Cálculos renais - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em cálculos renais

Encontre um especialista em Cálculos Renais na sua cidade:
Marcelo Mageste

Marcelo Mageste

Médico clínico geral, Nefrologista

Pará de Minas

Kalielton Ribeiro Da Paz

Kalielton Ribeiro Da Paz

Urologista

Imperatriz

Jerônimo Coelho

Jerônimo Coelho

Urologista

Fortaleza

George Rafael Martins de Lima

George Rafael Martins de Lima

Urologista

Fortaleza

Felipe Faria Teodoro

Felipe Faria Teodoro

Urologista

Rio de Janeiro

Carlos Alencar

Carlos Alencar

Especialista em diagnóstico por imagem, Radiologista

Porto Velho

Perguntas sobre Cálculos renais

Nossos especialistas responderam a 339 perguntas sobre Cálculos renais

Para esse cálculo que você tem, existem 3 tratamentos minimamente invasivos possíveis (a Litotripsia Extracorpórea, a qual você mencionou, a Ureterorrenolitotripsia Flexível a Laser e a Nefrolitotripsia…
1 respostas

olá, existem alguns exames que podem ser realizados para se detectar a causa da formação dos cálculos e as vezes é possível dissolve-los com tratamento medicamentoso

consulte um…
1 respostas

Olá
A presença de febre associada ou não a calafrios sugere processo infeccioso.
Sugiro retornar ao urologista que realizou o procedimento para melhor avaliação.
Att, Dr…
2 respostas

Especialistas falam sobre Cálculos Renais

A litíase renal aflige 10 a 15% da população. É pouco mais comum em homens. A importância das pedras renais não é apenas no sentido de evitar as tão famigeradas dores e complicações somente deste orgão. A ligação entre cálculo e doença vascular é bem documentada na literatura. Pedras nos rins foram associadas a aumento de 31% no risco de infarto do miocárdio. 80% dos cálculos são formados por oxalato de cálcio (as vezes com fosfato de calcio associado). 10% contem acido rico. 10% estruvita. 5% de ácido úrico puro. 1% cistina. A ligação entre pressão alta e obesidade e pedra nos rins é muito bem estabelecida na literatura. Tanto pessoas com pressão alta tem mais chance de formar pedras.

Alain Machado Da Silva Dutra

Urologista

Santo André


Atualmente conseguimos gazeta imensa maioria dia tratamentos de cálculos renais com endoscopia e laser, sem corte. À recuperação é rápida e os riscos mínimo. Também é possível fazer estudo pra evitar a formação de novos cálculos, ou aumento dos já existentes! Se tem diagnóstico ou suspeita de cálculo marque com um urologista! Temos ao nosso dispor todos os mais modernos tratamentos para cálculos renais/ureterais disponíveis no mundo aqui em Brasília.

Prof. Ricardo Alexandre Fernandes Ferro

Oncologista, Urologista

Brasília


Hoje em dia muitos pacientes procuram um nefrologista para tratamento e prevenção de cálculos renais. O nefrologista irá investigar os hábitos alimentares da pessoa e realizar o Estudo Metabólico, um conjunto de exames de sangue e urina usados para diagnosticar doenças que estejam causando a formação das pedras. Identificando e tratando o problema, é possível prevenir o aparecimento de novos cálculos !

Realizacao de cirurgia para retirada de calculos: todas cirurgias sem corte, sem cicatriz, minimamente invasivas

Quem já teve Cálculo Renal sabe das dores intensas na região abdominal inferior e lombar que esse problema causa. Mas essas dores não são os únicos sintomas. Podem ocorrer também: • Náuseas • Vômitos • Calafrios • Distensão Abdominal • Febre • Desejo frequente de urinar • Sangue na urina Muitas vezes as pedras nos rins não provocam sintoma nenhum, podendo passar despercebidas. O cálculo renal não tratado pode provocar complicações ao sistema urinário, causando infecções e até mesmo parada de funcionamento dos rins. Portanto, se sentir os sintomas descritos acima, não necessariamente todos, procure um médico urologista.

