Câncer de próstata - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é câncer de próstata?

O câncer de próstata é uma doença que afeta homens de meia-idade e de idade avançada (cerca de 45 anos). É a formação de um tumor maligno da próstata, uma glândula do tamanho de uma noz que está localizada abaixo da bexiga e é responsável pela produção de esperma.

A próstata passa a uretra, uma espécie de canal ou tubo que transporta a urina da bexiga. Uma das consequências do alargamento da próstata é a redução do calibre do tubo, causando retenção urinária em alguns pacientes.

O câncer de próstata é um dos mais comuns no mundo, mesmo em nosso país (quarto em incidência após pulmão, colorretal, e bexiga).

Quais são os fatores de risco e como ele se desenvolve?

Não são muito claras quais são as razões por que alguns homens desenvolvem este câncer e outros não, isto é, os fatores que causam o câncer de próstata não são conhecidos com certeza. No entanto, sabemos que ambos os fatores genéticos e ambientais podem influenciar sua ocorrência.

Fatores genéticos

Eles se relacionam com a existência desse câncer na família como pais ou irmãos. Este fato é tido em conta como fator de risco. Estima-se que aproximadamente 4,5% dos casos são hereditários.

Fatores ambientais

São dieta e estilo de vida. Parece que os vegetarianos têm metade da probabilidade de desenvolver câncer. Há também diferenças geográficas: maior incidência em negros, e menor em Africano-asiáticos (China e Japão tem incidência muito baixa).

Pesquisa e estudo apontam fatores dietéticos; que podem ajudar a prevenir este tipo de câncer, tais como o selênio e uma substância derivada do tomate (licopeno). Alguns estudos levam a crer que estes dois agentes diminuem o risco de câncer de próstata.

É importante saber que não é adquirido por relações sexuais, nem está relacionado ao desenvolvimento de câncer de próstata, num primeiro momento considerou-se que a vasectomia poderia predispor a este tumor, mas depois vimos que não é.

A progressão do câncer de próstata é geralmente lenta e, em alguns homens pode levar até 10 anos antes de ser detectado. Entretanto, em alguns pacientes podem ocorrer formas mais rápidas e mais agressivas em que o câncer cresce e se espalha mais rapidamente. O crescimento do câncer pode quebrar a cápsula ao redor da glândula e difundir no exterior, tanto nas áreas mais próximas (spread local) como para outros órgãos do corpo (distante). Os órgãos mais frequentemente invadidos são os ossos, principalmente quadris, coluna lombar e costelas.

Quais são os sintomas do câncer de próstata?

Muitos homens, especialmente onde a doença ainda está numa fase precoce ou fase inicial, não apresentam quaisquer sintomas.

Se a glândula cresce de forma importante por alguma razão (e não apenas como o câncer), você pode pressionar a uretra e causar retenção de urina, que pode manifestar os seguintes sintomas:

  • Aumento da frequência de vezes que você tem que ir para urinar (freqüência urinária).
  • Várias vezes à noite para urinar (noctúria).
  • Sentindo uma necessidade urgente de ir ao banheiro.
  • Sensação de mal estar depois de urinar, sensação de que não está terminado o esvaziamento da bexiga.

Outros sintomas menos comuns:

  • Dor enquanto o paciente urina (disúria), presente em aproximadamente 45% dos pacientes.
  • Sangramento na urina (hematúria), que ocorre em 5%.
  • Impotência (não é capaz de estabelecer ou manter uma ereção).
  • Dor óssea, geralmente nas costas ou nos quadris, que muitas vezes indicam metástase ou propagação da doença para essas áreas.

É importante notar que estes sintomas não são exclusivos do câncer de próstata. Pode haver igualmente em outras doenças benignas ou malignas da próstata, ou outros órgãos vizinhos (reto, bexiga, ...). Portanto, é importante consultar um médico quando o paciente começar com algum destes sintomas, pois isso irá orientá-lo sobre a doença e, se necessário, irá se referir a um urologista para estudos mais completos ou tratamento.

Como é diagnosticado o câncer de próstata?

Existem dois exames simples que podem ajudar no diagnóstico de câncer de próstata: o teste ou exame de toque retal e o teste PSA.

  • Exame retal: é aquele que o médico insere um dedo no reto para sentir a próstata. A diferença no tamanho, consistência ou forma, guia sobre se patológico ou não. Este teste não é doloroso, embora irritante.
  • O PSA (Prostate Specific Antigen) é uma proteína produzida na próstata e lançada em uma parte muito pequena para o sangue. Na circulação de sangue uma quantidade de cerca de 4 ng / ml, é considerada normal. Nos distúrbios da próstata este número pode subir para valores de 3000 ou até mais.

Estes dois testes podem ser realizados rotineiramente pelo médico, especialmente em homens com mais de 50 anos.

Nenhum teste é 100% certo, mas a avaliação de ambos pode alertar o médico para a possibilidade de câncer de próstata, e continuar com outros exames mais detalhados.

Não podemos esquecer um detalhe, especialmente para não assustar ou amedrontar as nossas famílias: uma níveis elevados de PSA acima do normal não significa necessariamente que o indivíduo tem ou terá câncer de próstata. Este parâmetro é elevado em outras condições da próstata, como o alargamento benigno da glândula (hiperplasia benigna da próstata), e até mesmo um leve subida com a idade.

Como você interpreta exploração?

Se a DRE é uma próstata alargada sente ou espessada, mas mole (consistência pastosa) será geralmente indicativo de hiperplasia benigna da próstata, que, como já dissemos é uma doença que ameaça a vida do paciente, e que pode ser tratada de maneiras diferentes. No entanto, se no toque a consistência é desigual e tem nódulos da próstata, ou um disco rígido, quase como uma rocha de consistência, é mais provável que seja um câncer, e você tem que praticar mais a exploração.

Nós já sabemos que ele pode ser mostrado PSA elevado em homens com hiperplasia prostática benigna ou prostatite (infecção da próstata). Dentro dos valores de PSA, podemos dizer que há uma área "escura" para interpretar os valores entre 4 e 10 ng / ml, que não são indicativos de qualquer anormalidade específica, no entanto, quando os valores excedem o valor de 10 ng / ml, o médico irá realizar testes para descartar de forma mais clara a possibilidade de câncer de próstata.

