintoma derivado das variações hormonais. Também pode surgir devido a traumatismos, inflamações, obesidade, entre outros. Assim como o cisto, também não é considerada doença. O diagnóstico pode ser feito através do exame clínico e contar com auxílio de exames laboratoriais e de imagem. Há possibilidade do uso de medicamentos no tratamento.

Não descuide da sua saúde

Escolha a consulta online para iniciar ou continuar o seu tratamento sem sair de casa. Se precisar, você também pode marcar uma consulta no consultório.

Mostrar especialistas Como funciona?

Especialistas - doenças mamárias

Terezinha Borges

Terezinha Borges

Ginecologista

Florianópolis

Rogerio Grossmann

Rogerio Grossmann

Mastologista, Ginecologista

Porto Alegre

José Justiniano Torrico

José Justiniano Torrico

Ginecologista

Rio Branco

Carlos Jose da Fonseca

Carlos Jose da Fonseca

Ginecologista

Cabo de Santo Agostinho

Norberto Nora

Norberto Nora

Ginecologista

Caxias Do Sul

Alexandre Camara Pecanha

Alexandre Camara Pecanha

Cirurgião plástico

Patos de Minas

Perguntas sobre Doenças mamárias

Nossos especialistas responderam a 213 perguntas sobre Doenças mamárias

Todo liquido que sai pelo mamilo deve ser investigado, sendo normal apenas a saida leite no momento da amamentação.
1 respostas

Não. Cistos são na maioria das vezes alterações benignas da mama que aparecem devidos a alterações no tecido das mesmas.
1 respostas

A tomografia não é considerada exame de rastreio para doenças mamarias. os exames destinados ao cuidado das mamas são mamografia, ultrassonografia e ressonância nuclear magnética com contraste.…
1 respostas

Especialistas falam sobre Doenças Mamárias

Colocação de prótese de mama redonda, cônica ou natural. Perfil baixo, médio, alto ou superalto. Próteses lisas, texturizadas ou revestidas de poliuretano. Incisão axilar, areolar ou inframamária.

Ricardo Alexandre Silveira

Cirurgião plástico, Cirurgião geral

Ribeirão Preto


As alterações de forma e tamanho da mama são muito comuns nas mulheres, principalmente após a gestação e amamentação. Os níveis de queda (ptose) das mamas podem variar muito, podendo ter variações na própria paciente devido escolha do lactente. Em níveis discretos de ptpse podem muitas vezes ser corrigidos apenas com o implante de próteses, sem necessitar de retirada de pele. Em níveis moderados a importantes de ptose é recomendada a retirada de pele, pois a simples inclusão de prótese geralmente ocasiona a queda precoce da mama. A opção da técnica é feita sempre junto ao paciente, levando em conta características físicas e os desejos pessoais de cada mulher.

Leonardo Caetano

Cirurgião plástico, Especialista em harmonização orofacial

São Paulo

Agendar uma visita

As estratégias para a detecção precoce do câncer de mama são o diagnóstico precoce e o rastreamento. A orientação é que a mulher realize o autoexame das mamas sempre que se sentir confortável para tal (seja no banho ou em outra situação do cotidiano). A Organização Mundial da Saúde define o rastreamento do câncer de mama para mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos como prioritário. A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) recomenda o rastreamento com a mamografia bilateral a partir dos 40 anos. A mamografia é extremamente importante para detectar a presença da doença em seu estágio inicial, quando a chance de cura chega a ser de 95% e o tratamento é mais simples.

Norma Luiza Machado Silveira

Ginecologista, Mastologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Entendemos que uma consulta médica deve ser encarada como um verdadeiro encontro entre pessoas. Neste caso, uma das pessoas é um paciente com suas dúvidas e inseguranças pelo problema apresentado. Ouvir e entender de fato, cada problema que um paciente traz ao médico, é a chave para ajudá-lo na solução. Por isso consideramos que, a avaliação das queixas do paciente desde seu início, do histórico pessoal e familiar, dos exames já realizados, complementado por um exame clínico completo é fundamental para se alcançar bons resultados no cuidado dispensado à cada paciente.

As mamas são parte importante do ser mulher, e seu cuidado é fundamental para a sua saúde como um todo.

Kelma Assis Sandes Lima

Mastologista

Salvador

Quais profissionais tratam Doenças mamárias?

Pesquisas relacionadas


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.