Jesus Pires

Urologista

São Caetano do Sul

Agendar uma visita

Cálculos no ureter ou nos rins podem ser tratados de várias maneiras. Dependendo da localização dentro do trato urinário as opções se sobrepõem e mais de um procedimento pode ser utilizado, cada um com suas vantagens e desvantagens. Com a tecnologia avançando no campo da urologia novos aparelhos e procedimentos tornam-se disponíveis para o uso, aumentando o rol de opções. Esse avanço faz procedimentos já estabelecidos (como as cirurgias com grandes cortes) ficarem obsoletos devido às comorbidades e complicações relacionadas a esses procedimentos mais antigos.

A Litíase Urinária é a presença de "pedras ou cálculos” em algum local do sistema urinário. Os rins são responsáveis por filtrar todos os líquidos que ingerimos, por ele passam diversas substâncias que são eliminadas pela urina. Quando isso não ocorre, essas substâncias se solidificam, formando minúsculas pedras. Estima-se que 5 a 15% da população sofra de pedra nos rins. O tratamento depende da localização do cálculo, do seu tamanho, e dos sintomas que estão causando.

Em geral, a predisposição genética, as alterações metabólicas, a idade, o clima quente e úmido e a baixa ingesta de água e frutas e vegetais, além do excesso de carne são os principais fatores de risco para a litíase renal. O Tratamento depende do tamanho, da localização precisa no trato urinário e da densidade do cálculo. A prevenção é tão ou mais importante que o tratamento, já que 50% das pessoas tratadas formam novos cálculos num período de 5 a 10 anos, caso não se previnam.

Apesar da importância em tratar os cálculos renais, evitando que eles cheguem a obstruir os rins, é também muito importante sua prevenção, principalmente através de exames que possam descobrir a origem destes cálculos e assim conduzir sua profilaxia. pense nisto: Prevenção.

Cálculos renais, ou pedras nos rins, são formadas por pessoas que tem condições genéticas ou comportamentais que possibilitam ao rim cristalizar as impurezas por ele filtradas. Podem causar dor aguda, infecção e até mesmo causar a perda da função do rim! Por isso e importante às pessoas que são predispostas a formação de cálculos estar sempre vigilantes e poder contar com ajuda imediata quando acontecerem as emergências que podem requerer inclusive tratamento cirúrgico. Contamos com os aparelhos e técnicas mais modernas no tratamento de cálculos renais, da cirurgia a Laser ate o suporte clinico e nutricional.

Felipe Dias Martins

Urologista

Campos Dos Goytacazes


Hoje em dia dispomos de uma ampla variedade de tratamentos minimamente invasivos para a eliminação de cálculos renais. Através de um procedimento endoscópico pelo próprio canal da urina podemos ter acesso aos rins e, com a utilização de fibras Lasers, fragmentar a maioria das pedras até o nível de poeira. Da mesma forma, podemos também retirar os pequenos fragmentos com a utilização de sondas muito finas e delicadas sem qualquer corte ou incisão cirúrgica no corpo do paciente. Estes procedimentos podem ser realizados sob anestesia peridural, são normalmente realizados em nível ambulatorial e muito bem tolerados, com retorno às atividades no dia seguinte.

Os cálculos renais provocam dores lombares, relatadas por pacientes como as mais intensas entre todas. No exame procuro detectar cálculos e localizá-los nos rins, ureteres(canal entre o rim e a bexiga) e finalmente na saída da bexiga(uretra), determinando o grau de dilatação dos rins(hidronefrose), sua localização, tamanho e demais complicações, tais com pielonefrite(infecção que chegou ao rim).

Carlos Alencar

Especialista em diagnóstico por imagem, Radiologista

Porto Velho


A prevalência de cálculos urinários durante a vida pode variar de 1% a 15% e os fatores de riscos principais são: geográficos, climáticos, étnicos, dietéticos e genéticos. Os cálculos urinários são mais frequentes nos homens do que nas mulheres, acometendo todas as faixas etárias, tendo um pico de maior incidência entre os 20 e 40 anos. A recorrência pode ser de 50% a depender dos fatores de risco. A cólica é um dos quadros álgicos mais intensos observados na medicina e deve ser tratada por um especialista. O tratamento dos cálculos pode ser clínico ou cirúrgico, sendo a última opção geralmente realizada por via endoscópica, com pouca invasividade, rápida recuperação e boa resolução.