Um homem que é suspeito de câncer, geralmente é encaminhado para estudos mais abrangentes para o urologista. Nem é de estranhar que este especialista, e outros testes, repita alguns dos testes  já  feitos ao paciente, especialmente os testes de sangue e urina. Um dos testes será um ultra-som, que pode ser abdominal ou transretal (aparelho de ultrassom através do reto). Com esse exame de imagem, você vai apreciar o tamanho da próstata, e se você tem nódulos, para orientá-lo sobre a benignidade ou malignidade do problema apresentado pelo paciente.

O teste final é a biópsia. Isso geralmente é feito com agulhas finas através do reto, e pode ser assistida por ultra-som. O tecido retirado é examinado ao microscópio para um resultado mais claro. Alguns efeitos colaterais que podem ter uma biópsia, especialmente nos dias seguintes, são: febre, infecção urinária, ou uma pequena quantidade de sangue na urina ou removidas do reto. Por isso antibióticos são muitas vezes dados nos dias de hoje para prevenir a infecção após o teste. No entanto, se esses problemas persistirem por vários dias, o paciente deve consultar o seu médico.

Como é tratado o câncer de próstata?

Uma vez diagnosticado o câncer de próstata, o paciente pode ter várias opções de tratamento. Estas opções serão marcadas por vários fatores: idade do paciente, tamanho do tumor, estágio ou grau do tumor, e se estiver contido na próstata ou se se espalhou para outras partes do corpo.

Após análise microscópica da amostra, normalmente atribuída uma pontuação, conhecido como o escore de Gleason. Esta pontuação varia de 1 a 10, enquanto que 2 é um câncer menos agressivo, e que 10 é o mais agressivo. Muitas vezes, tumores de baixo grau (menos agressivos) podem ser deixados para evoluir sem tratamento, porque eles não vão crescer muito significativamente, nem vai se espalhar. Tumores mais agressivos (geralmente superior a 7 Grau) devem ser tratados com cirurgia ou radioterapia.

Cirurgia

Nos tumores localizados (contidos na glândula), há a possibilidade de remoção cirúrgica por prostatectomia radical, que remove a próstata, vesículas seminais, e parte do canal deferente. A intervenção é importante e exige experiência do cirurgião, especialmente para evitar cortar os nervos ao redor da próstata que pode deixar efeitos colaterais permanentes, tais como a impotência (aproximadamente até 80%) ou incontinência urinária (5-25%, há pacientes com incontinência urinária grave que  são forçados a usar fraldas por longos períodos de tempo). Há até mesmo um risco de mortalidade operatória de 1,5%.

A radioterapia pode ser aplicada de várias formas

  • Radioterapia externa: tumores tratados com radiação externa ao paciente por uma máquina de tratamento. Esta técnica é muito importante para identificar a área de tratamento, tanto quanto possível para evitar os danos produzidos pela radiação ao tecido saudável ao redor da próstata. Apresenta uma complicação mais baixa: 40% a impotência, incontinência, 2%.
  • Braquiterapia: A radiação é outra técnica que envolve a implantação de pequenas sementes radioativas dentro da glândula. É feito através de agulhas finas que penetram na próstata e deixam grãos  permanentemente. É um procedimento que não necessita de cirurgia e pode ser concluído em um ou dois dias, o paciente pode voltar mais tarde à sua vida normal. Os efeitos secundários desta técnica são muito menores.

"A conduta expectante"

Não deve-se  se surpreender se na ocasião um membro conhecido ou familiar tenha sido diagnosticado com câncer de próstata e os médicos disseram que decidiram não tratá-lo e esperaram para ver como ele evolui. Isto é o que é conhecido como "observar e esperar." Esta prática é feita porque alguns tumores crescem tão lentamente que não é necessário intervenções terapêuticas, pois muitas vezes podem ter piores efeitos colaterais do que o próprio tumor. Geralmente é realizada em homens com mais de 70 anos, com tumores de crescimento lento, menos agressivo, e devemos ter em mente que eles serão continuamente revisados ??pelo médico. Controles regulares irão garantir que, se necessário, em algum momento ele vai exigir um tratamento específico.

Tratamento hormonal

Geralmente realizada em tumores que se espalharam para fora da próstata, no momento do diagnóstico. É bloquear a estimulação hormonal de testosterona para que esses tumores parem de crescer. Isso faz com que  o câncer pare ou se mova muito mais lentamente. Não cura, mas ajuda a controlá-lo, e, sobretudo, melhora os sintomas, como dor óssea ou problemas urinários.

Qual é a vida de pacientes com câncer de próstata?

De fato, o câncer de próstata não causa muitos problemas para o paciente, enquanto o tratamento realmente pode ser feito. Há pessoas que são diagnosticadas incidentalmente por exames médicos de rotina, e não experimentamram nenhum sintoma. As principais questões a serem apresentadas pelo paciente são incontinência e impotência, geralmente derivados dos tratamentos. Estes dois efeitos podem influenciar psicologicamente o indivíduo, levando até mesmo a estados depressivos que devem ser tratados. Pode também tratar a impotência de várias maneiras, mas atualmente, a droga sildenafil (Viagra) pode ser uma ajuda importante para esses pacientes. É importante consultar o seu médico antes de os efeitos do tratamento surgirem, e sua probabilidade de ocorrência, uma vez que o paciente pode escolher um ou outro tipo de ação terapêutica.

A incontinência é um problema mais difícil de tratar, e como mencionado, em muitos casos não há solução, e pode-se usar fraldas para uma temporada longa. Em casos extremos pode haver a possibilidade de cirurgia para diminuir a incontinência.

Especialistas em câncer de próstata

Encontre um especialista em Câncer de próstata na sua cidade:
Lucas Lampert

Lucas Lampert

Urologista

Novo Hamburgo

William Giovanni Panfiglio Soares

William Giovanni Panfiglio Soares

Oncologista, Médico clínico geral

Aracaju

Kalielton Ribeiro Da Paz

Kalielton Ribeiro Da Paz

Urologista

Imperatriz

Thiago Frainer Gonçalves

Thiago Frainer Gonçalves

Urologista

Campo Grande

Maria Cecília Monteiro Dela Vega

Maria Cecília Monteiro Dela Vega

Oncologista

Goiânia

Fábio Lepper

Fábio Lepper

Cirurgião geral, Urologista

Joinville

Perguntas sobre Câncer de próstata

Nossos especialistas responderam a 186 perguntas sobre Câncer de próstata

Dra. Patricia Moretto
Dra. Patricia Moretto
Oncologista, Internista
Porto Alegre
Olá. O risco depende da sua idade, de seus sintomas, dos valores de PSA anteriores, do resultado do toque retal. Estritamente falando, o PSA está maior que 4 e a relação do PSA livre / total…
3 respostas

Dr. Vinicius Vieira Simonetti
Dr. Vinicius Vieira Simonetti
Oncologista, Cirurgião geral
São Paulo
Esta variação pode ocorrer e é normal. Basta manter o acompanhamento com o seu oncologista ou cirurgião.
3 respostas

Olá
Os tumores prostáticos em sua maioria residem na parte mais externa da glandula - zona periférica. Tumores em outras topografias são bem mais raros, sendo os exclusivos da zona central…
2 respostas

Especialistas falam sobre Câncer de próstata

Os exames de próstata mais comuns para detectar alterações, como hiperplasia, prostatite ou câncer por exemplo, são o exame de sangue do PSA, que nestes casos é superior a 4 ng/ml e, o toque retal feito pelo urologista, que palpa a próstata para saber o seu tamanho, consistência e verificar se está aumentada. Estes exames devem ser realizados todos os anos a partir dos 50 anos de idade.

O câncer de próstata pode ser tratado com radioterapia ou cirurgia com finalidade curativa. A minoria dos casos é tratada com cirugia. Em Brasília fazemos a cirugia vídeo laparoscópica e fazemos cirugia assistida por robô em São Paulo. HiFu é outra modalidade de tratamento mas os resultados ainda estão em análise.

Prof. Ricardo Alexandre Fernandes Ferro

Oncologista, Urologista

Brasília


O câncer de próstata atinge 1 em cada 5 homens por volta dos 50 anos de idade. O diagnóstico precoce é a parte fundamental para bons resultados, pois permitirá um tratamento eficaz, com praticamente nenhum efeito adverso ou colateral. Por exemplo: Se o P.S.A. (Antígeno Específico Prostático - dosado no sangue) estiver abaixo de 10 (dez) e ao exame físico for detectado alguma alteração na próstata, mas ainda somente na glândula e não além dela, as chances de cura são de até 99 %. Recomenda-se uma avaliação anual após 50 anos, e, em homens com histórico familiar de câncer, já aos 45 anos, mesmo sem estar sentindo nenhuma alteração na urina, ou seja, sem sintoma algum. Procure seu médico.

Gunther Luis Rodrigues

Cirurgião geral, Urologista

Jales

Agendar uma visita

A dedicação ao estudo do Câncer de Próstata, Bexiga, Rim e Testículo, aliado ao conhecimento adquirido com o tratamento de centenas de pacientes no Cepon ao longo dos anos, fazem do Dr Marcelo Freitas um médico experiente e capacitado, capaz de definir o melhor tratamento dos tumores urológicos.

Marcelo Roberto Pereira Freitas

Oncologista

Florianópolis


No Brasil, estima-se que 13 mil homens morrerão de Câncer de Próstata em 2019! A chave para a cura é o diagnóstico precoce. A Soc Brasileira de Urologia, assim como as principais sociedades de urologia mundiais, indica uma avaliação anual a partir dos 50 anos no intuito de diagnosticar a doença em seu estágio inicial, para garantir chances de cura que chegam a 96%. Após avaliação pelo Urologista, este prazo pode ser alterado para cada 2-4 anos, a depender do risco individual. Ademais, essa avaliação urológica abrange outros problemas da saúde masculina como a possibilidade de síndrome metabólica: diabetes, hipertensão, colesterol alto e níveis hormonais; que podem impactar na vida sexual.

O câncer de Próstata em fase inicial não apresenta sintomas. Normalmente os sintomas só aparecem quando o câncer está em estágio avançado e as chances de cura são menores. Portanto, quem tem 50 anos ou mais, deve marcar uma consulta anualmente com um urologista. Juntos, médico e paciente poderão discutir sobre medidas preventivas e de controle para diversos problemas relacionados à saúde do homem. O objetivo maior da consulta, contudo, é fazer o diagnóstico precoce do câncer de próstata. Se você tem casos da doença na família, sua consulta deve ser antecipada para os 45 anos. Visite regularmente um médico urologista e mantenha hábitos de vida saudáveis.

Jesus Pires

Urologista

São Caetano do Sul

Agendar uma visita

Muito mudou sobre o tratamento do tumor de próstata nos últimos anos. Nem todos os tumores de próstata são iguais e o urologista tem condições de avaliar, com base em exames e na biópsia de próstata, quais são os tumores agressivos. A grande maioria dos tumores de próstata são considerados indolentes, ou seja, 75-80% das pessoas com câncer de próstata não morrem em decorrência da doença. O tratamento para todos, sem individualizar o risco de cada pessoa, pode trazer sequelas definitivas devido ao tratamento desnecessário. Homens a partir de 50 anos e aqueles da raça negra ou com parentes de primeiro grau com câncer de próstata devem iniciar o rastreamento aos 45 anos.

Ha diversos tratamentos distintos para os tumores de próstata. Por vezes, o tratamento cirúrgico é a melhor opção, outras vezes o tratamento radioterapia e hormonal, que possui eficácia semelhante ao tratamento cirúrgico, é o mais apropriado. Outras vezes, é necessária uma combinação destes tratamentos. A avaliação multidisciplinar envolvendo o oncologista, urologista e radioterapeuta é fundamental nestas decisões terapêuticas.

Marcos Vinicius Franca

Oncologista

Taguatinga


O Câncer de Próstata é o tumor maligno sólido mais frequente no homem, resultado do crescimento desordenado de células. Pode estar alojado exclusivamente na próstata ou, ao longo do tempo, se espalhar para outros órgãos. Infelizmente, o preconceito relacionado aos exames ainda é a maior barreira para o diagnóstico precoce. A SBU recomenda que homens a partir de 50 anos devem conversar com seus urologistas sobre os exames de detecção do câncer de próstata e que homens com fatores de risco – câncer de próstata na família, negros e obesos – devem fazer essa consulta a partir dos 45 anos.

câncer de próstata é uma doença que na sua fase inicial não apresenta sintomas, sendo assim indispensável a realização dos exames preventivos, como o PSA e o exame de toque, a partir dos 50 anos de idade. O PSA (Antígeno Prostático Específico) é uma proteína encontrada no sangue, que é específica para a próstata. O exame de PSA consiste numa coleta simples de sangue, que irá determinar os níveis de PSA presentes na corrente sanguínea do paciente. Pacientes que apresentam níveis de PSA elevado, especialmente os que fazem parte de grupos de risco (ex. ascendência negra, história familiar de câncer de próstata, idade mais avançada e toque retal alterado) podem ser encaminhados para biópsia.