Iuri Arruda Aragão

Urologista

Fortaleza


A maioria dos cálculos urinários se forma no rim devido um desequilíbrio entre a quantidade de água e sais minerais presentes na urina. A quantidade aumentada destes sais leva à formação de cristais, que irão se unir e formar uma pedra. O cálculo no interior do rim em geral causa poucos sintomas, mas com o tempo a maioria dos pacientes acaba apresentando dor, sangramento na urina ou infecção por causa das pedras. Cálculos de até 1,0cm podem ser acompanhados ou tratados a partir do momento que os sintomas surgem. Os tratamentos variam de acordo com a localização, tamanho e dureza da pedra. São opções de tratamento a litotripsia externa, a ureterolitotripsia flexível e a nefrolito percutânea.

A pedra no rim, também conhecida como cálculo renal ou litíase renal, é uma doença muito comum, causada pela cristalização de sais mineiras presentes na urina. A crise de cólica renal é um dos eventos mais dolorosos que um paciente pode experimentar durante a vida. A dor causada pelo cálculo renal é muitas vezes descrita como sendo pior do que a de um parto, fratura óssea. Dr André tem grande experiencia no tratamento do calculo renal. Realiza litotripsia extracorporea que consiste na fragmentacao dos calculos renais sem necessidade de cirurgia. Realiza tambem litotripsia (fragmentacao dos calculos atraves de procedimento endoscopico) rigida e flexivel a laser.

André Ramos Sorgi Macedo

Urologista

Londrina


Popularmente conhecido como pedra dos rins, o cálculo renal ou litíase renal é o produto da sedimentação de metabólitos produzidos pela filtragem do sangue pelo rim. Na verdade, o cálculo renal é uma nomenclatura imprecisa. Melhor chamá-lo de cálculo das vias urinárias porque pode acometer qualquer ponto do aparelho constituído pelos rins, ureteres, bexiga e uretra. A formação de cálculos nos rins geralmente ocorre por duas principais causas: hábitos de vida das pessoas e herança genética. Sendo assim, o excesso de alimentos ricos em proteína animal e de sódio (sal), e uma baixa ingestão de líquidos aumentam a chance das pessoas desenvolverem cálculos renais.

Cálculos renais, as famosas "pedras nos rins" são bastante comuns na população. Sua principal origem é devido a baixa ingesta de líquidos, deixando a urina muito concentrada, facilitando depósito de cristais e posteriormente formação de pequenos cálculos. Alguns pacientes podem ter distúrbios metabólicos ou anatômicos que favorecem a formação dos mesmos. O tratamento dos cálculos depende muito dos sintomas, tamanho, localização e dureza dos cálculos. Existem tratamentos com medicação, com litotripsia e até mesmo cirurgias. Atualmente as cirurgias mais realizadas são minimamente invasivas, sem cortes e com auxílio de laser.

O principal papel do Nefrologista quando atende em seu consultório algum paciente com pedra nos rins é investigar se há ou não alguma condição que favoreça a formação de cálculos nos rins, orientar e tratá-lo clinicamente, evitando novas crises e cirurgias, melhorando a qualidade de vida. Além disso, em casos selecionados, pode-se passar algum medicamento que facilite a saída das pedras, evitando procedimentos cirúrgicos, devendo ser avaliado criteriosamente. Cada paciente terá seu atendimento personalizado, com um especialista que estará a sua disposição para lhe oferecer o melhor para a sua saúde.

André Da Fonte Reis

Nefrologista

Sobral


A presença de cálculos nos rins pode não causar nenhum sintoma. Em caso de migração do cálculo para o ureter (ducto que leva a urina dos rins para a bexiga), pode haver impactação do cálculo, o que pode cursar com dor importante na região dos rins e no trajeto do ureter. Além de causar obstrução do trato urinário, pode também causar perda da função renal e infecção urinária. A indicação da estratégia de tratamento vai depender da composição do cálculo, da sua dureza, da localização e dos sintomas. A ureterolitotripsia a laser e a litotripsia extracorpórea estão entre as indicações mais precisas para a maior parte dos cálculos urinários.

Os cálculos renais, também conhecidos como "pedras nos rins" são formados pelo desequilíbrio na saturação da urina. Sabe-se que esta patologia é multifatorial, ou seja, causada por fatores como: hereditários, ambientais, dietéticos (excesso de sódio), metabólicos (ex. deficiência de citrato, níveis aumentados de ácido úrico), dentre outros. Pessoas com pedras nos rins podem não ter sintomas, ou mesmo apresentarem sangue na urina e dor. O tratamento depende do quadro clínico que o paciente apresenta, assim como do tamanho e da localização do (s) cálculo (s). A cirurgia a laser é um tratamento minimamente invasivo, que realizo há mais de 6 anos, com ótimos resultados.