É o tumor sólido mais comum em homens, atrás apenas dos cânceres de pele não melanoma. Mais comum na fiaxa etária dos 55 aos 68 anos, mas que também podem aparecer em 2% dos pacientes com 40 anos. Noventa por cento têm chance de cura se estiver em fase inicial e assintomática, que só tem diagnóstico se o paciente fizer exames de rotina: PSA total e toque retal.

A maioria dos pacientes atualmente diagnosticados com câncer de próstata não possuem parentes com esta doença, logo realize seu exame de próstata e guarde seu exame de psa para comparação todo ano. pacientes organizados tem diagnóstico do câncer enquanto eles estão menores, aumentando a chance de sobreviver, de cura e de evitar sequelas com tratamentos menos invasivos. obs: o exame não vicia, não tenha medo, é rápido e indolor.

O tumor maligno da próstata tem a possibilidade de ser diagnosticado logo em sua fase inicial e, portanto, pode ter um alto índice de cura com o tratamento adequado. Uma das maiores taxas de cura da doença tem sido obtida através da opção cirúrgica, onde a glândula doente é completamente extraída e, após análise do patologista, permite obter um estadiamento patológico adequado. As técnicas cirúrgicas minimamente invasivas tem representado um avanço consistente no manejo desta malignidade, com resultados de controle oncológico comparáveis às técnicas tradicionais, porém com as vantagens de ser realizado com incisões mínimas, menor volume de sangramento e menor tempo de internação.

Um em cada 7 homens serão diagnosticados com câncer de próstata ao longo da vida. É um número que assusta um pouco mas atualmente há inúmeras maneiras de tratar essa patologia, desde apenas acompanhar clinicamente com exames seriados, realizar tratamento com medicamentos, radioterapia e cirurgia para extração da próstata. A decisão sobre qual tratamento será realizado depende de alguns fatores como a idade do paciente e o grau de agressividade do tumor.

Luiz Henrique Araújo

Urologista

Recife


Silencioso, detectado por acompanhamento clínico onde os níveis de PSA(exame de sangue, que aumenta em casos como câncer de próstata ou prostatites), o toque retal e em conjunto exames ultrassonográficos da próstata, por via abdominal, transrretal e finalmente pela biópsia dirigida pela ultrassonografia.

Carlos Alencar

Especialista em diagnóstico por imagem, Radiologista

Porto Velho


O câncer de próstata é um mal que atinge 1 em cada 7 homens em todo o mundo. É uma doença que não costuma causar sintomas nas fases iniciais. Quando diagnosticada precocemente, tem grande chance de cura. Entender em profundidade as características da doença, assim como minimizar ao máximo os efeitos colaterais do tratamento, através de tratamentos pouco invasivos, são uma meta constante a ser perseguida. A informação de qualidade e a orientação profissional fazem toda a diferença nessa batalha.

Bruno Benigno

Oncologista, Urologista

São Paulo

Agendar uma visita

Realizo a cirurgia para câncer de próstata de forma minimamente invasiva, com bom resultado em termos de cura, continência e potência.

Tácito Guimarães

Urologista

Belo Horizonte

Agendar uma visita

O câncer de próstata é o tumor mais comum em homens, atingindo 1 em cada 6 homens. Tamanha incidência justifica seu rastreamento em homens acima de 45 anos de idade através de exame de toque retal e PSA. A escolha do tratamento ideal depende das características do tumor e do paciente.

O câncer de próstata é um tipo de câncer muito comum nos homens, especialmente após os 50 anos de idade. Em geral, este câncer cresce muito lentamente e grande parte das vezes não produz sintomas na fase inicial, porém, pode manifesta-ser através de sinais como dificuldade em urinar ou urina escura, por exemplo, que é comum a outros problemas como hiperplasia benigna da próstata. Geralmente, o tratamento pode ser feito com cirurgia, radioterapia ou quimioterapia, dependendo do estadiamento da doença, que quando é descoberta ainda na fase inicial, tem maiores chances de cura.

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais frequente no homem, após os tumores de pele. A Sociedade de Urologia recomenda que todos os homens a partir de 50 anos procurem seu urologista para discutir a necessidade de avaliação. Aqueles com maior risco da doença (história familiar de câncer e raça negra) devem procurar o urologista a partir dos 45 anos. O câncer de próstata causa poucos sintomas quando em estado inicial, por isso o exame de toque e o PSA são essenciais para o diagnóstico. A necessidade de novos exames e a data das próximas consultas em geral é definida pelo urologista levando em consideração caso a caso. Agende uma consulta para que eu possa avaliar o seu caso.

A próstata é um órgão que faz parte do aparelho reprodutor masculino e sua principal função é produzir parte do líquido que forma o sêmen ou “esperma”. Esse líquido é produzido por estruturas glandulares (ácinos) e possui propriedades que ajudam a nutrir e preservar a integridade dos espermatozoides. O câncer da próstata é uma consequência da transformação das células dos ácinos, que passam a se proliferarem de forma anormal e ganham a capacidade de invadir o órgão e até, em alguns casos, circular pelo corpo e produzir tumores em outras partes do corpo (chamado de metástase).

O câncer de próstata é o tipo de câncer mais frequente em homens no Brasil (excluindo câncer de pele). Estima-se que um a cada seis homens desenvolverão câncer de próstata ao longo da vida. Normalmente essa doença séria não provoca sintoma algum, sendo seu diagnóstico suspeitado em consultas rotineiras, através de dosagens do PSA e exames de toque retal. Quando descoberto em fases iniciais, as chances de cura com tratamento adequadamente realizado são muito altas. Quando descoberto em fases mais avançadas, existem várias opções de tratamento visando aumento de tempo e qualidade de vida. Importante acompanhamento por Urologista capacitado.

A próstata é o local onde mais ocorre câncer em homens, e a doença na fase inicial não causa nenhum sintoma. Por conta disso, recomenda-se que os homens realizem exames anuais (toque retal e exame de sangue - PSA) a partir dos 50 anos. Homens com fatores de risco para câncer de próstata (raça negra ou histórico familiar) devem iniciar os cuidados com 40 anos. Hoje em dia, conseguimos curar a maioria dos pacientes quando descobrimos a doença em fase inicial. Os tratamento clássicos são a cirurgia de remoção da próstata (pode ser realizada por laparoscopia ou por técnica robótica) ou a radioterapia. A decisão quanto ao tratamento deve ser realizada em conjunto entre o urologista e o paciente.

O Cancer de prostata é o tumor maligno mais comum no homem depois do câncer de pele não melanoma. Na fase inicial não apresenta sintomas, portanto, é imprescindível a realização da prevenção com check-up periódico. Os homens que tem historia familiar para câncer de próstata devem iniciar os exames apartir dos 45 anos e a população geral apartir dos 50 anos. Recomenda-se a realização do exame de PSA e toque retal anualmente. O tratamento mais avançado para o câncer de próstata é a cirurgia minimamente invasiva que consiste na remoção da próstata e vesículas seminais ( prostatectomia radical) assistida por rôbo. Somos pioneiros na cirurgia robótica no estado do Ceará.

O Câncer de Próstata é o segundo câncer mais frequente na população masculina e também o segundo tipo de câncer que mais mata o homem. Na apresentação inicial não causa sintomas, que normalmente aparecem quando já está em fase avançada. O diagnóstico precoce através de consulta e solicitação de exames complementares como o PSA é vital para indicar a melhor terapia que possibilite a sua cura.

O câncer de próstata é o segundo câncer mais comum em homens. Demanda uma vigilância anual, ou seja, todos os homens a partir dos 50 anos devem consultar um urologista para realizar o exame da próstata (caso tenha familiar com câncer de próstata, a idade de início passa a ser 45 anos). O exame de próstata é simples e rápido; basta vencer o preconceito. Quando diagnosticado em fase precoce, o tratamento costuma ser mais efetivo e com menores efeitos colaterais.

O câncer de próstata é o mais comum do homem (exceto pele) e o segundo que mais mata. um em cada seis homens poderá desenvolver a doença. Com exames de rotina os casos diagnosticados precocemente apresentam uma taxa de cura muito alta, por volta de 90%, daí a importância de acompanhamento periódico com o Urologista. Nossa equipe tem grande experiência no tratamento do câncer de próstata, sendo responsável por um grande número de pacientes operados com sucesso.

Ramatis Castro Souza

Urologista

Governador Valadares

Agendar uma visita

O câncer de próstata é a neoplasia sólida mais comum nos homens. Nossa experiência com essa doença vai desde a orientação do check up, exames para diagnóstico e tratamentos. Orientamos os prós e contras das mais diversas opções de tratamento. Cirurgia, radioterapia, seguimento vigiado e hormonioterapia/quimioterapia. Entre as opções cirúrgicas, realizamos a técnica convencional, técnica laparoscópica ( por vídeo) e também a técnica assistida por robô. A técnica robótica pode ser oferecidas aos nossos pacientes. Nela, um aparelho de robô auxilia nos na cirurgia, o melhora a precisão da cirurgia e otimiza seus resultados.

Gilberto Vianna

Urologista

São José dos Campos


A próstata é uma glândula que tem o tamanho de uma noz, se localiza abaixo da bexiga, envolvendo a uretra masculina. Ao longo da vida do homem, a próstata pode sofrer alterações com transformações de suas estruturas. A principal função da próstata é produzir a secreção prostática, que compõe uma parte do sêmen, servindo de alimento e transporte para o espermatozóide. O seu desenvolvimento é estimulado pela testosterona, o hormônio sexual masculino produzido pelos testículos. O câncer da próstata é uma consequência da transformação das células normais, que passam a se proliferarem de forma anormal e crescem fora de controle, ganham a capacidade de invadir o órgão e se disseminar.

Andréa Tatiane Oliveira Da Silva

Oncologista, Médico clínico geral

Maceió

Agendar uma visita

O exame de de prevenção do câncer de próstata é realizado através do toque digital, exame este indolor ao paciente e de rápida execução, importante ser realizado a partir dos 50 anos de idade para pacientes sem fatores de risco e a partir dos 45 anos para aqueles que possuem história de parente de primeiro grau diagnosticado com o câncer de próstata ou pertence à raça negra ou portador de obesidade.

Realização de seguimento, diagnóstico e tratamento clínico e cirúrgico das doenças de próstata. Incluindo as prostatites, câncer de próstata e hiperplasia prostática benigna.

Rafael Pauletti Goncalves

Urologista

Natal


O câncer de próstata é a segunda neoplasia mais frequente no homem, atrás apenas de tumores de pele. Tem incidência aumentada em indivíduos da raça negra, em pessoas com parentes de primeiro grau afetados e em homens com mais de 65 anos (60% dos casos). A maioria dos tumores de próstata é silencioso, sem sintomas (80% dos casos), por isso, recomenda-se rastreamento a partir de 45-50 anos, e nos casos de risco citados acima, a partir dos 40 anos. Pode apresentar-se como doença localizada, localmente avançada ou com metástase à distância. Cada fase tem seu tratamento específico, seja com cirurgia (prostatectomia radical), radioterapia, bloqueio hormonal ou quimioterapia.

O cancer de prostata é uma doença silenciosa que com exames periódicos pode ser facilmente diagnosticada e tratada precocemente. Me especializei no diagnóstico do cancer de prostata e em seu tratamento, uma vez que fui o responsável pelo tratamento cirúrgico de todos os pacientes do município de Sorocaba que tinham cancer de prostata e acompanhavam pela Santa Casa de Sorocaba entre os anos de 2014 e 2015, totalizando mais de cem cirurgias. Portanto, tenho grande experiência no assunto, o que gera cirurgias com um menor tempo cirúrgico, resultando em menores riscos, menores índices de sangramentos e complicações e melhores resultados.

O câncer de próstata é a neoplasia mais comum nos homens, está relacionada a idade, e ainda não tem fatores de risco bem definidos para que os pacientes possam se prevenir. Assim, partir dos 45-50 anos todos os homens devem iniciar a rotina de rastreamento do câncer de próstata. A idade exata de início e o modo de rastreamento, ou seja, os exames a serem realizados, dependem das características individuais de cada homem. Após o término da minha residência na Unicamp, fiz estágio nos Estados Unidos e Itália, focados na área uro-oncológica. Tenho experiência no rastreamento e diagnóstico do câncer de próstata, assim como na realização de cirurgias laparoscópica e robótica para seu tratamento.