Luis Fernando Dip

Cirurgião geral, Urologista

Francisco Beltrão


Os cáculos (pedras) das vias urinárias são formados principalmente nos rins, podendo estar presente em toda via urinária. Em algumas situações podem causar terríveis cólicas. A sua origem deve-se principalmente nos hábitos alimentares inadequados e na tendência familiar. Existem diversas formas de tratamento, desde cirurgias endoscópicas a laser, litotripsias, videolaparoscopias e cirurgias abertas.

Gilberto Vianna

Urologista

São José dos Campos


Cálculo renal é problema muito relacionado com a alimentação e ingesta hídrica, por isso o acompanhamento com o urologista para uma adequada alimentação, prevenção de doenças ligadas à litíase renal, e assim melhorar a qualidade de vida do paciente evitando crises álgicas ocasionadas pela migração de possíveis cálculos.

Avaliação metabólica e tratamento clinico e cirúrgico dos cálculos renais através de procedimentos minimamente invasivos, como na ureterorrenolitotripsia endoscópica, cirurgia renal percutânea e na cirurgia renal videolaparosocópica.

Rafael Pauletti Goncalves

Urologista

Natal


Avaliação metabólica para identificar a causa da formação de cálculo de cada pessoa (existe inúmeras causas). Prescrição de tratamento individualizado e acompanhamento para que não ocorra mais a formação do cálculo urinário, evitando a crise de dor, perda da função renal e o surgimento da hipertensão arterial.

A maioria dos cálculos são constituídos por oxalato de cálcio, sendo a baixa ingesta hídrica a principal responsável pelo seu surgimento. A água é essencial para o funcionamento celular basal. A desidratação faz com que nosso organismo poupe líquidos, tornando a urina concentrada, rica em impurezas. Esse solutos posteriormente formam cristais, que se agregam ao longo dos dias, originando a pedra. Outras condições predisponentes são o uso abusivo de determinados alimentos; doenças metabólicas; obesidade; diabetes e infecções urinárias de repetição.

Depois de feito o diagnóstico, o tratamento dos cálculos renais irá depender dos sintomas do paciente, além do tamanho e posição dos cálculos. Outros fatores, como a densidade (dureza) das pedras e biótipo do paciente, também podem influenciar a terapia. Hoje em dia dispomos de grande arsenal para o tratamento da litíase urinária. Os tratamentos podem variar desde analgesia, observação e orientações comportamentais, até litotripsia extracorpórea, endoscopia do trato urinário (ureteroscopia com laser), e cirurgia por vídeo e aberta, essa última cada vez mais rara atualmente. No caso de diagnóstico ou suspeita de cálculos renais, procure seu urologista para iniciar seu acompanhamento.

Os cálculos renais, são cristais formados pela alta concentração de sais nas vias urinárias. Os cálculos renais acometem cerca de 10% da população geral. Além da predisposição genética, os hábitos de vida, dieta e sedentarismo possuem um grande impacto na formação das pedras. Dentre eles destacam-se a baixa ingesta de líquidos e o alto consumo de sódio e proteínas animais na dieta. Os principais exames utilizados para o diagnóstico são a ultrassonografia das vias urinárias e a tomografia computadorizada. Até 80% das pessoas que possuem um cálculo urinário não precisarão de um tratamento ativo. Cálculos grandes ou que causam sintomas muitas vezes necessitaram de um tratamento cirúrgico.

Hiury Silva Andrade

Urologista

São Paulo


Os cálculos renais ou pedras no rim, como são mais conhecidos, atingem um grande número de indivíduos. O seu tratamento envolve desde medidas dietéticas, passando por procedimentos, e até cirurgias. Cada situação deve ser vista com atenção aos detalhes como tamanho, localização e se causam ou não alugum desconforto ou dor. É desta maneira que podemos oferecer a melhor opção para cada caso.