O câncer da próstata ocorre por uma transformação das células dos ácinos, que passam a se proliferarem de forma anormal.O principal fator de risco para o câncer da próstata é a idade. Quanto mais velha é a pessoa, maior a chance de desenvolver a doença. História familiar em parentes de primeiro grau também aumentam a chance de desenvolver a doença. Muitas vezes, os sintomas não aparecem e o câncer já esta lá na próstata. Isso não significa que a presença do câncer vá trazer imediatamente um problema. Por isso, homens com mais de 50 anos devem iniciar o rastreio para esta doença que quando diagnosticada precocemente aumenta as chances de cura.

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo mais frequente em homens. A doença pode demorar a se manifestar, exigindo exames preventivos constantes para não ser descoberta em estágio avançado, quando já é potencialmente fatal. Os fatores de risco principais são a idade, a raça (mais frequente em negros) e a história familiar positiva. Homens a partir dos 50 anos, ou dos 45, se houver história familiar ou raça negra, devem ir anualmente ao urologista para realizar o toque retal e medir o PSA. O diagnóstico definitivo é feito por meio da biópsia de próstata. O tratamento pode variar desde a cirurgia isolada até tratamentos combinados com radioterapia, hormonioterapia e quimioterapia.

O câncer de próstata é muito prevalente e a segunda maior causa de morte por câncer na população masculina. O tratamento ideal começa pela indicação, já que as opções incluem: cirurgia, radioterapia e vigilância ativa. Assim, o diagnóstico deve ser preciso, todas as variáveis levadas em consideração, para que indiquemos de forma ética e técnica o melhor tratamento para cada paciente. Nos casos com indicação cirúrgica ofereço sempre uma técnica minimamente invasiva (cirurgia robótica ou laparoscópica- na impossibilidade da robótica-), para as quais me especializei muito, proporcionando assim um tratamento seguro com rápida recuperação e excelentes resultados funcionais aos meus pacientes.

Nilo Jorge Leão Barretto

Oncologista, Urologista

Salvador

Agendar uma visita

Considerado o segundo câncer mais comum em homens, a incidência do Câncer de próstata aumenta com o envelhecimento e apresenta alguns fatores de risco, como: raça negra e historia familiar positiva. Na fase inicial, não há sinais e sintomas característicos e, por isso, é importante o rastreio através do toque retal e da dosagem do PSA. O diagnóstico é feito por meio de biopsia transretal guiada por ultrassonografia e, quando descoberto em fases iniciais, a chance de cura pode ser maior que 70%. Para o tratamento optamos, a depender do estágio da doença, cirurgia e/ou radioterapia e/ou hormonioterapia e, até mesmo, apenas acompanhamento clínico.

Possui mais de 45 anos? Já realizou seu exame de rotina? O câncer de próstata possui excelente resposta ao tratamento se diagnosticado em fase inicial. Porém, muitas vezes é diagnosticado em fases avançadas por se tratar de um tumor "silencioso", e por isso a importância da realização do rastreamento.

A próstata é uma glândula localizada na pelve masculina, abaixo da bexiga e anteriormente ao reto. É responsável pela produção de elementos do líquido seminal, desempenhando papel importante na fertilidade. Também é, contudo, sítio de diferentes doenças que podem acometer o homem, notadamente o Câncer da próstata, o que mais acomete o homem, após o de pele. Mas, pode ser realmente prevenido? E se diagnosticado, o tratamento pode ser eficaz? Sim! Faça uma avaliação e questione sobre o assunto!

O câncer de próstata é uma das doenças oncológicas mais comuns nos homens. Atualmente, já é comprovado que o rastreio com toque rectal e PSA é fundamental para o diagnóstico precoce da doença. Na doença avançada, o tratamento pode ser feito através de hormonioterapia, quimioterapia, inibidores da síntese de androgêngios (hormnonio masculinos), como a abiraterona, e inibidores dos receptores de androgênios (enzalutamida). Além disso, o radium-223, um medicamento da geração dos radioisótopos-alfa, mostraram-se importantes no tratamento das metástases ósseas. Com vários inovações terapêuticas, o prognóstico dessa doença tem melhorado bastante hoje em dia.

O câncer de próstata em estágio inicial geralmente não provoca sintomas, enquanto em estágio avançado pode causar alguns, como: Micção frequente. Fluxo urinário fraco ou interrompido. Vontade de urinar frequentemente à noite (Nictúria). Sangue na urina ou no líquido seminal. Disfunção erétil. Dor no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos se a doença se disseminou. Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés.

Aline Da Rocha Lino

Oncologista

Florianópolis


Procedimento cirúrgico para o tratamento de câncer de próstata. Cirurgia feita com sangramento mínimo e rápida recuperação. Possibilidade de realizar também por via laparoscópica.

O câncer de próstata é muito comum. Depois do câncer de pele, esta é a doença que mais mata o sexo masculino ao redor do mundo. Nas fases iniciais a doença é silenciosa, por isso ficar atento aos sinais do corpo é essencial. Eventualmente, os sintomas podem surgir após o crescimento do tumor na região, causando uma compressão da uretra, impedindo o fluxo de urina e irritando a bexiga. Alguns alertas do problema são: diminuição do jato urinário, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga e ardor para urinar. Nos casos mais avançados a doença pode causar fraqueza e anemia. Porém, esses sintomas podem estar relacionados a outras causas. Por isso, nesses casos procurar um médico é essencial.

Câncer de Próstata é uma doença que acomete 1 em cada 6 homens.Tem como fatores de risco o histórico familiar, os pacientes afro-descendentes e o envelhecimento. Quando descoberto precocemente pode ser tratado de modo a promover cura. Dentre os tratamentos, a Cirurgia Robótica é a grande evolução, pois promove recuperação mais rápida, menor sangramento e excelente controle oncológico.Procure um urologista Certificado em centros onde ele pôde realmente Operar e não tenha feito somente treino em laboratórios ou simuladores.Não existe no Brasil treinamento prático. Durante treinamento de18 meses -Australia- além dos casos observados/como assistente, realizei no console pelo menos 50 casos.

O Câncer de próstata (CaP) é o segundo tipo mais comum de câncer no homem. No Brasil surgem mais de 60mil casos novos por ano. Entre os principais fatores de risco estão: idade avnaçada, raça e história familiar da doença. Outros fatores como tabagismo e obesidade têm influência na evolução e desfecho do problema. Apesar da alta incidência o CaP tem baixa mortalidade quando o diagnóstico é precoce e o tratamento é adequado. Para a avaliação o urologista realiza exame clínico, incluindo exame digital da próstata (toque retal) e avaliação do PSA. Quando ha alteração no toque retal ou PSA está elevado a biópsia da próstata pode ser indicada para definição diagnóstica.

Nathanael Batista Modesto Silva

Urologista

Petrolina


O tratamento cirúrgico do câncer de próstata, quando indicado, é realizado de forma minimamente invasiva pelas técnicas laparoscópica ou Cirurgia Robótica, visando primeiramente a remoção completa do câncer visando manter a potência sexual e continência urinária preservadas.

Leonardo Welter Neto

Oncologista, Urologista

São Paulo


O segundo câncer mais comum entre os homens no Brasil, se desenvolve na próstata, glândula masculina localizada abaixo da bexiga, responsável por parte do sêmen. É considerado um tumor da terceira idade, que normalmente, se desenvolve lentamente. A menifestação clínica é pobre, daí a necessidade de rastreio da doença. O tratamento irá depender do momento em que a doença é descoberta, sendo indicado na maioria das vezes o tratamento cirúrgico, radioterapia, ou tratamento medicamentoso.

Câncer de Próstata é o tumor maligno mais frequente entre os homens, excetuando-se os tumores de pele. Em geral, 1 em cada 6 homens terá a doença. É responsável por um grande de mortes na população masculina, entretanto, quando diagnosticado em estágio precoce as chances de cura com o tratamento são bastante elevadas. O tratamento depende do estágio da doença, podendo ser feito através de Cirurgia (Aberta, Laparoscópica ou Robótica), Radioterapia, Hormonioterapia ou Quimioterapia.

Atualmente há 3 tratamentos para o câncer da próstata em estadio inicial, que são: Cirurgia radical da próstata, Radioterapia e vigilância Ativa (acompanhamento). Normalmente paciente com idade mais avançada e portadores de outros problemas de saúde (hipertensão, diabetes, doença arterial coronariana e doenças arteriais outras) não são candidatos a cirurgia radical, devendo o tratamento ser individualizado. Converse com seu urologista.

O câncer de próstata é o tumor sólido mais comum no homem. É mais freqüente a partir dos 40 anos de idade, por isso recomenda-se avaliação anual rotineira a partir dessa faixa etária, principalmente se existe algum antecedente familiar da doença. O tratamento do câncer vai depender da extensão tumoral e da idade do paciente, entre outros aspectos. Quando se objetiva o intuito curativo, o tratamento cirúrgico pode ser utilizado através de diversas técnicas como a vídeo-laparoscopia e a cirurgia robótica; entretanto, dispomos ainda de métodos como a radioterapia e o HIFU.

Dr. Walter Henriques Da Costa

Oncologista, Urologista

São Paulo

Agendar uma visita

O câncer de próstata é o tumor maligno mais comum do homem. O antecedente familiar, idade e etnia são os principais fatores de risco para o câncer de próstata. Se um parente de primeiro grau tem a doença, o risco dobra. Se forem dois ou mais parentes, o risco aumenta 5 a 11 vezes. No entanto, 90% dos tumores ocorrem em pacientes sem qualquer antecedente. Assim, o mais importante é fazer exames periódicos para a detecção precoce. As principais ferramentas para o diagnóstico precoce são o exame físico da próstata, a dosagem do PSA e a biópsia de próstata. Mesmo pacientes com valores “normais” de PSA podem ter câncer de próstata e por isso o exame físico deve ser sempre realizado.

Cirurgia por Videolaparoscopia para Câncer de Próstata: trata-se de cirurgia com mínimas incisões (de 0,5 a 1cm) para remoção total da próstata com câncer. Beneficia o paciente com recuperação rápida no pós-operatório, melhor visualização da anatomia cirúrgica para o médico cirurgião, menor incidência de infecções no pós-operatório e cicatrizes mínimas.

Arthur Dantas Vieira

Urologista

Maceió


No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. Outros, porém, crescem de forma tão lenta que não chegam a dar sinais durante a vida e nem ameaçam a saúde do homem. Sendo assim seu tratamento é variável e deve ser individualizado caso a caso. Com a constante evolução da medicina, atualmente dispomos de opções terapêuticas modernas e menos invasivas como a cirurgia robótica e laparoscópica. Procure um urologista.

O Câncer de Próstata ainda é considerado uma das neoplasias masculinas que mais causa morbidade e mortalidade, apesar de ser facilmente detectável por meio do acompanhamento com seu urologista. Hoje em dia existem várias modalidades de tratamento da doença desde a vigilância ativa até tratamentos específicos como radioterapia, hormonioterapia e prostatectomia aberta, laparoscopia ou robótica. O Câncer de Próstata detectado em sua fase inicial é muito bem conduzido por qualquer das modalidades acima descritas, resultando em elevadas taxas de sucesso e com excelentes resultados.

O câncer de próstata é o tumor maligno mais comum no homem, depois do câncer de pele. É estimado que um em cada 7 homens vai desenvolver câncer de próstata na sua vida. No Brasil, segundo o INCA, estima-se em 2018 o surgimento de 62.000 novos casos. Felizmente, apesar da incidência crescente, observa-se um declínio das taxas de mortalidade, que caíram 40% nos últimos 15 anos nos países mais desenvolvidos. Essa redução se deve principalmente ao diagnóstico precoce ( através do toque retal e PSA) e ao aperfeiçoamento das formas de tratamento.

O câncer de próstata é uma doença curável nos seus estágios iniciais e possui algumas opções de tratamento como cirurgia ou radioterapia. Habitualmente eu indico a cirurgia de prostatectomia radical por videolaparoscopia, que é uma cirurgia minimamente invasiva que conta com uma recuperação cirúrgica mais rápida e resultados muito satisfatórios do controle oncológico como também permite manter a potência sexual e a continência urinária após a cirurgia, na grande maioria dos casos.

O câncer de próstata permanece como a neoplasia sólida mais comum e a segunda maior causa de óbito oncológico no sexo masculino. Segundo dados do INCA, estão estimados 68.220 novos casos em 2018 no Brasil, constituindo o tipo de câncer mais incidente nos homens (excetuando-se o câncer de pele não melanoma) em todas as regiões do país. Apesar dos avanços terapêuticos, cerca de 25% dos pacientes com câncer de próstata ainda morrem devido à doença. Atualmente, cerca de 20% ainda são diagnosticados em estágios avançados, embora um declínio importante tenha ocorrido nas últimas décadas em decorrência, principalmente, de políticas de rastreamento e maior conscientização dos homens.