Os cálculos renais causam muito sofrimento para os pacientes e existem diversas formas de tratamento. Dentre eles, priorizo, em meus pacientes, o tratamento endoscópico (sem cortes) de última geração. Utilizando técnicas modernas e os equipamentos mais sofisticados no segmento, o que leva a um menor risco cirúrgico e uma recuperaçao mais rápida.

Um cálculo renal ou urolitíase, popularmente denominado "pedra no rim", é uma massa ou agregado cristalino sólido que se forma nos rins a partir de sais minerais presentes na urina. A migração dos cálculos renais para o ureter podem gerar edema inflamatório local e consequente dilatação à montante do cálculo, provocando a clássica CÓLICA RENAL, que pode vir acompanhada de sangramento na urina, infecção urinária e febre. Atualmente, o tratamento é feito, na maioria dos casos, de modo endoscópico (sem cortes na pele) e com uso do LASER para fragmentação do cálculo.

A litíase urinária é conhecida popularmente como pedra na urina. Pode causar inúmeros sintomas, a depender de sua localização no sistema urinário. Ocorrem cerca de 140 casos para cada grupo de 100 mil pessoas por ano. Se não tratada devidamente, pode causar problemas graves como perda da função dos rins e infecções urinárias complicadas. Os sintomas podem variar, no entanto o mais comum inclui dor forte na região lombar e abdominal, associado ou não a náuseas e vômitos, além de febre. Com a tecnologia atual, pode-se dizer que, quando necessária alguma intervenção cirúrgica, a grande maioria dos procedimentos é minimamente invasivo, mediante a realização de cirurgias endoscópicas com laser.

Estima-se que até 5% das crianças podem apresentar litíase (cálculo ou pedra) renal. Atinge, na grande maioria dos casos, o sexo masculino, com uma maior incidência entre os sete e doze anos de idade. Existe uma maior probabilidade de ocorrer em crianças cujos familiares próximos tenham pedras nos rins. Os fatores que influenciam para a formação de pedras nos rins e nas vias urinárias são muitos, e entre eles destacam-se:malformações ou lesões no trato urinário, fluxo urinário inadequado,pH urinário inadequado, infecções urinárias e Excesso ou diminuição de algumas substâncias na urina.

Marcela Ferreira De Noronha

Nefrologista, Pediatra

São Paulo

Agendar uma visita

O tratamentos dos cálculos urinários devem se passar desde a prevenção, indicando simples mudanças nos hábitos de vida de cada paciente (isso deve ser especifico para cada caso/cada paciente) até o tratamento propriamente dito. Com o avanço da tecnologia esse tratamento se tornou menos agressivo e com melhores resultados, através do canal da urina ou de pequenos cortes ( 1 a 2 cm), podemos resolver 90% dos cálculos urinários. Esse avanço esta disponível e deve ser escolhido sempre que possível. O uso dessas tecnologias já fazem parte da minha rotina diária, e fez parte de todo meu desenvolvimento. Ótimos resultados com menos trauma/invasão cirúrgico.

Cálculos renais são as famosas "pedras nos rins". É uma doença comum na população. Muitas vezes as pessoas descobrem que a possuem quando apresentam uma dor muito forte, a chamada "cólica renal". Essa doença pode ser prevenida. Quando há necessidade de cirurgia, é realizada sem corte, através de aparelhos modernos (vídeo e laser).

Roberto Medeiros

Urologista

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Os cálculos renais são verdadeiras pedrinhas que se formam dentro dos rins quando a urina tem alguma substância muito concentrada (por exemplo: cálcio, ácido úrico, oxalato). Eles podem ser de vários tamanhos e os sintomas que causam dependem da posição em que eles se encontram. Se eles estão no rim geralmente provocam uma dor moderada a forte abaixo da costela que segue até as costas. O paciente pode ter febre e infecção urinária. Se eles estão no ureter o paciente sente uma dor extremamente forte que pode seguir para os testículos ou para a vulva. Geralmente os pacientes sentem náuseas e vomitam. Também podem ter febre. O tratamento varia dependendo do tamanho, posição e quantidade deles.

Cálculos (renais ou ureterais) são comuns na população e motivo de visita frequente a unidades de Pronto Socorro ; No geral, causam dores intensas, e pacientes podem ser manejados através da conduta conservadora (clínica) ou cirúrgica (quando indicada). Na grande maioria da vezes , realizamos cirurgias minimamente invasivas, com auxílio de câmeras e laser para realizar a fragmentação do cálculo (endourologia - especialidade onde tive amplo treinamento no Brasil e Exterior - mais de 200 casos no ultimo ano). Sugiro em algumas situações, investigação metabólica, pois as chances de um segundo evento de cálculo (recorrência) são de 30% em 5 anos e 50% em 10 anos. Agende sua consulta!