O câncer de próstata é o tumor mais comum entre os homens, depois do câncer de pele, e é mais comum após os 60 anos de idade. A medição do PSA no sangue e o toque retal são as maneiras mais simples de identificar o câncer de próstata. Homens sob maior risco são os negros e familiares de pacientes de câncer de próstata. Os tratamentos para câncer de próstata variam desde a observação vigilante de um tumor de muito baixo risco de evoluir, passando à necessidade de radioterapia ou procedimentos invasivos como a cirurgia de retirada da próstata. Os procedimentos cirúrgicos podem variar desde a cirurgia aberta - tradicional - até a cirurgia laparoscópica ou robótica.

O Câncer de Próstata, com exceção do câncer de pele, é o câncer mais comum no homem. No Brasil a cada 7,6 minutos um homem é diagnosticado com Câncer de próstata e a cada 40 minutos um homem morre dele. A incidência dessa doença aumenta com a idade, aos 75 anos, aproximadamente 1 em cada 4 homens será diagnosticado. Por ser uma doença silenciosa em sua fase inicial e ter um potencial de cura maior de 90% quando diagnosticado precocemente, no mês de Novembro foi criada uma campanha nacional o “Novembro Azul” com objetivo de conscientizar e incentivar os homens a prevenção.

Tratamento atualizado, utilizando técnicas minimamente invasivas, com rápida recuperação, de acordo com as técnicas utilizadas nos melhores centros médicos mundiais, e equipe multidisciplinar apoiando ativamente na recuperação clinica do paciente.

Câncer de próstata se constitui numa preocupação atualmente devido ao aumento da longevidade. UM em cada SEIS homens vai desenvolver o câncer de próstata. A chance de se diagnosticar esse tumor aumenta com a idade. O diagnóstico precoce é fundamental para a cura, para isso é necessário uma avaliação anual com seu urologista.

Thiago Da Silveira Antoniassi

Urologista

São José do Rio Preto

Agendar uma visita

É o câncer mais comum no Homem, com grandes chances de cura quando diagnosticado e tratado precocemente. O tratamento com maior chance de cura e mais moderno vem do final da década de 90, quando o Prof Bertrand Guillonneau, com o qual eu tive oportunidade de treinar em Paris, realizou a primeira série de 100 casos operados em 1998, obtendo excelentes resultados. A técnica se desenvolveu bastante e hoje com o auxílio do Robô da Vinci, conseguimos resultados excelentes de recuperação de ereção (70-90% de resposta) e continência precoce.

O câncer de próstata é a neoplasia mais frequente do homem, acometendo 1 em cada 8 homens durante a vida. Felizmente, o diagnóstico nos últimos anos tem sido cada vez mais precoce, sendo possível na maioria das vezes um tratamento curativo. Atualmente, existem várias opções para o tratamento: o seguimento vigiado, para doenças de muito baixo risco; a cirurgia e a radioterapia, para doenças localizadas ou localmente avançadas; hormonioterapia e quimioterapia, para doenças com metástase. A avaliação e individualização do tratamento é fundamental para maximizar os resultados e minimizar os efeitos colaterais.

É de importância fundamental para o homem realizar rotineiramente consulta urológica e exames para detectar e previnir doenças da próstata ,principalmente o câncer, o qual tem altos indices de cura quando detectado no inicio.

O câncer de próstata pode ser tratado tanto de forma cirúrgica com o urologista, como através de radioterapia ou braquiterapia com o radio-oncologista. Caso o paciente opte pela radioterapia, dependendo da gravidade da doença, pode ser necessário tratamento de hormonioterapia concomitante. Nos quadros mais avançados o tratamento também inclui a quimioterapia.

Rafael Batista

Oncologista

Salvador


O câncer de próstata (CaP) é a neoplasia maligna de ocorrência mais comum entre os homens, excluindo-se câncer de pele não melanoma. Estimativas do INCA para 2018 no Mato Grosso do Sul teremos 1190 casos novos diagnosticados, o que corresponde a aproximadamente 1/3 de todos os tumores diagnosticados em nosso estado. Dentre os fatores de risco, podemos citar a idade, historia familiar, negros, hipertensão arterial sistemica, obesidade. O diagnostico ocorre através da Biópsia de Próstata, solicitada em caso de elevação de PSA ou Toque Retal alterado. Tratamento deve ser individualizado. Levamos em consideração o estadio clinico da doença e as comorbidades do paciente.

O Câncer de próstata é a segunda neoplasia mais comum que acomete o homem, atrás apenas do câncer de pele. Não devemos esperar sintomas como urina fraca, sangue na urina ou ardência para urinar para iniciarmos nossa avaliação pois a doença costuma ser assintomática nas fases iniciais. O exame de sangue (PSA) e o toque retal (exame digital da próstata) são essenciais para avaliação da população de risco: homens acima dos 45 anos com história familiar de câncer de próstata ou da raça negra e homens acima de 50 anos, para população geral. Se você pertence a um desses grupos, marque sua avaliação o quanto antes.

Câncer que mais mata homens no Brasil, o tratamento precisa ser feito na fase inicial da doença onde as chances de cura chegam a 90%. Sou especialista no tratamento do câncer de próstata através da cirurgia Laparoscópica. Cirugia esta, minimamente invasiva. A vantagem da cirurgia laparoscópica é principalmente uma recuperação mais rápida e o retorno mais precoce as suas atividades. Além da menor chance de sangramentos durante a cirurgia.

Experiência com mais de 1,200 pacientes tratados com câncer de próstata localizado e com boa evolução em pós-operatório quanto a preservação da continência urinária e da potência sexual. Trabalhou por 25 anos no Hospital AC Camargo, onde protagonizou a introdução desta cirurgia. A doença pode ser curada desde que seu diagnóstico seja precoce e que a doença esteja confinada dentro da próstata. Uma cirurgia bem realizada garante uma vida saudável e com manutenção da qualidade de vida. Atualmente realizado prostatectomia radical robótica, cuja vantagem está em ser uma cirurgia minimamente invasiva e com recuperação mais rápida.

Quais profissionais tratam Câncer de próstata?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.