Os cálculos urinários podem surgir em até 12% dos homens e 5% das mulheres ao longo da vida. A condição é mais comum nos homens devido à maior exposição aos fatores de risco. Os  principais fatores de risco estão ligados à dieta (pobre em líquidos, rica em sal e proteínas animais), história familiar ou por doenças associadas (ex: infecção urinária, gota, obesidade, entre outras). As principais complicações são dor intensa, infecção ou alteração da função dos rins. O diagnóstico se baseia na avaliação clínica e exames complementares laboratoriais e de imagem . O tratamento ideal (clínico ou cirúrgico ) depende do quadro clínico, complicações e características do cálculo.

Nathanael Batista Modesto Silva

Urologista

Petrolina


Os cálculos são as famosas pedras nos rins , elas se formam mais comumente em pacientes com baixa ingesta hídrica e pacientes com alimentação com excesso de sódio (presente em refrigerantes , sal de cozinha e alimentos condimentados). Pacientes que já apresentaram 1 episodio de litíase renal tem uma predisposição muito maior que a população geral em apresentar novo calculo. O tratamento deve ser individualizado conforme as queixas do paciente , tamanho e dureza , podendo ser clinico ou cirúrgico. O melhor mesmo é se prevenir , garanta uma ingesta hídrica adequada , corte o sal da alimentação e procure seu urologista.

Suhayl Pereira Jr

Cirurgião geral, Urologista

Palmas

Agendar uma visita

Cálculo renal (Pedra nos rins) Conhecida também como litíase renal, nefrotilíase e mais popularmente, como pedra no rim, o calculo renal é a cristalização dos sais minerais presentes na urina e podem ser encontrados nos rins ou em qualquer outro órgão do trato urinário. A dor causada por essa doença é descrita muitas vezes, como sendo maior que a de um parto, queimaduras graves e ferimentos por arma de fogo. O tratamento irá depender do tamanho e localização do cálculo renal. Para mais informações, agende sua consulta.

Nos paciente com cálculos de 20mm ou mais o procedimento padrão ouro é a litotripsia percutânea dos cálculos, mas recentemente, para cálculos renais inferiores a 20mm está indicado a ureteroscopia flexível, e nos casos de falha deste ultimo, temos o procedimento de nefrolitotripsia percutânea miniaturizada. Consulte um especialista.

A litíase renal é uma doença que causa imenso prejuízo para a sociedade tanto pelo seu potencial de morbidade (complicação) como pelo fato de acometer em maior numero a população ativa da sociedade (pessoas de 20-40 anos). Devido ao seu potencial debilitante prejudica a qualidade de vida dos pacientes pois os retira da suas atividades diárias. O cálculo renal é a manifestação de uma série de distúrbios no funcionamento do organismo causado principalmente pela produção de composto em grande quantidade (super saturação), baixo volume urinário (baixa ingesta hídrica) ou por algum impedimento na excreção da urina pelo rim como por exemplo alguma alteração de anatomia (estreitamentos e outros).

Você sabia que 1 em cada 10 pessoas terão um cálculo renal ao longo da vida? E que desses, 50% terão uma recorrência em 10 anos? A melhor maneira de tratar é prevenindo. Nesse caso a prevenção é feita com base em um método chamado estudo metabólico, onde o nefrologista analisa exames de urina e sangue ao lado da individualidade de cada paciente e determina quais os prováveis agentes causais dessa tão dolorosa condição. Sabendo da causa fica mais fácil definir o tratamento, não é? Nesse ponto definimos mudanças de hábitos de vida, com base principalmente na alimentação focada em comer comida de verdade(aquela que sua avó reconheceria como comida) e se necessário algum medicamento.

Jose De Resende Barros Neto

Médico clínico geral, Nefrologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

As pedras nos rins são formadas quando a urina apresenta quantidades maiores que o normal de determinadas substâncias, como cálcio, oxalato e ácido úrico ou que têm uma diminuição na quantidade de alguns fatores que impediriam a aglomeração desses cristais como por exemplo o citrato. Essas substâncias podem se precipitar e formar pequenos cristais que, depois, vão se aglutinar e se transformarão em pedras. Alguns fatores são considerados de risco, pois contribuem para o surgimento do cálculo renal, principalmente o Histórico familiar: Ou seja, se alguém da sua família já teve pedra nos rins, as chances de você desenvolvê-las também são maiores. Procure seu Urologista e cuide da prevenção.

O cálculo renal, também conhecido como pedra no rim ou litíase urinária, é uma das doenças mais comuns na população geral. A estimativa é que 12% dos homens e 5% das mulheres sejam acometidos por essa doença em algum momento de sua vida. Os principais sinais e sintomas são “dor nas costas” e dor com irradiação para região genital, podendo estar associada a náusea e vômitos Existem diversas formas de tratar a pedra; portanto, a escolha do tratamento é uma decisão a ser tomada em conjunto entre médico e paciente, dependendo do tipo da pedra, localização, dureza e condições clínicas.

Os cálculo renais constituem um problema frequente de saúde. Geralmente são descobertos durante exames de rotina ou num episódio de cólica renal. Algumas mudanças de hábito podem auxiliar a diminuir a formação desses cálculos, porém os portadores devem fazer um acompanhamento regular com seu urologista. Pessoas com familiares portadores de cálculo renal devem realizar exame de rotina.

Thiago Da Silveira Antoniassi

Urologista

São José do Rio Preto

Agendar uma visita

Tratamento dos cálculos renais com métodos minimamente invasivos, com as tecnologias modernas, rápida recuperação utilizando laser e técnicas ja estabelecidas nos melhores centros médicos do mundo.

Muitos pacientes sofrem de dores lombares causadas por cálculos renais. Existem inúmeras causas que levam a formação de cálculos: em alguns pacientes está relacionada apenas a alimentação e estilo de vida. Em outros casos, podem existir alterações metabólicas que aumentam esse risco. Nos casos de formação de cálculos de repetição, é importante a realização de um estudo metabólico feito através de exames de sangue e urina, para tentarmos com os resultados obtidos, traçar condutas dietéticas e até medicamentosas para evitar a formação de novos cálculos.

A formação de pedras nos rins é considerada hoje uma epidemia e está intimamente ligada à maus hábitos alimentares e de estilo de vida não saudável na maioria dos casos. Surgindo em indivíduos cada vez mais jovens, sua formação se dá em pessoas predispostas e tem forte caráter genético associado. A investigação metabólica realizada pelo médico nefrologista é de extrema importância na prevenção do surgimento de novas pedras e para evitar complicações ligadas à tentativa de eliminação pelos rins, desses cálculos.

Mariana Meneguso Nogueira

Nefrologista

São Paulo


A dieta é uma parte importante do plano de tratamento do paciente com cálculo renal. A dieta deve ser modificada com o tempo se o quadro se agravar. Além disso, devem ser feitos diversos exames para "manter sob controle" a saúde alimentar geral do paciente. O médico pode e deve encaminhar o paciente para um nutricionista para que assim ambos os profissionais possam trabalhar juntos para usar os alimentos certos nas quantidades certas. É necessário que o paciente tenha uma dieta adequada em carboidratos, proteínas, lipídios e outros nutrientes importantes.

Cálculos renais ou "pedras nos rins" são patologias frequentes e que necessitam muitas vezes de um tratamento especializado que pode incluir desde acompanhamento, litotripsia, medicações até cirurgia. O urologista também pode intervir na prevenção e diminuir as chances de recorrência.

O tratamento de cálculos urinários teve um grande avanço no Brasil, a partir do inicio dos anos 2000, com a introdução do laser e dos aparelhos flexíveis . Desde esta época que faço o tratamento dos cálculos por via endoscópica. O sucesso da litotripsia endoscópica a laser, dependem do volume do calculo, de sua densidade, e de sua localização. Sendo, atualmente, o método mais eficaz disponível. Com o aumento da eficiência da litotripsia endoscópica , e a constatação que a Litotripsia extracorpórea ( LECO ) só é eficiente para cálculos com densidade menor do que 900 UH e até 1,5 cm. Praticamente NÃO se indica mais este tipo de tratamento (LECO) .

Quais profissionais tratam Cálculos renais?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.